Entrevistas

Renieri Mezzomo


Aprovado em 5o lugar para o cargo de Contador do concurso do Grupo Hospitalar Conceição em Porto Alegre (RS)

Natural de Porto Alegre, formado em Ciências Contábeis com especialização em Auditoria e Perícia Contábil, aos 28 anos, o Renieri Mezzomo já alcançou 9 aprovações, no entanto, a maioria fora do número de vagas. O que para muitos poderia causar um tremendo desânimo, para ele só serviu para repor as energias e recomeçar a cada novo edital que surgia.

Concursado da Caixa desde os 19 anos, o retorno aos estudos para concursos aconteceu em 2012, mas, segundo ele, somente em março de 2013, a preparação ficou intensa. O futebol, a academia e, pelo menos uma vez por semana, uma saída com os amigos tinham seu tempo reservado na agenda.


Para Renieri, a ajuda do Coach Bruno Fracalossi foi fundamental para que conseguisse essa nova conquista. Ele fez acompanhamento com o Coach do final de 2013 a junho de 2014. De acordo com o Renieri, o tempo foi suficiente para aprender detalhes importantes de uma preparação e fez toda a diferença.

Confira abaixo a entrevista completa:

Ponto dos Concursos – Renieri, com tantos chutes na trave, como era para você a cada resultado? Muitos alunos dizem sentir uma imensa frustração que os afasta por algum tempo dos estudos, com você era diferente?

Renieri Mezzomo – Frustração? De maneira alguma! Eu fui acompanhando meu crescimento e era visível, pois ele se deu praticamente de forma gradual. Por exemplo: depois da retomada dos estudos, em 2012, fui aprovado em 46o lugar na AGERGS, depois em 8o no TRF, 5o no GHC e, no último concurso feito, fiquei em 4o na CONAB. Sabia que estava no caminho certo a partir do momento em que vi que ficava cada vez mais próximo dos primeiros classificados.

Ponto dos Concursos – Como conheceu o coaching do Ponto e quais as necessidades que o levaram a acreditar nesse projeto?

Renieri Mezzomo – Foi ao acaso. Eu entrei no site para comprar um material (em apostilas em PDF, meio pelo qual tenho mais facilidade para os estudos), quando vi o link do Coaching. Li a respeito e decidi arriscar.

Eu já me considerava uma pessoa razoavelmente disciplinada e sabia que meu método de estudo tinha que ser em casa através das apostilas. Mas o Bruno (Coach), além de aprimorar esses conceitos, trabalhou muito a parte motivacional, pois chega um momento em que o corpo não aguenta mais a rotina de “acordar – estudar – trabalhar – estudar – dormir”.

Um coach é como um “personal de academia” que dá um “empurrãozinho a mais” quando você precisa, sabe? Você já tem o exercício, já sabe como fazer, mas, para ir um pouco mais além a cada dia, precisa do motivacional que acaba sendo o diferencial. O Bruno consegue fazer isso com muita qualidade. O psicológico é um fator importantíssimo nessa rotina.

Ponto dos Concursos – Como era seu cronograma de estudos? Estudava quantas horas por dia e quantas disciplinas?

Renieri Mezzomo – Demorei até ver o que era melhor para mim. Como todos dizem, não existe um método único e infalível de estudos. Há pessoas que irão preferir cursos presenciais, outros vídeos em EAD, outros acabarão estudando por apostilas, livros e alguns irão querer um pouco de tudo. Eu acabei testando todos os métodos, até ver o que era melhor pra mim. Depois, busquei organizar de acordo com a minha disponibilidade – trabalhar em banco facilitava um pouco, uma vez que a jornada semanal é de 36 horas.

Eu comecei estudando para a Receita Federal (12-15 matérias) e no final fiz um monte de concursos para Contador. Talvez pareça sem sentido, mas não vejo dessa forma. Meu foco era Analista da RFB, e, como no concurso de 2013-2014, acabaram convocando os excedentes do concurso de 2012, abriram o concurso apenas para Auditor. Dessa forma, todo meu projeto com o Bruno perigava a ruir. No entanto, vi que muitas matérias, como Português, Raciocínio Lógico, Contabilidade e Auditoria, caíam no concurso da RFB.

No final, deixei de lado a ideia exclusiva da RFB e foquei em concursos com matérias próximas.

Como eu tinha uma disponibilidade boa de horários, cheguei a estudar 45 horas por semana. Mas tempo não significa, necessariamente, horas bem estudadas. Acho que o mais importante é ver o quanto a pessoa consegue aproveitar e absorver as matérias enquanto estuda, independentemente de horas por dia. Isso também não significa poder “farrear” e ir estudar meia hora por dia achando que é o suficiente, seria apenas iludir a si mesmo!

Ponto dos Concursos – Como era sua rotina com o coach?

Renieri Mezzomo – No começo conversamos sobre a preferência do material a estudar, a posse desse material e a minha disponibilidade de horários para os estudos. Quase que diariamente é feito um feedback quanto às dificuldades encontradas, dos progressos obtidos, etc. Com o tempo fomos fazendo modificações, uma vez que eu tinha adquirido o curso para Analista da RFB, mas sem previsão do concurso para o cargo, acabamos mesclando um pouco do conteúdo da RFB com concursos para o cargo de Contador.

Logo começaram a vir os resultados, vieram as primeiras aprovações em alguns concursos da área de Contabilidade. Hoje estou preferindo ver como vai ser meu começo no GHC antes de pensar na RFB. Claro que trabalhar na Receita é o sonho de muitos, mas estou realmente ansioso em trabalhar na área da minha graduação. Se eu não atender às expectativas da empresa, ou vice-versa, parto para os concursos de novo. É como andar de bicicleta, a gente nunca desaprende!

Ponto dos Concursos – Se fosse para resumir a ajuda do coaching em sua preparação, como resumiria?

Renieri Mezzomo – O trabalho da parte motivacional foi fundamental. É muito complicado ter ânimo para estudar sem um edital ou sem a perspectiva do concurso. No entanto,  fiz dessa dificuldade a oportunidade de fazer outros concursos e agora estou colhendo os frutos.

Ponto dos Concursos – Quais foram seus maiores erros no período de preparação e o que você fazia para superá-los?

Renieri Mezzomo – Com absoluta certeza, meu maior erro foi “esquecer” das pessoas próximas em algumas ocasiões. Acho que estudar para concursos exige do candidato a abdicação de várias coisas, principalmente dos seus hobbies. Mas deixei muitas vezes a família e amigos de lado e me arrependo disso. Hoje vejo que não é um jantar fora na semana ou um futebol com quem você conhece há mais de 20 anos que serão os culpados por uma eventual reprovação.

Agora consigo perceber que dá para conciliar o trabalho, os estudos e as pessoas de que você gosta. A vida é muito curta para não aproveitar esses momentos.

O momento da aprovação e principalmente da convocação é algo extremamente agradável e vai chegar. É só acreditar no seu potencial e continuar estudando que esse momento virá. O que eu disse é algo meio clichê, mas é o que acaba sendo de fato na vida de todo concurseiro sério.

Ponto dos Concursos – Gostaria de deixar alguma dica para quem está se preparando e desanimado com os resultados obtidos?

Renieri Mezzomo – Na verdade, tenho duas!

1)   Não faça concursos olhando o número de vagas. O GHC tinha 1 vaga no edital para Contador e, em menos de 5 meses, o 5o lugar (eu) foi convocado. É lógico que existem concursos que em 4 anos chamam 1 aprovado (como no TRF de 2009, para técnico em contabilidade) ou sendo “CR” a Administração Pública acaba não convocando ninguém, mas não pensem nas vagas na hora de fazer sua escolha. O salário é bom e o trabalho é interessante? Vá atrás e faça. Depois seja aprovado e, por fim, acompanhe as convocações. Um passo depois do outro.

2)   Não crie o preconceito do regime celetista. CLT é ruim? Conheço lugares que, com especialização na área, o inicial está em quase 8 mil, o Plano de saúde é TOP incluindo plano odontológico, o vale-alimentação beira os R$ 700,00 (valor isento do IR) e, por fim, ainda ganha o FGTS (8% sobre os quase 8 mil citados acima). Claro que minha base de comparação não é um CAGE ou SEFAZ.

Na verdade, a minha participação aqui é voltada para um enorme número de concurseiros que estão buscando concursos com remuneração de R$6, 7, 8 mil nas centenas de concursos que são abertos nacionalmente todos os anos. O GHC é regime celetista e não me arrependo. Se o medo do candidato em relação à CLT for a estabilidade, bom, eu trabalhei quase 9 anos na CAIXA e nunca vi alguém ser demitido porque o chefe acordou de mau humor e decidiu demitir o primeiro que viu pela frente. Nas empresas privadas pode haver muito disso, mas nas Empresas Públicas, sem Fundações de regime Privado, a coisa não funciona assim. Basta ver empresas com alto número de empregados – Correios, Banco do Brasil, Petrobras, etc. Se essa era uma preocupação que tinha, acabo de informar que é um problema a menos!

Por fim, gostaria de agradecer às pessoas que estiveram comigo nessa “rotina de concurseiro” e ao Professor Bruno Fracalossi, pois todos auxiliaram, direta ou indiretamente nas minhas aprovações, seja trocando ideias, dicas de materiais, seja até mesmo na parte motivacional. É por isso que enfatizo a necessidade de dividir os estudos e um tempinho com aquelas pessoas que consideramos queridas. 

Eles “me aguentaram” até nos momentos que eu dava vontade de surtar, então sou muito grato a todos pela paciência e amizade nesses últimos tempos!

Gostaria também de, novamente, agradecer ao Ponto dos Concursos pela oportunidade de dividir minha pequena experiência. Sei que é rotineiro apresentar aqui aprovações em concursos como TCU, MPU, PF, PRF, etc. Mas, espero, com a minha contribuição, inspirar muitas pessoas que almejam outros concursos. Lugar bom para se trabalhar, e bem remunerado não são 3 ou 4. Acho que a consciência dessa informação é o mais importante para todo concurseiro!

Coach Bruno Fracalossi – Aluno Renieri Mezzomo

Ponto dos Concursos – Bruno, como foi auxiliar o Renieri nessa aprovação?

Bruno Fracalossi – Foi um enorme prazer ajudar uma pessoa tão comprometida e dedicada como o Renieri.

Se eu fosse proprietário de alguma empresa e tivesse que contratar uma pessoa de confiança e comprometida, para ser o meu braço direito, com certeza o Renieri seria o escolhido. Conheço poucas pessoas com tamanha dedicação, disciplina, comprometimento e lealdade como ele.

Ele também é extremamente organizado, o que facilitou demais o nosso trabalho.

O cumprimento das metas deu-se de uma forma metódica e constante, por isso o sucesso conquistado.

O aluno que se matricula no meu Coaching tem que saber que ele deverá agir com plena lealdade e dedicação ao que planejarmos em conjunto. Agindo assim, a aprovação no tempo certo é quase uma certeza!

Após a entrevista inicial, montei uma metodologia e um planejamento específico para a situação dele, os quais foram sendo ajustados assim que os concursos correlacionados com o nosso foco foram saindo. Tudo em conformidade com as novidades dos editais, ressaltando que sempre mantivemos a revisão da nossa base teórica principal, que eram as matérias de Direito Constitucional, Administrativo e Tributário, além de Português, Matemática Financeira, Raciocínio Lógico, Estatística e Contabilidade.

Focamos nos itens pós-edital com maior ênfase, sempre trabalhando os aspectos físicos, emocionais e motivacionais de forma concomitante.

Ponto dos Concursos – Houve algum auxílio ou indicação na escolha dos concursos que ele faria?

Bruno Fracalossi – O foco dele era e continua sendo os concursos da Receita Federal, tanto para o cargo de Analista, como para o de Auditor. E ele vai conseguir a aprovação nos dois, tenho plena certeza.

Como os concursos demoraram um pouco a sair, e ainda não saíram, resolvemos estipular outros concursos com matérias parecidas para que ele se adaptasse ao ambiente de provas, além de aprender a lidar com a semana e o dia da prova, o nervosismo, a ansiedade, etc.

Deu muito certo, mas ele ainda não atingiu a meta principal. Essa será atingida em 2015, com fé em Deus!

Ponto dos Concursos – Professor, quais os pontos positivos na preparação do Renieri?

Bruno Fracalossi – A disciplina, o comprometimento, a autoestima e a confiança de que ele conseguiria atingir os objetivos. Outra qualidade dele é a humildade de saber ouvir minhas críticas e sugestões, uma pessoa que queria o seu bem e que tinha mais experiência do que ele. Isso foi um diferencial para ele conseguir se ajustar e percorrer o caminho das várias aprovações.

Ponto dos Concursos – E os pontos que mais precisaram ser trabalhados?

Bruno Fracalossi – O Renieri tem muitas qualidades, mas a ansiedade e a oscilação quanto ao motivacional pesaram um pouco. Do mesmo modo, às vezes ele apresentava excesso de prolixidade, e tivemos que trabalhar muito isso no seu planejamento e execução. Ao final do coaching, ele era outra pessoa.

Ponto dos Concursos – Gostaria de deixar alguma observação sobre a preparação do Renieri?

Bruno Fracalossi – Grande amigo, foi um prazer poder fazer parte de uma jornada tão vitoriosa como essa!

Você merece tudo de bom que a vida lhe proporcionou, proporciona e proporcionará, em razão de tanta força de vontade e dedicação!

A disciplina e a autoconfiança fazem parte da sua vida, e isso sempre será um diferencial para o seu sucesso!

Conte sempre comigo!

Um abraço.

Equipe Ponto dos Concursos.