Prof. Moraes Junior

27/02/2013 | 19:45
Compartilhar

ICMS/SP - Questão de Contabilidade Avançada - Parte II

Prezado(a) concurseiro(a),

Vamos continuar a resolução da questão do artigo anterior...

Para montar a demonstração do fluxo de caixa pelo método indireto, vamos, inicialmente, analisar conta por conta informada na questão, do balanço patrimonial e da demonstração do resultado do exercício (DRE).

I.1 - Disponível (Ativo Circulante): Se refere justamente ao resultado que queremos chegar.

I.2 - Duplicatas a Receber (Ativo Circulante): Houve uma redução do saldo da conta de R$ 140.000,00 (31/12/2010) para R$ 120.000,00 (31/12/2011). Essa redução de R$ 20.000,00 (120.000 - 140.000 = (20.000)) em conta do ativo circulante gerará um aumento no lucro ajustado da DFC pelo método indireto para calcularmos o fluxo de caixa líquido das atividades operacionais.

I.3 - Investimento (Ativo Não Circulante): Houve um aumento do saldo da conta de R$ 150.000,00 (31/12/2010) para R$ 156.000,00 (31/12/2011). Esse aumento de R$ 6.000,00 (156.000 - 150.000 = 6.000), representa um ganho de equivalência patrimonial, que pode ser observado na DRE como "Resultado de Equivalência Patrimonial". O lançamento para registro desse ganho seria:

Débito: Investimento (Ativo Não Circulante) 6.000

Crédito: Resultado de Equivalência Patrimonial (Receita) 6.000

Repare que o lançamento não causa variação no disponível da empresa. Portanto, para apurar o lucro ajustado a partir do lucro líquido do período, o valor referente ao resultado de equivalência patrimonial deve ser subtraído, tendo em vista que na DRE foi somado, aumentando o lucro.

Há que se ressaltar que a questão não foi explícita quanto ao método de avaliação do investimento permanente (equivalência patrimonial ou custo de aquisição), mas isso teria que ser deduzido justamente porque a variação do saldo da conta "Investimento" é igual ao valor do "Resultado de Equivalência Patrimonial" na DRE.

I.4 - Imobilizado (Ativo Não Circulante): Repare que o imobilizado representa o somatório de duas contas (Edifícios e Depreciação Acumulada de Edifícios). Vamos analisá-las:

I.4.1 - Edifícios (Ativo Não Circulante Imobilizado): Não houve alteração de saldo de 2010 para 2011.

I.4.2 - Depreciação Acumulada - Edifícios (Ativo Não Circulante Imobilizado - Retificadora): Houve um aumento do saldo da conta de R$ 0,00 (31/12/2010) para R$ 10.000,00 (31/12/2011). Esse aumento de R$ 10.000,00 (10.000 - 0 = 10.000), representa depreciação do período que pode ser observada na DRE como "Despesas de Depreciação". O lançamento para registro dessa despesa seria:

Débito: Despesas de Depreciação (Despesa) 10.000

Crédito: Depreciação Acumulada (ANC - Imobilizado - Retificadora) 10.000

Repare que o lançamento não causa variação no disponível da empresa. Portanto, para apurar o lucro ajustado a partir do lucro líquido do período, o valor referente às despesas de depreciação deve ser somado, tendo em vista que na DRE foi subtraído, reduzindo o lucro.

I.5 - Fornecedores (Passivo Circulante): Houve uma redução do saldo da conta de R$ 160.000,00 (31/12/2010) para R$ 119.000,00 (31/12/2011). Essa redução de R$ 41.000,00 (119.000 - 160.000 = (41.000)) em conta do passivo circulante gerará uma redução no lucro ajustado da DFC pelo método indireto para calcularmos o fluxo de caixa líquido das atividades operacionais.

I.6 - IR/CSLL a Pagar (Passivo Circulante): Houve um aumento do saldo da conta de R$ 0,00 (31/12/2010) para R$ 93.000,00 (31/12/2011). Esse aumento de R$ 93.000,00 (93.000 - 0 = 93.000) em conta do passivo circulante gerará um aumento no lucro ajustado da DFC pelo método indireto para calcularmos o fluxo de caixa líquido das atividades operacionais.

I.7 - Empréstimos (Passivo Não Circulante): Houve um aumento do saldo da conta de R$ 210.000,00 (31/12/2010) para R$ 225.000,00 (31/12/2011). Esse aumento de R$ 15.000,00 (225.000 - 210.000 = 15.000), representa despesa financeira do período que pode ser observada na DRE como "Despesa Financeira". O lançamento para registro dessa despesa seria:

Débito: Despesa Financeira (Despesa)            15.000
Crédito: Empréstimos (Passivo Não Circulante)    15.000

Além disso, a questão informa que as despesas financeiras não foram pagas no período. Portanto, não houve variação do disponível. Portanto, para apurar o lucro ajustado a partir do lucro líquido do período, o valor referente às despesas financeiras deve ser somado, tendo em vista que na DRE foi subtraído, reduzindo o lucro.


Abraço e até a semana que vem com a continuação da resolução...


Moraes Junior
moraesjunior@pontodosconcursos.com.br






 


Comentários

Ainda não há comentários

Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: