Prof. Fabiano Sales

27/01/2016 | 10:13
Compartilhar

Língua Portuguesa: Acordo Ortográfico

Olá, vitoriosos alunos! Saudações!



Meu nome é Fabiano Sales. É com muito entusiasmo que comunico a vocês meu ingresso na seleta equipe docente do Ponto dos Concursos. Ao lado dos professores Albert, Beatriz, Cláudia, Júnia, Luciana e Marco Antônio ("Macarrão"), espero contribuir para que todos ingressem na almejada carreira pública.



 



Neste primeiro contato, vamos bater um papo sobre o sistema ortográfico vigente: a nova ortografia.



A temática "ortografia oficial/acentuação gráfica" relaciona-se ao novo Acordo Ortográfico, cujas regras já têm sido sido abordadas pelas principais bancas examinadoras do país (CESPE, FCC, FGV, ESAF, Cesgranrio, ...).



De acordo com o Decreto nº 6.583/2008, a coexistência entre as regras antigas e as normas trazidas pelo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa data de 1º de janeiro de 2009. Entretanto, no mencionado decreto (artigo 2º, parágrafo único), ficou estabelecido que o prazo para implementação do Acordo vigoraria até 31 de dezembro de 2015.



Findo o prazo, efetivamente as bancas abordarão a nova ortografia em suas provas.



Com a finalidade de que vocês se familiarizem com a nova norma e com sua respectiva cobrança nas provas, comentarei três questões. Vamos lá! :)



 



1. Considere a charge abaixo e analise a afirmativa a seguir:



TJ-PR



 



I. O hífen em “auto-conhecimento” poderia estar indicando a separação silábica, dado que a grafia correta dessa palavra, pelo acordo ortográfico de 2008, é “autoconhecimento”.



Comentário: De fato, a nova ortografia prescreve a grafia de “autoconhecimento” sem hífen. Na fala do caramujo (quadrinho 1), entretanto, veja que o traço de união (hífen) marca a translineação (passagem de uma linha à outra), o que justifica o emprego do desse elemento, podendo indicar a separação silábica. Logo, a afirmação do examinador está corretíssima!



Apenas para complementar os estudos, o novo Acordo Ortográfico prescreve o hífen quando os prefixos PSEUDO-, SEMI-, INTRA-, CONTRA-, AUTO-, NEO-, EXTRA-, PROTO-, INFRA-, ULTRA- e SUPRA- antecederem palavras iniciadas por H ou vogal igual à última do prefixo.



Exemplos: pseudo-homérico, semi-internato, intra-auricular, contra-argumentação, auto-ônibus, ...



Nos demais casos, a regra ortográfica não prescreve o emprego do hífen, valendo destacar que, quando os prefixos acima mencionados antecederem palavras iniciadas pelas consoantes R ou S, essas letras deverão ser duplicadas.



Exemplos: pseudossábio, semisselvagem, intravenoso, contrarrevolução, autoconhecimento, ...



O item está correto, portanto.



Gabarito: Certo.



 



2. Ao representar graficamente a fala dos adolescentes no título “Ói nóis aqui, mano!”, o autor acentuou as palavras “ói” e “nóis”. Sobre o uso desses acentos, identifique as seguintes afirmativas como verdadeiras (V) ou falsas (F):



(  ) A palavra “ói” recebeu um acento diferencial, por oposição a “oi”.



(  ) A palavra “nóis” foi acentuada indevidamente, pois palavras análogas, como “heroico”, não são acentuadas.



(  ) Ambas as palavras foram acentuadas por serem oxítonas, com a sílaba tônica formada pelo ditongo aberto ói, seguido ou não de s.



Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.



a) V – F – V.



b) F – V – F.



c) F – F – V.



d) V – F – F.



e) V – V – V.



Comentário: Vamos analisar as assertivas.



I. Falsa. Observando o título “Ói nóis aqui, mano!”, percebemos que o vocábulo “ói” é uma variante linguística da forma verbal “olha”, não sendo cabível falar em acento diferencial no contexto em apreço. Esse termo foi acentuado em razão do ditongo aberto /ÓI/, presente em um vocábulo oxítono.



II. Falsa. A forma “nóis”, variante linguística de “nós”, é uma palavra oxítona terminada em ditongo aberto /ÓI/ (seguido de S), tendo sido acentuada corretamente. Ademais, segundo a nova ortografia, esse ditongo aberto, presente no adjetivo “heroico”, não é mais acentuado graficamente.



Para reforçar os estudos ...



A nova ortografia aboliu o emprego do acento agudo nos ditongos abertos /ÉI/ e /ÓI/ das palavras PAROXÍTONAS (e apenas nestas!).



Exemplos: geleia, epopeia, mocreia, jiboia, claraboia, heroico, ...



Quer mais uma curiosidade?



Segundo o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), elaborado pela Academia Brasileira de Letras, o ditongo aberto /ÓI/, da palavra destróier, continua a ser acentuado graficamente. E por que isso, Fabiano, já que esse encontro vocálico está em uma palavra paroxítona? Porque a acentuação gráfica justifica-se pelo fato de o vocábulo 'destróier' ser paroxítono terminado em -R, enquadrando-se na regra geral das paroxítonas. Fiquem atentos, portanto, a esse detalhe! ;-)



E tem mais!



As regras de acentuação gráfica mantiveram o acento agudo nos ditongos abertos /ÉI/ e /ÓI/ das palavras OXÍTONAS, item que pode ser cobrado em nossa prova.



Exemplos: réis, céu, rói, heróis, chapéu(s), papéis, ...



III. Verdadeira. Conforme os comentários anteriores, ratificamos que as palavras “ói” e “nóis” são oxítonas.



Portanto, a letra (C) é a resposta da questão.



Gabarito: C.



 



3. Assinale o enunciado em que, do ponto de vista do uso ou não do hífen, as duas palavras ou expressões sublinhadas estão grafadas corretamente, segundo as normas do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa que está sendo implementado desde 1º de janeiro de 2009 e que coexiste com a norma ortográfica atualmente vigente.



(A) Além de aperfeiçoar a infraestrutura de nossa empresa, procuramos contratar mão de obra mais especializada.



(B) A concorrência alega estar anos luz à nossa frente em matéria de autosserviços.



(C) Desde a idade preescolar, somos preparados para nos tornarmos cidadãos bem-educados.



(D) Os dois escritores produziram em co-autoria uma verdadeira obra-prima.



(E) Procuramos otimizar no dia a dia o interrelacionamento entre nossos funcionários.



Comentário: Inicialmente, é importante apregoar que o novo Acordo Ortográfico prescreve o emprego do hífen quando os prefixos PSEUDO-, SEMI-, INTRA-, CONTRA-, AUTO-, NEO-, EXTRA-, PROTO-, INFRA-, ULTRA- e SUPRA- antecederem palavras iniciadas por H ou vogal igual à última do prefixopseudo-homérico, semi-internato, intra-auricular, contra-argumentação, auto-ônibus, ...



Nos demais casos, a regra ortográfica não prescreve o emprego do hífen: autoescola, extraoficial, infraestrutura (letra A da questão), ...



Haveria hífen, entretanto, se as vogais fossem semelhantes: anti-inflacionário, micro-ondas, auto-ônibus, ... .



Vale destacar que, quando os prefixos acima mencionados antecederem palavras iniciadas pelas consoantes R ou S, essas letras deverão ser duplicadas, como ocorre em pseudossábio, semisselvagem, intravenoso, contrarrevolução, autoconhecimento, autosserviços, ...



Por sua vez, após o novo Acordo Ortográfico, nomes compostos ligados por preposição perderam o hífen (em regra): lua de mel, queda de braço, pé de moleque, mão de obra (letra A da questão), entre outros. Percebe-se, portanto, que a expressão “mão de obra” foi corretamente grafada, validando a letra (A) como gabarito.



ATENÇÃO!



Tenham cuidado, entretanto, com a grafia de nomes de espécies botânicas e de animais, os quais continuam a ser grafados com hífenpimenta-do-reino, louva-a-deus, ... .



Nas demais opções, as respectivas correções são:



b) anos-luz e autosserviços;



c) pré-escolar e bem-educados;



d) coautoria e obra-prima;



e) dia a dia e inter-relacionamento.



 



Gabarito: A.



 



Por fim, deixo duas mensagens para vocês:



1ª) saibam mais sobre a nova ortografia, consultando as seguintes obras/publicações: 



BECHARA, Evanildo. O que muda com o Novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 2008.



INSTITUTO ANTÔNIO HOUAISS. Escrevendo pela Nova Ortografia. Rio de Janeiro/São Paulo, Houaiss/Publifolha, 2008.



 



2ª) contem com a equipe de Língua Portuguesa nessa trajetória rumo à classificação! Meu e-mail é fabiano.sales@pontodosconcursos.com.br .



 



Grande abraço e ótimos estudos!



Fabiano Sales.


Comentários

  • 21/04/2016 - Edna Trindade
    Passando para agradecer, sou professora de sala de recursos multifuncionais para deficientes visuais e baixa visão, vim até sua página estudar um pouco e buscar macetes para facilitar o aprendizado de meus alunos. Um abraço!
  • 09/04/2016 - Theotonio Chaves Per
    Muito bom!
    Gostei da trasparência.
  • 27/01/2016 - Arthur IBFC Rac Log
    Obrigado pelo artigo professor. Uma dúvida.

    Está errado considerar essas palavras como monossílabos tônico?

    nós, réis, céu, rói

    Como ficariam as divisões silábicas das palavras? Obrigado
  • 27/01/2016 - Prof Fabiano Sales
    Fala, Arthur!

    Obrigado pelo feedback!

    De acordo com o novo Acordo Ortográfico, as palavras "nós", "réis", "céu" e "rói", embora possuam apenas uma sílaba, quanto à tonicidade, são classificadas como oxítonas.

    Forte abraço!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: