Prof. Igor Oliveira

21/05/2016 | 11:03
Compartilhar

Não fui bem no INSS, e agora? Stallone, Gisele Bündchen e lasanha à bolonhesa

Uma característica comum a todas as pessoas vencedoras é a imunidade aos tombos pelo caminho. Para você entender melhor o que fazer, caso tenha ido mal na prova do INSS (ou outras provas), vou contar pra você duas histórias.

Sylvester Stallone

Certamente você conhece Sylvester Stallone, ator norte americano, protagonista dos filmes Rocky, um lutador e Rambo. Você o conhece pelo seu sucesso, mas talvez não pela sua jornada.

Durante seu nascimento, um dos nervos de sua face rosto foi atingido pelo fórceps. Tal acidente deu aquele aspecto de “boca torta” e o jeito de falar de Stallone. Após contratempos na escola e um período na Europa, decidiu ser ator.

Por quatro anos (1969 a 1973), fez testes em todas as agências de elenco de Nova York. Quatro anos. Todas. Foi negado por todas. Algumas mais de dez vezes. A justificativa? “Ninguém vai querer ver um filme com alguém com cara de bobo, boca torta”. Enquanto tentava ser ator durante o dia, trabalha como limpador do zoológico, segurança e garçom à noite.

Certo dia, lendo um livro, teve um insight: “e se eu escrevesse roteiros”? Em 1974 concluiu seu primeiro roteiro. No mesmo ano, atuou num filme de segunda categoria. Ganhou um cachê irrelevante, mas o suficiente para mudar para Hollywood e tentar algo nas cidades das estrelas. Continuou tentando ser aceito por diversas agências, mas sem sucesso.

Em 1975, assistindo uma luta de boxe, teve a luz de escrever um roteiro sobre um jovem lutador. Obcecado por aquele sentimento sincero que surgia dentro dele, escreveu a primeira versão em três dias. Com a ajuda de uma agência começou a negociar o roteiro.

Nessa época, sua esposa engravidou e eles não tinham dinheiro nem para comprar comida. No fundo do poço, Stallone saiu à rua e vendeu seu cão de estimação. O ator conta que nesse dia em especial, chorou muito, pois teve que vender seu cão, que tanto amava, por míseros U$140,00.

Durante esse período de tempo, teve várias ofertas para vender seu roteiro, algumas bem grandes, mas recusou todas. Stallone impôs uma condição para vender o roteiro, da qual não abriu mão, nem precisando de grana e passando fome: ele deveria ser o protagonista do filme. As pessoas da agência que o ajudaram e a esposa achavam aquilo um absurdo. Mas, apesar dos argumentos da esposa, que tentou convencê-lo a vender o roteiro para comprar comida, Stallone se manteve firme. No final das contas, fez o papel, como todos sabemos.

Em 1976, Rocky foi indicado a dez Oscar’s. Acabou ganhando três, inclusive melhor filme.

A primeira coisa que fez com o dinheiro que ganhou com Rocky foi comprar seu cachorro de volta. Pagou U$ 15.000,00.

Gisele Bündchen

Gisele nasceu no interior do Rio Grande do Sul, em nova Horizontina. Lugar tranquilo e seguro. Gisele deixou o conforto do seu lar com treze anos de idade, rumo à São Paulo. Aqui foi o primeiro choque. Sua cidade natal tinha cerca de 20.000 habitantes, enquanto São Paulo tinha 20 milhões. Muitas das meninas que chegam a São Paulo para tentar a sorte como modelo, assustam-se e pedem para ir embora.

A vida de modelo iniciante é dura. A seleção dos concursos é muito concorrida. Há concursos com 50 mil inscritos, disputando meia dúzia de vagas. E das selecionadas, 80% desistem. Ora, se você tem o perfil estético para ser modelo, por quê você desistiria? Psicólogos afirmam que são sentimentos de ansiedade, saudade da família, medo de dar errado e a incapacidade de escutar “não” que tira as meninas do jogo. Não tem nada a ver com beleza. São sentimentos de estresse comuns a todos as pessoas que tentam conquistar algo na vida, como você, por exemplo, que tenta melhorar de vida, com seu próprio esforço, estudando para um concurso público.

Nas suas primeiras sessões de fotografia, Gisele foi taxada de nariz grande. O que ela fez? Ignorou. Foi para seu apartamento e estudou fotografia para entender como os fotógrafos trabalhavam com iluminação, posturas, etc, tudo para tirar melhor proveito das sessões. Tornou-se exímia nisso.

Em outras sessões de desfile, Gisele foi rotulada como uma modelo que rebola demais ao desfilar. Na época, as modelos caminhavam como zumbis, bem eretas e sem movimento. Gisele não mudou para atender a moda. Manteve-se firme ao que acreditava. Depois, a moda se adaptou a ela.

Gisele levou um bom tempo para emplacar. Pegou ônibus, foi chamada de nariguda e reboladeira. Mas não desistiu. Em 2000 foi eleita, pela revista Rolling Stone, a garota mais bonita do mundo.

Lasanha à Bolonhesa

Quando olhamos pessoas assim, acreditamos que elas nasceram viradas para a lua e que todo o universo estava ali para servi-las. É o que eu chama de efeito "lasanha à bolonhesa". Quando você olha a lasanha por cima, ela é bonitona. O queijo gratinado e a massa formam uma combinação perfeita. Mas o recheio tem muita carne moída. Ou seja, a vida de pessoas bem sucedidas é linda, é como o queijo da lasanha. Mas para chegarem até as camadas superiores, foi preciso muita ralação (carne moída).

Pessoas bem sucedidas passaram por obstáculos semelhantes aos que nós passamos. Tiveram dúvidas, pensaram em desistir. Foram rejeitadas e sofreram com a impaciência. A diferença é que elas desenvolveram uma espécie de resistência. Ignoraram as derrotas e focaram em se manter remando, fieis ao que acreditavam. E é justamente essa a regra que você deve criar caso tenha tomado um tombo no INSS (ou qualquer outro concurso). Quando você adota essa postura, você cresce, encontra forças para continuar e descobre algo fundamental: o mundo não vai acabar e as coisas vão acontecer se você insistir. A cada vez que você se ergue, você desenvolverá habilidades necessárias para encarar o desafio final. Hoje, é até engraçado, sabendo onde chegaram, imaginar Gisele Bündchen pegando ônibus e sendo chamada de nariguda, assim como Stallone vendendo seu cachorro. É isso que vai acontecer com você quando conquistar seus objetivos: você nem vai acreditar pelo que passou.

Erros, falhas, decepções são partes do processo. Se você não se habituar a esses fracassos, você perderá a oportunidade de colher os frutos mais maduros, reservados apenas aos insistentes.

Abs!

Igor Oliveira.

Coaching para concursos.

Programa Motivacional para Concursos.

===

E-books gratuitos:

Por que ainda não deu certo?

Ninguém quer ser concurseiro em uma tarde de verão.

===

Curta minha Fanpage.

Siga-me no twitter.

Periscope: @comandanteigor.

Igor[arroba]pontodosconcursos.com.br


Comentários

  • 26/05/2016 - Evelise
    Igor,demais!!Muito bom mesmo!!!Como sempre!! Li em voz alta para o Silvio ele adorou!Obrigada!!Receba um abraço nosso e uma lambida do Batulli rsrs...
  • 26/05/2016 - Prof Igor Oliveira
    hehehe...valeu. Obrigado pela amizade. Lembro de quando vc começou a estudar, nossas conversas. Vc engrenando. História de muita luta. Nunca desista. Nunca deixe de acreditar. A vitória é reservada aos mais insistentes. Adsumus!
  • 24/05/2016 - Déborah
    Obrigada por nos presentear com este excelente texto. Estava precisando ouvir essas palavras. A caminhada é árdua e apesar dos tombos, sabemos que é necessário continuar acreditando em nossos sonhos!
  • 24/05/2016 - Prof Igor Oliveira
    Sim. Todo mundo passa por dificuldades. TODO MUNDO. É isso que tem que ficar claro. Você, eu, todos nós temos nossas pedras. Adsumus!
  • 23/05/2016 - Mariana
    Que texto! Excelente para recomeçarmos! Impressionante a sua capacidade de nos sensibilizar, sempre! Um abraço!
  • 23/05/2016 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Mariana! Fico contente que tenha gostado! ;)...conte sempre comigo! Adsumus!
  • 23/05/2016 - LOPES
    Professor gostei muito deste texto e caiu como uma luva para mim, é bom ver que não estamos sozinhos com nossas incertezas mas estamos juntos no nosso empenho. Valeu!!!
  • 23/05/2016 - Prof Igor Oliveira
    Uai, nunca estamos! No final do dia, todo mundo sangra, tem fome, necessidades...todos somos humanos. Abração e obrigado pela participação!
  • 22/05/2016 - Larissa
    Que texto, professor! Muda uma vida! Vou me lembrar sempre dele! Obrigada!
  • 23/05/2016 - Prof Igor Oliveira
    hehe...valeu! Conte sempre comigo! Abração!
  • 21/05/2016 - Aline
    Olá Mestre! Suas palavras são sempre muito reflexivas e motivadoras. Tem o dom da palavra! Seus artigos são pílulas de ânimo e coragem. Gratidão.
  • 22/05/2016 - Prof Igor Oliveira
    Eu é quem agradeço. Nunca desanime. Vc é maior que tudo isso! Adsumus!
  • 21/05/2016 - Silvana Alves
    Querido mestre, que leitura agradável. Fez um bem danado...rs
    Eu estou "plantando" para que "meu amanhã" tenha uma boa "colheita"!
    Obrigada.
    Adsumus!!!
  • 22/05/2016 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Sil. Conte sempre comigo! Tá? rs....obrigado pela participação! Adsumus!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: