Prof. Mayko Gomes

30/01/2013 | 14:30
Compartilhar

Café com cola e outras "técnicas" para aumentar o rendimento dos estudos

Olá, concurseiro(a)! Tudo bem com você? Firme na luta?

   Hoje meu texto não será sobre os cursos de Arquivologia ou sobre algum concurso específico. Vou dedicar essas linhas aos métodos de estudos.

   Resolvi escrever sobre isso por que alguns amigos e alunos têm me falado e perguntado sobre o melhor jeito de estudar, ou a melhor técnica: "comendo" livros por 3 ou 4 horas diárias, estudando por meio de apostilas e exercícios comentados, pensando que cursos virtuais são melhores que presenciais (e vice-versa), entre outros. Mas antes de continuar, quero ressaltar que não sou nenhuma autoridade em psicologia, nutrição, educação física ou pedagogia. Tudo o que vou recomendar aqui está baseado em orientações desses profissionais e podem ser facilmente consultados, inclusive pela internet, livros e/ou mídias especializadas nessas áreas, além de algumas experiências pessoais.

   Quantidade de horas estudadas

   A primeira coisa que vem a mente do concursando é a quantidade de horas que se deve estudar. Mesmo que você hoje seja um concurseiro experiente, já deve ter pensado nisso alguma vez. Lembro-me de quando passei em meu primeiro concurso e um amigo (parecendo um repórter entrevistando um ganhador da mega sena) me colocou um monte de perguntas sobre meus estudos. Lembro ainda que a primeira delas foi: "qual é o seu segredo?". Quando disse que não tinha, ele continuou: "quais livros você leu?", "em que cursinho estudou?", "o que comeu antes da prova?".

   Em todo caso, não há respostas. Não existem segredos. Se você já passou em algum concurso, sabe que foi uma coisa que simplesmente aconteceu. Lógico, fruto de muito esforço, sacrifícios e dedicação. Mas simplesmente não há como mensurar quantas horas estudou aquele que passou e deduzir simplesmente que aqueles que não passaram estudaram menos horas. Também não podemos garantir que se alguém seguir exatamente os mesmos passos de um candidato aprovado necessariamente será aprovado também. E isso por que as pessoas não são iguais: algumas têm hábitos noturnos, aprendem melhor escutando do que lendo, retêm mais conhecimento na prática do que na teoria... Enfim, uma diversidade de aspectos que fazem das pessoas muito diferentes umas das outras. Por exemplo, eu posso aguentar estudar 6, 7,8 horas por dia, mas isso não significa que outras pessoas tenham a mesma disposição, ou o mesmo tempo.

   Muitos especialistas afirmam que você deve estudar enquanto se sentir bem. E com "se sentir bem" entenda enquanto seu corpo aguentar, enquanto você conseguir reter e processar as informações sem sentir nenhum estresse. Algumas pessoas aguentam por mais tempo, outras não. Mas o que vai contar no final não é a quantidade de tempo que você dedicou aos estudos, mas o quanto este tempo rendeu. Se você conseguir aprender em 1 hora o que normalmente se aprende em 3 ou 4, seu tempo já foi muito bem aproveitado, mesmo sendo "pouco".

   Materiais e métodos de estudos

   Outro fator que conta para o seu rendimento é o material ou método que se utiliza. Entre os principais temos a apostila, os cursos (presenciais e virtuais), os livros, os mapas mentais e os "coachings". Qual o melhor? Não existe! Existe aquele que vai melhor se adequar à sua forma de aprendizado. Não podemos dizer que o curso presencial é melhor do que o virtual, ou que o livro é melhor do que a apostila. Todos esses materiais e métodos possuem vantagens e desvantagens em relação aos demais. O que se deve fazer é uma análise dessas vantagens e desvantagens para saber qual o mais indicado para cada caso. Mas se vocês têm alguma dificuldade, podemos começar por algumas informações básicas:

   1 - Os livros possuem como vantagem a profundidade com que abordam o tema. Mas isso pode tornar-se uma desvantagem na medida em que estudará assuntos "desnecessários" para sua prova.

   2 - As apostilas são direcionadas ao concurso de que tratam, mas isso se torna uma desvantagem pelo modo superficial como trata dos assuntos.

   3 - Os cursos presenciais são vantajosos pelo nível de interação entre aluno e professor, mas podem ser incômodos por exigirem muita carga horária, inclusive os dias de descanso (finais de semana e feriados), além da distância e do horário estabelecido.

   4 - Os cursos virtuais são vantajosos por oferecerem o conforto e comodidade do lar. Mas em contrapartida, existe a baixa interação com o professor e a possibilidade de problemas de ordem técnica.

   E por aí vai. Este é apenas um exemplo de como começar a sua análise do melhor método ou material: comece a pesar os prós e contras (faça uma tabela, esquema, gráfico, etc.). PESSOALMENTE eu não recomendo aos meus alunos que utilizem apostilas. Mesmo que ela tenha a vantagem que citei acima (e outras mais), não acredito que elas superem as desvantagens. Acredito que elas devem ser tratadas como complemento de estudos, quando se está estudando por livro ou por cursinho. Mas o que vale é o que eu mencionei antes: escolha o que melhor se adequar à sua forma de aprendizado! Se você consegue aprender somente por meio de apostila, deve então fazer isso!!!

   Bebidas/Alimentos "especiais"

   Há alguns anos, em minha época de faculdade, surgiu como "milagre" o café com cola. Muitos estudantes aderiram à receita, especialmente nos finais de semestre quando ocorriam as avaliações finais. Confesso que, por curiosidade, provei um pouco desta mistura. Mas no mesmo instante eu desisti somente pelo gosto amargo que deixou.

   Não é raro utilizar substâncias e alimentos que "aumentam a energia e disposição para os estudos". Além do café com cola ainda temos o pó de guaraná, as bebidas energéticas, o açaí e outros mais. O curioso é que nunca tive uma resposta conclusiva sobre esses produtos: alguns usuários dizem que funcionam, outros dizem que não sentem mudanças. Mas os usuários que afirmam sentir os efeitos desses produtos têm apenas um "adiamento" do cansaço. Ou seja, deixam de descansar quando normalmente o fazem, estudam com mais vigor e atenção nesse período, mas o cansaço que vem depois é muito pior.

   Como disse antes, não sou nenhum perito em Nutrição e não posso afirmar se esses produtos realmente funcionam ou se podem ocasionar efeitos perigosos. Mas seguindo a lógica, não existe nada que tire o sono ou o cansaço. Todo sistema que funciona com energia precisa de recarga, e o corpo humano não é diferente. Por mais que esses produtos e alimentos "espantem" o sono, ele voltará, e com mais intensidade. Se você utilizar um desses produtos para tirar o sono e estudar na madrugada, estará ainda pior durante o dia, quando, além de estudar para seu concurso, deve muito provavelmente ter outras atividades. Então recomendo que não desrespeite os limites de seu corpo e que faça o seu "pouco" tempo render o máximo que puder. Tudo bem abrir mão de 1 ou 2 horas de sono, mas apenas se isso não prejudicar suas atividades futuras.

   Mas para não dizer que todos esses produtos são "do mal", em minha experiência pessoal ganhei resultados com a utilização dos chamados polivitamínicos e poliminerais. Estes não possuem contraindicações médicas (salvo alergias aos seus componentes e estado de gravidez). Quem os utiliza, sabe que não são energéticos como os demais, mas simplesmente doses precisas de todos os nutrientes que o corpo deve absorver para funcionar bem. Então é muito recomendado para combater a falta de atenção, velhice precoce e outros sintomas causados pela falta de substâncias essenciais no corpo. Ainda, alguns possuem ginseng, que comprovadamente é bom para o cérebro.

    Estado físico e mental

   Uma coisa que todos estamos cansados de saber, que todos recomendam: é importante a prática de exercícios físicos! Mas, apesar de saber disso, dificilmente alguém pratica alguma atividade assim. Seja pela falta de tempo ou de disposição, muitos deixam a desejar nesse quesito. Acreditam que não é tão importante, que a data da prova já está muito próxima, que o tempo que se "perde" fazendo exercícios poderia ser utilizado para estudar aquele conteúdo dificílimo de Informática, etc. Mas você, que já está careca de saber que exercícios são importantes, talvez ignore o resultado que ele pode trazer a seus estudos.

   Sabemos que o cérebro é um grande processador, que todos os órgãos funcionam em sistemas, e que o desempenho de um afeta o de outro. Significa que se você estiver com a mente pronta para aprender, mas com uma indisposição física, não vai render muito em seus estudos. Os exercícios físicos aumentam a disposição do corpo e da mente, que todos precisam e a maioria utiliza de outros métodos para ter (utilizando os produtos energéticos, por exemplo). Os exercícios aumentam o seu rendimento, não ultrapassando os limites do seu corpo, mas ampliando-os. Não estou falando de se matricular em uma academia e frequentar todos os dias, mas de alguma atividade, mesmo que seja o futebol no fim da tarde ou a corrida pela manhã, que faça queimar algumas calorias e suar a camisa. E o bom dos exercícios físicos é que podem ser feitos em qualquer lugar!

   E também devemos cuidar do psicológico/emocional. Certa vez um primo me disse que ia terminar seu namoro, mas ia esperar por que em algumas semanas sua namorada ia fazer uma prova importante, e não a queria distraída, magoada e desanimada. Fora a boa intenção dele, isso não ajuda muito. Um concurseiro, apesar de não parecer, não é um ser sem vida e interação com outras pessoas. Não vive apenas para estudar. Vão acontecer fatos em sua vida que afetarão sua mente, mesmo que seja pouco. Vão existir problemas que vão requerer sua atenção, vai haver pessoas que estarão ligadas a você.

   Se ocorrer algo que o afete emocionalmente, então sinta essa emoção. Não adianta se arrastar forçando uma concentração nos estudos se você não consegue. No caso do meu primo, era muito melhor terminar a relação, deixar que a namorada sentisse toda a tristeza para se recuperar e voltar aos estudos, do que manter uma relação infeliz para os dois. Por mais frágil que sejam as pessoas, elas têm a capacidade de se recuperar. Então se sua namorada ou seu namorado te deixou, se seu cachorro faleceu, se sua tartaruga fugiu (rsrsrrs), não ignore o fato e mergulhe nos livros: sinta toda a emoção que tem, e quando ela passar, dê a volta por cima e recomece os estudos!

   O mesmo vale para os pequenos prazeres da vida. É muito disseminado que concurseiro não tem vida, que deve somente estudar. Permita-me discordar. Mais uma vez entra o cuidado com a mente e o corpo. Uma pessoa que abre mão completamente de tudo o que lhe agrada, não vai ficar motivada por muito tempo. Claro, devemos dedicar o máximo de tempo possível aos estudos, mas um descanso, como já dito, é fundamental para o corpo e para a mente.

    Se você gosta de sair para festas, beber, cinema, teatro, etc., não deve abrir mão de fazer isso, apenas deve fazer com menos frequência, ou explorar outras opções. Por exemplo, se gosta muito de filmes, pode trocar o cinema pela locadora; ou se gosta de boates, pode aparecer nelas por um tempo menor, sem exagerar na bebida. O concurseiro pode (e deve) curtir a vida sim, até para lembrá-lo por que está se matando de estudar! Apenas respeite o limite de seu corpo e se dedique a alcançar seus objetivos e metas.

   Concluindo...

   Não existe uma fórmula mágica ou um atalho para a aprovação em concursos. Cada um deve buscar a sua própria maneira de se preparar; decidir o que fazer, como fazer e quando fazer. Mas mesmo assim podem ser observadas algumas direções:

   Otimize seu tempo! Se você dispõe de apenas 1 ou 2 horas para estudar, então faça esse tempo valer a pena. Dedique-se integralmente, nesse tempo, aos seus estudos. Não se intimide pelo concorrente que estuda o dia inteiro, pois o conteúdo da prova dele é o mesmo que o seu, e o que conta é que se aprenda, não importa como.

   Escolha bem o seu método de estudo! Observe de que maneira você aprende melhor: se é lendo, conversando sobre o assunto, resolvendo exercícios, etc. Depois disso, analise quais os métodos mais se adéquam ao seu jeito de estudar, compare todos os prós e contras de todos eles. E, se possível, escolha mais de um, afinal, os métodos não são exclusivos. Lembre-se da recomendação sobre a apostila: use-a como complemento. Se escolher um método e utilizar os demais, os resultados serão extraordinários.

   Cuide de você! Afinal, você precisa estar bem para fazer uma boa prova. Procure não utilizar produtos energéticos exageradamente, pois eles o fazem ultrapassar os limites do seu corpo. Prefira os polivitamínicos, poliminerais ou alimentos energéticos naturais, como frutas e legumes. Tenha uma alimentação adequada para não precisar de suplementos. Cuide de sua saúde, física e mental. Não se force a estudar quando não pode, pois não vai conseguir. Respeite o seu tempo. E não abra mão completamente dos seus pequenos prazeres, apenas os realize com menos frequência ou menos intensidade.

   Falando um pouco de mim, sou do tipo caseiro. Então meus hobbies são calmos: jogar videogame, assistir a filmes e seriados, sair para teatros ou barzinhos, etc. Dificilmente saio para festas e baladas, o que já ajuda muito. Para seguir todas as recomendações que escrevi, vou à academia 3 vezes na semana (como disse, apesar de importante, fazer exercícios e difícil pela falta de tempo ou disposição, então a academia me serve de motivação), e muitas vezes deixo de ir ao cinema para assistir a filmes em casa mesmo, ou na casa de amigos. E na minha agenda diária, apesar de todas as atividades, sempre reservo um tempo para o meu descanso e atenção a outras pessoas.

   Então faça isso: criem uma agenda diária de todas as atividades que devem fazer; reserve um tempo para os estudos, para algumas atividades físicas e para um descanso (recomendo ainda que façam intervalos de alguns minutos para os dias em que estudarão várias horas: um intervalo de 15 minutos para cada hora de estudo). Estabeleça metas e planeje seus esforços, mas reserve espaço também para os imprevistos.

   E, claro, sempre conte com o apoio da equipe do Ponto para ajudá-los!!

   Espero que essas palavras tenham sido de alguma ajuda a você! Forte abraço e bons estudos!

                                                                                                 Prof. Mayko Gomes


Comentários

  • 31/01/2013 - Pedro
    Gostei do texto, mas estou em dúvida: por se tratar de apostila, o seu curso serve apenas como complemento?
  • 13/02/2013 - Prof Mayko Gomes
    Oi, Pedro! O Ponto não trabalha com apostilas. O que temos aqui são cursos, com programação de conteúdo e de aulas. A diferença é que nossos cursos são virtuais, em texto ou vídeo. Forte abraço.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: