Entrevista com Aprovado - Paula Mattos Sávio de Andrade


Hoje vamos conhecer a história de Paula Mattos Sávio de Andrade, casada, mãe de 8 gatos e formada em medicina veterinária pela UFF (Universidade Federal Fluminense). Apaixonada pela área de pequenos animais, o foco inicial de Paula era trabalhar no Exército Brasileiro. Com o fim de oferta para o cargo de Veterinário neste certame, ela optou por estudar para o MAPA e hoje está muito feliz, realizada e esperando a sua nomeação. Confira abaixo a entrevista completa.


Ponto: Conte um pouco de sua história como concurseira.


Paula: Tudo começou em 2014, quando eu resolvi, em cima da hora, tentar a prova para o Exército Brasileiro (EB). Eu trabalhava em laboratório de pequenos animais e achava que minha única oportunidade de mudar de vida era por meio de um concurso público. Fiz a prova sem estudar, só para ver como era. Não consegui passar, fiquei longe disso. Mas percebi que não seria impossível. Em 2015, me dediquei desde o início para fazer a prova em setembro. Adquiri todo o material do edital (livros, xerox, legislações). Estudei tudo, mas novamente não consegui. Fiquei em 32º e eram 4 vagas. Recomecei os estudos logo que saiu o resultado, ainda em 2015, e vi que não tinha passado. Entrei o ano de 2016 já estudando, novamente, para o EB. Prestei a prova e fiquei em 20°. Eram apenas 2 vagas. Continuei o estudo para o EB no ano seguinte, mas logo em janeiro de 2017 já fiquei sabendo que não teria vaga para Veterinário. Fiquei arrasada. Estava há tanto tempo estudando para o certame militar, ter que recomeçar o estudo para outra instituição parecia aterrorizante. Logo depois começaram os rumores de prova para o Mapa. Não teve jeito: larguei os estudos para o EB e em fevereiro de 2017 iniciei os estudos para o Mapa. Mas esse tempo estudando para o EB não foi em vão. Apesar de as matérias serem totalmente distintas, esse estudo me ajudou a voltar a ter concentração e paciência para permanecer horas e horas estudando. Quando comecei o estudo para o Mapa, já estava condicionada a longos horários de estudos, leituras diárias, resumos..então, não precisei me adaptar à rotina. Essa adaptação eu já tinha. Foi só mudar o foco mesmo.


Ponto: Você fez o curso de Conhecimentos Específicos para o Mapa e o de Discursivas, ambos ministrados pelo Prof. Silvio Duarte. Poderia falar um pouco sobre como eles foram importantes para a sua aprovação?


Paula: Conheci o professor Silvio por meio do meu marido, que por sua vez o conheceu pelo Facebook (eu já havia cancelado o meu). Via na “prática” (em vídeos postados por ele) tudo o que estava estudando. Toda vez que ele postava um vídeo interessante, meu marido me chamava para assistir. Por meio da página dele, conheci o Ponto. Não hesitei em me matricular, pois via nos vídeos do professor Silvio o tamanho do empenho e dedicação dele. Foi um excelente investimento. O professor Silvio fez inúmeras questões objetivas, muitíssimo detalhadas, que me ajudaram a decorar os mínimos detalhes das legislações. Até o detalhe dos sanitários dos estabelecimentos ele abordou nessas questões. Muitas questões da prova foram parecidas com as questões que ele fez. Quando vi que fui para a segunda fase, me matriculei logo no curso da discursiva. Nesse curso, ele abrangeu de forma mais sucinta, porém profunda, os assuntos mais importantes para a prova, inclusive o tema que caiu prova. Além disso, ter a oportunidade de fazer dois estudos de caso e receber a correção dele, foi fundamental. Vi que estava no caminho certo!


Ponto: Como você organizou o seu tempo para conseguir fechar todo o conteúdo do edital?


Paula: Eu simplesmente larguei tudo! Assim que decidi começar a estudar, de verdade, para concurso, a primeira medida que tomei foi apagar Facebook e Instagram. Redes sociais nos distraem e nos tomam muito tempo. Também larguei o trabalho e me dediquei integralmente aos estudos. De início, comecei estudando baseada no edital anterior, de 2014, que era muita matéria. Quando saiu o edital para a prova, foquei exatamente o que ele continha: li todas as legislações inúmeras vezes, fiz resumos das partes mais importantes e fiz pequenos resumos desses resumos, que colei pelas paredes da casa inteira. Então, em qualquer lugar da casa que eu estivesse, estava sempre lendo algum resumo na parede. No mais, estudava o dia todo: começava por volta das 9h, após o café da manhã, parava para o almoço e recomeçava em seguida e seguia estudando até a hora de dormir. Mas nunca estudava a mesma matéria o dia todo, porque meu rendimento caía. Procurava alternar, estudando uma disciplina até o almoço e outra após, até a hora de dormir.

Devo destacar que o apoio do meu marido foi fundamental: ele assumiu tudo sozinho, desde as despesas até a organização da casa, o que me permitiu dedicar 100% do meu tempo aos estudos. Além disso, ele sempre acreditou em mim e me incentivou a largar tudo para estudar porque sabia que eu conseguiria!


Ponto: Você indicaria os cursos do Ponto dos Concursos?


Paula: Sim, claro! O curso foi fundamental. Ele me ajudou a guiar meus estudos. Além disso, o professor Silvio sempre esteve disponível para me ajudar em tudo! No fórum, eu postava as dúvidas, ele logo respondia. Essa dinâmica foi essencial para fazer o estudo fluir.


Ponto: Qual mensagem você gostaria de deixar para os colegas que continuam estudando?


Paula: Nunca desistam. Concurso é questão de persistência. Uma hora a nossa vez vai chegar! Basta fazermos a nossa parte, acreditar em nós e estudar, estudar e estudar!