Administração Geral e Pública – Curso Regular - 2022: Aula demonstrativa!


1. Escola Clássica de Administração


Para entendermos os modelos de gestão é preciso que salientemos que estas existem porque as organizações existem. Os modelos de gestão foram criados para gerar resultados melhores para as organizações, sejam elas de que tipo forem. É o esforço humano em entender como funcionam as organizações e alcançar performances cada vez mais elevadas.


Por organização podemos entender um “conjunto de pessoas que atuam juntas em uma criteriosa divisão de trabalho para alcançar um objetivo comum”. Neste sentido são instrumentos sociais para racionalmente os homens produzirem benefícios coletivos que individualmente seriam impossíveis de serem alcançados. Porém, uma organização é mais do que meramente um instrumento para produção de bens e serviços. São espaços de sociabilidade, instrumentos sociais, onde a vida se propaga.


Existem diversas formulações para o conceito de organização. O conceito acima está no livro do Prof. Chiavenato, “Comportamento Organizacional”. Desta definição percebemos alguns elementos que compõem uma organização: pessoas, divisão do trabalho e objetivos comuns.


Outra definição na mesma linha é a de Maximiniano, segundo o qual organização é “um sistema de recursos que procura realizar algum tipo de objetivo (ou conjunto de objetivos). Além de objetivos e recursos, as organizações têm dois outros componentes principais: processos de transformação e divisão do trabalho”.


Percebemos que este segundo autor inclui mais um elemento como característica de uma organização: processos de transformação. Conforme veremos mais à frente, esta é uma característica essencial dos sistemas abertos.


No momento basta sabermos que estes elementos sugerem que as organizações precisam ser administradas. Para atender aos propósitos das organizações foram desenvolvidas desde o final do século XIX até os nossos dias diversos modelos de gestão. Trata-se de diferentes abordagens, resultantes do avanço do conhecimento e de realidades históricas distintas. Estes modelos estão calcados em teorias administrativas. O quadro abaixo demonstra as principais teorias administrativas e seus enfoques. Iremos abordar cada uma delas.



2. Modelos de Gestão (Escola Clássica)


As teorias administrativas surgem no final do século XIX junto com a complexidade das grandes organizações e da produção em massa. Podemos classificar as diversas teorias em quatro estágios ou ênfase diferentes: teorias calcadas nas tarefas, na estrutura organizacional, nas pessoas e no ambiente. Iremos estudar as diversas teorias em cada um destes blocos enfáticos.


Iremos abordar nesta aula demonstrativa as teorias baseadas nas tarefas e na estrutura, que compõem a abordagem clássica da administração. Elas foram desenvolvidas por Taylor e Fayol.



2.1. Administração Científica


Foi uma das primeiras teorias formuladas a respeito das organizações e tinham como preocupação a racionalização do trabalho no dia-a-dia das fábricas.


Foi formulada pelo engenheiro americano Frederic Taylor (1856-1915). A principal preocupação era a eliminação do desperdício (redução de custos) e o aumento da eficiência, por meio da sistematização do trabalho. Diferenciou gerentes e trabalhadores de linha. Os primeiros deviam pensar e definir o método de trabalho, enquanto aos últimos caberia a execução daquilo que foi planejado pelos gerentes. A ênfase era na tarefa padronizada e fragmentada, portanto no nível da tarefa. Cada trabalhador executaria um conjunto de movimentos repetitivos que culminaria na máxima eficiência nas operações realizadas. Taylor preocupou-se com a melhor maneira de realizar as tarefas.


Para Taylor, a gerência adquiriu novas atribuições e responsabilidades descritas pelos quatro princípios a seguir, publicados em 1903 no estudo chamado Shop Management (Administração de Operações Fabris:







A Organização Racional do Trabalho


1. Análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos - consistia em decompor - racionalizar - cada tarefa em uma série ordenada de movimentos simples, com isso padronizava-se o método de trabalho, seus movimentos e o tempo destinado à sua execução.


2. Estudo da fadiga humana - eliminação de movimentos que desnecessários, visando à diminuição de esforços musculares.


3. Divisão do trabalho e especialização do operário - a eficiência aumenta com a especialização, assim, o funcionário limitava-se à execução rotineira do mesmo trabalho para ajustar-se aos padrões descritos pelo método e às normas de desempenho do método.


4. Desenho de cargos e tarefas - compreende a definição de seu conteúdo (tarefas/ atividades), métodos de execução e relações com outros cargos;


5. Incentivos salariais e prêmios de produção - Taylor relacionou remuneração com quantidade produzida. O salário era proporcional à produção.


6. Conceito de homo economicus - as pessoas são motivadas exclusivamente por recompensas materiais, salariais e econômicas.


7. Condições ambientais de trabalho - iluminação, ventilação, arranjo físico etc. deveriam ser favoráveis para garantir aumento da eficiência.


8. Padronização de métodos e de máquinas - são selecionados os métodos, ferramentas, equipamentos, máquinas, etc. mais condizentes para fazer certa tarefa, a padronização elimina desperdícios, variabilidade e diversidade no processo produtivo e incrementa níveis de eficiência.


9. Supervisão funcional - a especialização do operário deveria ser acompanhada da especialização do supervisor. Cada supervisor deve cuidar de determinada área ou especialidade, possuindo autoridade somente naquela área que supervisiona.


Neste modelo a responsabilidade pela organização das tarefas é exclusivamente dos gerentes, cabendo aos operários a execução fiel daquilo que foi definido. Aos gerentes também caberia manter os operários livres de interferências externas que provoquem paralisação das atividades. Contribuíram também com a teoria da administração científica o casal Gilbreth que focou atenção nos estudos dos tempos e movimentos, Henry Gant que desenvolveu um método de remuneração baseado em alcance de metas (realização do trabalho no tempo estipulado) e Harrington Emerson que elaborou uma lista com 12 princípios para a administração.


Ressalte-se que a ideia prevalente é a de que as pessoas trabalhavam exclusivamente para ganhar um salário e recompensas maiores em dinheiro. Prevalecia assim o conceito de homem econômico (homo economicus).


As condições de trabalho para a Administração Científica


1. Adequação de ferramentas de trabalho e equipamentos de produção paraminimizar o esforço do operador e a perda de tempo na execução da tarefa. 2. Arranjo físico de máquinas e equipamentos para racionalizar o fluxo da produção.

3. Melhoria do ambiente físico de trabalho para evitar que ruído, ventilação, iluminação e conforto no trabalho não reduzam a eficiência do trabalhador.


4. Projeto de instrumentos e equipamentos especiais, como transportadores,seguidores, contadores e utensílios para reduzir movimentos inúteis.


Esta teoria se caracteriza por seus aspectos prescritivo e normativo, e pelo modelo de sistema fechado, pois analisa apenas o ambiente interno da empresa sem nenhuma preocupação com o ambiente externo. A Administração Científica visualiza as empresas como se estivessem no vácuo, autônomas, hermeticamente fechadas, caracterizando-se assim por ter uma abordagem de sistema fechado. Ela não considera as variáveis extrínsecas (ambientais, econômicas, políticas e sociológicas).


É uma teoria mecanicista, pois concebe a organização como um arranjo estático e rígido de peças, uma máquina. Em nenhum momento considerou as organização informais. O indivíduo era considerado como "algo" sem capacidade alguma de pensar, servia somente para executar.







Perfeito, pessoal! Taylor publicou em 1903 o estudo chamado Shop Management (Administração de Operações Fabris), no qual propunha sua filosofia de administração, que abrangia quatro princípios, como vimos em aula:


I. Racionalizar as tarefas: encontrar o melhor meio para executar cada tarefa;


II. Selecionar as pessoas mais adequadas para a execução das tarefas;


III. Treinar as pessoas para a execução das tarefas de acordo com o método escolhido;


IV. Monitorar o desempenho para verificar se o que foi planejado está sendo executado. Portanto, a afirmativa está CERTA!





Acesse abaixo a aula demonstrativa na íntegra!



Aula Demonstrativa - Evolução da Administração
.pdf
Download PDF • 4.02MB



Trecho extraído da aula demonstrativa do curso - Curso De Administração Geral e Pública - ministrado pelo Prof. Marcelo Camacho. Abaixo segue o link do curso:


https://pontodosconcursos.eadplataforma.com/curso/curso-de-administracao-geral-e-publica/


Qualquer dúvida relativa ao curso, entre em contato conosco:


WhatsApp: (61) 98426-9549


Bons Estudos!

0 comentário