Prof. Luciano Oliveira

02/03/2013 | 10:16
Compartilhar

Concurso público não é tudo!

Caros concurseiros, passo hoje para deixar uma importante dica (de vida): não idealize o concurso público como a razão única de sua felicidade. Não torne o concurso o valor absoluto de sua vida. Aprovação em concurso público não é passaporte para a felicidade.

Conquistar um bom cargo público, alcançar uma vitória, obter maior remuneração, melhor qualidade de vida, tudo isso é importante para a realização pessoal e profissional, e a aprovação no concurso certamente contribuirá para isso. Mas é preciso sempre ter um "plano B", caso as coisas não saiam como planejado. A aprovação em concurso público não pode ser (e não é!) a condição exclusiva para a felicidade do indivíduo. Isso só gera pressão, ansiedade, peso no candidato, e o resultado acaba sendo o inverso do desejado: a reprovação. Tudo porque, às naturais preocupações de um rigoroso processo seletivo, acaba se somando outra, muito mais profunda: ser ou não ser feliz.

Portanto, se você não passou em um concurso desta vez, não há problema, a vida continua, a felicidade não reside apenas nisso. Foi apenas mais uma maneira de se autoexpressar, de se autorrealizar. Mais uma maneira, não a única. Existem outras searas na vida, outros projetos e atividades que a pessoa pode desenvolver e ser feliz. O concurso é apenas um meio, não um fim em si mesmo. Ocupar um bom cargo público não é sinônimo de felicidade, você é muito maior do que isso, ou não haveria juízes, procuradores, consultores, auditores, analistas e outros agentes públicos infelizes. E há.

Além disso, ninguém é melhor que ninguém porque passou em concurso público. Existem pessoas altamente capazes, esclarecidas, instruídas, cultas, sábias que simplesmente não passam em concurso, pessoas muitas vezes dotadas de grande força interior, paz e felicidade, independente de viverem boas ou más experiências, as quais são encaradas com serenidade e sabedoria. Outras pessoas, por sua vez, nada possuem além de uma notável capacidade de memorização de dados, o que as faz passarem na prova, embora não tenham comprometimento, responsabilidade, respeito ou consideração com o próximo, com a instituição ou com o país. Nem maturidade ou sabedoria para serem felizes com a conquista alcançada.

Lembre-se: não converta em absoluto algo que é apenas relativo em sua vida: passar em concurso público. Aprovação não é sinônimo de realização. Sua vida é muito mais ampla que isso. Seus parentes, seus amigos, sua saúde, seus projetos estão esperando por você. Não os abandone.

Não estou falando em desistir do projeto concurso. Absolutamente não! Continue firme na jornada, estude, aprenda, desenvolva-se. Mas faça isso de maneira tranquila, com paz no coração, sabendo que sua paz interior e sua felicidade, na verdade, independem da obtenção dessa nova vitória.

Assim, se você não passou em um concurso desta vez, não há problema nenhum: você ainda tem a família, as amizades, Deus, o esporte, o trabalho etc. E mais: no mundo dos concursos, sempre há espaço para uma segunda chance: o próximo concurso, para o mesmo ou semelhante cargo. Portanto, a reprovação é apenas uma etapa em sua vida, não a sua vida inteira. Da mesma maneira, a aprovação também é apenas uma etapa, não a razão única de sua felicidade.

Continue estudando! Passe no concurso! E se não passar seja feliz assim mesmo!

Bons estudos!
Luciano Oliveira


Comentários

  • 18/02/2014 - Gustavo Franca
    De fato, este foi o texto mais importante que já li quando o assunto é Concurso Público! Às vezes focamos um determinado concurso e passamos a viajar o Brasil inteiro em busca da aprovação, tendo situações, inclusive, de deixarmos o conforto de nossos amigos, familiares, lazer, enfim, para mudarmos toda uma rotina, longe de casa, longe de tudo e de todos. É preciso se fazer uma ponderação dos valores envolvidos. Parabéns pelo texto:)
  • 06/07/2013 - Marcos Coimbra
    Esse artigo merecia um mega outdoor. Em alguns lugares, às vezes em Brasília isso é mais forte, você sente haver uma hierarquia subentendida pela estabilidade ou não. Plena baboseira: avaliar a realização alheia pelos parâmetros que escolhi pra mim ou que valorizo. Parabéns pelo artigo!
  • 13/03/2013 - Narleide Santana Mot
    Eu achei o artigo maravilhoso, não desmerecendo quem aposta sua vida em concurso, mas o professor tem razão e está de parabéns pela mensagem verdadeir ae realista.
    Não ser aprovado em concurso ou ser não quer dizer que seja mais ou menos inteligente, pode ser também uma questão de sorte.
  • 09/03/2013 - Isaias
    Texto de dotado de grande percepção da realidade. Excelnte. Parabéns!
  • 08/03/2013 - Ramon
    Parabéns pelo texto. Excelente
  • 08/03/2013 - Gabrielle Gomes de A
    Digo Amém p esse artigo! Creio que tudo tem a sua hora certa para acontecer e que o mais importante não é somente conquistarmos o fim almejado que é a aprovação, mas sim a maneira com a qual trilhamos esse caminho, colocando na balança todos os nossos valores! Quando colocamos a direção de nossas vidas nas mãos de Deus ele nos conduzirá ao caminho da vitória.
  • 08/03/2013 - carlos
    Após alguns anos de serviço público e de ver que aquela mudança vislumbrada na época dos estudos não chega nunca para algumas pessoas...apesar do contra-cheque...percebi o quão relativo é essa situação na nossa vida. Continuemos, mas com parcimônia.
  • 08/03/2013 - Leticia
    Olá professor!Parabéns e obrigada pela bela mensagem!
  • 07/03/2013 - Bruno Ferreira
    Melhor artigo "sobre concurso" que já li até hoje! Parabéns Professor! Apesar de concursado e professor de cursos para concursos, vc soube expressar de forma simples o sentido da vida! Enquanto estamos estudandp, achamos que após a aprovação, todos os nossos problemas serão resolvidos. É claro que a aprovação ajuda bastante, mas não é tudo. A minha vida vai muito além de uma aprovação! É como vc disse: se fosse assim não existiriam juízes, fiscais etc deprimidos. Aliás, conheço alguns da minha família tomando antidepressivo e ansiolítico ganhando 20.000 por mês...rs. Ou seja, resumindo: a vida vai mt além disso! Obrigado!
  • 07/03/2013 - Germano
    Sabias considerações, Mestre!
  • 07/03/2013 - Rogerio
    Parabêns mestre. Fique com Deus.
  • 07/03/2013 - Antonio
    Uma abordagem brilhante. Parabéns, poucos têm colocado essa realidade em pauta. Parabéns pelo artigo.
  • 06/03/2013 - Rachel
    Perfeito! É exatamente como penso. Eu tive a benção de ser aprovada em 4 concursos dos 5 que prestei (em 2 fiquei dentro das vagas e em 2 fiquei como excedente). O único que fui reprovada foi justamente o que achei que seria a chave da felicidade. Na época eu já era servidora, mas estava infeliz. Eu realmente acreditava que passar num concurso de nível superior (e ganhar um salário maior) seria a solução pros meus problemas. Me dediquei muito, estava preparada, mas fiz a prova com um peso tão grande que não fiz nem os mínimos necessários. Depois disso e da grande decepção, voltei a estudar com mais calma. Buscando equilibrar estudos, trabalho, família e lazer. Menos de 2 meses depois, fui aprovada dentro das vagas num concurso super concorrido! Não tenho dúvidas que calma, equilíbrio e fé são fundamentais para uma aprovação. Um concurso exige dos candidatos muito além do que prevê o edital!
  • 06/03/2013 - Ana Lucia
    Parabéns professor, obrigada por compartilhar e nos fazer refletir sobre a maneira que alguns têm (eu inclusive) de enfrentar os estudos para um concurso: esquecendo-se que há VIDA ao nosso redor!!!
    Sei que é livre a manifestação do pensamento, porém alguns deveriam se abster de expressá-los.
    Abraços.
  • 05/03/2013 - guilherme
    Excelente artigo professor. Parabéns.
  • 05/03/2013 - Roberta
    Professor
    Quantos planos adiamos em função da aprovação.... Quando passar vou fazer isso! Quando passar vou fazer aquilo! E se a aprovação demora ou até não acontece? Vamos continuar adiando nossas vidas e de quem está ao nosso redor? Obrigado! Você me deu uma luz... Eu sempre pensei assim, mas é mais forte quando ouvimos de alguém. Só me fez reforçar meu pensamento de que devemos usar nossas experiência para nos motivar ainda mais a fim de alcançar nossos objetivos!
  • 05/03/2013 - Diogo Haynes
    Seria tudo muito válido se o nobre e preocupado professor não fosse um ocupante de um dos mais bem pagos cargos públicos com exigência de concurso para investidura. Nesse caso, certamente também não seria um professor da bondosa empresa ponto dos concursos e, assim, não escreveria este primoroso artigo aqui.
    Muitos vivem se alimentando do que dizem ser apenas relativo em nossa vida. E assim, passando a pensar em outras chances, tornamo-nos mentecaptos que seguem a boiada.
    O fim principal do magistério é o ensino. O dinheiro, este sim, é algo apenas relativo na vida de todos, sem exceções.
    "Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim."
    Senhores, o rei está nu!

    Sei que o comentário não será aprovado; porém fiz minha parte.
    Lembro ao autor do artigo (de quem já fui aluno) que no Brasil vigora a livre manifestação do pensamento.
  • 04/03/2013 - Roberto Santos Sousa
    Professor Luciano, o seu artigo é tão maravilhoso que estou sem palavras.
    Começo parabenizando-o pela coragem. Por que coragem? Por que como membro de uma instituição de prioriza a aprovação em concursos, e ela não está errada, você pensou nas pessoas como seres humanos. Não teve medo de dizer que concurso público não é tudo, e não é mesmo. Nossos parentes, nossos amigos, nossa vida, Deus o dono da vida estão acima disso.
    Que a partir deste texto, nós, concurseiros, sejamos mais sensatos e que possamos comtemplar a beleza da vida ao nosso redor.
    A felicidade está dentro de nós - Ela atende pelo nome de Jesus Cristo.
  • 04/03/2013 - David Fonseca
    Gostei muito da parte que diz que por muitas vezes passa quem tem mais capacidade de memorização do que pessoas com respeito pelo país e pelo próximo. Isso me assusta! Obrigado pelas palavras, bem oportunas!
  • 04/03/2013 - Jefferson santos sil
    TUDO QUE PRECISAVA LER. VALEU PROF.
  • 04/03/2013 - sergio
    Interessante! Achei q so serviu p estimular os concurseiros a fazerem outras coisas.ESpero nao absorver nada do que foi dito pois me encontro em mais da metade do caminho e nao da pra parar agora...
  • 03/03/2013 - Andreia Bajo
    Sempre pensei assim, mas nunca consegui convercer ninguém com meu argumento. É muito ruim a situação do concursando e quando faz aluns concursos e não passa é muita frustração. É muito bom ler a sua opinião e saber que não estou sozinha e que devo me animar mais e mais para não piorar a situação!
    Obrigada pela força!
  • 03/03/2013 - Nadege Souza
    Prof. Luciano, você me fez chorar ao ler sua mensagem. É exatamente assim que me sinto. Pressionada pelo desemprego, pela idade, e por colocar o concurso público como única chance em minha vida. Talvez, daqui pra frente, eu possa ter um olhar mais tranquilo em relação a isso. Muito obrigada.
  • 03/03/2013 - Messias Brito de Jes
    Reflexão fundamental! Parabéns! Às vezes no meio da preparação nos pegamos fazendo coisas terríveis como ficar indiferentes ao sofrimento de pessoas à nossa volta, ou até mesmo não oferecer a devida atenção às pessoas q nos amam e q dizemos amar. É preciso q haja vida para além dos concursos, e na verdade é claro que há, basta observar!
  • 03/03/2013 - Camila
    Muito boa reflexão!!
  • 02/03/2013 - Thinha
    Uau!

    Acho que essas palavras vieram direto do céu para o seu coração para que, depois de materializada em texto, alcançasse algumas pessoas que parecem terem ficado com um buraco no coração após a reprovação - como eu fiquei.

    Obrigada Professor, vc me abençoou imensamente. Que Deus o retribua em dobro esse gesto tão humano e generoso.

    Abraço forte!
  • 02/03/2013 - Fabio
    Maravilhosas palavras! Era tudo o que eu precisava ouvir, agora, depois de anos de estudo e mais uma reprovação.... Deus usou de você para falar com várias pessoas que assim como eu está a beira da depressão, achando que tudo está perdido.....
    Só tenho a agradecer.Muito obrigado!
  • 02/03/2013 - Leiva
    Obrigada pelas sábias palavras...
  • 02/03/2013 - Rafael
    Sabedoria em parágrafos...parabéns pelo artigo professor.
  • 02/03/2013 - Kellen
    Essa valeu prá mim. Já fui reprovada algumas vezes! Um abraço.
  • 02/03/2013 - Amanda Vieira
    Interessante.
  • 02/03/2013 - Joaquina
    Que Deus te abençoe, pois suas palavras foram de Deus para minha vida. Frustração na reprovação e a expectativa de que a felicidade só será plenamente alcançada com a aprovação do concurso tem feito da minha vida uma bomba relógio (estresse, apatia, insonia, etc), algo que até iniciar a preparação com afinco não existia. Texto maravilhoso. Farei uma revisão das minhas atitudes. Deus te abençoe.
  • 02/03/2013 - Herick
    Pura verdade, professor. Nós precisamos entender isso. OBRIGADO! Fique com Deus .
  • 02/03/2013 - KLEBER
    Caro Luciano, magnífica, inspirada e oportuna essa sua colocação. E vindo de uma pessoa que se encontra dentro do "Mundo dos Concursos", efetivamente, atinge o propósito de conforto vislumbrado por você. Obrigado.
  • 02/03/2013 - CARLOS
    Parabéns grande professor pelo texto muito coerente e oportuno, haja vista que a busca pelo o sonhado cargo público deve ser ser bastante administrado para não afogar o que realmente importa na vida. VIVER....pois o tempo não VOLTA.
  • 02/03/2013 - CAIO BRITO
    É VERDADE PROFESSOR E ESPELHO PARA MUITOS CONCURSEIROS, MUITOS QUERIAM OUVIR ESTAS PALAVRAS PARA REFLETIR....
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: