Prof. Fernando Graeff

07/04/2016 | 14:24
Compartilhar

Comentários da prova de Auditoria do TRF 3ª Região

Pessoal,

No último final de semana foi realizada a prova de Analista Judiciário – área Contadoria do TRF da 3ª Região.

Todas as questões da disciplina de Auditoria foram abordadas em nosso curso aqui no Ponto. A prova foi bem fácil, as questões foram cópias literais das normas. Não vejo nenhuma possibilidade de recurso, de qualquer forma, comento abaixo todas elas (Tipo gabarito 1):

86. A Resolução CFC no 986/2003 (NBC TI 01), no que se refere aos papéis de trabalho, estabelece que

(A) são ferramentas destinadas apenas ao registro em meio físico, que devem ser organizadas e arquivadas de forma sistemática e racional.

(B) são documentos e registros dos fatos, informações e provas obtidos no curso da auditoria para dar suporte à opinião do auditor.

(C) devem ter abrangência superficial, uma vez que se trata de ferramenta de suporte.

(D) não é ferramenta adequada para proporcionar a compreensão da extensão dos procedimentos de auditoria aplicados.

(E) a boa prática dos trabalhos não recomenda que sejam anexados a outros tipos de documentos.

 Comentários:

 Segundo o item 12.1.2 da NBC TI 01:

 - A Auditoria Interna deve ser documentada por meio de papéis de trabalho, elaborados em meio físico ou eletrônico, que devem ser organizados e arquivados de forma sistemática e racional. (letra A errada)

 - Os papéis de trabalho constituem documentos e registros dos fatos, informações e provas, obtido no curso da auditoria, a fim de evidenciar os exames realizados e dar suporte à sua opinião, críticas, sugestões e recomendações (letra B correta).

 - Eles devem ter abrangência e grau de detalhe suficientes (letra C errada) para propiciarem a compreensão do planejamento, da natureza, da oportunidade e da extensão dos procedimentos de Auditoria Interna aplicados (letra D errada), bem como do julgamento exercido e do suporte das conclusões alcançadas.

 - A norma fala que análises, demonstrações ou quaisquer outros documentos devem ter sua integridade verificada sempre que forem anexados aos papéis de trabalho. Assim, a letra E está errada, pois a norma não proíbe que os papéis de trabalho sejam anexados a outros tipos de documentos, apenas afirma que para que outros documentos sejam anexados aos papéis é necessária a prévia verificação da integridade.

Gabarito: B

87. Acerca dos termos regulados pela Resolução CFC no 986/2003 (NBC TI 01), considere:

I. A análise deve ser executada no curso da auditoria.

II. Estão relacionados à possibilidade de não se atingir, de forma satisfatória, o objetivo dos trabalhos.

III. Deve ser levado em conta a extensão da responsabilidade do auditor interno no uso dos trabalhos de especialistas.

IV. Deve ser considerada a verificação e a comunicação de eventuais limitações ao alcance dos procedimentos de auditoria interna.

É regra atinente aos riscos de auditoria o que consta em

(A) I, II, III e IV.

(B) I, III e IV, apenas.

(C) II e III, apenas.

(D) II, III e IV, apenas.

(E) I, II e IV, apenas.

Comentários:

Vamos analisar cada item:

Item I errado – segundo o item 12.2.2.1 da NBC TI 01 a análise deve ser executada na fase de planejamento.

Item II correto – nos termos do item 12.2.2.1 da NBC TI 01.

Item III correto -  nos termos do item 12.2.2.1, letra b, da NBC TI 01.

Item IV correto - nos termos do item 12.2.2.1, letra a, da NBC TI 01.

Gabarito: D

88. Um auditor interno, em um primeiro momento, verificou a necessidade de fazer testes para verificação de registros, documentos e ativos tangíveis. Depois, também constatou a necessidade de acompanhar a execução de procedimentos específicos. Nos termos regulados pela Resolução CFC no 986/2003 (NBC TI 01), para a consecução desses dois objetivos deverá realizar, respectivamente, 

(A) testes de observância, na modalidade inspeção e testes substantivos, na modalidade inspeção.

(B) testes substantivos, na modalidade confirmação e testes de observância, na modalidade investigação.

(C) testes substantivos, na modalidade confirmação e testes de observância, na modalidade inspeção.

(D) testes de observância, na modalidade investigação e testes de observância, na modalidade inspeção.

(E) testes de observância, na modalidade inspeção e testes de observância, na modalidade observação.

Comentários: 

Nos termos do item 12.2.3.2 da NBC TI 01, os testes de observância visam à obtenção de razoável segurança de que os controles internos estabelecidos pela administração estão em efetivo funcionamento, inclusive quanto ao seu cumprimento pelos funcionários e administradores da entidade. Na sua aplicação, devem ser considerados os seguintes procedimentos:

a) inspeção – verificação de registros, documentos e ativos tangíveis;

b) observação – acompanhamento de processo ou procedimento quando de sua execução;

c) investigação e confirmação – obtenção de informações perante pessoas físicas ou jurídicas conhecedoras das transações e das operações, dentro ou fora da entidade.

Por sua vez, o item 12.2.3.3 da NBC TI 01 determina que os testes substantivos visam à obtenção de evidência quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados produzidos pelos sistemas de informação da entidade

Como o enunciado não cita que os testes visam avaliar os dados produzidos pelos sistemas de informação podemos supor que se tratam de testes de observância aplicados, inicialmente, na modalidade inspeção e, em seguida, na modalidade observação.

Gabarito: E

89. Um auditor interno precisou determinar a extensão de um teste de auditoria para proporcionar evidência suficiente e apropriada. Nos termos regulados pela Resolução CFC no 986/2003 (NBC TI 01), essa determinação pode ser alcançada por meio do uso da técnica de

(A) amostragem.

(B) normatização.

(C) dimensionamento.

(D) ajustamento.

(E) projeção.

Comentários:

Nos termos do item 12.2.4.1 da NBC TI 01, ao determinar a extensão de um teste de auditoria ou um método de seleção de itens a serem testados, podem ser empregadas técnicas de amostragem.

Gabarito: A

90. Um auditor independente verificou que o valor de uma demonstração contábil, antes da auditoria, era diferente daquele exigido de acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável. Nos termos da NBC TA 200, a possibilidade dessa diferença ser relevante é considerada um risco de

(A) auditoria.

(B) distorção relevante.

(C) asseguração razoável.

(D) derivado do julgamento profissional.

(E) derivado do ceticismo profissional.

Comentários: 

Segundo a NBC TA 200, uma distorção é a diferença entre o valor, a classificação, a apresentação ou a divulgação de uma demonstração contábil relatada e o valor, a classificação, a apresentação ou a divulgação que é exigida para que o item esteja de acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável.

Por sua vez, a norma afirma que o risco de distorção relevante é o risco de que as demonstrações contábeis contenham distorção relevante antes da auditoria.

Gabarito: B

91. A NBC TA 200 dita que o auditor deve emitir opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes. Todavia, a forma que essa opinião será emitida depende

(A) da estrutura de relatório financeiro e de lei ou regulamento aplicáveis.

(B) do organograma da entidade auditada.

(C) da experiência do auditor.

(D) do contrato de trabalho celebrado entre o auditor independente e a entidade auditada.

(E) das evidências de auditoria encontradas.

Comentários: 

Segundo o item 8 da NBC TA, a forma da opinião expressa pelo auditor depende da estrutura de relatório financeiro aplicável e de lei ou regulamento aplicáveis.

Gabarito: A

92. Nos termos da NBC TA 200, na condução de auditoria de demonstrações contábeis, são exigidos integridade, objetividade, competência e zelo profissional, confidencialidade e comportamento profissional. Esses aspectos são expressamente denominados

(A) regras de conduta profissional.

(B) normas de auditoria relacionadas ao auditor.

(C) princípios fundamentais de ética profissional.

(D) princípios de conduta profissional do auditor.

(E) regras de conduta e comportamento do auditor.

Comentários: 

Segundo o item A15 da NBC TA 200, esses aspectos são denominados princípios fundamentais de ética profissional.

Gabarito: C

93. Nos termos da NBC TA 230, considere:

I. Identificação de quem revisou o trabalho de auditoria executado.

II. Discussões de assuntos significativos com a administração.

III. Informações referentes a um assunto significativo que são inconsistentes com sua conclusão final.

IV. Não atendimento pelo auditor de um requisito relevante de uma norma.

V. Circunstâncias identificadas após a data do relatório do auditor.

Deve ser objeto de documentação pelo auditor o que consta em

(A) I, III e IV, apenas.

(B) II, III e V, apenas.

(C) I, II, III e IV, apenas.

(D) I, II, III, IV e V.

(E) II, IV e V, apenas.

Comentários:

Vamos analisar cada item:

Item I correto nos termos do item 9, letra c.

Item II correto nos termos do item 10.

Item III correto nos termos do item 11.

Item IV correto nos termos do item 12.

Item V correto nos termos do item 13.

Gabarito: D

94. Nos termos da NBC TA 240, considere:

I. Erro que resulta em distorção nas demonstrações contábeis.

II. Distorção decorrente de informações fraudulentas.

III. Distorção decorrente de apropriação indébita de ativos.

É distorção intencional pertinente para o auditor o que consta em

(A) I e III, apenas.

(B) II, apenas.

(C) I, II e III.

(D) I e II, apenas.

(E) II e III, apenas.

Comentários:

Vamos analisar cada item

Item I errado – nos termos do item 2 da NBC TA 240, o erro é decorrente de ato não intencional.

Itens II e III – corretos - nos termos do item 2 da NBC TA 240, distorção decorrente de informações fraudulentas e distorção decorrente de apropriação indébita de ativos são consideradas fraudes que, nos termos do item 2 da mesma norma, é decorrente de ato intencional.

Gabarito: E

Abraços e boa sorte a todos.

Fernando.


Comentários

  • 26/05/2016 - Luis Felipe
    Excelente, obrigado!!!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: