Prof. Claudia Kozlowski

16/03/2016 | 14:46
Compartilhar

Diferença entre Complemento Nominal e Adjunto Adnominal

Olá, pessoal,

Estamos vivendo um período conturbado em nosso país e isso, sem dúvida, afeta os concursos federais, mas o candidato não pode esmorecer. Precisa manter sua preparação "a mil", pois a qualquer momento pode ser surpreendido com um edital do concurso dos seus sonhos. 

Por isso, escolhi um tema dos mais "espinhosos" da Língua Portuguesa para tratar hoje.

Atendendo a um  pedido de um candidato, formulado em minha página do Facebook (www.facebook.com/claudiadoponto), vamos falar sobre a importante diferença entre ADJUNTO ADNOMINAL e COMPLEMENTO NOMINAL e perceber a distinção entre essas funções sintáticas.

Para isso, reproduzo a seguir uma questão de concurso elaborado pela FGV/SP.

.....................................................................................................................................

As alternativas a seguir desempenham, no texto I, mesma função sintática, à exceção de uma assinale-a

a) Até hoje, não surgiu nenhum sistema tão capaz DE FAZER A ECONOMIA CRESCER. (ele não indicou a expressão grifada, mas acredito que tenha sido essa em letras maiúsculas.)

b) Os trabalhadores têm feito conquistas .... visivelmente não sentem saudades do tempo em que eram obrigados A JORNADAS DE TRABALHO DE 12 HORAS.

c) O individualismo característico dessas confusas camadas intermediárias as torna muito vulneráveis À SEDUÇÃO DAS CLASSES DOMINANTES

d) Tinham a convicção que estavam na crista de uma onda que os empurrava inexoravelmente para adiante, para promover a transformação DAS RELAÇÕES DE PRODUÇÃO....(idem)

e) Tinham a convicção que estavam na crista de uma onda que os empurrava inexoravelmente para adiante, para promover a transformação das relações de produção e o crescimento DAS FORÇAS PRODUTIVAS. 

...................................................................................................


Estão em pauta as seguintes funções sintáticas.

- COMPLEMENTO NOMINAL – função exercida por uma palavra ou uma expressão que complementa um ADJETIVO, um ADVÉRBIO ou um SUBSTANTIVO ABSTRATO

- ADJUNTO ADNOMINAL – neste caso, a palavra ou a expressão complementa um SUBSTANTIVO CONCRETO ou um SUBSTANTIVO ABSTRATO

Você deve ter notado que o SUBSTANTIVO ABSTRATO aparece nas duas funções, não é mesmo? Como se diferenciam, então? A partir da idéia que o complemento apresenta em relação ao termo regente.

Se a idéia for ATIVA, é ADJUNTO ADNOMINAL (bisu: tudo com a letra "A" - substantivo Abstrato com idéia Ativa é Adjunto Adnominal)

Se a idéia for passiva, é complemento nominal (memoriza por exclusão em relação ao outro).

A partir de exemplos, tudo fica mais fácil. Veja só:

1) a construção do arquiteto - "Construção" é um substantivo abstrato. Vamos analisar a função do complemento: o arquiteto constrói ou é construído? Constrói. Então ele pratica a ação. A idéia é ATIVA. Logo, a expressão "do arquiteto" exerce a função sintática de ADJUNTO ADNOMINAL.

2) a construção do prédio - O prédio constrói ou é construído? É construído. Sofre a ação verbal. Então a idéia é passiva. Logo, sua função sintática é COMPLEMENTO NOMINAL.

Então, vamos complementar a definição:

- COMPLEMENTO NOMINAL - complementa um ADJETIVO, um ADVÉRBIO ou um SUBSTANTIVO ABSTRATO com idéia PASSIVA.

- ADJUNTO ADNOMINAL - complementa um SUBSTANTIVO CONCRETO ou um SUBSTANTIVO ABSTRATO com idéia ATIVA (tudo com a letra A)

Voltemos, agora, à questão para analisarmos cada uma das opções:

a) Até hoje, não surgiu nenhum sistema tão capaz DE FAZER CRESCER A ECONOMIA.

CAPAZ é um adjetivo. Logo, "de fazer crescer a economia" exerce a função de complemento nominal.

 

b) Os trabalhadores têm feito conquistas .... visivelmente não sentem saudades do tempo em que eram obrigados A JORNADAS DE TRABALHO DE 12 HORAS.

OBRIGADOS é um adjetivo. Logo, "a jornadas de trabalho de 12 horas" é complemento nominal.

 

c) O individualismo característico dessas confusas camadas intermediárias as torna muito vulneráveis À SEDUÇÃO DAS CLASSES DOMINANTES

VULNERÁVEIS é um adjetivo. Assim, o que está grifado é complemento nominal.

 

d) Tinham a convicção que estavam na crista de uma onda que os empurrava inexoravelmente para adiante, para promover a transformação DAS RELAÇÕES DE PRODUÇÃO....

TRANSFORMAÇÃO é um substantivo abstrato (oba! vamos testar nossos conhecimentos!). Temos de analisar se o complemento apresenta idéia passiva ou ativa. Em "para promover a transformação das relações de produção", o complemento "relações de produção" transformam ou são transformadas? Elas são transformadas. Então a idéia é passiva. Com idéia passiva, o termo exerce a função de complemento nominal.


e) Tinham a convicção que estavam na crista de uma onda que os empurrava inexoravelmente para adiante, para promover a transformação das relações de produção e o crescimento DAS FORÇAS PRODUTIVAS.

CRESCIMENTO é também um substantivo abstrato (beleza!).

Em "o crescimento DAS FORÇAS PRODUTIVAS", FORÇAS PRODUTIVAS irão crescer. Assim, a idéia é ATIVA. Então, esse elemento exerce a função sintática de ADJUNTO ADNOMINAL.

É A ÚNICA QUE SE DIFERENCIA DAS DEMAIS. Esse é o gabarito.

.................................................................................................

Aproveito para informar que já estão abertas as turmas dos seguintes cursos:

- CURSO DE EXERCÍCIOS ESAF

- CURSO REGULAR TEÓRICO

Todas as informações sobre esses cursos estão aqui.

 

Grande abraço e bons estudos!


Comentários

  • 02/03/2020 - rogéria mendes
    Não consegui entender o porquê das forças produtivas não é complemento nominal. Para mim da mesma forma que ocorre em d, tanto a transformação como o crescimento são promovidos, logo sofrem a ação, logo complemento nominal. Não consigo entender de outra forma. Ajuda-me?
  • 28/07/2020 - Prof Claudia Kozlowski
    Oi, Rogéria,
    Tudo bem?
    Em "o crescimento dos índices", conseguimos perceber que "os índices CRESCEM", não é? Eles possuem um papel ATIVO na relação.
    Assim ocorre também em "o crescimento DAS FORÇAS PRODUTIVAS" => "as forças produtivas crescem...". Por ter papel ativo, a função sintática é a de ADJUNTO ADNOMINAL, e não a de complemento nominal.
    Espero ter ajudado.
    Abraço.
  • 09/07/2019 - Bruno
    Prof, qual o papel sintático dos substantivos e adjetivos que precedem o complemento/adjunto? Eles não integram o termo acessório?
    Pois já vi uma questão tratando "fornecedoras de alimentos" tudo como complemento e não só a parte "de alimentos"
  • 12/07/2019 - Prof Claudia Kozlowski
    Olá, Bruno,
    Só podemos fazer a análise sintática NA CONSTRUÇÃO, mas posso afirmar que, na estrutura "fornecedoras de alimentos", o sintagma "de alimentos" atua como complemento nominal. Se quiser, mande a questão para meu email (profclaudiakoz@gmail.com) para que eu consiga fazer uma análise melhor.
    Grande abraço.
  • 31/05/2019 - Pedro Afonso
    Ótimo artigo, simples e MUITO esclarecedor, muito obrigado !
  • 07/06/2019 - Prof Claudia Kozlowski
    Excelente retorno! Muito obrigada!
    Bons estudos.
  • 24/07/2018 - Leonardo
    Excelente explicação, professora, obrigado!
  • 09/01/2019 - Prof Claudia Kozlowski
    Valeu, Leonardo! Bons estudos para você!!!
  • 15/03/2018 - Gustavo
    Sou estudante de letras e vira e mexe estou em sites ou canais de concurseiros

    Comecei até cogitar em prestar pra alguma coisa neste ano! haha
  • 16/03/2018 - Prof Claudia Kozlowski
    Que bom, Gustavo!
    Bons estudos!
  • 15/02/2018 - Alexande
    Professora, desculpe minha ignorância no assunto, mas pelo raciocínio da questão e), no termo crescimento DAS FORÇAS PRODUTIVAS, FORÇAS PRODUTIVAS sofrem ou promovem o crescimento, na explicação elas irão crescer ou invés de farão crescer, com isso a idéia não é PASSIVA?
  • 16/03/2018 - Prof Claudia Kozlowski
    Oi, Alexandre,

    Em "crescimento das forças produtivas", o termo "forças produtivas" é que atuam para o crescimento (elas crescem), por isso o valor é ativo, e não passivo.

    Compare as seguintes construções:
    - produção de remédios - os remédios são produzidos = ideia passiva = CN;
    - produção da indústria farmacêutica - a indústria farmacêutica produz = ideia ativa = AA.

    Ficou claro agora? Estou à disposição para esclarecer qualquer dúvida! Pode escrever.

    Bons estudos!
  • 02/11/2017 - Adriano
    Sou terrível em português!
    Tenho muita dificuldade, mas com explicações como essa, a matéria parece que se torna fácil e agradável de ser estudada!
    Parabéns professora!
  • 03/11/2017 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Adriano! Sempre um prazer ajudar.
    Bons estudos!
  • 18/08/2017 - Francisco A.C Serra
    Parabéns pela excelente explicação.
    Recordou-me um professor de português do colégio Marista de nome Raul: fazia excelentes aulas, semelhante a esta sua explicação!
  • 23/08/2017 - Prof Claudia Kozlowski
    Muito obrigada, Francisco!
    Já gostei desse professor :D !! Um abraço e bons estudos!
  • 17/04/2016 - Leonardo
    Parabens pela excelente explicacao!!
  • 17/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Leonardo! Abraço e bons estudos!!!
  • 12/04/2016 - Renato
    Excelente explicação.
  • 13/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Renato! Abraço e bons estudos!
  • 13/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Renato! Abraço e bons estudos!
  • 13/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Renato! Abraço e bons estudos!
  • 13/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Renato! Abraço e bons estudos!
  • 13/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Renato! Abraço e bons estudos!
  • 17/03/2016 - ELCIO MORAIS LIMA
    Maravilhosa a explicação desta docente que dispensa comentários. Didática simples e muito lógica e,com isso,produz resultados imediatos.Recomendo para todos aqueles que desejam realizar uma prova de português sem nenhum medo.
  • 05/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Élcio! Grande abraço e bons estudos!
  • 17/03/2016 - Gilberto
    Profº Cláudia, Como sempre, suas explicações são ótimas. Parabéns!
  • 05/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Obrigada, Gilberto! Grande abraço e disponha sempre!
  • 17/03/2016 - Sérgio Ferreira
    Muito bom!
  • 05/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Valeu, Sérgio! Grande abraço!
  • 16/03/2016 - Wilson
    Boa tarde!

    Acho que é impossível não entender rsrs. Obrigado!
  • 05/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Que assim seja, Wilson!
    Um abraço grande e bons estudos!
  • 16/03/2016 - Diego Henrique
    Obrigado, professora! Muito esclarecedor!
  • 05/04/2016 - Prof Claudia Kozlowski
    Muito obrigada, Diego!
    Firme na luta!
    Abraço.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: