Prof. Claudia Kozlowski

23/11/2015 | 14:16
Compartilhar

Candidato no ponto de passar (sem trocadilho)

Oi, pessoal,

Como vão os estudos? Espero que estejam todos muito esperançosos, independentemente de qualquer suspensão pelo Governo Federal, já que as vagas para os cargos públicos continuam precisando ser preenchidas, não é mesmo? Melhor estar bem preparado para quando o edital sair.

Nesse encontro de hoje, volto a tratar de um tema bastante interessante: UNIFORMIDADE DE TRATAMENTO. Você poderá encontrar outros artigos que versam sobre esse ponto, e então deve estar se perguntando: mas que título foi esse, professora? "Candidato no ponto para passar"? O que tem uma coisa a ver com outra? Eu explico.

Em nosso Curso Regular Teórico, ainda em andamento (para quem tiver interesse, as informações estão AQUI), recebi a seguinte dúvida de uma aluna:

................................................................................................................................................................

"Outra dúvida...tenho um filho de um aninho e todas as vezes que canto para ele "Marcha Soldado, cabeça de papel", fico na dúvida sobre a forma correta: Acuda, acuda, acuda a bandeira nacional; ou seria Acode, acode, acode a bandeira nacional?"

................................................................................................................................................................

Repasso a vocês a resposta que encaminhei a ela:

................................................................................................................................................................

Como sabemos que uma pessoa já está "no ponto" de passar em um concurso? Quando ela vê algo que tenha sido objeto de estudo em qualquer lugar!...rs...

Você está assim: analisou a conjugação no modo imperativo do verbo ACUDIR!....rs...

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Essa dúvida versa sobre UNIFORMIDADE DE TRATAMENTO, ou seja, se usarmos, com a segunda pessoa do discurso (no caso, o "soldado"), um tratamento de 2ª pessoa do singular (tu), devemos manter esse tratamento durante todo o discurso. O mesmo ocorre se a opção for pela 3ª pessoa do singular (você). Você encontra na área aberta do Ponto artigos em que trato desse tema (sugiro sua leitura).


Bem, para sabermos se foi usada a 2ª ou a 3ª pessoa do singular (tu/você), devemos analisar a conjugação da forma verbal "Marcha". 

"Marcha, soldado, cabeça de papel"...

A forma "marcha" é da 2ª pessoa do singular do Presente do Indicativo (eu marcho, tu marchas), que, na forma imperativa, perde a letra "S" (marcha tu). Pronto! Agora vem a parte mais difícil - observar se a conjugação do verbo ACUDIR está correta, como "acode" ou deveria ser "acuda".

Como esse é um verbo de 3ª conjugação (terminado em "IR"), todo cuidado é pouco, pois pertencem a essa conjugação diversos verbos defectivos, ou seja, aqueles que possuem "defeito". Esses verbos, por não possuírem a 1º pessoa do singular do presente do indicativo, não possuem também nenhuma forma do modo subjuntivo.

Graças a Deus, o verbo ACUDIR é completo, possui todas as pessoas do presente do indicativo, conjugando-se assim:

 

PRESENTE DO INDICATIVO


Eu acudo, tu acodes, ele acode, nós acudimos, vós acudis, eles acodem



Se observarmos bem, manteve-se o mesmo tratamento de 2º pessoa do singular ("acodes", sem o "S", fica ACODE).

Infelizmente, a letra da canção cantada pela aluna não está correta - melhor acertar a conjugação!...rs...

 

Bons estudos a todos!



 


Comentários

  • 24/11/2015 - Andre Morais
    Ótima explicação professora! Ah, uma dúvida: ainda é possível se inscrever no seu curso regular no mês de dezembro? Desde já agradeço o retorno!
  • 26/11/2015 - Prof Claudia Kozlowski
    Olá, André. Obrigada! Sim, você poderá se inscrever e baixar todas as aulas para seu computador. Precisando de ajuda, é só escrever para mim (claudiadoponto@gmail.com).
    Abraço.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: