Entrevistas

André Tarso Moreira


1º lugar para Agente de Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados

Aos 33 anos, natural de Santana na Bahia e pós-graduado “lato sensu” em Direito Penal e Direito Público, o André Tarso foi o primeiro lugar para o cargo de Policial Legislativo da Câmara dos Deputados. Pode-se dizer que esse faz parte dos concursos mais concorridos e difíceis da lista de um concurseiro, que estuda para área policial. Muito desejado por concurseiros de todo o país, alcançar essa aprovação significa realização profissional garantida.

Além dessa aprovação, ele já passou também no concurso do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal em 2000 e para o cargo de Delegado de Polícia do Piauí em 2009/2010.

Apesar de todas as atribuições do antigo trabalho, o André ainda teve que conciliar a preparação para o concurso com a família, já que ele é casado e pai de dois filhos. Para o concurso da Câmara, ele só estudou após o lançamento do edital. Já estava há quatro anos parado, desde 2010 quando terminou o curso de formação de Delegado de Polícia e decidiu parar de estudar por um período.

Entre muitos obstáculos familiares, os desafios da preparação e as escolhas que a vida nos permite fazer, a história do André é bem interessante.

Vamos conferir?

Ponto dos Concursos – André, muitos concurseiros com filhos alegam que é difícil conciliar a vida familiar com os estudos. Essa é a pergunta da qual muitos aguardam uma fórmula mágica. Como foi sua preparação nesse sentido?

André Tarso – Concordo com a opinião de muitos concurseiros, pois não é nada fácil conciliar estudo com vida familiar. No meu caso, tenho o privilégio de ter uma companheira fantástica, pois a minha esposa, Jeisa, foi essencial nessa preparação.

Durante esse período de estudos, ela facilitou a minha vida em todos os sentidos para que eu pudesse estudar com tranquilidade, já que tomou conta praticamente sozinha de todas as atividades da casa e dos filhos. Tenho certeza de que, se não fosse a colaboração dela, não teria conseguido.

Ponto dos Concursos – Com pouco tempo para estudar, você ainda seguiu algum cronograma de estudos? Estudou por curso presencial ou online?

André Tarso – No início dos meus estudos para esse concurso, fiz um cronograma e fui adaptando-o no decorrer da preparação. Comecei estudando por volta de 8/10 horas diárias e, faltando 1 mês para a prova, aumentei para 14/15 horas diárias de estudo. Neste período, eu e minha esposa tiramos férias de nossos trabalhos e ela viajou com nossos filhos para nossa cidade natal, a fim de que eu tivesse mais tempo disponível para estudar. Foi muito difícil ficar afastado da minha esposa, filhos, familiares (meus pais estavam vindo a Brasília visitar a mim e a meu irmão e pedi a eles que adiassem a viagem para após a prova) e amigos, mas eu sabia que isso era determinante para a minha aprovação. Neste concurso estudei somente por cursos online.

Ponto dos Concursos – Muita gente reclama de falta de concentração para estudar por muitas horas, você usa alguma técnica especial para isso? Tem esse problema?

André Tarso – Eu também tenho dificuldades de concentração, penso que deve ser um problema comum entre os concurseiros.

Não tenho nenhuma técnica especial, procurei me isolar o máximo que pude e, para isso, ficava sozinho no quarto, desligava telefone e internet. Além disso, fazia pequenas pausas a cada hora de estudo e, principalmente, buscava a Deus e Nossa Senhora durante os momentos tensos da preparação. As orações foram fundamentais nos meus estudos.

Ponto dos Concursos – Com pouquíssimo tempo para estudar e um conteúdo bem extenso, quais foram seus métodos para vencer esse desafio?

André Tarso – Faltando pouco menos de três meses para a prova, precisava me dedicar o máximo aos estudos, pois tinha que recuperar o tempo perdido em que fiquei sem estudar. Para isso, busquei estudar, principalmente, pelos materiais em PDF do Ponto, algumas vídeoaulas e muita resolução de exercícios de provas anteriores. Procurei me concentrar mais nas disciplinas que eu tinha mais dificuldades, como Português, Redação Discursiva e as matérias de Segurança (o professor Girão foi essencial nas específicas!).

Ponto dos Concursos – André, essa classificação prova que você é muito determinado e disciplinado, você imaginava que alcançaria o primeiro lugar? Como foi quando viu o resultado?

André Tarso – Jamais imaginava ficar entre os primeiros colocados, quanto mais na primeira colocação ao final do certame. Mas eu tinha uma forte convicção de que seria aprovado dentro das vagas e todos que estavam ao meu lado percebiam esta confiança.

Fiz uma promessa aos meus filhos, mesmo sem eles entenderem direito, e me apeguei bastante a isso. Certamente foi determinante para a minha disciplina e dedicação.

Quando vi o resultado no DOU, foi uma emoção indescritível, fiquei em êxtase total, chorei muito, agradeci demais a Deus e telefonei para as pessoas mais próximas, que, assim como eu, estavam ansiosas pelo resultado. Frisa-se que a maior emoção não foi pela colocação em si, mas por ser aprovado dentro das vagas de um concurso maravilhoso.  

Ponto dos Concursos – Se fosse para enumerar seus maiores erros nessa preparação, se é que houve algum, quais seriam?

André Tarso – Cometi um grande erro neste certame e ele quase me eliminou da disputa, mesmo sendo advertido diversas vezes pela minha esposa. O conteúdo a ser cobrado na redação discursiva era “atualidades” e eu não dei a importância necessária para isso.

Fiz um curso de redação discursiva no Ponto, com as Professoras Júnia e Luciana, o qual foi primordial para que eu aprendesse todas as técnicas necessárias de uma boa redação, mas era necessário eu aprofundar o conhecimento em atualidades. Como neste período de preparação eu não assisti televisão, não li jornais e nem vi notícias na internet, estava “desatualizado”. A minha sorte foi que, no dia anterior à prova, eu me dediquei exclusivamente a atualidades e li uma matéria sobre o tema abordado na prova (Crise na Ucrânia).

Ponto dos Concursos – E os maiores pontos positivos dessa preparação?

André Tarso – São muitos pontos positivos, tais como: saber que eu sou muito mais capaz, dedicado e determinado do que eu imaginava ser; saber que serei um exemplo para muitos concurseiros, principalmente para os meus amigos que estão estudando; saber que tenho uma verdadeira companheira ao meu lado; saber que tenho uma família e amigos compreensivos e que eu posso contar com eles em todos os momentos.

Ponto dos Concursos – Diante da sua experiência em preparações para concursos, o que você acredita ser fundamental para um concurseiro ser aprovado?

André Tarso – Acredito que é fundamental muita determinação, disciplina, fé, ter bons materiais de estudo e escolher os métodos corretos para sua preparação. É primordial abdicar de algumas coisas durante a preparação, sempre costumo dizer que concurseiro não tem muita vida social.

Ponto dos Concursos – Atualmente, para um concurseiro que está começando a se preparar, existem muitos caminhos para iniciar, como cursos presenciais, telepresenciais, videoaulas, materiais em PDF e por aí vai... A qual desses métodos você se adaptou melhor e por quê?

André Tarso – Eu já fiz muitos cursos presenciais e telepresenciais durante os anos em que estudei para concurso. Mas me adaptei melhor aos cursos online (materiais em PDF e videoaula), pois consegui aproveitar melhor meu tempo disponível durante a preparação.

Ponto dos Concursos – Gostaria de deixar alguma mensagem para quem ainda não alcançou a sonhada aprovação?

André Tarso – Não desista jamais de seus sonhos, pois aquele que batalha e persiste consegue alcançar os seus objetivos. Caso seja necessário, como foi o meu caso, suspenda a sua preparação, mas, nunca abandone a sua meta. Não é nada fácil estudar para concurso, mas é recompensador quando você consegue alcançar a sua tão sonhada aprovação. Boa sorte aos concurseiros e muita fé!

Aproveito a oportunidade para agradecer especialmente aos meus pais Manuel e Carmem, pois, durante muito tempo, abdicaram de seus sonhos e desejos para oportunizar uma melhor educação a mim e meus irmãos.

Equipe Ponto dos Concursos.