Prof. Bruno Fracalossi

07/06/2013 | 10:35
Compartilhar

Saiu o edital para 150 vagas de EPPGG/MPOG

Olá Pessoal, tudo bem?

Saiu o tão esperado edital de EPPGG:

http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=07/06/2013&jornal=3&pagina=127&totalArquivos=272

Isso é um prêmio para os que vinham estudando há tempos. Agora, resta ter calma, para se organizar da melhor forma possível.

Foram muitas mudanças, mas é assim mesmo. O último concurso é de 2009, então é muito lógico que ocorressem mudanças. Algumas eu já havia previsto, como a retirada de Adm. Geral.

Mas a mudança que eu achei mais absurda foi a valorização dos títulos de experiência profissional. Eles valem 200 pontos, ou seja, a mesma pontuação das provas objetivas. Não sei se isso poderia ser questionado até por algum meio legal.

Outra mudança brusca, mas que já pode ser considerada uma tendência da Esaf, é a pontuação das provas discursivas: 260 pontos, sendo que o estudo de caso, sozinho, vale 180 pontos, ou 90% de toda a prova objetiva (absurdo).

Fica difícil até de estabelecermos parâmetros, já que eu nunca tinha visto uma prova de concurso de carreiras típicas de Estado dessa forma.

O que já podemos verificar é que a matéria de Gestão Governamental (Adm Publica+AFO+Gestão de Pessoas) recebeu uma importância considerável: 80 + 180 = 260 pontos!

O certame possui a seguinte pontuação em suas três fases iniciais: prova objetiva de 200 pontos, provas discursivas de 260 pontos e prova de títulos de 200 pontos = 660 pontos. Ou seja, somente a matéria de Gestão Governamental equivale a quase 40% da prova.

É lógico? Eu não acho, mas não adianta discutirmos. Resta a vocês seguirem as regras do jogo e se prepararem da melhor forma possível.

Irei alterar o meu curso de Ciência Política em conformidade com o novo edital, mas já posso adiantar que o conteúdo é quase o mesmo do edital de 2009.

Informo também que o meu Coaching Intensivo para esse concurso encontra-se aberto. Em virtude das várias mudanças, acredito que o nosso Coaching será um diferencial muito importante nessa nova estratégia a ser estabelecida.

http://www.pontodosconcursos.com.br/cursos/produtos_descricao.asp?desc=n&lang=pt_BR&codigo_produto=5490

O lado bom das mudanças é que quem quiser começar a estudar agora, terá chances sim de ser aprovado.

Em breve, eu postarei uma análise completa do edital.

Um abraço!

Prof. Bruno Fracalossi

brunofracalossi@pontodosconcursos.com.br

www.facebook.com/bruno.fracalossipaes


Comentários

  • 08/06/2013 - Vanessa
    Professor, quais as chances de competição de alguém com uma pós graduação e 3 anos de experiência profissional (sem ser gerencial)? O problema desse concurso está mesmo na proporção dos pontos atribuídos à experiência profissional. 150 só pra isso é muita coisa. Estou em dúvida se continuo a estudar pra esse ou se mudo o foco, BACEN por exemplo. Dúvida cruel.
  • 07/06/2013 - Camila
    Professor, por favor, comente sobre a matéria "Realidade Brasileira". Já caiu em alguma outra prova? Algum professor do Ponto terá tempo de elaborar curso para essa disciplina? Você sugere algum livro que tenha boa parte do conteúdo?
    Obrigada!
  • 07/06/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Olá Camila, tudo bem?

    Essa matéria caiu no último edital de Consultor do Senado. O ideal é adquirir mesmo um material do Ponto, que deverá ser publicado em breve.

    Um abraço.
  • 07/06/2013 - Luciana
    Mesmo sem título vale a pena fazer o concurso?
  • 07/06/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Olá Luciana, tudo bem?

    Com certeza vale. A minoria dos candidatos possuem títulos. É só consultar a lista de aprovados do último concurso de EPPGG.

    Um abraço.

    Prof. Bruno Fracalossi
  • 07/06/2013 - RODRIGO MOURA
    Professor,
    francamente, com a prova de títulos valendo 200/660, no meu caso, fica praticamente impossível competir. Você acha que esse enorme peso das discursivas foi uma particularidade do concurso de EPPGG? Ou isso será uma tendência para os concursos da ESAF, como APO, CGU e etc?
  • 07/06/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Olá Rodrigo,

    O títulos não costumam ser definidores da aprovação. Poucas pessoas que estudam para concursos possuem títulos de mestrado e doutorado.

    Acho que essa cobrança das discursivas com um peso mais alto é sim uma nova tendência da banca, até mesmo para os demais concursos.

    Um abraço.

    Prof. Bruno Fracalossi
  • 07/06/2013 - Rafael
    Prezado Bruno, tu achas absurda 200 pontos para títulos? Pois eu não acho... Aliás, fica muito claro que o Estado está procurando pessoas com experiência e especializadas, coisa que mais falta no Servço Público atualmente...

    EU imagino que os concurseiros devem estar de cabelo em pé mesmo!
  • 07/06/2013 - Flavia Ribeiro Caval
    ahhh!!!
    Já passou da hora de parar com essa coisa de que só passa em concurso quem tem $ para pagar os olhos da cara para meia dúzia que ensina um decoreba que ão tem serventia nenhuma dentro da administração publica
    Está mais que na hora de selecionar gente competente de verdade, e parece que estão fazendo isso!
    Meus parabéns ao edital.
  • 07/06/2013 - Tania Mara
    Olá, Bruno. Fui aluno da sua turma 2. Gostaria de saber qual o coaching mais indicado agora com o edital publicado.
    Valeu !
  • 07/06/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Olá Tania, tudo bem minha amiga!

    Se possível, se matricule no Coaching Intensivo para o EPPGG.

    Um abraço.

    Prof. Bruno Fracalossi
  • 07/06/2013 - Clara
    Pois bem,
    no âmbito das carreiras do ciclo de gestão, a de técnico de planejamento e pesquisa do ipea diferencia bastante, a partir da prova oral e da prova de títulos, os seus primeiros colocados dos demais. Não me recordo das pontuaões do concurso anterior, mas os primeiros colocados são, em sua maioria, mestres e doutores. Talvez esse edital expresse a mesma tentativa. Se foi bem feita, já não tenho condições de afirmar.
  • 07/06/2013 - Paulo Cesar Junqueir
    Boa tarde Bruno,

    Esse negocio de títulos complica ne? Mas me fala uma coisa, quando devem ser apresentados esses titulo, antes da inscrição ou depois?
  • 07/06/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Olá Paulo,

    Somente depois das provas discursivas.

    Um abraço.

    Prof. Bruno Fracalossi
  • 07/06/2013 - Alex S
    Prezado Bruno, estou interessado no concurso e nos cursos. No entanto, o item de até 200 pontos para títulos e experiência profissional é no mínimo desproporcional (vale a mesma pontuação que a prova objetiva). Nos outros anos, a pontuação para títulos e experiência ficava em 15 pontos. Essa diferença poderia ser minimizada tendo bons resultados nas provas objetivas e discursivas, mas 200 pontos (mesmo que fosse 100 pontos) fica algo fora da realidade. Acredito que se o edital não for ajustado, poderá haver manifestação do Judiciário. O que você pensa sobre isso? Um abraço.
  • 07/06/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Olá Alex,

    Acho completamente injusta a pontuação dos títulos.

    Um abraço.

    Prof. Bruno Fracalossi
  • 07/06/2013 - Ivania Gomes
    Olá prof. Bruno, vi que mesmo não tendo títulos posso me arriscar, mas vendo o edital, percebi que o conteúdo de informática é muito diferente do que habitualmente é cobrado. Perguntei a alguns professores se têm o material e sempre negativas. O Ponto oferecerá esse conteúdo também? E demorará muitos dias até que remodelem e disponibilizem todos os cursos?
  • 07/06/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Ola Ivania, tudo bem?

    O ponto disponibilizará cursos para todas as matérias.

    Um abraço.
  • 07/06/2013 - Junior
    Simplesmente RIDÍCULO esse edital!!! 200 pontos de títulos é uma piada!!! É de indignar totalmente!! Isso foi feito para privilegiar quem já exerce cargo de gerente em alguma empresa ou quem é doutor,porque na verdade essas pessoas JAMAIS conseguiriam ser aprovadas sem contar com esse "privilégio" dos 200 pontos de títulos.E tem mais, isso é uma afronta à moralidade dos concursos públicos e ao princípio da impessoalidade! Já estou conversando com advogados a respeito e vou procurar todos os meios legais plausíveis e LEGAIS para suspender esse concurso!!
  • 07/06/2013 - Junior
    E outra coisa, todo mundo já sabe que competência tem a ver com CONHECIMENTO e não com títulos! Tem títulos quem tem papai e mamãe para ficar bancando filhinho, que não precisa trabalhar,fazendo mestrado e doutorado ganhando mixaria. E todo mundo já sabe também que esse povo que tem muitos títulos jamais consegue ser aprovado em concurso público sem contar com essa "ajuda" dos pontos de títulos,porque simplesmente eles costumam apresentar um desempenho ridículo nas provas!Ou seja, conhecimento ZERO e pontuação única e exclusivamente pelos títulos! Sem mais.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: