Dê o nome certo às coisas

Olá, pessoal. Como vocês estão?

Quero chamar-lhes para uma reflexão. Por vezes, adotamos determinadas posturas e comportamentos que nos levam a tomar atitudes que, num primeiro momento, parecem sutis, mas, na verdade, estão fazendo a diferença em nossas vidas.

Trato da atitude de dar nome às coisas. Não entenderam? Vou explicar. Aquele nome que você dá a uma situação reflete, de fato, na forma que ela toma. Tecnicamente, uma coisa sem nome não existe. O problema é que não necessariamente o nome que damos a uma situação é o nome que ela deveria ter.

Às vezes, em vez de nomear uma reprovação como “experiência” ou “aprendizado”, estamos chamando de “o sonho acabou” ou “desisto”. Em vez de chamar uma crise de “desconforto temporário”, estamos dando-lhe nomes patológicos. Não chamamos a dificuldade de aprender determinada disciplina de “o meu ponto fraco se tornará o meu ponto forte”, chamamos de “eu sou burro” ou “isso não entra na minha cabeça”. Nomeamos a falta de tempo de “não tenho condições de estudar” ou “há pessoas que estudam mais de 8 horas por dia”, mas não chamamos de “é um bom motivo para eu me concentrar mais ou para ser mais disciplinado”. Chamamos aquela única vaga no edital de “a concorrência é muito grande”, mas não falamos que “alguém tem que preenchê-la”.

Meus amigos, não aceitem sobre si nomes que não refletem quem vocês são. Vocês são pessoas capazes que, se estudarem com a metodologia correta, disciplina e dedicação necessárias, serão aprovadas. O que diferencia vocês daqueles que já foram aprovados é apenas um caminho que vocês ainda não percorreram.

Fiquem com Deus.

Grande abraço!


Prof Maurício Oliveira - Coaching, Direito Administrativo, Administração Geral e Gestão de Pessoas

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo