Prof. Igor Oliveira

21/04/2016 | 10:10
Compartilhar

A teoria de tudo, parte 5 - Os eleitos

Custer estava cercado. Após tentar um ataque contra uma aldeia indígena, muitos de seus homens o abandonaram, desesperados, restando apenas cerca de duzentos. No contingente oposto estavam dez mil índios. Isso mesmo parceiro: 10 mil contra 200. A proporção era avassaladora: 50 índios para um soldado. Para piorar a cena, os índios eram liderados por dois famosos guerreiros, que uniram as tribos dos Cheyennes e Sioux para combater o governo dos EUA: Touro Sentado e Cavalo Louco. Pelos nomes você já percebe que não é coisa boa.

Apesar da evidente desvantagem, o General Custer não se rendeu. O resultado foi óbvio. Sua tropa foi varrida da face da terra. A Batalha de Little Bighorn aconteceu em 25 de junho de 1876 e marcou a maior derrota do exército americano nas Guerras Indígenas.

Custer não desistiu porque era um eleito. E eleitos tem isso em comum: eles não se rendem. Sob o ponto de vista militar, Custer foi um maluco. Mas eleitos são assim. Por maior que seja a estupidez, eles não arredam o pé. São guiados por seus princípios. Não digo que são os mais perspicazes, mas são os mais teimosos. Leônidas e seus 300 homens são outro exemplo de eleitos. Eleitos fazem o que precisa ser feito e o que geralmente as pessoas não querem fazer. E para você ser um vencedor, ainda mais em matéria de concurso público, você tem que ser um eleito. Mesmo que por um breve período de tempo.

Mas eleitos não nascem eleitos. Alguns sim, mas a maioria aprende a agir como um eleito e acaba se elegendo, vamos dizer assim. É justamente neste ponto que reside toda a confusão. Somo levados a acreditar, desde novos, que nascemos com um estoque fixo de virtudes. Se sou ruim em matemática, por exemplo, sou assim. Nasci assim. E, por mais que eu me esforce, nunca serei igual a beltrano, que nasceu fera em matemática.

Na verdade, o cérebro possui plasticidade. Pode ser moldado através da prática de novas habilidades. É como bordar um pano. Se você não souber, basta praticar. O início será confuso, como todo início. Mas com o tempo, aqueles pontos, que no princípio eram complicados, você os fará sem notar depois de alguns meses de prática.

Você não nasceu sabendo falar ou bordar, muito menos ler. Foi no processo de tentativa e erro que seu cérebro assumiu o formato que possui hoje. Foi na prática diária de várias pequenas tarefas que você foi se tornando quem é hoje, em todos os sentidos.

Se alguém lhe chamou de burro em matemática quando era criança, você aceitou aquilo como verdade e passou a agir dessa forma. E, ao agir como uma pessoa ruim em matemática, você nunca ficou bom em matemática.

Ou seja, foi o comportamento que moldou a crença, não o contrário. E saber disso é totalmente libertador! Isso porque você não precisa acreditar que vai passar ou que é disciplinado. Basta que você aja dessa maneira. Com o passar do tempo, de tanto agir, você passará a ser disciplinado e será um eleito.

Mas no processo de tentativa e erro, existe uma característica fundamental que diferencia os eleitos dos derrotistas. Os eleitos são os mestres em ignorar. Ao passo que os derrotistas focam em todos os pequenos problemas que encontram pelo caminho, os eleitos ignoram. Por exemplo, se um derrotista acerta uma questão, ele vai dizer "ah, queria ter acertado mais dez". O eleito vai dizer "ótimo, sinal que estou melhorando". Assim, o eleito, ao cultivar pequenas vitórias, cria uma estrutura para alcançar vitórias maiores. Se um eleito desliza, aprende com esse deslize, ignora e segue. O derrotista é absorvido mentalmente por semanas a fio após o tombo. O derrotista se alimenta desses fracassos. Ao passo que o eleito os ignora.

Força de vontade, tenacidade são virtudes que podem ser moldadas. Se você pode aprender a bordar, você também consegue aprender a ser mais resistente, teimoso. Para o cérebro é mais uma habilidade.

E disciplina é isso: fazer o que precisa ser feito, independentemente do que você pensa a respeito.

Seja enfrentando uma aldeia indígena ou um livro de contabilidade, a diferença entre aqueles que fazem e os que não fazem é um milésimo de segundo. É aquele momento em que você decide ser quem você gostaria de ser lembrado. E, se a cada desafio do cotidiano, você decidir em seguir em frente, seu cérebro aprenderá a agir assim. Quanto mais você fizer, melhor você fica, até chegar a um ponto em que essa será sua realidade, assim como o General Custer ou o Rei Leônidas.

Até agora aprendemos que:

- temos um narrador interno que fala, independentemente da nossa vontade. Nem sempre ele nos ajuda. Chamamos ele de “o babaca”.

- muitos de nós vive escravos de nossos pensamentos. A maioria nem sabe que pensa. Vive na Matrix de Pensamentos, governada pelo babaca.

- para sair da Matrix devemos praticar a atenção plena ou mindfulness, através da qual nos libertamos da identificação com nossos pensamentos. Saímos da Matrix e passamos a agir segundo nossa vontade, focando na realidade.

- mas não basta meditar ou praticar o mindfulness para passar num concurso público. Se fosse assim você seria um monge, o que não é ruim, mas foge ao nosso propósito. Para fazer, você deve ser um eleito.

- para ser um eleito, você deve agir como um. Não é um dom. É prática. E o comportamento modela nossas crenças. Agimos e nos tornamos. Essa é a ordem. Eleitos ignoram seus problemas. Derrotistas são absorvidos por eles.

Até a próxima!

Abs!

Igor.

Obs.: Muito se especula sobre os métodos do General Custer de atacar aldeias indígenas. Decidi pular essa parte por não fazer parte do escopo do artigo.

Coaching para concursos.

Programa Motivacional para Concursos.

===

E-books gratuitos:

Por que ainda não deu certo?

Ninguém quer ser concurseiro em uma tarde de verão.

===

Curta minha Fanpage.

Siga-me no twitter.

Periscope: @comandanteigor.

Igor[arroba]pontodosconcursos.com.br


Comentários

  • 25/04/2016 - Phelippe
    Mestre Igor! Caramba. Muito bom. A plasticidade do cérebro é incrível; as nossas ações, com muita prática, modelam as nossas atitudes. É ter paciência. Abração.
  • 25/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Com certeza! Conte comigo! Abs!
  • 24/04/2016 - Rafaela
    Incrível, Igor!! Você está sempre nos esclarecendo. Aprendi recentemente a ser mais persistente e resiliente, agora estou aprendendo a ser mais disciplinada.
    E curti muito você ter lembrado dessas grandes figuras históricas que deram a vida por uma causa. Muito bacana! ;)
  • 25/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    hehe...legal. Eu tbm curto ficar lendo sobre isso...rs...abração!
  • 23/04/2016 - Aline
    Caro mestre, muito enriquecedor teus artigos. Sempre nos inspira. Acredito que o derrotista, que absorve os fracassos, é a concretização do nosso babaca interno...rss. Há muito já foi dito "...vigiai os pensamentos". Esta série de artigos vai ao encontra disso e nos mostra o porquê e como é essencial nos atentarmos. Gratidão e saudades, claro. Abraços!
  • 23/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Oi Aline! Disponha sempre! Conte comigo. Fico feliz que tenha gostado! ;)
  • 23/04/2016 - Cristiane
    Muito bom
  • 23/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Valeu! ;)
  • 23/04/2016 - AMELIA VASCONCELLOS
    Como sempre, muito eloquente!!
  • 23/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Amelia. Disponha sempre! Abs!
  • 23/04/2016 - Simone Miranda
    Valeu Comandante! Mas deixe-me ver se entedi corretanente: periscope?! Como assim! Rs Show Absn
  • 24/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    hehehe...pois é. TJ! rs
  • 21/04/2016 - Ícaro Pereira
    Mais um excelente texto, Coach! Se eu quiser ser um faixa preta é melhor agir imitando o comportamento de um. Assim também com os eleitos. Que assim seja! Abraço e obrigado!
  • 21/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Valeu meu camarada! Obrigado pelo comentário! Isso mesmo. Tem que agir. Adsumus!
  • 21/04/2016 - Edimar Oliveira
    Fala Igor!! Ah, eu já aprendi a bordar e pratiquei por algum tempo, é muito bom. Mas é isso, fazer o que precisa ser feito. Abraços!
  • 21/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Sim, foco na missão! Abs!
  • 21/04/2016 - Poletto
    Mestre, foi muito significativo para mim esse texto. Obrigada mais uma vez pelas palavras. Adsumus!!!
  • 21/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Poletto! Conte sempre comigo! Adsumus!
  • 21/04/2016 - Flavia
    Tudo o que você foca se expande!!!
    Parabéns Mestre
  • 21/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Exato! Boa! Valeu pelo comentário! Abs!
  • 21/04/2016 - Silvana Alves
    Mestre, posso dizer que a cada dia venço uma "aldeia" na busca de ser uma "eleita". Te agradeço pelo excelente artigo. Sua leitura me fez um bem danado! Abs!
  • 21/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Silvana. Disponha sempre! Estamos no caminho! Abração!
  • 21/04/2016 - Concurseira
    É o sentimento e ação que vale! Sinta-se em abundância e você viverá em abundância! Haja como o eleito e você o será!
    Muito grata Professor!

    PS. Professor encaminhei um e-mail para o contato do site, mas não obtive resposta. Poderia verificar a possibilidade de junto do nome dos artigos aparecer o nome do professor? Pois quanto clicamos em "ler mais" a página que aparece só contém o título dos artigos sem os nomes dos professores e era muito melhor quando também aparecia o nome. Grata pela atenção!
  • 21/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Olá! Muito obrigado pela sugestão! Pedirei aos programadores que arrumem. Abração! ;)
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: