Prof. Fernando Graeff

20/06/2013 | 20:42
Compartilhar

Comentários questões auditoria APOFP

Olá, Pessoal.

Entendemos que, no geral, a FCC pegou pesado na prova de técnicas de auditoria. A banca misturou as novas normas com as antigas, foi extremamente detalhista em algumas questões, em contrapartida não cobrou assuntos importantes que normalmente caem em provas de auditoria, talvez para não se comprometer devido às recentes mudanças.

Apesar disso, não vislumbramos muitas possibilidades de recursos. Acreditamos que somente as questões 70 e 76 (Prova Tipo 3) têm a possibilidade de serem anuladas.

Vamos tecer breves comentários sobre as questões a seguir...

66. NÃO pode ser entendida e contabilizada como provisão para contingência a provisão para

(A) 13o salário e férias.
(B) danos ambientais.
(C) autuações fiscais.
(D) indenizações trabalhistas.
(E) garantias de produtos.

Gabarito preliminar: A

Contingência é algo que não é certo, que não é determinado, mas que se acontecer pode ter grande relevância quanto a real situação ou mesmo quanto à continuidade normal das atividades da empresa.

Das opções listadas acima, apenas o item A (13o salário e férias), pois são eventos previsíveis dentro da operação da entidade.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

67. As auditorias internas e externas atuam em diferentes graus de profundidade e de extensão nas tarefas de auditoria. Embora exista uma conexão nos trabalhos de ambas, é função da auditoria externa

(A) prevenir erros e fraudes, sugerindo aos administradores da empresa os ajustes necessários.
(B) acompanhar o cumprimento de normas técnicas e a política de administração da empresa, na consecução dos seus objetivos.
(C) avaliar e testar os sistemas de controles internos e contábil, em busca da razoável fidedignidade das demonstrações financeiras.
(D) desenvolver continuamente o trabalho de auditoria na empresa, concluindo as tarefas com a elaboração de relatórios.
(E) seguir as normas e procedimentos de auditoria na execução dos trabalhos, com grau de independência limitado.

Gabarito preliminar: C

Analisando rapidamente os itens A, B, D e E, é possível identificar o que os torna errados.

No item A, não é função do auditor externo prevenir erros e fraudes.

No item B, acompanhar o cumprimento de normas técnicas e a política de administração da empresa (=controle interno) é função da auditoria interna.

No item D, o trabalho do auditor externo é esporádico e não contínuo.

No item E, afirma que o grau de independência do auditor externo é limitado está errado.

Logo, o único item correto é o item C que afirma que compete ao auditor independente avaliar e testar os sistemas de controles internos e contábil, em busca da razoável fidedignidade das demonstrações financeiras.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

68. NÃO é objetivo de um programa de auditoria:

(A) estimar o tempo necessário para realização da auditoria.
(B) traçar o roteiro de execução de um ponto de auditoria.
(C) conduzir o auditor na aplicação dos procedimentos técnicos de auditoria.
(D) propiciar o controle e progresso a ser alcançado no decorrer da execução das tarefas de auditoria.
(E) evitar que alguma tarefa de auditoria deixe de ser executada.

Gabarito preliminar: A

O programa ou plano de auditoria consiste no detalhamento do planejamento do auditor.

Os itens B, C, D e E envolvem elementos desse tipo de plano detalhado.

O item A (estimar o tempo necessário para realização da auditoria) faz parte da estratégia global do planejamento.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

69. Os testes de observância ou de aderência são aplicados pelas auditorias principalmente nas investigações

(A) das trilhas de auditoria.
(B) de fraudes e erros.
(C) de contas e saldos.
(D) dos controles internos utilizados pelos gestores.
(E) dos valores representativos dos informes.

Gabarito preliminar: D

Essa questão é bem direta e quer saber o foco dos testes de observância ou aderência (hoje chamados de testes de controle).

