A importância dos resumos, e algumas formas de produzi-los!

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Hoje eu escrevo sobre técnicas de revisão da matéria.


Revisão é essencial e indispensável!

Sem revisar, você não passa em concursos!


Seja através de exercícios, seja através de resumos, não importa! Você tem que estabelecer uma rotina periódica de revisões, pois o volume de assuntos que caem em uma prova de alto nível é surreal. Não há como guardar tudo somente lendo e relendo teoria sem destacar pontos principais.


Eu já fiz o destaque em artigos anteriores, mas volto a ressaltar: ESTUDO PASSIVO NÃO É PRODUCENTE! SEJA PRÓ-ATIVO EM SUA ESTRATÉGIA.


Não adianta somente ler teoria ou assistir aulas. Você estará se enganando. Você tem que praticar e praticar!


Não se vence uma maratona somente treinando na esteira como um hamster! Não se ganha uma luta somente batendo em um saco de pancadas! Não se ganha um jogo de futebol somente correndo em volta do campo!


Tudo na vida demanda situação de treino simulando a prática, e nos concursos não seria diferente.


Resolver exercícios e preparar as suas anotações sobre os pontos mais importantes da matéria o tempo todo, a fim de o cérebro guardar isso no hard disk, é uma regra basilar!


Outra virtude de um bom resumo é poder relê-lo de forma contínua e exclusiva nos 15 dias anteriores às provas, retomando 1 ou 2 anos de leitura em somente duas semanas.


Se você não fazia isso até hoje, tente sair da zona de conforto e adotar essa tarefa chata, porém deveras efetiva.


-Ah professor, mas eu não sei fazer resumos. Eu sempre copio a matéria toda, ou marco o livro inteiro com caneta marca texto.


Não tem problema! Você fará o resumo do resumo, e assim de forma consequente, até que eles fiquem enxutos.


O que eu quero, e preciso, é que você saia da zona de conforto, e deixe de ser um concurseiro preguiçoso! SAIA DA MESMICE! NÃO SEJA SOMENTE MAIS UM NA MULTIDÃO, OU VOCÊ FARÁ PARTE DOS MILHARES DE REPROVADOS! VOCÊ TEM QUE FAZER ALGO DE DIFERENTE! Sei que cada pessoa possui um método próprio de resumir, mas, no meu longo período de estudos, testei três métodos diferentes. Todos eles possuem vantagens e desvantagens. Vou tentar explicá-los e expressar aquele que eu achei melhor. 1º - Métodos das fichas esquematizadas Após eu passar para ATRFB, comecei a estudar para AFRFB. Eu li um livro de técnicas de estudo do Alex Viegas. Adaptando os conselhos dele, eu comprei uma caixa de formulários contínuos, daqueles de impressão de relatórios antigos de contabilidade através de impressora matricial. Eu dividia cada folha na metade, e comprei aquelas canetinhas coloridas para escrever e facilitar a aprendizagem. Quando eu chegava na biblioteca, espalhava aquele monte de canetinhas na mesa. O pessoal ficava olhando pra mim sem entender o que era aquilo, kkkk. Acho que eles pensavam que eu ia fazer algum trabalho de artes da escola, kkkkk. Fiquei três anos fazendo fichas esquematizadas. O método é até bom. O problema é que você tem que saber usá-lo da forma correta. Eu cheguei a produzir mais de 30 blocos com 100 fichas cada, o que resultou em mais de 3.000 fichas de estudo. A consequência lógica foi a impossibilidade de se fazer uma revisão adequada da matéria. Achei que esse método acabou me prejudicando, já que ficou impossível revisar todas as fichas constantemente, além do conteúdo das primeiras fichas ter ficado defasado. Em cada bloco, havia assunto de todas as matérias, então, ao ler cada um, eu revisava a matéria toda. Eu tentava ler um bloco de fichas ao final de cada dia ou no início do outro. Vantagens do método das Fichas: 1 - Todo o conteúdo do certame estava presente nas fichas. 2 - Todas as fichas eram esquematizadas, o que facilitava o aprendizado. Desvantagens do método das Fichas: 1 - Muitas fichas, trazendo dificuldades para efetuar uma revisão periódica; 2 - O conteúdo acabou ficando defasado em razão das novidades nos assuntos. 3 - Esse método com fichas, relativas a várias matérias diferentes em cada bloco, acaba atrapalhando um pouco a leitura de revisão se você quiser incluir algum concurso com matérias diferente em seu foco. 2º - Método do resumo Achei que o método das fichas tinha me prejudicado na reprovação no AFRFB/2009. Resolvi mudar para o método do resumo corrido, de cada matéria, mas ainda usando as fichas de formulário contínuo. Só que agora eu fazia um bloco de fichas com resumo corrido, em caneta normal mesmo, e só de uma matéria, ou seja, eu tinha um bloco resumido de Ciência Política, um bloco resumido de Economia, um bloco resumido de Direito Constitucional etc. Achei que esse método foi bem mais proveitoso. Ele ficou mais fácil de ser atualizado com novidades, mais rápido de se produzir e de se ler. Sinceramente, achei muito melhor deixar cada bloco com uma matéria só. Aquela técnica de embaralhar as matérias em um bloco de ficha não funcionou para mim. Isso acabava confundindo um pouco o meu estudo. Com esse método do resumo ficava mais fácil, já que eu podia revisar somente o bloco da matéria se quisesse incluir um concurso novo no meu foco. Isso aconteceu comigo no TCU de 2011 e me ajudou muito. Vantagens do método do resumo: 1 - Mais rápido de fazer do que as fichas; 2 - Maior flexibilidade para se fazer as revisões; 3 - Possibilita maior constância na revisão; 4 - Após se ler a teoria e fazer todo o resumo, eu não precisava reler. Só lia os meus resumos e estudava exercícios comentados. Desvantagens do método do resumo: 1 - Perde-se um bom tempo elaborando os resumos. 3º - Método do destaque com caneta hidrográfica Testei esse método também, e o achei muito bom. Ele é rápido e te possibilita uma revisão bem objetiva. O problema dele é que você já tem que ter estudado a matéria antes e já ter resolvido vários exercícios. O motivo é porque você tem que saber aquilo que será destacado no livro, se não você acaba destacando muitos trechos irrelevantes e o método torna-se inadequado. Eu fazia assim: lia um capítulo do livro ou do PDF e destacava as partes que eu julgava ser mais importantes com caneta hidrográfica amarela. Ao final do capítulo 1, eu relia os trechos destacados, fazia os exercícios comentados e partia para o capítulo 2. Ao final de ler e destacar o capítulo 2, eu relia os trechos marcados do capítulo 1, do capítulo 2 e fazia os exercícios do 2, e assim por diante. Achei esse método muito bom, rápido e eficiente, além de me manter com a matéria constantemente fresca na cabeça. Esse foi o método que eu mais achei interessante, mas não foi o que eu mais usei. Vantagens do método do destaque: 1 - Rapidez para se produzir; 2 - Rapidez para se fazer a revisão; 3 - Manutenção do conteúdo na mente. Desvantagens do método do destaque: 1 - Tem que saber o que marcar, já que o método deve ter objetividade. Resumindo: O método que eu mais usei foi o segundo, e o que me foi mais útil, apesar de eu achar o terceiro o melhor. O pior mesmo, na minha opinião, foi o das fichas, mas acho que foi porque eu não soube usá-lo adequadamente.