Prof. Gabriela Knoblauch

15/03/2016 | 09:53
Compartilhar

Reprovação: Manual da "bad"

Oi, gente!  Vamos bater um papinho hoje sobre reprovação, como lidar com a famosa “bad” e resiliência. Reprovar é, para a grande maioria dos concurseiros, parte NORMAL e ESPERADA do processo. Aprender é, quase sempre, resultado de uma série de TENTATIVAS e ERROS. Claro que com as técnicas certas de estudo, orientação adequada e bons materiais os erros serão menos numerosos. Contudo, nenhuma caminhada é perfeita, sem tropeços. Nem a daquele caso de sucesso que você leu esses dias. O quanto antes você acreditar nisso, menos vai sofrer. Para te ajudar a sobreviver pós-reprovação, elaborei o Manual da Bad.

 

COMO VIVER A BAD BEM VIVIDA

Você reprovou. Tanto esforço, tantos sonhos para a vida de aprovado, tantos post its colados pela casa. Você olha para seus livros, suas canetas espalhadas, o edital rabiscado. E dá uma enorme vontade de sentar no cantinho e chorar. Sua autoestima vai cair velozmente após a notícia da reprovação. Você vai começar a pensar nas explicações que dará à Santa Inquisição do Concurseiro (vizinhos, “amigos”, tia chata...) quando questionado sobre a prova. A esmagadora sensação de que você foi, é e para sempre será INSUFICIENTE. REPROVADO. Será que deu o passo maior do que a perna com essa história de concurso? Será que tem inteligência para passar? Será você o caso da criança prodígio que deu errado? QI abaixo da média, talvez? Os pensamentos mais loucos e derrotistas passam pela sua cabeça. Ok. A “bad” se instalou. O que fazer?

Bora viver essa sensação de fracasso como manda o figurino! Segurar a “bad” faz mal à saúde! Chore. De preferência no chuveiro e cantando uma música bem deprê. Escorregar na parede, estilo novela mexicana, potencializa os efeitos. Mulheres: rímel escorrendo é um “plus”. Pode exagerar. Para quem se sente constrangido em externar o sofrimento, escreva em um papel todas as sensações. Ou vá caminhar, correr, suar a dor. Desabafe com alguém. Tire miniférias. Vá espairecer, se divertir, deixar o assunto concurso de standby. Só há uma limitação para a sua espiral da loucura: a duração.

 

PARÊNTESES - 5 COISAS QUE NÃO ACONTECEM QUANDO VOCÊ REPROVA:

  1. O chão não se abre para te engolir
  2. O mundo não vai te olhar, apontar e te julgar
  3. Você não se torna vitaliciamente reprovado. Outros concursos, novas chances.
  4. A reprovação não mede sua inteligência. Você não se torna menos inteligente do que era antes da prova acontecer.
  5. Você não esquece o que já estudou (melhor parte, né?)

Só para lembrar, ok?

 

IMPORTANTE: VALIDADE DA BAD

Pessoal, tão importante quanto botar para fora a frustração e a tristeza é criar um prazo para que ela acabe. Estipule um, dois, três dias. Otimize seu sofrimento. Sofra intensa e rapidamente. Afinal, você não tem tempo a perder, tem? Defina também quantos dias de descanso precisa para se recompor.

Faça o que for necessário. Só não permita que os sentimentos ruins descritos acima contaminem sua vida, sua rotina e o modo como se vê.  Nada vai te prejudicar mais na vida do que internalizar o insucesso, se afundar em autopiedade, culpar o mundo pelos problemas e cobrar de todos, menos de você mesmo, a solução. Não se esqueça de que quem conduz esse barco é VOCÊ.

 

ARREGAÇANDO AS MANGAS

Passado os dias de loucura e os de descanso, é hora de ser pragmático. Faça um levantamento das razões do resultado indesejado e crie um novo plano de guerra. Retome o controle. Empodere-se.

Em quê você pode melhorar? Que razões levaram à reprovação? Falta de disciplina? Material ruim? Fez poucos exercícios da banca? Perdeu a calma na hora da prova? Ainda tem pouco tempo de estudo para um certame daquele calibre? Cansaço extremo?

Após o levantamento, vai sentir a esperança e a garra ressurgirem. Finalmente!

Crie seu novo plano de estudo com os ajustes necessários. Reaja! Recomece! Lute! Saia mais forte e mais sagaz dessa experiência. Ah... e pare de falar “derrota”. Fale “experiência”! Capriche na PNL (Programação Neurolinguística)!

 

RESILIÊNCIA, SUA LINDA!

Verá com o tempo que aquela sensação péssima pós-reprovação se dissipou. Foi chato, mas – além de sobreviver – você aprendeu um bocado. No próximo concurso, as suas chances serão MUITO MAIORES.

Vai se sentir novo em folha. Cheio de disposição e coragem. Não restará nenhum tipo de amargura. Parabéns! Acabou de aprender o que é resiliência e descobriu que tem de sobra! :)

 

Abs!

 

Gabriela

Profa. de Inglês/ Coach

*********************************************************************************************

Clique aqui para acessar minha FanPage no Facebook

Clique aqui para acessar meu Facebook pessoal

Meu canal no Youtube

Clique aqui para acessar meu Instagram 

Email: gabriela@pontodosconcursos.com      


Comentários

  • 18/03/2016 - Concurseira Sucesso
    Profa. excelente artigo! De grande valia para nós! Muito grata!
  • 18/03/2016 - Prof Gabriela Knoblauch
    Fico feliz que tenha te ajudado, Concurseira Sucesso! :)
  • 15/03/2016 - Deborah
    Oi Grabriela, sou sua fã! Muito obrigada por sempre estar fazendo a diferença em nossas vidas!!! Gabriela, Igor Oliveira e Bruno Fracalossi amo vocês!!!
  • 15/03/2016 - Prof Gabriela Knoblauch
    Oi, Deborah! Fico muito feliz que o artigo tenha ajudado e por saber que me acompanha! S2
    Aguarde... esse ano estamos cheios de novidades aqui no Ponto! Tudo preparado com muito carinho para vocês! ;)
  • 15/03/2016 - Gilberto
    Muito bom! Parabéns Profº.
  • 15/03/2016 - Prof Gabriela Knoblauch
    Obrigada, Gilberto! Bons estudos! Abraço!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: