Entrevistas

Tércio Rabelo


Aprovado em 4º lugar para Analista Judiciário na especialidade de Contabilidade do TRT do Maranhão e em 8º lugar também para Analista Judiciário com especialidade em Contabilidade no TRT – 13ª Região (Paraíba)

Aos 29 anos, o 4º lugar no concurso do TRT do Maranhão, para Analista com especialidade em Contabilidade, mora com os pais e está na expectativa de se tornar pai nos próximos meses. Logo após o resultado do TRT do Maranhão, veio a boa notícia do TRT da Paraíba, em que ele também foi aprovado. A história do Tércio Rabelo é de total superação e motivação. Após sete anos perdido, envolvido com álcool e drogas e longe dos estudos, ele encontrou ao lado da família a força que precisava para dar a volta por cima.

Há quatro anos, começou a estudar para concurso público, porém, somente depois de uma ajuda profissional, há cerca de um ano, os primeiros efeitos começaram a surgir. Após a contratação do coach Bruno Fracalossi, ele pôde perceber que os três primeiros anos de estudo para concursos serviram para que aprendesse tudo que não se deve fazer em uma preparação.

Ao contrário do Kaique Knothe, aprovado em 1º lugar para Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, que teve uma ótima estrutura com o ensino base e o superior de qualidade, o Tércio não aproveitou parte do ensino fundamental, nem do ensino médio para adquirir uma base de estudos que servisse para essa preparação. No entanto, a força de vontade e o apoio familiar estão sendo seus maiores pilares para suas vitórias.

Passada essa fase de extrema felicidade com o resultado, a única certeza que ele tem é que seus objetivos não terminam por aqui e que o gosto pelos estudos apenas começou. Os sonhos, agora, são maiores...


Vamos conferir a história do Tércio:

Ponto dos Concursos - Tércio, após sete anos perdido por outros caminhos, como foi essa virada na sua vida e esse retorno aos estudos?

Tércio Rabelo – Venho de uma família estruturada e recebi uma boa educação, mas, aos 13 anos, envolvi-me com álcool e drogas. Passei por anos difíceis.

Afastei-me da minha família e dos meus amigos. Perdi o interesse nos estudos e muitas oportunidades. Tornei-me uma pessoa desorganizada, indisciplinada e não conseguia concluir nenhuma atividade que iniciava. Iniciei algumas faculdades, mas, por falta de interesse, abandonei os cursos.

Aos 20 anos, pedi ajuda a minha família e consegui superar essa fase de farras e de irresponsabilidades. Percebi que precisava de algo para mudar a minha vida e, por meio dos estudos, encontrei um ótimo caminho que me levou a hábitos saudáveis e a desenvolver as qualidades necessárias para uma vida mais produtiva, como a disciplina, a organização e a persistência.

Meus familiares - principalmente os meus pais e os tios Walburg, Cláudia e Luci - foram fundamentais e sempre me apoiaram. Foi gratificante receber uma nova chance.

Em 2006, iniciei o curso de Ciências contábeis na Faculdade Santo Agostinho. Como não havia adquirido uma boa base no colegial, resolvi me dedicar ao máximo à vida acadêmica, ao perceber que a única forma de conseguir me destacar seria me esforçando mais que os outros.

Desde então não parei mais de estudar e, ao concluir o curso superior, decidi iniciar a minha preparação em concursos públicos. 

Ponto dos Concursos – Qual é a sensação de ser aprovado em dois concursos, após esse tempo de preparação e toda essa sua história de superação?

Tércio Rabelo - É uma sensação excelente e uma grande vitória. Encontrar o seu nome entre os 10 primeiros colocados em um bom concurso não tem preço. Foram 2 aprovações em menos de 2 meses. É sinal de que finalmente estou no caminho certo e agora tenho mais tranquilidade para continuar firme na minha preparação. Felizmente, consegui evitar o oba-oba dessas aprovações e estou mantendo o mesmo ritmo de estudo. 

Ponto dos Concursos - Tércio, após mais essa conquista nesse curto espaço de tempo, qual dos dois concursos você pretende assumir?

Tércio Rabelo - Minha preferência é pelo TRT-MA, já que ficarei mais próximo de Teresina. Mas, se for chamado primeiro no TRT-PB, assumirei e ficarei aguardando o TRT-MA.

Ponto dos Concursos – Como surgiu a ideia de estudar para concursos? Quem o incentivou a tomar esse rumo?

Tércio Rabelo – A ideia surgiu no fim do curso de Ciências Contábeis. Recebi apoio de muitas pessoas. Meus pais disseram que financiariam a minha preparação. Tive um professor da Faculdade Santo Agostinho, Antônio Luís, que sempre me incentivou a estudar para um concurso público.

Durante a minha preparação, também recebi um grande incentivo do professor Ricjardeson Dias, que, inclusive, deu-me bolsas de estudo durante um ano no seu cursinho preparatório em Teresina. Por meio das aulas dele, aprendi a gostar de Contabilidade Pública e Orçamento, que foram disciplinas que detestei no período da faculdade. Ele me incentivou a focar a área de controle e gestão e, desde esse período, esse tem sido o meu foco nos estudos.

Por fim, recebo até hoje o apoio incondicional da minha antiga namorada e atual esposa que sempre esteve ao meu lado, buscando me motivar em todos os momentos e abrindo mão de diversas situações para que eu pudesse continuar focado na minha preparação. Felizmente, soube administrar os estudos e o nosso relacionamento. Um dos motivos para buscar uma aprovação em concursos é proporcionar estabilidade à minha família e, em breve, isso se tornará uma realidade.

Ponto dos Concursos – Durante o tempo que estudou sem orientações, quais foram seus maiores erros?

Tércio Rabelo – Tive diversos erros durante a minha preparação. Quero deixar claro que o que não serviu para mim poderá servir para outras pessoas, já que uma metodologia de estudo é muito pessoal.

Iniciei minha preparação em 2010 quando o edital para Sefaz/PI estava próximo de sair (ainda não saiu – risos). Por isso, fiz a matrícula em um curso telepresencial para Auditor da Receita Federal. Como não tinha uma boa base de estudos, não consegui acompanhar o pacote de disciplinas disponibilizadas pelo curso durante seis meses.

No primeiro ano de preparação, li diversos livros, buscando encontrar uma metodologia eficiente de estudos. Tentei diversas formas. Passei um ano e meio, por exemplo, resumindo o conteúdo das disciplinas por meio de mapas mentais. Nesse período eu quase não fazia exercícios, pois a minha preocupação era de memorizar o conteúdo. Acontece que eu demorava para elaborar esses mapas e, no decorrer do tempo, percebi que os mapas ficavam enormes ( 22 blocos de 70 folhas) e tinha que dedicar muito tempo para revisá-los. Para piorar, os resultados nos concursos que eu estava fazendo eram insatisfatórios. Com quase três anos de preparação, decidi não utilizar mais os mapas e me senti meio perdido, já que não havia passado em nenhum concurso e minha tentativa de resumir o conteúdo tinha sido fracassada. Foi nesse período que tive oportunidade de iniciar o coaching com o professor Bruno Fracalossi.

Ponto dos Concursos – O que o motivou a fazer o Coaching do Ponto? Quando começou? Como conheceu e decidiu pelo Coaching do Ponto com o professor Bruno Fracalossi?

Tércio Rabelo – Passei os meus dois primeiros anos de preparação, assistindo a aulas presenciais e estudando em casa. No terceiro ano, comecei a estudar por materiais em PDF do Ponto dos concursos. Nesse período, comecei a acompanhar os artigos do professor Bruno que é especialista na área de Controle e Gestão.

Por meio desses artigos, observei que ele era um Coach para concursos. Desde o início da minha preparação, sempre estudei por uma boa quantidade de horas, mas estava estudando errado e acredito que só não desisti porque aprendi a ser uma pessoa persistente. Tentei diversas formas de estudo e não sabia mais o que fazer. Por isso, tomei a sábia decisão de procurar um especialista. Iniciei o coaching no fim de julho de 2013.

Sei que muitos concurseiros conseguem uma ótima preparação sozinhos. Eu já sofri muito, pois não conseguia. Hoje sei que, assim como eu, existem milhares de pessoas que estão se preparando e têm compromisso com os estudos, mas encontram dificuldades em conseguir uma metodologia de estudos eficiente. Para essas pessoas, vale a pena, sim, investir em um Coaching.

Ponto dos Concursos – Quais são as vantagens de se contratar um coaching?

Tércio Rabelo – Há diversas vantagens. O orientador, como é o caso do Bruno Fracalossi, é um profissional altamente capacitado que já foi aprovado em um concurso público (Analista da CGU), provavelmente na área em que ele pretendia trabalhar. Por isso, ele possui a experiência necessária e conhece o caminho a ser percorrido.

A intenção do Coach é dar autonomia ao aluno para que, após o término do curso, ele possa estudar sozinho com eficiência.

Com o Bruno, aprendi a me concentrar e encontrei uma metodologia de estudos simples e eficiente. Digamos que o Coach, através de um acompanhamento contínuo, ensina ao aluno como se concentrar, por exemplo, e não apenas informa que ele precisa se concentrar. Isso faz toda a diferença, pois hoje em dia todos sabem o que fazer. A dificuldade surge em como fazer.

Outra grande vantagem é ter um profissional te motivando o tempo inteiro. O hábito de estudar é uma atividade que isola uma pessoa. Imagine uma preparação para concursos em que é preciso dedicar meses ou até anos aos estudos. Durante os três primeiros anos de preparação, sempre fui instável, pois me desmotivava com frequência. O Bruno é um grande motivador e nesse último ano de preparação entrei em um ótimo ritmo de estudos, mesmo passando por algumas reprovações e por diversas dificuldades.

Em nove meses de coaching, consegui minhas primeiras aprovações (acertei 83% da prova do TRT/MA). No TRT da Paraíba acertei 86% da prova. Estou satisfeito por estar evoluindo muito rápido.

Ponto dos Concursos – O que você acredita ter sido seu maior diferencial após ter iniciado o coaching?

Tércio Rabelo – Foi o meu comprometimento. O coaching é uma parceria, só funciona se o aluno se dedicar. Entrego um feedback ao professor a cada dois dias, faço bastantes perguntas sobre como posso melhorar e sigo à risca o nosso planejamento. No início ele elaborava, a cada dois meses, uma planilha com o planejamento de estudos, mas hoje sou eu quem a elabora e ele apenas a verifica.

Hoje sei que estou no caminho certo. Existem várias formas de se realizar uma boa preparação e felizmente encontrei a minha. Ela se resume a isto: metodologia de estudo adequada + foco em uma área de estudo + persistência + disciplina + motivação constante + resolução de milhares de exercícios.

Ponto dos Concursos – Como, exatamente, o Coaching o ajudou a alcançar seu objetivo?

Tércio Rabelo – Foi um “casamento perfeito”. Eu já era uma pessoa persistente, mas estudava errado, não executava direito o que planejava e me desmotivava com regularidade. O coaching me ajudou a ser um estudante mais completo. Aprendi a conciliar o meu conhecimento àquilo que a banca examinadora quer. O objetivo foi alcançado naturalmente.

A rotina de feedbacks funciona desta forma: ao se matricular no Coaching do Ponto, o aluno passa a ter acesso a diversas ferramentas. Uma delas é um fórum que é utilizado apenas pelo aluno e pelo professor. O Bruno pede que, a cada dois dias, eu envie um feedback informando como foi o meu estudo nesse período. Aproveito também para fazer perguntas sobre todas as dificuldades encontradas nesse período. No fim de semana, tenho de enviar uma planilha que mostra o meu desempenho durante a semana.

No início achei um pouco estranho. Pensava que iria me comunicar com ele por telefone ou por Skype, mas, após o primeiro mês, observei que esse intervalo de dois dias era fundamental para a troca de experiência, já que ele me passava sugestões e tinha tempo de aplicá-las. O grande diferencial é o fato de ser um aprendizado totalmente personalizado e no ritmo de dedicação do aluno.

Ponto dos Concursos – O que considera ter sido determinante para sua aprovação?

Tércio Rabelo – A aprovação é uma conquista muito pessoal e individual, porém o fator determinante para mim foi ter aproveitado as oportunidades que diversas pessoas me proporcionaram. Sem elas, eu não estaria vivenciando esse momento hoje. Por muitos anos não acreditava que poderia ser uma pessoa bem sucedida, mas, ao ver tantas pessoas acreditando e apostando em mim, aprendi a desenvolver minhas qualidades e me tornei uma pessoa muito determinada e persistente.

Ponto dos Concursos – Após a aprovação, quais são os seus novos planos? 

Tércio Rabelo – Continuarei minha preparação, visando aos concursos da CGE-PI, CGU e TCU.

Ponto dos Concursos – Depois de toda essa história de superação, o que você sente hoje com essa aprovação?

Tércio Rabelo – É uma sensação difícil de descrever. Posso dizer que é um sonho realizado e estou muito feliz. Essa realização é fruto do meu esforço e persistência. Tudo está acontecendo ao mesmo tempo em minha vida.

Fiz a prova do TRT do Maranhão no dia 4 de maio e casei-me em 7 de maio. A aprovação veio em agosto. Em outubro completo nove anos limpo e com uma vida equilibrada. Para completar, em novembro, nascerá minha primeira filha, a Aila Maria. Hoje amo estar com minha família e todos estão felizes com minha aprovação.

Ponto dos Concursos – O que você tem a dizer aos candidatos que não acreditam que podem conseguir aprovação em um concurso público?

Tércio Rabelo – Posso dizer que a falta de fé em si mesmo é a pior limitação que existe. Ser aprovado em um concurso público é um feito difícil, entretanto é plenamente possível.

A minha experiência mostra que qualquer um pode ser aprovado em um concurso público, mas, para isso, é necessário “pagar o preço” dessa escolha de vida. É preciso abrir mão de momentos de lazer, de momentos com pessoas que amamos. É preciso muita dedicação e persistência, mas no final é bastante recompensador.

Ponto dos Concursos – Você gostaria de deixar alguma mensagem para o professor Bruno Fracalossi?

Tércio Rabelo – Claro! Apesar de ainda não o conhecer pessoalmente, posso dizer que ele já é um grande amigo.

Brunão, obrigado por sua dedicação. Você foi fundamental nessa conquista. Torço muito pelo seu sucesso e continue ajudando outros concurseiros a realizarem seus sonhos. Quero agradecer também ao Ponto dos Concursos por participar dessa entrevista. Já li muitas entrevistas do Ponto que me serviram de inspiração durante minha preparação e é uma satisfação enorme, hoje, eu ser o entrevistado e ter a oportunidade de inspirar outras pessoas.

 

Entrevista com o Coach Bruno Fracalossi 

 

Ponto dos Concursos – Professor, qual é a sensação de poder contribuir para uma vitória como essa do Tércio, que tem uma história incrível de superação?

Bruno Fracalossi – Antes de tudo, eu gostaria de ressaltar que é um prazer enorme conceder essa entrevista para falar do meu amigo Tércio.

Esse rapaz é um exemplo de superação. A história dele merece ser lida por muitas pessoas que não acreditam em si mesmas, ou que se lamentam mesmo tendo todas as condições de crescerem e realizarem os seus sonhos.

A história do Tércio me tocou desde quando ele se matriculou no meu Coaching. Desde o nosso primeiro contato, percebi ser ele um cara simples, sincero e dedicado e vi que eu teria um grande desafio com ele.

Ponto dos Concursos – Quais foram seus maiores desafios quando começou a orientação com ele?

Bruno Fracalossi – Quando o Tércio contou a sua história para mim, eu até assustei. Eu pensei comigo mesmo: “Bruno, esse será um dos maiores desafios da sua vida de coach.” E como eu gosto demais do que faço, a minha motivação foi às alturas.

Esse era um caso que, se desse resultado, provaria para mim mesmo a efetividade de um programa de coaching. E foi isso que aconteceu, graças a Deus.

O Tércio é um cara extremamente disciplinado e dedicado, porém eu senti um pouco de falta de planejamento e certa desconfiança em si próprio. Estudamos o seu foco principal e realizamos um planejamento conjunto. A partir daí, o meu trabalho foi de cobrança, ajuste de metas e de expectativas, e principalmente do controle emocional e motivacional.

Felizmente, o nosso planejamento deu certo!

Ponto dos Concursos – Foram três anos estudando, porém sem sucesso. Quais foram os maiores erros que você conseguiu detectar e que possivelmente estavam atrapalhando o desempenho do Tércio?

Bruno Fracalossi – Principalmente questões motivacionais e de planejamento. O nosso programa funcionou tão bem com ele, que ele não quis parar o coaching e continua comigo até ser aprovado no seu concurso dos sonhos, que é o de Auditor Governamental.

Ponto dos Concursos – Professor, muita gente ainda não conhece e não acredita nesse trabalho de coaching. Você poderia explicar como funciona e como isso pode ajudar o candidato a conquistar o sonhado cargo público?

Bruno Fracalossi – O coaching é essencial para algumas pessoas, mas totalmente desnecessário para outras. Eu, por exemplo, nunca precisei e não contrataria um coaching para concursos, pois sempre fui muito disciplinado e motivado.

Porém, não são todas as pessoas que são assim. E isso não é defeito, de forma alguma. Cada pessoa é de um jeito, pensa de um jeito, e a motivação dela pode não ser a mesma que a minha.

O que temos em comum é a vontade de passar em um bom concurso.

Existem pessoas também que não conseguem estabelecer um planejamento de metas adequado, ou que não conseguem focar em uma área específica de concurso.

Da mesma forma, há pessoas que não conseguem ter tranquilidade para estudar, por problemas pessoais, familiares, etc.

O meu programa cuida de tudo isso, além de despejar uma carga motivacional fora do comum no meu aluno.

Estudar para concursos é bem complicado. Não basta sentar e estudar. Não é assim que funciona para a maioria das pessoas. Se fosse simples assim, todos aqueles que estudam passariam rapidamente, mas vemos que isso não acontece.

Por quê? Bom, eu costumo fazer um paralelo do nosso programa com a terapia cognitiva realizada por psicólogos. Eu sempre achei que era uma besteira, que não funcionava etc. Mas chegou um momento em que eu vi que precisava pelo menos testar aquilo, pois a minha ansiedade tinha atingido níveis insuportáveis.

Depois que eu fiz as minhas sessões, pude ver que aquilo mudou em 180º a minha maneira de pensar e de ver o mundo. Até hoje, agradeço a minha psicóloga pela nova pessoa que ela me fez ser.

Muitas coisas só conseguem ser absorvidas se forem explicadas e expressadas por uma pessoa que não te conhece direito, e que dá uma opinião embasada de forma imparcial. Esse é um dos meus trabalhos.

E isso faz a diferença em um programa de Coaching.

Além do profissional não te deixar cometer os mesmos erros que ele cometeu anteriormente, ele vai trabalhar todas as suas falhas e pontos negativos no seu planejamento.

Em se tratando de concurso público, não adianta você atirar para todos os lados. Não adianta você começar a estudar hoje e querer ser aprovado daqui a dois meses. Só se você for um fora de série.

Você precisa formar uma base sólida de conhecimento em um mesmo conjunto de matérias. E você só consegue isso com uma leitura muito atenta da teoria, com a elaboração de um resumo sucinto para revisões constantes e a resolução de milhares de exercícios, leitura da lei seca e jurisprudência. Isso representa os 50% da sua aprovação.

Os outros 50% virão do seu trabalho emocional e motivacional. Um cérebro com muita serotonina é o nosso principal combustível para seguir sempre em frente! Esse trabalho deve ser feito com o encaixe de atividades prazerosas no meio dos seus estudos, com exercícios físicos e com a leitura de textos e mensagens estimulantes.

E o controle emocional deve ser cuidado de forma especial. O foco em áreas e não em provas específicas ajuda a tirar a pressão em um concurso específico.

O coach te ajuda em tudo isso!

Quem se matricula no meu projeto tem que assinar um termo de comprometimento prometendo que vai cumprir todas as metas que eu passar sob sujeição de ser penalizado. Mas eu deixo claro que ele está assinando um comprometimento consigo mesmo e com sua vida, e que, quando o coaching acabar, ele tem que continuar se comprometendo.

Virou meu coachee, virou filho (e amigo também). Vai levar bronca (e ser elogiado também) até ser aprovado!

O Tércio levou muitas broncas, mas levou muito mais elogios (risos)!

Ponto dos Concursos – Teria alguma mensagem para deixar para o Tércio?

Bruno Fracalossi – Grande Tércio!

Você virou, antes de tudo, um amigo. Não canso de repetir: a sua história é muito bonita e emocionante, e eu fico extremamente grato de poder fazer parte dela.

Continuamos juntos rumo aos cargos dos sonhos de Auditor Governamental, e tenho certeza de que você o conseguirá!

Mas lembre-se de que o seu estudo agora não será mais por necessidade.

A sua vida se ajeitou [como é bom falar isso né (risos)? Repita aí em voz alta: RAPAZ, A MINHA VIDA ESTÁ RESOLVIDA!]

O seu estudo agora é por escolha pessoal. Acabou a pressão, meu amigo! Olha que bom que é isso!? Pare e pense no seu feito. Quantos em sua situação conseguiriam isso que você conseguiu? Você é um abençoado!

É bom demais ser aprovado, cara!

Você merece!

Um grande abraço, e fique com Deus!

 

Equipe Ponto dos Concursos.