Entrevistas

Professor Roberto Troncoso


Aprovado em 3º lugar para Consultor Legislativo área I da Câmara dos Deputados

Não são apenas os alunos do Ponto que passam... Nossos professores também! Ao todo, tivemos sete professores do Ponto aprovados nesse concurso. Um deles é o nosso professor Roberto Troncoso. Atualmente ele leciona a disciplina de Direito Constitucional no Ponto dos Concursos e em cursos preparatórios presenciais, é Auditor Federal de Controle Externo do Tribunal de Contas da União (TCU), pós-graduado em Auditoria e Controle da Gestão Governamental, Coach no Ponto, autor de livros preparatórios para concurso público e palestrante sobre técnicas de aprendizagem acelerada para concursos.

No currículo de aprovações, já foram 8. Além do TCU, ele já assumiu na Polícia Federal para o cargo de Agente e no Tribunal de Justiça do Distrito Federal para o cargo de Técnico Judiciário.

Apesar de todas essas atribuições, ele ainda encontrou espaço para mais uma difícil preparação. Na entrevista abaixo ele conta como foram seus dois meses de intensa dedicação, suas motivações, os pontos positivos e negativos que pesaram nessa preparação e dá algumas dicas para os desmotivados.

Confira a entrevista na íntegra:

Ponto dos Concursos – Professor, quais os principais atrativos da Câmara que te levaram a fazer esse concurso para o cargo de Consultor Legislativo área I?

Roberto Troncoso – Primeiramente, sou um apaixonado pelo Direito Constitucional. Assim, trabalhar exclusivamente com essa área será um grande prazer. Além disso, atuar na produção legislativa sempre foi um grande sonho! Poder influenciar, de certa forma, na formação das leis e das emendas à Constituição será muito legal!

No mais, não posso negar que os atrativos da Câmara também me chamaram muito a atenção (salário, recesso, horário de trabalho, etc.).

Ponto dos Concursos – Gostaríamos de saber um pouco da sua história nessa vida de concurseiro. Quando começou a estudar para concursos e qual foi o motivo da decisão? De lá para cá já foram quantas aprovações?

Roberto Troncoso – Comecei a estudar porque eu queria me casar e precisava de dinheiro. A namorada se foi, mas o concurso ficou (risos). De lá para cá fui aprovado em 8 concursos no total.

No entanto, independentemente da motivação, o que importa é que as pessoas estudem com muuuuuuita garra e vontade! Às vezes, motivações não tão nobres também são suficientemente fortes para nos fazer agir e conquistar nossos objetivos! Por exemplo: eu estudei e passei na Polícia Federal porque queria ter mais dinheiro para sair na balada (risos).

Ponto dos Concursos – Como foi encarar essa preparação, uma vez que o tempo era curto diante das suas atribuições como Auditor do TCU, professor em cursos preparatórios para concurso público, Coach e ainda tendo uma vida pessoal para administrar?

Roberto Troncoso – Vida pessoal? O que é isso? (Risos)
Brincadeiras à parte, se quisermos realmente estudar com afinco, temos que direcionar todas as outras áreas das nossas vidas ao nosso objetivo. Não apenas a parte de trabalho, mas também todas as outras.

No meu caso, negociei no Tribunal para reduzir um pouco minhas atividades, reduzi as aulas e os alunos de coaching, tirei férias no último mês para dar o sprint final e a vida social ficou bastante comprometida. A única coisa de que não abri mão foi a atividade física três vezes por semana. Mais para não pirar a cabeça do que para ficar saradão (risos).

É realmente muito difícil estudar com foco total se você tem um trabalho extremamente desgastante ou poucas horas por dia para estudar. Muitos desistem aqui, achando que não têm outras opções... Aqueles que realmente são bem sucedidos são os que direcionam suas vidas e que fazem adaptações necessárias para se adequar melhor ao ritmo pesado de estudos.

Ponto dos Concursos – O fato de já ser servidor e também de lecionar em cursos preparatórios, faz com que muitas pessoas acreditem que foi mais fácil para você. Isso procede?

Roberto Troncoso – Como eu disse anteriormente, devemos direcionar toda a nossa vida para conquistar os nossos objetivos. Passar em outros concursos, escrever livros e dar aulas foram apenas alguns degraus de toda a jornada.

É claro que ajuda. Afinal, você realmente sabe alguma coisa quando consegue explicá-la. E nada melhor do que dar aulas para te obrigar a realmente saber “tudo”.

Ponto dos Concursos - Por outro lado, o fato de já ser servidor e lecionar em cursos preparatórios, certamente, também lhe tomavam muito tempo, o que também tem seu lado prejudicial. Como foi para você lidar com a questão do tempo?

Roberto Troncoso – Não teve jeito. Tive que reduzir bastante as outras atividades para sobrar mais tempo para os estudos. E isso teve um preço caro. Perdi várias boas oportunidades tanto no TCU quanto como professor... Mas temos que decidir o que realmente queremos e focar nisso. Não dá para fazer tudo de uma vez (risos).

Ponto dos Concursos – Quais os maiores obstáculos encontrados ao longo da preparação?

Roberto Troncoso – O maior obstáculo está dentro da nossa cabeça. Aquele medo de se dedicar muito para um concurso com tão poucas vagas, o medo de não dar certo, aquela preguicinha que bate quando estamos estudando, etc.

As dificuldades para os professores são as mesmas de qualquer outro ser humano.

Ponto dos Concursos - Como fazia com as disciplinas que mais tinha dificuldades? Fazia resumos? Dedicava mais tempo a elas?

Roberto Troncoso – Meu processo de estudos foi exatamente o que eu descrevo nas minhas aulas demonstrativas: mapas mentais no caderno aliados aos exercícios e muita revisão. Não tem muito segredo, mas temos que ter disciplina para seguir em frente. É igual a regime: todo mundo sabe o que deve ser feito, mas só funciona se for feito (risos).

Ponto dos Concursos – Você acredita que teve algum erro nessa preparação? Caso sim, quais foram?

Roberto Troncoso – Sim. Ter estudado pouco tempo. Ao todo, estudei 2 meses e 10 dias e TODOS os dias da minha preparação me senti arrependido de não ter começado a estudar antes.

Infelizmente, por um contexto particular de vida, não comecei a estudar antes. Mas isso atrapalhou demais. Felizmente, deu certo, mesmo assim.

Ponto dos Concursos – E quais foram seus maiores acertos, que te levaram a esse excelente resultado e aprovação?

Roberto Troncoso – Acredito que a melhor característica do meu método de estudos é a objetividade. Sem ficar lendo longos livros ou viajando na maionese. Muitos alunos perdem muito tempo com a falta de objetividade em seus estudos e acabam por não conseguir alcançar bons resultados.

Outro grande acerto é seguir a receita de bolo. Por exemplo, muitos alunos ficam ansiosos com a grande quantidade de matéria e, ao invés de revisar bem e aprender bem um conteúdo antes de passar para o próximo, caem na tentação de querer percorrer logo todo o material. Eles têm a impressão de que ao percorrer todo o material estão matando o edital mais rápido, mas se esquecem de que é na revisão compulsiva que esse conteúdo será retido na mente e não na primeira ou segunda leituras.

Até mesmo nós, professores, temos também essa vontade de ir logo para o próximo conteúdo. No entanto, ter disciplina nesse momento é fundamental.

Por fim, uma overdose de humildade não faz mal a ninguém (risos). Eu revisei o meu material de Direito Constitucional (que EU escrevi) pelo menos 30 vezes e a cada vez que eu o revisava, aprendia algo diferente e compreendia mais e mais a matéria.

Ponto dos Concursos – Para você, quais características são essenciais para que uma pessoa consiga aprovação em um concurso público?

Roberto Troncoso – basta uma característica: DISCIPLINA. Os que são aprovados, não são mais inteligentes do que ninguém e nem melhores do que ninguém. No entanto, eles têm a disposição de pagar o preço, de fazer o que as outras pessoas não querem fazer.

Ponto dos Concursos – Hoje, com o advento da internet, existem várias formas de estudar – cursos online em PDF, videoaulas, cursos presenciais que fazem teleconferência, os próprios cursos presenciais, etc. O que você acha dessa diversidade e qual você acredita ser o mais eficiente?

Roberto Troncoso – Isso depende de pessoa para pessoa. De fato, não há regra. Eu, particularmente, prefiro os cursos em pdf, por serem bem mais objetivos e baseados em questões de prova.

No entanto, existem excelentes professores presenciais e videoaulas. Devemos escolher apenas um. Em relação a material, menos é mais: material demais é tão prejudicial quanto material ruim.

Ponto dos Concursos – Professor, quais dicas você gostaria de deixar para quem pretende ser servidor da Câmara, tentou ser aprovado nesse concurso e não conseguiu?

Roberto Troncoso – Que continue firme! Em breve, teremos mais um concurso do Senado, TCU, etc. Escolha um concurso e mantenha o foco!

Ponto dos Concursos – Gostaria de deixar alguma dica de preparação para quem está nessa caminhada há anos e ainda não obteve sucesso?

Roberto Troncoso – Se você está estudando de forma séria há mais de 2 anos e ainda não foi aprovado em nenhum concurso, com certeza, você está fazendo alguma coisa errada (provavelmente várias). Procure ajuda de um profissional, converse com pessoas que já foram aprovadas, aprenda a estudar... O que não pode é ficar tentando atravessar o Atlântico a nado! É muito melhor ir de avião!

Ponto dos Concursos – Caso queira fazer alguma consideração sobre sua aprovação, fique à vontade... A entrevista é sua!

Roberto Troncoso – Eu sempre digo aos meus alunos que estudar muuuuuuuuito é coisa de preguiçoso! (Risos).
Eu, particularmente, sou uma das pessoas mais preguiçosas que eu conheço. Eu morro de preguiça de estudar. Então é por isso que eu estudo muito e muito focado: para passar logo e poder fazer as coisas que eu gosto de fazer.

Tenha foco, estude muito e resolva logo isso na sua vida!

Grande abraço e bons estudos!

 

 

Equipe Ponto dos Concursos.