Entrevistas

Gladis Magda Castrillon


A história de Magda, aluna do Ponto que foi 1ª colocada no concurso do DETRAN do Mato Grosso, é muito bonita! Temos certeza de que vai servir de estímulo para que muitos concurseiros do Brasil afora não desistam dos seus sonhos e alcancem seus objetivos, com muito afinco, método e disciplina.

Magda nasceu em Cáceres, Mato Grosso, atualmente mora em Poconé/MT e tem uma filha de 11 anos. E foi quando a filha nasceu, em 2004, que ela decidiu que precisava mudar de vida! Ela queria proporcionar o melhor para a filha e decidiu que, para isso, seria servidora pública. Acontece que, na época, ela não tinha nível superior. Em vez de se lamentar e desistir do seu sonho, ela resolveu fazer um curso superior (hoje é formada em Turismo) e estudar muito para se tornar uma vencedora.

Depois de fazer vários concursos e “bater na trave”, ela não desanimou, continuou estudando e procurando aprimorar suas técnicas de estudo. Hoje ela afirma que aprendeu a estudar de forma eficiente e produtiva e agora ninguém segura essa guerreira!

E a história da Magda não para por aí! Seu sonho é ser aprovada no concurso do INSS e ela, determinada e esforçada, já está se preparando para conquistar a tão sonhada vaga! E nós, depois de ouvirmos tudo o que ela tem para contar, só podemos ficar na torcida para que ela realize esse grande sonho.

Vamos conhecer um pouquinho da história da Magda.

Ponto  - Magda, conta pra gente como e quando você decidiu que queria se tornar uma servidora pública.

Magda No final de 2000 resolvi abrir um barzinho em Cáceres – Tom Brasil - que graças a Deus foi um sucesso!!! Estava tudo correndo bem até eu descobrir que estava grávida... Conforme crescia a barriga, cresciam também as preocupações com o nosso futuro. Entre os clientes que frequentavam o bar havia muitos universitários e professores e lá tive o privilégio de fazer muitos amigos. Costumo dizer que um deles, Luiz Carlos, foi um enviado de Deus na minha vida, pois ele é o responsável por muitas das coisas boas que aconteceram comigo: foi ele quem me motivou a fazer um curso universitário. Depois de muito refletir resolvi vender o bar e me dedicar aos estudos. Foi quando, em 2007, fiz minha inscrição no vestibular e consegui aprovação em 15º lugar para Turismo na Unemat... Uma surpresa!

Mas as indagações continuavam e eu precisava de algo que me desse segurança. Mais uma vez surge o meu amigo para me incentivar a fazer o meu primeiro concurso público: o da Polícia Civil do Mato Grosso – PC/MT, no qual consegui ser classificada em 256º lugar. Fui convocada para as fases seguintes, porém, fui reprovada na 4º fase (teste físico - TAF). Fiquei arrasada, mas não desisti, continuei estudando...

Depois disso fiz vários concursos: TRT, TRF, Unemat, PRF, Polícia Civil (novamente reprovei no TAF) e INSS. Neste último fiquei em 15º lugar, mas nem fui classificada, pois eram apenas 3 vagas... Sempre batendo na trave!

Estava meio desanimada, quase desistindo, quando Deus enviou mais um anjo para me socorrer, meu amigo querido, Marcos Matos, que me falou que na cidade de Poconé estavam precisando de uma Turismológa para lecionar em um curso de guia de turismo. Fiz a inscrição e graças a Deus consegui minha primeira “APROVAÇÃO”! Porém, apesar de ser em um órgão público, o cargo não era de provimento efetivo, e sim um contrato por um período de 2 anos, o que me deu uma certa tranquilidade, tempo e dinheiro para investir em cursinhos e conquistar o tão sonhada aprovação num concurso público...

Quando foi publicado o edital do concurso do DETRAN/MT resolvi fazer minha inscrição, comprei dois cursinhos, sendo um curso em vídeo e outro em PDF (ambos do Ponto dos Concursos). Estudei por 30 dias e consegui como resultado a 1º colocação para o cargo de provimento efetivo de Agente de Trânsito e Vistoria Veicular do Detran-MT! Ainda não é o emprego dos meus sonhos, mas agora tenho “estabilidade” e “tranquilidade” para continuar estudando e conquistar meu sonho: ser servidora do INSS!

 

Ponto - Nessa sua trajetória de estudos, quais foram as suas maiores motivações?

Magda - Os motivos são muitos, mas destaco a “ESTABILIDADE”. Depois que me tornei mãe comecei a me preocupar com o futuro. Antes eu não pensava tanto no porvir, vivia a vida como a canção do Zeca Pagodinho “deixa a vida me levar”, mas com o nascimento da minha filha Amanda eu percebi que precisava de um emprego que me proporcionasse uma boa remuneração, além das inúmeras vantagens oferecidas para os servidos públicos como, por exemplo, estabilidade, status, qualidade de vida e uma aposentadoria tranquila.

 

Ponto  - Fale um pouco sobre seu método de estudos. Como você aprendeu a estudar de uma forma mais eficiente e produtiva?

Magda – Depois de 6 anos de estudos, digo que descobri o caminho das pedras, isto é, aprendi a estudar para concurso público. Com os professores do Ponto aprendi que não adiantava eu passar horas e horas lendo os livros sem que esse tempo fosse bem aproveitado. Assim, todos os dias eu lia as dicas do professores antes de começar a estudar e o tempo que gastei lendo as recomendações compensou na relação custo x benefício. Antes de estudar pelos materiais do Ponto eu repetia as mesmas ações e consequentemente obtinha os mesmos resultados, isto é, sempre batia na trave! Com as dicas de estudo dos professores do Ponto meu estudo ficou mais eficiente. Tudo o que os professores disseram para fazer eu fiz... E deu certo!

É claro que estudei muito (aproximadamente 15 horas por dia durante 30 dias). Meu objetivo era fazer 90% da prova e para conseguir isso eu lia o conteúdo das aulas e resolvia os exercícios todos os dias. Depois de conseguir acertar mais de 90% das questões eu partia para outro conteúdo, mas continuava resolvendo os mesmos exercícios todos os dias. Moral da história: Passei em 1º lugar para o concurso do Detran-MT!

 

Ponto  - Quais as maiores dificuldades que encontrou nesse caminho? Como você fez para superá-las?

Magda – Além da falta de dinheiro, a maior dificuldade foi lidar com as críticas de pessoas bem próximas, que não entendiam minha opção ou que, apesar de entenderem, não acreditam no meu potencial. Eu escutei comentários como “para de estudar e vá procurar outra coisa para fazer da vida, isso não vai dar em nada”!  É difícil lidar com as críticas das pessoas que amamos, mas todas as vez que eu ouvia que deveria desistir, que eu não passaria nunca, eu cantarolava uma canção do Chorão que diz: “Tome cuidado para que os desequilibrados não abalem sua fé”. Eu tomei cuidado e não me abalei! Demorou um bom tempo, mas eu CONSEGUI!!! Acredito que a fé em Deus me fez superar todas as dificuldades e acreditar que minha hora iria chegar... e não é que chegou?! Hoje sou o orgulho da família... rs!!!

 

Ponto  – Que mensagem você deixaria para os que estão em busca de uma vaga no serviço público?

MagdaNão existe uma receita única para passar em concurso público... Concursandos têm personalidades diferentes, realidades diversas, necessidades específicas, capacidades de aprendizado em diferentes níveis, facilidade com algumas matérias e dificuldade com outras. Mas existem alguns métodos bem eficientes. Para mim, por exemplo, funcionou o método de estudo dos “professores do Ponto”. Recomendo a todos!!!

Tem uma frase de Abrahan Lincon que retrata muito bem o que o concurseiro deve fazer para conseguir o tão sonhado cargo público: “Se eu tivesse oito horas para cortar uma árvore, passaria seis afiando meu machado”... Afiar bem o machado (estudar), é isso que devem fazer!!!! Além disso, ter fé. Fé em Deus, mas principalmente fé em si próprio. Foco, disciplina e persistência. Diria também para não terem pressa de passar (eu demorei 6 anos), pois a ansiedade não ajuda em nada e não existe um prazo certo, o que existe é um conjunto de atitudes e trabalho que, no tempo próprio, frutifica.

Meus votos são de que os concursandos tenham a coragem e a fé de fazer o que tem que ser feito, pelo prazo necessário, para galgarem sucesso e conseguirem a tão sonhada aprovação. Os dias melhores que esperamos certamente virão!