Esses testes visam avaliar a adequação dos sistemas de controle interno.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

70. Em auditoria, são considerados permanentes somente os seguintes papéis de trabalho:

(A) planilhas de cálculo, tabelas estatísticas e gráficos.
(B) guias de auditoria, questionários e diagramação de rotinas.
(C) gráficos, questionários e diagramação de rotinas.
(D) gráficos, tabelas estatísticas e guias de auditoria.
(E) planilhas de cálculo, tabelas estatísticas e guias de auditoria.

Gabarito preliminar: B

Entendemos que essa questão não possui gabarito válido. Vejamos:

De acordo com Willian Attie (Auditoria, 2009), os papéis de trabalho podem ser divididos em:

1) permanentes – que contêm informações utilizáveis em bases permanentes (ao longo de várias auditorias); e

2) em curso (correntes) – que contêm as informações utilizáveis somente para o trabalho em curso.

Assim, a característica básica de um papel de trabalho permanente é a possibilidade de utilizá-lo em vários trabalhos ao longo do tempo. Um exemplo seriam tabelas estatísticas (normas, t-student etc.) ou o contrato social da empresa.

O item dado como correto afirma que questionários são documentos permanentes, o que não é verdade, ou pelo menos, é impreciso.

Questionários são documentos aplicados para levantar afirmações a respeito de rotinas, procedimentos, valores, enfim, trata-se de uma forma estruturada de capturar informações de terceiros internos e externos à entidade.

Portanto, afirmar que os questionários aplicados em determinado trabalho podem ser utilizados em outras oportunidades não está necessariamente correto.

Por exemplo, questionários aplicados em funcionários para identificar se cumpriram determinada tarefa.

Ora, no período seguinte, a situação será outra – haverá novos funcionários, novos procedimentos e o fato de estes desenvolverem ou não a referida tarefa pode ter mudado. De forma que o questionário ora aplicado não é mais válido.

Portanto, entendemos que a questão deve ser anulada.

71. As normas brasileiras que estabelecem os preceitos de conduta para o exercício profissional, especificamente para aqueles que atuam como auditores independentes, são estruturadas como

(A) NBC TP.
(B) NBC TI.
(C) NBC PI.
(D) NBC TA.
(E) NBC PA.

Gabarito preliminar: E

Essa foi uma questão bastante “estúpida”! Pedimos perdão pelo termo... mas é difícil não se revoltar com esse tipo de questão que não avalia em nada o candidato.

Pois bem, as normas profissionais do auditor independente são denominadas NBC PA.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

72. A sazonalidade, a concorrência, as condições econômicas do país e outros riscos dos produtos ou serviços são fatores que podem contribuir, nas auditorias, para o risco

(A) financeiro.
(B) do sistema de controle da empresa.
(C) de integridade da gerência.
(D) de imagem.
(E) operacional.

Gabarito preliminar: E

Risco operacional é um tipo de risco inerente, relacionado à operação da entidade.

De tal forma que riscos associados a sazonalidades, concorrência, condições econômicas etc. estão associados a este conceito.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

73. A governança corporativa aplicada ao setor público tem em comum, tanto no Código do IBGC quanto em publicações do IFAC, os princípios básicos da

(A) Prestação de contas e da Transparência.
(B) Responsabilidade corporativa e da Prestação de contas.
(C) Transparência e da Equidade.
(D) Equidade e da Integridade.
(E) Integridade e da Responsabilidade corporativa.

Gabarito preliminar: A

Os princípios básicos segundo o código do IBGC são: a transparência, a equidade, a prestação de contas e a responsabilidade corporativa. Já o IFAC afirma que os três princípios fundamentais da governança no setor público são: a transparência, a integridade e a prestação de contas.

Portanto, os dois institutos, IBGC e IFAC, citam em comum como princípios norteadores da governança corporativa a transparência e a prestação de contas.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

74. Para propiciar representatividade da população contábil aplicada nos testes de auditoria, o auditor pode estipular intervalos uniformes entre os itens a serem selecionados como um método de seleção de amostras denominado

(A) amostragem ao acaso.
(B) números aleatórios.
(C) amostragem de atributos.
(D) amostragem sistêmica.
(E) amostragem por bloco.

Gabarito preliminar: D

O método de seleção sistemática (=sistêmica ou por intervalo) é aquele onde é observando um intervalo constante entre as transações realizadas.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

75. Quando se fala em auditoria de sistemas contábeis computadorizados, a principal abordagem dos trabalhos se refere à auditoria

(A) dos resultados computacionais.
(B) de sistemas em operação.
(C) de sistemas em desenvolvimento.
(D) da área de processamento de dados.
(E) dos processos computacionais.

Gabarito preliminar: B

Outra questão que cobra pouco conhecimentos de auditoria, está mais para raciocínio lógico. Em um ambiente com sistemas de informação computadorizados, o auditor deve conhecer a qualidade do sistema de informação da entidade auditada, tal sondagem visa verificar: a qualidade dos equipamentos utilizados; dos programas de computador; da segurança da informação; do treinamento das pessoas que utilizam esses sistemas; das redes etc.

Em outras palavras, é lógico que o auditor concentra-se nos sistemas que estão em operação na entidade.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

76. Em uma auditoria em que não foi possível obter comprovação suficiente para fundamentar uma opinião, devido às limitações no escopo dos exames realizados, o auditor

(A) não deve emitir qualquer parecer.
(B) deve emitir um parecer adverso.
(C) deve emitir um parecer com negativa de opinião.
(D) deve emitir um parecer com ressalvas.
(E) deve emitir um parecer sem ressalvas.

Gabarito preliminar: C

Inicialmente, cabe ressaltar que as novas normas de auditoria, em vigor a partir de 1º/1/10, não utilizam mais o termo “parecer”. A emissão da opinião do auditor independente é feita por intermédio do relatório de auditoria.

Segundo a NBC TA 705, na impossibilidade de obtenção de evidências de auditoria apropriada e suficiente o auditor deve:

• emitir uma opinião com ressalva, caso o efeito seja relevante mas não generalizado; ou

• abster-se de opinar, caso o efeito seja relevante e generalizado.

O enunciado não especificou se o efeito da limitação é generalizado em relação às demonstrações contábeis como um todo, assim a questão tem duas respostas corretas dependendo da interpretação dada.

Mesmo a NBC T 11, ora revogada, dispunha que:

“11.3.3.3 – A limitação na extensão do trabalho deve conduzir à opinião com ressalva ou à abstenção de opinião”.

“11.3.4.1 – O parecer com ressalva é emitido quando o auditor conclui que o efeito de qualquer discordância ou restrição na extensão de um trabalho não é de tal magnitude que requeira parecer adverso ou abstenção de opinião”.

O enunciado da questão não deixa claro que a limitação do escopo foi de tal magnitude que compromete as demonstrações contábeis como um todo ao ponto de impedir a emissão de um parecer com ressalvas.

Da mesma forma, baseado nas normas revogadas, a questão tem duas respostas corretas, dependendo de sua interpretação.

Portanto, entendemos que a questão deve ser anulada.

77. Um procedimento de controle interno dos mais eficazes para a prevenção da ocorrência de fraudes nas empresas é a

(A) habilitação dos executivos.
(B) identificação das áreas de risco.
(C) definição de cargos e funções.
(D) segregação de funções.
(E) elaboração de normas e procedimentos.

Gabarito preliminar: D

As operações da empresa precisam ser estruturadas de forma que indivíduos não realizem funções incompatíveis, ou seja, deve ser estabelecido que uma mesma pessoa (ou setor) não pode exercer atividades que gerem conflito de interesses.

Do ponto de vista do controle, diz-se que funções são incompatíveis quando é possível que alguém desenvolva atividades que lhe permitam cometer um erro ou fraude e, ao mesmo tempo, esteja em posição para esconder esse desvio.

Assim, para minimizar a possibilidade de erros ou fraudes as funções devem ser segregadas.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

78. Na auditoria das contas de resultados, NÃO se aplica a diagramação da trilha de auditoria para as operações de

(A) ajustes dos ativos.
(B) acumulação por centro de custo.
(C) apropriação dos custos diretos.
(D) transferências de despesas.
(E) rateios por produto.

Gabarito preliminar: A

Essa questão foi pura maldade da FCC, ela trata de um detalhe muito específico do planejamento de auditoria de sistemas.

O sistema contábil de uma entidade deve fornecer uma trilha de auditoria (= trilha de transação) completa, para cada transação. Uma trilha de auditoria é uma cadeia de evidências composta por códigos, referência cruzadas e documentação que conectam saldos de contas e outros resultados aos dados originais de transações.

A diagramação da trilha de auditoria nada mais é do que mapear, mostrar essas relações, para possibilitar a aferição do cálculo do saldo das contas.

Mas, de qualquer forma, mesmo não sabendo o que é uma trilha de auditoria, podemos concluir que a única assertiva que não se relaciona com o cálculo do saldo de conta referente à auditoria das contas de resultado é o ajuste de ativos (art. 183, VIII, da Lei nº 6.404/76, incluído pela Lei nº 11.638/07), pois a conta “Ajuste a Valor Presente” é apresentada no Ativo, como retificadora, sua contrapartida é uma conta de despesa (lançamento direto).

As demais: acumulação por centro de custos, apropriação dos custos diretos, rateios (dos custos indiretos) por produtos envolvem o cálculo do Custo do Produto Vendido, e a transferência de despesas envolve o cálculo dos gastos não relacionados diretamente com os setores produtivos.

Portanto, entendemos que o gabarito está correto.

79. As auditorias sobre as operações de recebimentos, pagamentos, compras, emissão e aceites de duplicatas envolvem pontos de controle sobre os registros contábeis nas contas

(A) financeiras.
(B) patrimoniais.
(C) de resultado.
(D) de transferência.
(E) de encerramento.

Gabarito preliminar: B

O termo “ponto de controle” é utilizado na auditoria de sistemas e se refere à situação do ambiente computacional considerada pelo auditor como sendo de interesse para validação e avaliação dos registros.

Independentemente disso, o candidato para acertar a questão precisaria saber que tradicionalmente os testes concentram-se mais nas contas patrimoniais do que nas de resultado, essa abordagem é lógica porque cada conta da demonstração de resultado relaciona-se intrinsecamente com uma ou mais contas patrimoniais.

O enunciado cita operações de recebimento, pagamentos, compras, emissão e aceite de duplicatas, essas operações envolvem necessariamente contas do ativo circulante (caixa, bancos, clientes e estoques) e do passivo circulante (fornecedores), portanto, por uma questão de eficácia os pontos de controle devem ser estabelecidos nas contas de natureza patrimonial.

Desta forma, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

80. A integridade do registro do patrimônio e das suas mutações, determinando que este seja feito de imediato e com a extensão correta, independentemente das causas que as originaram, está relacionada ao Princípio Fundamental de Contabilidade da

(A) Competência.
(B) Entidade.
(C) Oportunidade.
(D) Continuidade.
(E) Prudência.

Gabarito preliminar: C

Segundo a resolução CFC nº 750/93, o Princípio da Oportunidade refere-se, simultaneamente, à tempestividade e à integridade do registro do patrimônio e das suas mutações. Esse registro deve ser feito de imediato e com a extensão correta, independentemente das causas que as originaram.

Portanto, entendemos que o gabarito preliminar está correto.

Esperamos que esses comentários sejam úteis nessa fase decisiva do concurso.

Boa sorte!
Grande abraço,

Davi e Fernando


Comentários

  • 20/06/2013 - Glauber
    Pq a Questão 67 o Professor Fernando afirma ser a Letra "D" e o Professor David Barreto afirma se a Letra "C"???
  • 20/06/2013 - Prof Fernando Graeff
    Olá Glauber. O correto é a letra C mesmo, foi um erro de digitação. Muito obrigado pela observação. Abs.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: