A sua meta de aprovação não pode ter um prazo final!

Oi pessoal, tudo bem?


Antes de começar o artigo de hoje, eu gostaria de relatar um fato bem legal que aconteceu hoje, quando eu estava chegando à CGU para mais um dia de trabalho.


Um rapaz estava estacionando o carro também, e me abordou:


- O seu nome é Bruno?


eu respondi:


- Sim, me chamo Bruno!


ele:

- Cara, sou seu fã, leio todos os seus artigos do Ponto! Continue nos motivando!

Imagine a minha felicidade!?


Fico muito feliz e satisfeito de encontrar meus queridos alunos e seguidores na rua!

Eu sou um cara extremamente simples, e peço que se você me reconhecer, não fique com vergonha de vir conversar comigo. Vou ficar muito orgulhoso de te conhecer, tenha certeza!


Mas continuando...


Todo final de ano nós costumamos estipular prazos para conseguir atingir determinadas metas consideradas importantes em nossa vida.

E, com certeza, a principal meta de um concurseiro é ser aprovado no ano que entra, certo?


- Ué, Bruno, mas estamos em julho! Que conversa é essa de meta de final de ano??

É porque também temos as metas de 1º e de 2º semestres, rsss!


E julho costuma representar uma virada psicológica da metade do ano.

Uma das frases que eu mais escuto dos meus queridos alunos é:


- Professor, não tem mais jeito!!! Eu sou obrigado(a) a passar neste concurso em específico!!!


ou


- Professor, eu tenho que passar nos próximos 6 meses, senão vou largar os estudos e tocar a minha vida!


Aí eu pergunto: - Ué, mas você não está vivendo não? Eu estou conversando com quem, rsss? Esse é o seu clone criado para estudar?


O que você acha?


Uma pessoa comum, assim como eu e você, que estipular 6 meses para ser aprovada, em um mundo no qual, infelizmente, não depende só do esforço dela, vai conseguir atingir a meta?


E o que você acha dessas variáveis a seguir? Elas são plausíveis de acontecer? Elas podem interferir no processo?


E se os concursos da área para a qual ela estuda forem suspensos?

E se ela passar mal um dia antes da prova?


E se ela sofrer algum problema de saúde?


E aí, essas variáveis não entram no seu prazo de 6 meses para ser aprovado, senão você desistirá?


Com certeza o candidato tem que ter um prazo na cabeça para se orientar. Mas esse prazo não pode ser o prazo para aprovação, pois essa aprovação envolve fatores diversos, que não dependem de sua vontade.


O que o candidato deve ter em mente é um prazo para vencer metas de conhecimento acumulado, de percentual de acertos de exercícios, de matéria revisada.


Isso sim é perfeitamente controlável, depende somente de sua força de vontade e comprometimento, e gera como consequência, de uma forma natural, a aprovação desejada.


Qual das duas metas soa mais aplicável e plausível para você:


1 – Eu tenho que ser aprovado em 6 meses!


ou


2 – Eu tenho que passar da fase 2 para a fase 3 dos meus estudos em 6 meses!

Pense nisso!


Não estipule metas para a sua vida que dependam de fatores incontroláveis!

Antes de fazer isso, pratique uma autoanálise e reflita se você consegue cumprir de forma efetiva pelo menos a parte principal de um processo de aprovação: disciplina e comprometimento com metas!


Vejo muitas pessoas estipulando metas de aprovação, mas sem conseguir cumprir sequer as metas de uma semaninha!


Não cometa esse erro!


Eu nunca estipulei prazo para as minhas aprovações.


Eu sempre tive o pensamento de que conseguiria atingir os meus objetivos, mas sem prazo definido, e que mesmo que levasse o tempo que fosse, eu não desistiria.

A minha primeira aprovação foi em 10 meses, mas a minha segunda levou anos, e muito em razão dos fatores aleatórios, não dependentes da minha vontade, como suspensão de concursos, mudanças de edital, erro de foco etc. Se eu tivesse desistido, hoje estaria frustrado, tenho certeza!


A sua meta deve ser estudar o máximo que conseguir, sempre conciliando os demais aspectos da sua vida, até que a sua aprovação ocorra normalmente.


Mas se você pensa mesmo em desistir, quem sou eu para te julgar!?


Só posso te aconselhar que repense essa possibilidade e saiba que a desistência representará, aí sim de forma efetiva, anos perdidos em sua vida!


Um abraço.