Prof. Albert Iglésia

03/06/2016 | 18:55
Compartilhar

Comentário da Prova de Língua Portuguesa de AFCE do TCE-SC

Olá, pessoal!

Adianto que não vislumbrei possibilidade de êxito em algum recurso.

Item 1 (O sentido original do texto...): Errado. No trecho original, é a civilização que que ainda não pode prescindir do Estado (note a regência verbal). A inversão dos termos no texto original dificultou um pouco esse entendimento. Na reescritura, a civilização é que passou a ser imprescindível para o Estado.

Item 2 (De acordo com o autor do texto...): Errado. A interação mencionada no texto está baseada no dever de cuidado e, consequentemente, no de cooperação. Este dispensa “dispensa [abre mão de, não exige] formas especiais, como previsões normativas específicas, convênios e acordos”. O examinador usou a palavra “dispensa” no enunciado da questão com outro sentido: dar, conferir, conceder.

Item 3 (O termo “responsividade” foi...): Errado. A partir da linha 42, o próprio texto tratou de esclarecer o significado do termo. Porém a banca associou ao termo “responsividade” o significado de responsabilidade.

Item 4 (A tese defendida pelo autor do texto...): Errado. Parte da tese do texto tem a ver com a busca da otimização do funcionamento do Estado, “de modo a torná-lo menos oneroso, mais eficiente e eficaz”. Não tem a ver com a distribuição em favor dos mais pobres dos impostos pagos pela sociedade.

Item 5 (Infere-se do texto que os tribunais de contas...): Certo. A resposta pode ser fundamentada a partir da leitura do segundo e do terceiro parágrafo do texto.

Item 6 (Depreende-se do texto que o não cumprimento...): Certo. De acordo com o texto, “todo agente público tem o dever de, no cumprimento fiel de suas atribuições, perseguir o interesse público manifesto na Constituição Federal e nas leis”. Isso diz respeito ao dever de cuidado.

Item 7: (A coerência do texto seria preservada...) Errado. O vocábulo “concertada” (com “c”) qualifica a forma de atuação das estruturas governamentais de controle, que se dá de maneira harmônica, combinada. O vocábulo “consertada” (com “s”) é que teria a ver com a ideia de reparo.

Item 8 (No terceiro período do texto...): Certo. Realmente, o termo retomado (por coesão anafórica) é o substantivo “Estado”.

Item 9 (No trecho “de modo a torná-lo menos oneroso...): Certo. Parece-nos que não há dificuldade em compreender exatamente o que o examinador explicou a respeito da passagem sob análise.

Item 10 (Sem prejuízo para a correção gramatical...): Errado. É preciso empregar uma vírgula após a expressão “do qual”, pois ele encerra um segmento de natureza adverbial antecipado. A vírgula após “dever” está mal-empregada. Ela deve surgir depois da preposição “de”, a fim de ajudar a isolar corretamente uma oração adverbial (reduzida de gerúndio) intercalada. Em consequência, a vírgula após “fielmente” precisa ser eliminada.

Item 11 (A coerência e a coesão do texto...): Certo. O trecho, além de observar as normas gramaticais em relação à sua estruturação, preserva a linha argumentativa do que veio sendo desenvolvido até o momento sobre “integridade”.

Item 12 (Nesse texto, de natureza informativo-argumentativa...): Certo. O terceiro parágrafo do texto pode ser caracterizado como um trecho informativo. Mas fica muito claro, logo no primeiro parágrafo – em que consta a tese defendida –, que as demais partes dele apresentam características argumentativas.

Item 13 (A coesão e a correção gramatical do trecho...): Errado. Conforme a ideia transmitida pelo texto, o pronome relativo “que” retoma o antecedente “atitudes”. É com esse substantivo que o verbo violar, no plural, deve concordar. O emprego do verbo no singular afeta a coesão textual entre o pronome relativo e o termo que ele substitui e, ainda, as normas de concordância verbal.

Item 14 (O trecho “e também”...): Errado. A conjunção aditiva “e” não poderia surgir entre vírgulas, pois ela introduz a oração seguinte. Caso isso ocorresse, a oração seria fragmentada erradamente. Apenas “também” poderia surgir entre duas vírgulas.

Item 15 (O sujeito da oração iniciada...): Errado. O sujeito está expresso, posposto ao verbo e representado pela oração subordinada substantiva subjetiva “que a integridade pública representa...”.

Item 16 (Dado o emprego do fecho Atenciosamente...): Certo. Sim, pois “Atenciosamente” é o tipo de fecho empregado quando o destinatário ocupa cargo de nível hierárquico igual ou inferior ao do signatário. Se o nível hierárquico fosse maior, o fecho seria “Respeitosamente”.

Item 17 (No último parágrafo da comunicação apresentada...): Errado. A concordância nominal com pronome de tratamento deve ser feita com a ideia de gênero que se tem em mente em relação à pessoa a quem se dirige. Portanto não se trata de uma concordância rígida ou gramatical com o pronome de tratamento em si mesmo.

Item 18 (No documento apresentado...): Certo. O local e a data são escritos por extenso abaixo da indicação do tipo e da numeração do documento, com alinhamento à direita.

Item 19 (Na identificação do signatário...): Certo. O que o examinador disse está plenamente de acordo com o Manual da Presidência da República.

Item 20 (O expediente em análise não está adequado...): Errado. O ofício tem como finalidade o tratamento de assuntos oficiais pelos órgãos da Administração Pública entre si (no caso, o TCE-SC e a Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina) e, também, com particulares. Isso é percebido no modelo apresentado na prova. Em ofício de mero encaminhamento, não é necessário existir parágrafo de desenvolvimento. Mas, se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento (note o caráter facultativo).

Abraços.


Comentários

  • 03/06/2016 - Fabiana
    Boa tarde, professor:
    É possível disponibilizar as questões completas da prova? Não a encontrei na internet.
    Obrigada pela atenção.
  • 03/06/2016 - Prof Albert Iglésia
    Prezada Fabiana,

    Já anexei a prova ao artigo. Basta clicar no "link" para ver e baixar a prova.

    Abraços.
  • 03/06/2016 - Fabiana
    Muito obrigada!
  • 04/06/2016 - Prof Albert Iglésia
    Ok!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: