Concurso ANS - Edital em 2017!

Compartilhar:

Concurso ANS

Um novo concurso da Agência Nacional de Saúde Suplementar (Concurso ANS) deve acontecer em 2017, com oferta de 231 vagas para as carreiras de analista e especialista, ambos de nível superior. O Orçamento de 2017 já inclui o processo seletivo para estes cargos e já foi aprovado pelo Congresso, faltando apenas sanção presidencial. Espera-se que a autorização do concurso seja realizada até o segundo semestre de 2017.

Para um analista, a remuneração inicial é de R$ 11.071,29, correspondente ao vencimento básico e à gratificação de desempenho no valor de 80 pontos. Após a realização de avaliação de desempenho, quando o analista pode ser pontuado em 100 pontos, o valor pode chegar a R$ 12.464,69.

Já para um especialista, a remuneração inicial é de R$ 11.974,49. Após a avaliação de desempenho, que pode ser de até 100 pontos, a remuneração pode chegar a R$ 13.593,69.

>> Último Concurso ANS

O último Concurso ANS aconteceu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Foram ofertadas 81 vagas para os cargos de analista administrativo, especialista em regulação de saúde suplementar, técnico administrativo e técnico em regulação de saúde suplementar. Os candidatos foram avaliados por prova objetiva, discursiva e títulos. As oportunidades foram distribuídas entre as cidades de São Paulo (SP), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Curitiba (PR) e Cuiabá (MT). Acesse AQUI o edital.

>> Concurso ANS - Histórico

Criada a partir de setor específico do Ministério da Saúde, coube à ANS cumprir a Lei nº 9.656, editada em junho de 1998. A Agência nasceu pela Lei nº 9.961, de 28 de janeiro de 2000, como instância reguladora de um setor da economia sem padrão de funcionamento. A exceção ficava por conta do seguro de assistência à saúde e das seguradoras, sob o controle econômico-financeiro da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

A saúde suplementar passou a conviver com o sistema público, consolidado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), nascido a partir da Constituição Federal de 1988. Com o SUS, a saúde foi legitimada como um direito da cidadania, assumindo status de bem público.

O ano de 1923 é tido como o marco do início da Previdência Social no Brasil. A Lei Eloy Chaves, promulgada naquele ano, criava:

"(…) em cada uma das estradas de ferro existentes no país, uma Caixa de Aposentadorias e Pensões para os respectivos empregados."

Estas caixas funcionavam como fundos geridos e financiados por patrões e empregados que, além de garantirem aposentadorias e pensões – como destacado em suas denominações – também financiavam serviços médico-hospitalares aos trabalhadores e seus dependentes.

Embora este marco histórico não seja comumente apontado como a origem dos planos de saúde no Brasil, é difícil não notar a similaridade das antigas caixas com as atuais operadoras da modalidade autogestão. De fato, em 1944, o Banco do Brasil constitui sua caixa de aposentadoria e pensão - Cassi, que é o mais antigo plano de saúde no Brasil ainda em operação.

O sistema de saúde brasileiro seguiu a trajetória de outros países latino-americanos (México, Chile, Argentina e Uruguai), desenvolvendo-se a partir da previdência social.

Planos de saúde comerciais, com clientelas abertas, também surgem como planos coletivos empresariais através da modalidade medicina de grupo no ABC paulista nos anos 1950.

Hoje, o setor brasileiro de planos e seguros de saúde é um dos maiores sistemas privados de saúde do mundo.

__

Equipe Ponto dos Concursos

Publicado: 19 de janeiro de 2017.
Compartilhar: