Prof. Igor Oliveira

06/03/2016 | 12:12
Compartilhar

A teoria de tudo, parte 1 - o babaca dentro de nós

Eu já fui um babaca.

Logo que me formei na Escola Naval e me tornei oficial da Marinha, sentia que tinha o rei na barriga. Tinha me dado muito bem no curso e havia acabado de chegar de uma viagem de volta ao mundo, patrocinada pela Marinha, cheio de dinheiro no bolso. O ego foi ao delírio e eu, inocente, embarquei nas armadilhas do ego. Achava que o mundo havia sido criado pra mim e que ele me devia uma vida boa e confortável, sem muito esforço.

Mas o universo tem seus mecanismos pra lidar com gente assim. Quando o ego infla demais, o antídoto da natureza é o sofrimento. No meio do ano minha então namorada, hoje esposa, engravidou. Casamos às pressas e, logo em seguida, nosso filho nasceu. Nada foi planejado e a reserva financeira que tínhamos foi toda desconstruída. Na mesma época, meus pais se separaram. Tudo aconteceu de forma muito rápida e eu, despreparado emocionalmente para aquilo, vivia angustiado se conseguiria dar algum conforto para minha nova família. Às vezes sentia-me injustiçado e emburrava com a vida, achando que estava sendo alvo de alguma grande conspiração.

No curso dos acontecimentos, fui aprovado na seleção para ser piloto de helicóptero da Marinha. Mudamos para Pirassununga/SP, no meio de 2005, para que eu pudesse cursar a primeira fase de voo do curso. A primeira fase do curso de pilotos é, de longe, a coisa mais difícil que fiz na vida. A taxa de reprovação é de 50%. Simplesmente metade das pessoas que entram, saem. Você tinha que ser perfeito, nada menos que isso. O curso exigia um estado mental que eu não cultivava naqueles tempos. Além disso, meu casamento não ia muito bem na época. Nós éramos um casal jovem e, por imaturidade, brigávamos muito. Nosso filho tinha 3 meses e as finanças também não iam lá essas coisas. Estava tudo uma bagunça.

Em tudo que fiz na vida sempre me dei bem. Acumulei prêmios escolares desde novo e acostumei-me a ganhar. Quando a primeira fase do curso de pilotos terminou, encarei um amargo último lugar. Passei dias sem acreditar nisso. Não gostava nem de ver a lista de classificação. Ficava me comparando o tempo todo com meus colegas e tentando achar uma desculpa para aplacar minha ânsia por sucesso. Desgastado por um curso fustigante, "humilhado" por um último lugar, endividado, acima do peso, brigando que só com a patroa e com um filho pequeno, voltei para São Pedro da Aldeia/RJ, para terminar a última fase do curso de pilotos.

Foi nessa época que tive um insight fundamental para que virasse o jogo a meu favor. Como não tinha nada a perder (já era o último lugar mesmo), entrei na última fase do curso disposto a me dedicar, mas com uma postura de renúncia, despido de todo desejo de me dar bem ou de ser reconhecido. Humildade 100% e coração aberto. Foi com essa atitude que a magia começou a acontecer. Desapegado dos resultados, mas me dedicando muito, tive uma subida meteórica na classificação do curso. Entrava na cabine da aeronave e me concentrava em apenas fazer meu melhor. Como não pensava no futuro, nem no passado, estava totalmente vigilante das minhas atitudes. Quando voava, sentia uma paz indescritível. Uma espécie de fluxo, em que tudo saía naturalmente bem. Os instrutores diziam que não entendiam meu desempenho quando comparavam as duas fases do curso. Diziam que parecia se tratar de outra pessoa. Em casa as coisas também haviam melhorado bastante.

Em todos esses episódios em que me dei mal, eu não queria me dar mal. Eu, Igor, queria me dar bem, ser feliz e passar pelos desafios em paz, assim como você quer também. Mas uma voz dentro de mim dizia que eu deveria cobrar o mundo do meu direito de ser bem sucedido, exigir que minha esposa me entendesse em qualquer situação ou mesmo que os instrutores tivessem pena de mim. Essa voz era exigente, manhosa, mimada, impaciente, queria só se dar bem a qualquer custo e não aceitava perder de forma alguma. Essa voz não queria se esforçar, tinha medo do desconforto, do futuro e vivia procurando motivos para justificar a falta de humildade. Essa voz era muito egoísta, um verdadeiro babaca. E ainda o é. Alguns chamam essa voz de ego, mente, pensamentos, impulsos, "outro eu", enfim o nome pouco importa. O fato é que eu não planejei ter essa voz. Ela surgiu e surge dos bastidores da minha consciência sem avisar. Ela é insistente, chata, e está esperando uma brecha para assumir o comando novamente.

Em todos os projetos em que nos submetemos a uma situação desconfortável, a voz aparece para reclamar: "poxa, ficar sentado 3h estudando? Que saco"!

Apesar de não termos o controle sobre aquilo que surge dentro da gente, podemos nos condicionar e aprender a lidar com esses impulsos.

Há certas verdades imutáveis que regem as pessoas. Por exemplo, independentemente da classe social, cargo ou origem toda pessoa nasce e morre. É um fato absolutamente concreto.

Existem outras verdades como essa acima. Há certos princípios ou técnicas que você pode empregar em qualquer projeto ou tarefa para calar o babaca e fazer o que precisa ser feito. Estudar para concurso público, malhar, fazer dieta, meditar, ficar na fila do banco, poupar para aposentadoria ou deixar de jogar joguinhos de celular, tem muita coisa em comum. Em todas essas atividades temos que usar nossa força de vontade para nos mantermos presos à tarefa ou nos livrarmos dela. Em todas essas atividades temos que dar um gelo no babaca e focar na missão.

Ao longo das próximas semanas veremos algumas dessas técnicas para livrar você desse babaca.

Abs!

Igor Oliveira.

Coaching para concursos.

Programa Motivacional para Concursos.

Curta minha Fanpage.

Siga-me no twitter.

Igor[arroba]pontodosconcursos.com.br


Comentários

  • 06/06/2016 - Antonio José
    Obrigado, mestre! Passei um tempo sumido, mas tô na área novamente ;)
    Abração
  • 28/06/2016 - Prof Igor Oliveira
    Que bom Antônio! Sentimos sua falta! Abs!
  • 22/04/2016 - Éder Brito
    Parabéns ... você deveria escrever um livro, certamente será um Best-Seller!!!
    Grande abraço professor!
  • 22/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Valeu meu amigo. Estou longe ainda de livro...rs...abs!
  • 22/03/2016 - Simone Miranda
    Comandante, obrigada pelo artigo! Engraçado é que no domingo passado fiz um simulado e fiquei muito mal. Acredito que tenho plenas condições de passar no próximo concurso, o qual não fazemos ideia de quando sairá. Tenho tentado melhorar ao logo do tempo, mas parece que isso ainda não é suficiente. Enfim, além de "engolir seco" seco o desempenho, tive a sensação de que ainda sou uma formiguinha trilhando o caminho almejado. Preciso enxergar meu erro. :-(
  • 09/04/2016 - Prof Igor Oliveira
    Oi Simone, obrigado pelo comentário. Eu vi seu resultado e vi que ficou chateada. Não fique assim. Acho que foi pontual. Nada demais. Espero que vc já tenha encontrado o erro. Conte sempre comigo! Abs!
  • 10/03/2016 - ronaldo
    Bacana!! Realmente, cada um tem o babaca dentro de si! Nós, "concurseiros profissionais", nos achamos o máximo em opinar em qualquer rodinha de amigos ou famílias pois "temos um conhecimento acima da média e podemos comentar com propriedade sobre qualquer assunto". Inclusive, justificando que estudamos para concursos, por isso sabemos muito de tudo! Quando me calei, não mencionava mais que estudava para concursos, mas mantendo o foco nos estudos, finalmente saiu minha nomeação. Não fiz alarde, não fiz churrascos nem festas memoráveis. Simplesmente, fui a Aparecida do Norte pagar uma promessa e reconhecer que Deus não nos aprova em concursos mas dá uma força tremenda no dia a dia. Sejamos fiéis, sempre, aos nossos objetivos, valores, família e a nossa fé.
  • 11/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Ronaldo pelo comentário. Realmente...fiz algo semelhante. E deu certo pra mim tbm. Adsumus!
  • 09/03/2016 - Adeli
    Parabéns pelo texto e confesso q vou acompanhar os próximos pois estou sendo um grande babaca,segundo o texto acima,só penso em sucesso nós concursos (inss) acima de tudo e de qualquer coisa.
  • 11/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Olá Adeli. Obrigado. Fico feliz que tenha gostado! Abs!
  • 08/03/2016 - Tania Maria
    Excelente texto! Parabéns!
    Estou sem fôlego até agora...
  • 09/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado TM! hehehe...disponha sempre.
  • 08/03/2016 - Paulo
    Prezado Igor...Grande Oliveira!!!
    Sim...eu também já fui um babaca...espero não mais ser.Você mostrou coragem e dignidade em falar de sua vida e de sua preciosa Família...não por acaso...mas porque você vivenciou a construção de um Homem e se fez Homem quando construiu sua Família.Olho para trás e posso te dizer ,do alto dos meus 60 anos, que só percebo um único valor ao longo de toda minha vida...esse valor se chama Família.Parabéns por você homenagear seu filho e sua esposa...parece que você deixou de ser babaca já faz muito tempo.Parabéns a sua esposa pelo dia da Mulher...com certeza é uma grande guerreira.

    Grande Abraço...continue a ser essa pessoa positiva e do Bem,

    Paulo.
  • 09/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Muito obrigado Paulo! Com certeza é uma coisa muito importante na nossa vida. Tento ficar lembrando isso sempre, só pra não perdermos os valores essenciais. Obrigado pelo seu comentário e conte sempre comigo. Abs!
  • 07/03/2016 - Marcos
    Professor, bom dia!
    Muitas vezes esse "rei na barriga" me perseguia, ou ainda persegue. Percebi que deveria ser mais humilde. Confesso que para um perfeccionista é um pouco difícil, mas estou trabalhando isso. Também tenho muitas vozes que estão tentando me calar. O seu artigo veio na hora certa, pois há pouco estava me deixando levar por elas, pensando em achar culpados para os meus problemas.
    Que o senhor tenha uma ótima semana. Muito obrigado pelas palavras e ter tido a coragem de expor um pouco os seus problemas pessoas no sentido de nos ajudar.
    Um abraço!
    Marcos
  • 07/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Oi Marcos, tudo bem? Realmente, eu fiquei na dúvida sobre este artigo, se deveria escrevê-lo ou não, justamente por expôr essas coisas. Mas achei melhor mostrar o meu babaca para que as pessoas pudessem perceber os delas. Abs e obrigado pela participação!
  • 07/03/2016 - Phelippe
    Que luta em mestre! Parabéns pela sua conquista; imagino não ter sido nada fácil ser piloto de helicóptero. Parabéns mesmo; você merece. Muito obrigado pelo texto. Sem me alongar, era apenas o que precisava. Abraço e obrigado.
  • 07/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Foi luta mesmo...rs...mas olhando de um ponto no futuro, vejo que tudo foi útil. No momento eu realmente não compreendia certas coisas. Mas agora tá tudo bem. Acho que a virada começou na segunda fase do curso de pilotos. Abs e obrigado pelo comentário!
  • 07/03/2016 - Lidiana Cavalcante
    Belo texto, Igor! Calar essa voz...
  • 07/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado querida! Conte sempre comigo! Abs!
  • 07/03/2016 - Cristina Lopes
    Igor, excelente texto! De fato, calar nosso ego não é uma tarefa fácil! Nos achamos demais e quando percebemos que somos apenas mais um nesse universo....
  • 07/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Realmente não é Cristina. É difícil, mas é simples. Acho que é uma grande missão, de cada um. Abs!
  • 06/03/2016 - Wilson
    Voz, pega o beco e vai pra bem longe rsrs. Obrigado, sempre!
  • 06/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    hehe...pode crer. Bem por aí mesmo. Abração!
  • 06/03/2016 - Plinio
    Parabéns Igor! Excelente texto.
    Quando acho que já escreveram de tudo sobre concursos relacionado àquilo que os concurseiros enfrentam no seu dia a dia, aparece você surpreendendo sempre com um artigo novo no início da semana.
    Todo dia é uma luta para "tirar esse babaca" que existe dentro de mim.
    Adsumus!
    Abraço


  • 06/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Plínio! Disponha sempre! Vou tentar caprichar nos próximos. Isso me foi útil na vida, no concurso, etc...acho que pode ajudar alguém. Abs!
  • 06/03/2016 - Lou Brito
    Foi exatamente assim que me senti ontem a noite, após três turnos de aulas em cursinhos preparatórios. Me veio uma indisposição, um medo, uma dúvida.Mas eu estou conseguindo"calar a boca do meu babaca interior". Obrigada Professor pelo texto, motivador, esclarecedor,que condiz explicitamente com o que eu sinto nessa jornada nada fácil de combater o bom combate! EU VOU CONSEGUIR!!!
  • 06/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Olá Lou. Vai sim. Basta ignorar o babaca e seguir em frente. Conte sempre comigo! Adsumus!
  • 06/03/2016 - samar
    Perceber o babaca que está dentro de nós além de outras coisas requer um pouco de pé no chão. Agir consciêntemente e focado é difícil,mas quando conseguimos parece que nos transformamos mesmo professor. É muito bom poder ler as experiências vividas por você professor. Sempre ajudam na caminhada p a aprovaçao.
  • 06/03/2016 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Samar! Realmente tem que estar consciente, senão somos levados por um impulso doido de fazer o que não é preciso. Obrigado pelo comentário! Abs!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: