Entrevistas

Cláudio Eiji Fukushima


Cláudio Eiji Fukushima, de Florianópolis (SC)

Conheci o Cláudio em Florianópolis (SC), no ano de 2003, num dos cursos de exercícios de Direito Constitucional que ministrava no curso Êxito.

Naquela época, ouvi de vários candidatos que ele (o Cláudio) certamente seria aprovado no concurso de Auditor-Fiscal da Receita Federal, que se aproximava. E as razões apontadas para tal previsão eram sempre as mesmas: “além de inteligente, ele é muito determinado, não faz outra coisa, não fala de outra coisa senão de concurso!”, diziam.

Formado em Ciências Contábeis, estudando em Florianópolis (SC), Cláudio confirmou a previsão e foi aprovado no último concurso de AFRF, cargo que exerce na cidade de Lages (SC).

Na minha última estada em Florianópolis (SC), agora em 2004, os colegas de estudo do Cláudio, que ainda continuam na batalha pela aprovação, referiram-se a ele com muito carinho, como um exemplo de determinação e esforço a ser seguido – fato que me motivou a incomodá-lo para responder às seguintes perguntas:

Prof. Vicente Paulo: Você é de Florianópolis mesmo? Como se deu o seu ingresso no segmento concurso público? Qual foi o ponta-a-pé inicial nos estudos? Como começou? Foi por meio de cursinho, ou de estudo individual? 

Cláudio: Sou natural de Paraíso do Norte/PR. Morei em Forquilhinha (Sul de Santa Catarina) e posteriormente me transferi para Florianópolis com o objetivo de continuar os estudos. Em 1995 resolvi estudar para concursos públicos com o objetivo de fugir da instabilidade do mercado de trabalho na iniciativa privada. Em 1996 ingressei no curso de Ciências Contábeis porque o currículo do curso contemplava várias disciplinas que na minha opinião eram importantes para o concurso para AFRF. Enquanto não concluía o curso superior, estudava individualmente para cargos de nível médio através das apostilas que eram vendidas na época em que os editais eram publicados. Em 1998 fui aprovado no concurso do SERPRO e em 1999 do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Prof. Vicente Paulo:
Numa conversa que mantivemos em Florianópolis, durante o almoço, você me pareceu muito criterioso no tocante à metodologia, programação para os estudos. Em linhas gerais, qual foi sua metodologia? Como programou seus estudos entre teoria, exercícios e revisão?

Cláudio: No início dos estudos para AFRF decidi freqüentar um curso para obter conhecimentos iniciais das disciplinas e para encontrar pessoas interessadas em formar um grupo de estudo. A idéia foi obter a teoria no curso e aprofundar os assuntos em grupo através de revisões e exercícios. No grupo, cada um estudava previamente o assunto que era revisado nas reuniões e complementado por exercícios e resoluções de provas anteriores.

Prof. Vicente Paulo: Quanto tempo você levou, do início dos estudos até a aprovação no concurso de Auditor-Fiscal da Receita Federal? Você trabalhava durante o período de preparação, ou só estudava?

Cláudio: Estudei para o concurso de AFRF de agosto de 2002 até novembro de 2003. Trabalhei durante grande parte deste período. Nos últimos dois meses antes da prova só estudei.

Prof. Vicente Paulo: Você é formado em Contabilidade. Você enfrentou dificuldades para o estudo das disciplinas jurídicas, exigidas no concurso?

Cláudio: No início senti dificuldades para o estudo das disciplinas jurídicas. O que me deu mais segurança foram os cursos de exercícios oferecidos pelo curso Êxito.

Prof. Vicente Paulo: Há pessoas que imaginam que só são aprovados em concursos públicos candidatos que tiveram uma excelente base de estudo (ensino fundamental, médio e superior). A sua base de estudos, antes da preparação para concursos, foi em excelentes colégios?

Cláudio:
Estudei em colégio particular somente da 5ª até a 8ª série. Contudo, tive a felicidade de freqüentar uma universidade pública de qualidade. Acredito que o esforço pessoal supera as deficiências da base de estudos.

Prof. Vicente Paulo: Na sua opinião, de um modo geral, quais são os erros mais comumente cometidos por candidatos no início de uma preparação para concursos?

Cláudio: O erro mais comum é iniciar os estudos somente quando o edital é publicado.

Prof. Vicente Paulo: O que fazer para evitar esse erro?

Cláudio: O candidato primeiro deve escolher para que cargo quer concorrer, qual concurso deseja realizar. Definido o cargo, o próximo passo é planejar o estudo. 

Prof. Vicente Paulo:
Quanto tempo você acha razoável para um candidato que nunca estudou para concurso ser aprovado num certame da área fiscal?

Cláudio: Isso vai depender de vários fatores: conhecimento que possui das disciplinas, tempo disponível para estudo, motivação e ritmo de estudo. No meu caso, planejei estudar por três ou quatro anos.

Prof. Vicente Paulo:
Quais as maiores dificuldades encontradas durante a preparação (financeira, familiar, em alguma disciplina etc.)?

Cláudio: A questão financeira é importante pois ela pode refletir na participação ou não em um curso importante ou na aquisição de materiais de estudo (livros, apostilas, áudios). A maior dificuldade é a familiar. A dedicação ao estudo nos afasta dos familiares e amigos.

Prof. Vicente Paulo: Os amigos, esposa, filhos, familiares – todos aceitaram bem a sua dedicação aos estudos? Não deve ser fácil preparar-se com dois filhos dentro de casa, ter que dar atenção a eles...

Cláudio: Todos sempre apoiaram minha dedicação aos estudos. Minha esposa (Nelita) e meus filhos (Ian e Iasmin) souberam compreender os momentos em que eu não pude atendê-los. Sou muito grato a eles. Sem o apoio deles o caminho da aprovação seria muito mais difícil.

Prof. Vicente Paulo:
Qual o seu maior acerto durante a preparação? E o maior erro?

Cláudio: Creio que o maior acerto na minha preparação foi aumentar o ritmo dos estudos gradativamente. Iniciei estudando poucas horas e consegui atingir o auge nos dois meses que antecederam a prova. O maior erro foi estudar Língua Portuguesa com maior dedicação somente nos dois últimos meses de preparação.

Prof. Vicente Paulo: Estive em Florianópolis (SC) recentemente, no Curso Êxito/Aprovação, enquanto você estava freqüentando a segunda etapa do concurso (curso de formação), e percebi que todos lá têm um carinho muito grande por você, te vêem como um exemplo a ser seguido. Você estudou em grupo, durante a preparação para esse concurso de Auditor?

Cláudio: Estudei em grupo. Foi um fator importante. Pessoas com o mesmo objetivo e afinidade ajudam, motivam. A troca de idéias e as discussões facilitam a fixação dos conteúdos. A dificuldade de um componente do grupo pode ser sanada com o auxílio de outro e vice-versa. Todos crescem e progridem rapidamente.

Prof. Vicente Paulo:
O estudo em curso preparatório foi positivo para você? E a escolha do material de estudo, como foi? Como você escolheu os livros para sua preparação?

Cláudio: O estudo em curso preparatório propiciou o conhecimento inicial das disciplinas, indicações de livros, apostilas, páginas da internet, e, principalmente o encontro de pessoas dispostas a estudar em grupo. A escolha do material de estudo foi através das indicações dos professores do curso. Utilizei principalmente os livros da Editora Impetus e Editora Ferreira.

Prof. Vicente Paulo: Durante a sua preparação, você estudava quantas horas por dia? Você acha que o candidato deve estudar enquanto estiver acordado à frente da mesa, ou acha que deve tomar mais cuidado com a fadiga, com o estresse?

Cláudio: No início estudava quatro horas por dia. Fui aumentando o ritmo gradativamente e nos dois últimos meses de preparação estava estudando doze horas por dia. Cada pessoa tem um ritmo adequado de estudo. Deve-se tomar cuidado e interromper o estudo quando deixar de ser produtivo.

Prof. Vicente Paulo: Durante a sua preparação, você costumava mesclar o estudo de várias disciplinas diariamente ou preferia estudar somente uma disciplina o tempo que fosse necessário para terminá-la? Enfim: estudava uma disciplina por vez, ou combina o estudo de várias?

Cláudio: Fiz uma programação para estudar todas as disciplinas paralelamente. Dividi as horas disponíveis na semana para cada disciplina conforme a importância ou dificuldade que eu julgava possuir e distribui de forma que estudava cada disciplina pelo menos duas vezes por semana. Quando percebia que seria mais produtivo prosseguir um assunto além do horário pré-determinado, continuava até concluir e compensava a outra disciplina depois.

Prof. Vicente Paulo:
Que mensagem você gostaria de deixar para aqueles candidatos que estão iniciando agora sua preparação para concursos?

Cláudio:
Aos candidatos que estão iniciando agora sua preparação para concursos aconselho definir sua meta, o seu objetivo: qual o cargo que almejam. Definida a meta fica mais fácil planejar os estudos.

Prof. Vicente Paulo: E para aqueles que já estão estudando há algum tempo e ainda não conseguiram a aprovação, qual seria o conselho?

Cláudio:
Continuem estudando principalmente através de exercícios e resolução de provas e simulados. Participem de cursos de exercícios. Vocês já dominam o conteúdo da prova. A aprovação está próxima. 

Prof. Vicente Paulo: Agradeço sua colaboração e desejo-lhe toda a sorte no desempenho de suas novas atividades, como colega Auditor-Fiscal da Receita Federal.

Cláudio:
Espero que de alguma forma tenha contribuído para motivar e ajudar aqueles que estão se preparando para concursos. Agradeço ao curso Êxito, dirigido pela simpatia da Dona Lia que nos envolve com seu jeito de ser e pela serenidade da Dona Alayde. Agradeço aos competentes e dedicados professores do curso Êxito e aos professores dos cursos de exercícios. Agradeço aos colegas do grupo de estudo e demais colegas que conviveram comigo no período de preparação e souberam me “aturar”, principalmente ao Frank, Sheyla, Saul, Andréa, Luciano, Marcelo, Fernanda e Rita. Finalmente e principalmente, sou muito agradecido a minha esposa Nelita e a meus filhos Ian e Iasmin que souberam compreender a minha ausência.

Boa sorte a todos e muito obrigado.

Cláudio