Como se preparar para Residências em Saúde

Não trago fórmulas mágicas e nem o método perfeito, tentarei de forma resumida, traçar alguns passos e mostrar alguns erros comuns, que os concursandos da área da saúde cometem ao entrar na jornada que leva ao cargo público. Vamos por partes: Por onde começar?

Passo 01 - Fazer um diagnóstico situacional é o primeiro passo para o seu planejamento:

  • “Onde” estou agora?

  • Como está a minha vida?

  • O que tenho de situações facilitadoras?

  • O que tenho de situações “dificultadoras”?

  • Com quem posso contar?

  • Qual o meu “grau” de vontade (pode mensurar em uma escala de 0-10).

Tendo as respostas, vamos ao segundo passo:

Passo 02 - Definir seu objetivo é o segundo passo para o seu planejamento:

  • Onde você quer chegar?

  • Determine as ações, prazos e resultados;

  • Lembre-se: os objetivos devem ser “palpáveis”;

  • E você deve ter certeza do que você realmente quer, na dúvida, peça ajuda de um profissional.

  • Como manter o foco nos estudos em meio à crise?

  • Não ache que é só você que está passando por dificuldades – o BRASIL todo está;

  • Os concursos autorizados terão editais publicados;

  • Os concursos da EBSERH estão em andamento: alguns com editais na iminência de publicação;

  • Os editais antigos e questões de provas estão disponíveis na internet – mas tenha cuidado em quais sites pesquisar. Escolha as empresas que já possuem experiência na área de concursos.

Passo 03 - Será que estou estudando corretamente, eis o terceiro passo.

  • Não temos uma fórmula única e geral, mas sem dúvidas cada um tem a sua “fórmula específica”.

  • Chegou a hora de rever seu método?

  • Verificando e corrigindo erros.

E falando em erros, eis os mais comuns, veja se você se identifica!

1.Estudar por materiais inadequados: Slides/aulas da graduação – os conteúdos não são direcionados para as provas;

  • Livros desatualizados – O campo da saúde requer leitura atualizada, principalmente quando falamos em normas, leis, decretos e portarias;

  • Professores e cursos que não possuem histórico na área de concursos e seleções;

  • Materiais de qualidade duvidosa – Não compre gato por lebre!

2. Iniciar os estudos apenas após a publicação do edital:

  • Existem editais de residências de anos anteriores – para que esperar? Inicie com os temas que são recorrentes em provas;

  • Após o edital ser publicado você já terá a vantagem em relação aos outros, pois basta fazer ajustes: você revisa ou inicia os estudos dos temas que foram inclusos no novo editalsua chance de ser aprovado aumenta muito;

3.Não estudar a parte de conhecimentos gerais:

  • A parte de conhecimentos gerais é de suma importância pois, são temas que se distanciam daqueles específicos do seu núcleo de atuação;

  • Deve-se iniciar os estudos por este item, desta forma você fecha um ciclo de estudos e inicia a parte específica, um pouco mais perto da prova, o que facilita a memorização;

  • Lembre-se: todos os candidatos, em tese, possuem conhecimentos de sua área de atuação, logo é importante fechar a prova dos temas que a maioria acha que não tem peso ou que todos irão acertar/errar.

4. Não resolver questões de provas anteriores

  • Todo candidato a uma vaga deve ter como um dos métodos, a resolução de questões anteriores.

  • Crie seu banco de questões;

  • Resolva várias vezes e esgote o assunto – quando uma dúvida surgir, você deve grifar e buscar o conteúdo teórico que embasa a questão – você nunca mais errará questões sobre o assunto.

5. Ler os conteúdos superficialmente e de forma passiva

  • Ler passivamente é um dos erros mais comuns. Não espere que todo o material deva “apenas” ser lido – faça sua parte;

  • Esquemas, lembretes, anotações ajudam na fixação;

  • Resumos, anotações, grifos ajudam na memorização e compreensão dos temas. Certifique-se de que você aprendeu/relembrou o que leu.

6. Falta de planejamento nos estudos

  • Não ter um plano de estudos é seguir por um caminho sem luz...planejar é sine qua non à aprovação!

  • Se você possui dificuldade em planejar, procure ajuda de um profissional: Coaching ou Mentoring – é um bom investimento

  • Mas não comece sem o planejamento, pois causará angústia e sensação de impotência.

7. Contar o número de vagas:

  • Você precisa de quantas vagas?

  • Claro que só uma! Não se torture pensando em quantas vagas são ofertadas – estude e garanta a sua!

8. Buscar o histórico do concorrente

  • Simples assim: os outros são os outros!

  • Você é você! Em quem se deve confiar mais?

  • Ao invés de gastar seu tempo e emoções com esta busca: estude, mude comportamento, foque e pense positivo!

9. Achar culpados

  • Muitas vezes tenho “pena” (rsrs) dos maridos, filhos, pais e mães quando o estudante se chega na fase de culpa.

  • Assuma onde está errando, analise seu processo de estudo, veja se escolheu o que você realmente deseja – mas a culpa, na maioria das vezes, não é dos outros!

  • Converse, dialogue, explique seu momento e busque parceiros na sua caminhada. Tente caminhar de “ mãos dadas” com a família, amigos, companheiro (a) ...pois é sua história que está sendo construída!

  • Nenhum curso ou professor te aprovará, se você não fizer sua parte! Confiança é tudo, principalmente a confiança em si!

10. Galgar uma vaga por ser, apenas uma oportunidade

  • Se não for o seu desejo pessoal – não faça!

  • Espere outro concurso ou residência só não pare de estudar;

  • Lembre-se: “Mentir para si mesmo é sempre a pior mentira”!

Não poderia encerrar este artigo sem deixar uma “pequena grande dica”: