Prof. Igor Oliveira

21/11/2015 | 11:26
Compartilhar

Como ser mais eficiente, parte 2 - Parkinson, o implacável

Não existe banco de tempo. Você pode ser a pessoa mais rica do mundo, mas o seu dia ainda terá 24 horas e sua semana, 7 dias. Não há como comprar tempo. É possível apenas administrá-lo.

De fato, tempo é o recurso mais valioso que temos. Ou o único verdadeiro. Você troca seu tempo por dinheiro quando trabalha. Você troca seu tempo hoje estudando para ter mais estabilidade e recursos financeiros no futuro, após sua aprovação.

No final das contas, nos últimos segundos de vida, todos nós iremos desejar ter mais dinheiro? Duvido. Desejaremos mais tempo, mais uma semana, mais alguns dias, para podermos aproveitar o que a vida nos oferece de melhor.

Ainda assim, as pessoas o desperdiçam, como se ele nada valesse. A maioria das pessoas que conheço não tem coragem de pegar uma nota de R$ 100,00 e rasgá-la, mas tem coragem de se sentar no sofá e perder um dia todo vendo qualquer coisa ao invés de dar atenção ao que é devido.

Apesar de tudo isso, o tempo pode ser manipulado a nosso favor no sentido de melhor aproveitá-lo. Ou seja, é possível produzir mais em um mesmo período de tempo ou mesmo fazer uma atividade em menor tempo. É fácil. Só exige um pouco de esforço e organização. Com as ferramentas corretas, seu tempo vai se "multiplicar" de uma maneira que você vai até estranhar.

E a primeira ferramenta que você deve colocar no seu inventário é a Lei de Parkinson (que não tem nada a ver com a doença).

Segundo essa lei, o tempo é desperdiçado na proporção de sua abundância. Dito de outra forma, o trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para sua realização.

Em termos práticos, podemos pensar assim:

- você diz que tem 2 horas por dia para estudar determinada matéria.

- você consegue ler, de maneira bem intensa e focada, sem distrações, 10 páginas por hora.

- mas como você alocou 2 horas, você ficará enrolando e suas 10 páginas, que seriam lidas em 1 hora, vão ser lidas em 2 horas.

Esse fenômeno pode ser facilmente visto em escritórios também. Vai me dizer que você trabalha sem parar de 09:00 às 17:00? Na verdade, as pessoas ficam preenchendo seu tempo com internet, cafezinhos e conversas. O trabalho mesmo provavelmente deve ser feito em 4 horas (no máximo).

Como o tempo se expande e é desperdiçado? Ora, distrações. Tanto internas, quanto externas. Quer exemplos concretos? A lista é imensa, mas abaixo acredito que estejam os itens mais comuns à nossa realidade.

Distrações internas:

- Autoquestionamentos inúteis de serem feitos no momento do estudo como, por exemplo, "quando vou passar, se é que vou passar"?

- Preocupações acerca de fatos que não podem ser resolvidos naquele momento, como e-mails a serem respondidos na hora do trabalho, por exemplo.

- Orgulho ferido a respeito de um acontecimento passado como uma briga no trânsito ou com a namorada.

Distrações externas:

- TV.

- Redes sociais.

- Gente batendo na porta do quarto.

- Telefone.

- Joguinhos de smartphone.

Para aplicar a Lei de Parkinson e eliminar essas distrações, é preciso que você adote uma regra bem simples. Aliás, você já deve ter usado a Lei de Parkinson alguma vez na vida, mesmo sem saber o nome, muito provavelmente para entregar aquele trabalho de escola que você deixou para fazer na última hora. Você tinha um mês para fazer o trabalho, mas conseguiu fazê-lo em 12 horas de trabalho intenso.

A regra é a seguinte: no momento em que você estiver fazendo uma tarefa, você deve ser implacável, impiedoso. Por exemplo, no momento em que estiver estudando você só levantará a cabeça em três situações: para não fazer xixi nas calças, para atender a uma emergência do tipo "tá pegando fogo na sala" ou quando sua concentração naturalmente se esvair, sendo que, no último caso, você irá parar apenas o suficiente para reestabelecer seus recursos de atenção.

Para ajudar com a aplicação da regra, você pode se policiar, fazendo a seguinte pergunta quando estiver estudando: "eu realmente estou atento, vigilante, produtivo, ou estou enrolando para passar o tempo"? Ou ainda: "eu estou inventando tarefas sem importância apenas para não fazer aquilo que interessa"?

Outro macete interessante é imaginar que sua vida realmente depende daquilo. Se você estivesse com a faca no pescoço (literalmente), sendo obrigado a executar aquela tarefa da maneira mais focada e interessada possível, como você iria reagir? Tenho certeza que você não iria ficar enrolando.

Aplicações práticas contra distrações internas ou externas

Internas - você não tem que se meter em processos decisórios infinitos no momento do estudo. Se você estudar focado, você notará que lhe sobrará tempo para filosofar sobre a sua vida em outros momentos. Ao dar atenção aos estudos, você sentirá uma espécie de sensação de dever cumprido. De que, em que pese sua confusão mental, você está fazendo algo de concreto para sua vida.

Externas - desligue o smartphone, suma com ele e pare de inventar coisinhas para preencher seu tempo. Tire o telefone do gancho, coloque um abafador de ruídos na orelha. Sobre sua família, converse com eles, solicite apoio e diga que você não conseguirá fazer isso sozinho. Coloque uma placa na porta do quarto pedindo silêncio. Você encontrará resistência. É natural. Não ligue. Aos poucos eles vão se acostumar.

Essa é a essência do jogo: seja implacável e faça o que precisa ser feito. Não expanda o tempo apenas para preenchê-lo. Se você focar na tarefa, ela será concluída de maneira mais rápida e lhe sobrará tempo para fuçar na internet ou ver TV.

Agora que já sabe, pratique. Mas alerto que você ficará mais cansado que o natural. Isso já esperado. Você viverá seus estudos de maneira mais intensa e fará em 2 horas aquilo que fazia em 4 horas. Se chegar a um ponto em que sua concentração está naturalmente ruim, pare por hoje. Insista em aumentar aos poucos que, em breve, estará novamente estudando 4 horas, mas desta vez estudando mesmo.

Outro ponto importante. Não entenda ser focado e eliminar distrações com ler correndo. Não é isso. Você irá ler seu material de forma tranquila, presente. Só não irá tentar fazer várias tarefas ao mesmo tempo.

No próximo artigo iremos aprender outra ferramenta muito importante, que atuará conjuntamente com a Lei de Parkinson para potencializar suas ações.

Abs!

Igor Oliveira.

Curta minha fanpage no Facebook.

Siga-me no Twitter.

E-mail: igor[arroba]pontodosconcursos.com.br.

=====

Coaching para concursos.

Programa motivacional para concursos públicos.

E-Book gratuito "Ninguém quer ser concurseiro em uma tarde de verão".


Comentários

  • 26/11/2015 - Carla Pereira
    Parabéns Igor!! Seus artigos são como músicas para minha mente. Nos motiva, nos levanta a alma e nos faz seguir em frente...Um abraço. Carla
  • 26/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Eu é quem agradeço a amizade Carla! Obrigado mesmo! Abs!
  • 23/11/2015 - Micheli
    Oii, Igor. Você me surpreende a cada artigo!!! Continuo sempre acompanhando seu trabalho de longe rsrsrs...e estudando ainda. Abraços, Mic.
  • 24/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Ei Mic! Sumiu cara! rs...obrigado por acompanhar! Some não! ;)
  • 22/11/2015 - Elton Felisbino
    Olá, Igor! excelente artigo, parabéns! Posso estar afastado do grupo (com grandes possibilidades de ser excluído, rs), mas todo sábado ou domingo estou aqui lendo seus textos, algo que me ajuda muito a continuar na luta, obrigado. Depois do artigo da semana passada, escrevi no word e imprimi a seguinte frase: "Quem você quer ser durante a sua vida? Richard ou Joseph? A decisão é sua!" e afixei no meu mural de lembretes, rsrs. Abraço!
  • 22/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Maneiro Elton...rs...legal mesmo sua atitude. Obrigado pelo comentário e conte comigo!
  • 22/11/2015 - Phelippe
    Avante! Excelente mestre. Partiu para a prática. Abraço e um muito obrigado.
  • 22/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    É isso aí! ;)...conte comigo!
  • 22/11/2015 - Lopes
    Bom dia professor! Gostei do artigo. O ponto mais importante para mim sobre esse assunto seria como utilizar melhor o tempo, ser mais focado e descobrir/evitar as distrações. Como diria um escritor muito famoso: Nós matamos o tempo e o tempo nos mata.
    Obs: Ás cinco da manhã temos silêncio, não só em casa mas em toda a cidade, não tem notícia nova na internet, no facebook e etc...em geral o telefone não toca. E o tempo parece passar mais devagar. #ACORDE CEDO!
  • 22/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Pode crer Andrei. Em termos práticos, acordar cedo pode ser uma boa mesmo...rs...obrigado pelo comentário! Conte sempre comigo! Abs!
  • 22/11/2015 - Antonio Jose
    Mestre, seus conteúdos são fundamentais para o nosso KAIZEN (melhora contínua). Muito obrigado! Abraços e fica na paz ;)
  • 22/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Antônio. Eu agradeço a participação! Conte sempre comigo! Abs!
  • 22/11/2015 - Giovani
    Olá Professor!! Muito obrigado pelas motivações! Sinto que preciso toda semana, senão começa desanimar sem previsão de edital. Deus o abençoe! Absss amigo!
  • 22/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Pode não Giovani. Agora é hora de fincar o pé no chão. Muita gente vai desistir. Quem persistir vai acabar colhendo frutos da disciplina. Abs!
  • 22/11/2015 - Liliany
    Excelente artigo professor.
    Obrigada por nos proporcionar esses momentos de reflexão, na qual, nos identificamos muito. No começo tudo é difícil, mas precisamos sair da nossa zona de conforto e fazer a mudança em nossas vidas. E por que não começar com a organização do nosso tempo. -*.*-
  • 22/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Pode crer Liliany. Acho que se a gente otimiza o tempo, a gente acaba ganhando em tudo, né? No trabalho, nos estudos, na vida. Conte comigo! Abs!
  • 22/11/2015 - Rosangela
    Excelente professor, engraçado mesmo como perdemos tempo em atividades improdutivas. Rumo ao Richard. Até mais. Obg pelo texto.
  • 22/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Rumo ao Richard! rs...disponha sempre! Abs!
  • 21/11/2015 - Franca
    Parabéns pela maestria do seu texto que muda uma rotina inteira e a recompensa já é o próprio artigo e o domingo chuvoso, mas ensolarado na mente! Igor, é por causa dessa atenção focada sem distrações alguma que algumas pessoas conseguem passar por exemplo com um edital aberto com 2 meses de preparação intensa e focada, em que 4 horas de estudo de verdade se tornam em tese 8 horas de produtividade ?
  • 22/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Olá Franca, como vai? Passar num concurso TOP em 2 meses a partir do zero? rs...aí não tem atenção focada que resolva. Aí é uma questão de casamento mesmo: não casa o tamanho da matéria com o tempo disponível. O que poderíamos inferir é que a pessoa teria um rendimento melhor, certamente. Mas no prazo de um ano a diferença é grande. Obrigado pela participação! Conte comigo! Abs!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: