Prof. Natale Souza

16/03/2017 | 18:31
Compartilhar

O que é Residência em Saúde e como "ser" um residente?

O que é Residência em Saúde e como “ser” um residente?

Prof.ª Natale Souza

 

O que é Residência

Residência Multiprofissional e em Saúde são Pós-graduações lato sensu (Especialização), voltadas para a educação em serviço e destinadas às categorias que integram a área de saúde.

Trata-se de um programa de cooperação intersetorial para favorecer a inserção qualificada dos jovens profissionais da saúde no mercado de trabalho, particularmente em áreas prioritárias do Sistema Único de Saúde.

As residências multiprofissionais e em área profissional da saúde, criadas a partir da promulgação da Lei n° 11.129 de 2005, são orientadas pelos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir das necessidades e realidades locais e regionais, e, de acordo com a Resolução CNS nº 287/1998, abrangem as profissões da área da saúde, a saber:

  • Biomedicina,
  • Ciências Biológicas,
  • Educação Física,
  • Enfermagem,
  • Farmácia,
  • Fisioterapia,
  • Fonoaudiologia,
  • Medicina Veterinária,
  • Nutrição,
  • Odontologia,
  • Psicologia,
  • Serviço Social e
  • Terapia Ocupacional.

A Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde - CNRMS, instituída por meio da Portaria Interministerial nº1.077, de 12 de novembro de 2009, é coordenada conjuntamente pelo Ministério da Saúde e do Ministério da Educação e tem como principais atribuições:

  • Avaliar e acreditar os programas de Residência Multiprofissional em Saúde e Residência em Área Profissional da Saúde de acordo com os princípios e diretrizes do SUS e que atendam às necessidades sócio epidemiológicas da população brasileira;
  • Credenciar os programas de Residência Multiprofissional em Saúde e Residência em Área Profissional da Saúde bem como as instituições habilitadas para oferecê-lo;
  • Registrar certificados de Programas de Residência Multiprofissional em Saúde e Residência em Área Profissional da Saúde, de validade nacional, com especificação de categoria e ênfase do programa.

 

Como é “ser” residente?

A Residência Multiprofissional em Saúde tem duração de 02 (dois) anos, com carga horária de 5.760 (cinco mil, setecentos e sessenta) horas, distribuídas em:

  1. Atividades teóricas/práticas, sob a forma de treinamento em serviço, equivalente a 60 (sessenta) horas/semana.
  1. O residente tem direito a uma folga semanal e a 30 (trinta) dias consecutivos de férias por ano, que podem ser fracionadas em dois períodos de 15 (quinze) dias.

Os programas de Residência Multiprofissional e em Saúde são desenvolvidos da seguinte forma:

  1. 80% da carga horária total sob a forma de atividades práticas e;
  1. Com 20% sob a forma de atividades teóricas ou teórico-práticas, contando com a supervisão de um preceptor (profissional de serviço) e um tutor (docente de instituição de ensino superior).

 

Sobre a Bolsa do governo

Os residentes recebem uma bolsa, financiada pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Educação, no valor de R$ 3.330,43. Entretanto, devem ter dedicação exclusiva, não podendo desenvolver outras atividades profissionais no período de realização do curso.

Como ingressar em um programa de Residência

Para ingressar em uma Residência Multiprofissional e em Saúde, o interessado deve ser aprovado na seleção pública realizada por instituições de ensino superior que oferecem essa modalidade de especialização lato sensu.

Etapas da seleção

Em sua maioria, as seleções acontecem em duas grandes etapas:

  1. Prova Objetiva – Caráter eliminatório e classificatório.

Nesta etapa são cobrados:

  • Conteúdos comuns a TODOS os cargos. São temas da Legislação do SUS, Políticas de Saúde, Saúde Coletiva e Saúde Pública e a maioria das bancas explicitam no edital, o referencial teórico.
  • Conteúdo específico da graduação: são os temas comuns dentro da graduação, independente da escolha da área da residência. Ex.: para todos os enfermeiros será cobrado o código de ética, programas de saúde, assistência em clínica médica.
  • Conteúdo específico da área da Residência. São temas mais aprofundados em relação à área que foi escolhida pelo candidato. Ex.: enfermeiros que escolhem obstetrícia, responderão questões mais aprofundadas sobre o tema.

 

  1. Análise de Currículo Lattes – etapa classificatória.

Nesta etapa os candidatos têm seu currículo avaliado por uma banca de examinadores. É importante saber que a experiência profissional não é tão relevante como nos concursos públicos.

Os examinadores buscam candidatos que possuem o perfil para a vida acadêmica e avaliam:

  • As experiências vivenciadas na graduação: congressos, publicação de artigos, participação em projetos de pesquisa, dentre outros.

 

Particularidades: algumas universidades, em suas seleções, incluem prova dissertativa/questões abertas e entrevistas.

Os requisitos mínimos exigidos são:

  1. Ter diploma de graduação ou comprovante equivalente em cursos de graduação na área da saúde (Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional), excetuando a Medicina;
  1. Estar inscrito no conselho de classe;
  1. Dedicar-se exclusivamente ao curso;
  1. Não possuir qualquer tipo de vínculo empregatício.

 

Como estudar para passar em uma Residência?

 

É uma das perguntas mais frequentes e para ser sincera digo: não há fórmula mágica, mas, há a necessidade de empenho, dedicação, planejamento, autoestima e estudo com material de qualidade.

Então vamos aos passos iniciais, deixo claro que não é uma padronização e sim uma linha guia, um trilho e cabe a cada um transformar estes passos em TRILHAS:

  1. Decida o que você quer fazer: não adianta galgar uma residência apenas por ser uma oportunidade! FAÇA SE FOR DESEJO e aquele que te deixa “transbordar” emoção;
  2. Escolha uma um método de estudo: atualmente os cursos virtuais estão CADA VEZ MAIS PRÓXIMOS DE TODOS, trazendo o professor até a casa, quarto, carro e vida pessoal do estudante! As vantagens e desvantagens dependerá do que você é capaz de fazer com o que você tem acesso.
  3. Não ” garimpem” muito conteúdo: escolha um bom curso que agregue professores direcionados a concursos e seleções. Um bom curso/professor SABE DIRECIONAR, acolher, guiar e elaborar o material ADEQUADO para sua preparação;
  4. Invista em você, priorize, organize e lembre-se: SEM INVESTIMENTO PESSOAL NÃO HÁ RESULTADO POSITIVO. Sim, busquem o mais acessível financeiramente, MAS LEMBREM QUE NEM SEMPRE SERÁ O MELHOR. Não compre gato por lebre! Pergunte a pessoas que já foram aprovadas, leiam sobre os professores, vejam até que ponto eles ajudam FORA do espaço “PAGO”, ou seja, se eles estão prontos para acolher, não só as dúvidas técnicas e SIM OS MOMENTOS DE ” loucura” virtual;
  5. Evitem começar por conteúdo específicos: muitos começam pelos temas que mais gostam! ERRO CRUCIAL. Se eu GOSTO, eu TENHO MAIS FACILIDADE! Então, ENFRENTE e siga em “frente”! FOQUE NO QUE OS OUTROS DEIXAM PARA O final. Sugiro sempre OS CONTEÚDOS COMUNS A TODOS OS CARGOS – pois estes são DEIXADOS DE LADO PELA MAIORIA.
  6. Organizar e planejar: organize seu tempo, veja suas possibilidades, adeque sua vida, “vida de futuro residente”! Não deve haver desculpas – faça o melhor COM O QUE ESTÁ AO SEU ALCANCE e perceberá que SEMPRE PODERÁ SE DOAR MAIS;

Pense diferente, seja um RESIDENTE!

Por fim, desejo sucesso a TODOS. Lembre-se que sorte é para quem não estudou!

 

Abraços,

 

Professora Natale Souza

 


Comentários

  • 14/02/2018 - Liliane Carvalho
    Quando terminado a residência esses dois anos é considerado experiência profissional?
  • 26/02/2018 - Prof Natale Souza
    Não, e sim experiência acadêmica - pois é uma pós-graduação.

    Abraços.
  • 07/02/2018 - Ana Oliveira
    Prof. Natale, em relação so currículo lattes sabemos que os alunos de faculdade particular têm menos acesso à bolsas de iniciação científica. Qual a probabilidade e é quase impossível passar em residência sem esses pontinhos computados em atividades no currículo?
  • 13/02/2018 - Prof Natale Souza
    Olá,

    Você precisa ver o BAREMA e seguir ou tentar fazer as atividades que estão descritas.

    Abraços,
  • 15/01/2018 - THALITA TONIAL PAULE
    Olá, boa tarde. Estou na dúvida se uma residência em saúde na minha cidade é conveniada ao MEC. Sabe onde posso ter essa confirmação? Att
  • 13/02/2018 - Prof Natale Souza
    Olá,

    Veja o número do INEP e pesquise.

    Abraços,

    Natale Souza
  • 10/01/2018 - Carol
    Essas horas semanais, incluem sabado e domingo?
  • 13/02/2018 - Prof Natale Souza
    Olá,

    Sim, dependerá da escala também.

    Natale Souza
  • 02/01/2018 - Dandara
    Boa tarde! Uma pessoa pode fazer mais de um programa de residência? Por exemplo, eu posso terminar uma residência e tentar o programa novamente, em outra instituição? Obrigada!
  • 13/02/2018 - Prof Natale Souza
    Sim Dandara.

    Bjs
  • 29/11/2017 - Bruna Marrara
    Quais as áreas que eu, enquanto profissional da educação física, posso optar em fazer,
  • 03/12/2017 - Prof Natale Souza
    Você deve buscar os editais das instituições de ensino que você tem interesse e ver as áreas que são ofertadas.

    Abraços
  • 28/11/2017 - walleska
    oi tudo bem ? eu gostaria só de entender... A bolsa paga pego governo é um salario ? é descontado ?
  • 01/12/2017 - Prof Natale Souza
    Olá,

    A bolsa é do governo, padronizada em nível nacional. Não incide descontos. O valor é de R$ 3.330,43

    Bjs
  • 23/11/2017 - Brenda Soares
    Oi, poderia comentar sobre como funciona a escala de trabalho dentro dessas 60h semanais?
  • 26/11/2017 - Prof Natale Souza
    Olá Brenda,

    Dependerá da instituição e da área de concentração que escolher.

    Bjsss
  • 21/07/2017 - Mileide Santana
    Suas dicas são maravilhosas, estão me ajudando muito!
    Obrigada!!
  • 21/07/2017 - Prof Natale Souza
    Olá.

    Que bom! Acompanhe nossas redes sociais: @profnatalesouza

    Atenciosamente,

    Natale Souza
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: