As duas perguntas que você deveria ter feito antes de começar

O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo tomar para sair daqui?

Isso depende muito para onde você quer ir, respondeu o Gato.

Não me importo muito para onde, retrucou Alice.

Então não importa o caminho que você escolha, disse o Gato.

~ Alice no país das maravilhas, de Lewis Carroll.

Em termos de projeto de vida (estudar para concurso público, por exemplo, é um projeto de vida), há duas perguntas que se destacam, entre todas as outras questões envolvidas. São elas:

- Aonde eu quero chegar?

- O que farei para chegar lá?

São perguntas tão básicas que todas as pessoas...não, não fazem, infelizmente. A maioria dos candidatos com que eu tive a oportunidade de conviver (e digo maioria mesmo!) nunca se fez essas perguntas, antes de começarem a caminhada. O ser humano é, ao mesmo tempo, ansioso e conservativo, em matéria de tomada de decisão. Ele quer começar AGORA, utilizando TODA sua força disponível. O caminho não importa muito, afinal. É a velha crença de que seu esforço será valorizado pela professora da escola, independentemente do resultado. Não deixe que as crianças ao seu lado escutem, mas a verdade é que as conquistas dependem de resultado, não de esforço. Esforço sem resultado é hobby ou perda de tempo. Há a ainda questão da falta de humildade. A maioria das pessoas se acha esperta o bastante para não escutar conselhos ou, pior, a maioria acredita que não faz parte da maioria. E, desse comportamento tolo, resulta preparações desastrosas, desperdício de tempo, dinheiro e, claro, muito mimimi.

Bom, vejamos as perguntas:

- Aonde eu quero chegar?

Como disse, a maioria dos candidatos não leva a sério a pergunta, dada sua profundidade. Respostas do tipo “qualquer coisa que pague acima de R$ 10.000,00” são comuns, mas vagas demais para serem um objetivo. Se você está se identificando com essa resposta, suas chances de êxito são muito baixas, pela minha experiência pessoal. Objetivo deve ser específico. Quero ser Policial Rodoviário Federal, por exemplo. É específico. Curto e grosso. Ou então “não sei ao certo, mas é algo em torno disso-disso-disso”. Tá valendo também. Este seria o caso do candidato que estuda pra PRF, mas decidiu tentar o concurso da Polícia Federal. São matérias afins, concursos afins. Particularmente, eu adotei este último método. Preferi focar em uma área, ao invés de um concurso específico.

Parece simples, mas a prática diz que não. O que tem de candidato perdido no mundo, não é brincadeira! Fazer a pergunta e responder corretamente, vai lá...é muito fácil. Manter-se fiel à resposta é que são elas. A tentação do edital na praça, mesmo composto por muitas disciplinas que não estamos estudando, é forte demais. A promessa da recompensa e do término do sofrimento são apelativos e os canais do cérebro ligados ao prazer gritam para entrar na disputa. Aqui vai a dica, de um humilde estudante, assim como você: faça a pergunta, responda, e seja fiel à resposta, custe o que custar. Não seja tolo de achar que você é melhor que os outros e que não faz parte da maioria. Assuma que é uma pessoa comum, como eu, que precisa tomar decisões certas e estudar muito para passar. Não viaje na maionese. Conheço candidatos que estudam há mais de dez anos e que já poderiam ter passado, se tivessem sido fieis às suas respostas. Não pague para ver. O preço é alto demais.

- O que farei para chegar lá?

Dizem que uma hora de planejamento, economiza dez de execução. Eu concordo. Começar a estudar, sem ter amarrado certas premissas, igualmente é perda de tempo. São questões básicas, como, por exemplo, o método para fazer as revisões, a evolução nas disciplinas, o material a ser estudado. Nada demais. Aqui vale outra dica valiosa: se não funciona para você, abandone. Não tem conversa fiada. O método que você utiliza funciona pra você? Você sente que está rendendo? Só há três respostas possíveis:

- Sim.

- Não.

- Ainda estou testando.

Não alimente um monstro, só porque é bonitinho. “Ahh Igor, mas eu gosto de fazer assim”. Tá bom, mas você estuda há um bom tempo sem resultado? Se sim, então está errado. A não ser que estudar para concurso seja um hobby pra você. Pra mim não é. Não seja conivente com o fracasso. Busque, até que você encontre algo que realmente funciona pra você, independentemente do que os outros pensam ou falam a respeito.

Se você não tem respostas simples e práticas para suas perguntas, nem comece, pois vai acabar sendo como a Alice no país das maravilhas, que não sabe aonde quer chegar, nem o caminho a ser percorrido.

Um abraço!

Igor.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo