Entrevistas

Ariadne Bueno


Vamos conhecer hoje a história da Ariadne Bueno, médica pediatra de 32 anos que resolveu estudar para um grande concurso público e teve um excelente resultado! Ariadne foi aprovada em 8º lugar no concurso para Analista Judiciária do Superior Tribunal de Justiça – STJ, na área de Pediatria.

O concurso oferecia inicialmente 2 vagas, mas, como teve um bom desempenho, são grandes as chances de que ela seja chamada em breve.

 

Ponto - Ariadne, você foi aprovada para um concurso público da sua área, o que demonstra que você quer ser servidora pública, mas também quer exercer a medicina. O que te levou à escolha de ser servidora pública?

Ariadne – Eu amo exercer a medicina, sobretudo na minha especialidade, a pediatria. Não consigo viver sem meus pequenos pacientes, por isso quero ser servidora pública na minha área. O desejo de estabilidade e a oportunidade de trabalhar em âmbito ambulatorial me impulsionaram a prestar o concurso.

 

Ponto - Você já havia estudado para concursos, mas não concursos desse tipo. Há quanto tempo você resolveu estudar para um concurso do porte do STJ?

Ariadne – Eu decidi estudar para o concurso em maio, quando vi a notícia de que haveria vagas para a minha área e que a abertura do edital estava iminente. Eu já havia prestado outras provas, de menor porte e menor complexidade que a do STJ.

 

Ponto - O que te levou a fazer o Coaching do Ponto? Qual foi a importância do Coaching na sua preparação para este concurso?

Ariadne – Como nunca antes havia estudado para concursos desse nível, eu não sabia por onde começar. Pedi ajuda à minha irmã, que é servidora pública, e ela me contou sobre o coaching e me indicou o Bruno. Só tenho a dizer que sem o coaching com certeza eu não teria conseguido alcançar esse resultado.

 

Ponto – Quais foram as maiores dificuldades e desafios durante a sua preparação? Como o Coaching te ajudou a superar?

Ariadne – A minha maior dificuldade foi conciliar meu trabalho- às vezes chego a emendar até 18 horas de plantão- com os estudos. Aprender matérias nunca antes estudadas por mim (caso de Informática e Direitos Administrativo e Constitucional) foi bastante desafiador, assim como driblar o cansaço para cumprir as metas de estudo. O desânimo e a falta de confiança por vezes me ameaçavam, mas o Bruno sempre me ajudou a ver as minhas qualidades e os meus progressos. O fato de o coaching ser um programa de acompanhamento não apenas de conhecimento técnico, mas também emocional e psicológico, me ajudou muito.

 

Ponto – E agora? A vida de concurseira acabou aqui ou você continua estudando para algum outro concurso?

Ariadne – A vida de concurseira segue! Continuo estudando para concursos que tenham vaga na minha especialidade.

 

Ponto – As entrevistas são sempre um grande estímulo para os que ainda estão estudando em busca de uma vaga no serviço público. Que mensagem você quer deixar para os que ainda estão nessa batalha?

Ariadne – Gostaria de dizer aos colegas que mantenham o foco na direção dos seus propósitos. Perseverança é a chave para alcançar a tão almejada vaga no concurso dos seus sonhos. O desânimo e o pessimismo inevitavelmente batem à nossa porta, mas nesses momentos olhem para frente e pensem que o objetivo está perto de ser alcançado!