Prof. Igor Oliveira

15/11/2015 | 13:21
Compartilhar

Como ser mais eficiente, parte 1 - o conto do enrolador

Joseph e Richard possuem vidas aparentemente semelhantes. Ambos são pais, trabalham o dia todo e estudam para concurso público. Joseph diz que gostaria de aumentar sua renda para poder viajar com sua família nas férias. Além disso, reclama do seu atual emprego, pois tem um chefe chato que adora inventar serviços pequenos, sem sentido, tudo para parecer que está ocupado. Já Richard sonha em quitar seu apartamento financiado e guardar algum dinheiro para sua aposentadoria. Richard tem um chefe legal, mas o trabalho em si, pelas suas próprias características, é muito puxado.

Apesar de terem intenções semelhantes, é bem diferente a forma como Joseph e Richard conduzem suas atividades e rotinas.

Joseph acorda por volta das 07:30, ao passo que Richard acorda às 05:50. Richard leva cerca de 30 minutos para se arrumar, pois deixa sua roupa, mochila e lanches da manhã previamente preparados na véspera. Joseph deixa para arrumar tudo pela manhã e demora 60 minutos para sair de casa.

Richard malha pela manhã. Quando chega na academia não quer saber de papo furado. Dá bom dia a todos, pega sua ficha e vai direto para o que interessa: o treino. Depois de 40 minutos, sem interrupções, Richard completa sua sequência de exercícios. Richard está exausto e tira 10 minutinhos para se socializar com o pessoal da academia e o professor gente boa. Após os 50 minutos de treino + conversa, Richard vai para o vestiário da academia. Toma banho e, 20 minutos depois, vai para o trabalho, onde toma seu café da manhã. Richard percebeu que, se tomasse banho na academia e café no trabalho, economizaria cerca de 30 minutos do seu dia, que é o tempo que ele levaria para voltar em casa e executar todas essas tarefas. Já tendo feito sua atividade física, com o organismo cheio de endorfina, Richard vai feliz para seu trabalho. Academia, treino e banho = 70 minutos.

Joseph, depois de se levantar e arrumar, vai direto para o trabalho e deixa a academia para depois do expediente. Para facilitar nossas contas, vamos considerar que tanto Joseph quanto Richard levam o mesmo tempo de deslocamento (casa/trabalho/academia), cerca de 30 minutos. Sendo assim, como Joseph chega ao trabalho às 9h, ele sai às 17h, considerando 8h corridas de trabalho. Às 17h30min Joseph está na academia. Cansado de um dia exaustivo de trabalho, Joseph conversa muito durante o treino, além de ficar se poupando nos exercícios (se enganando). Depois de conversa e treino, Joseph sai da academia 19h10min, exatamente 100 minutos após ter entrado.

Richard chega ao trabalho por volta de 08h. Considerando 8 horas corridas de trabalho, Richard sai do trabalho às 16h, uma hora antes de Joseph. Às 16h30min Richard está em casa. Ele toma banho tranquilamente e espera seu filho chegar da escola às 17h. Fica com seu filho por 60 min e, às 18h, janta com sua família na mesa, jogando conversa fora. Vez ou outra eles jogam UNO ou dominó. Mas às 19h em ponto Richard senta para estudar. A família dele vê TV, mas apenas depois dele entrar no quarto para estudar.

Joseph chega em casa e vai direto para o banho. Seu filho já está em casa lhe esperando. Depois do banho Joseph fala que está muito cansado e que precisa relaxar. Reclama com a esposa que estudar pra concurso é muito difícil quando se tem filho. Mas Joseph não reserva um tempo para seu filho. Diz que está brincando com ele, mas na verdade está prestando mais atenção ao smartphone/TV que ao filho. Joseph sabe disso, mas não gosta de admitir. Joseph adora ver aqueles filminhos bobos de gatos se esborrachando no chão. Às 20h30min Joseph, depois de ter lanchado em frente à TV, vai para a escrivaninha.

O estudo reflete a vida, já dizia o poeta. Richard, como sempre faz com suas tarefas, é focado. Ao sentar para estudar, desliga o celular e, naqueles minutos que está ali, sabe que concentração é o que interessa. Combinou previamente com sua esposa que só fosse interrompido em uma situação de emergência real. Para evitar que parentes ou amigos ficassem ligando, Richard tira o telefone do gancho. Richard não é médico, nem bombeiro, não há uma emergência que possa realmente esperar algumas horas. Como Richard deu atenção exclusiva ao seu filho (60 min) e à sua família (60 min na hora do jantar), seus entes não reclamam muito do momento de ausência. Seu filho, depois de algumas semanas, já se acostumou à rotina de estudos do pai. A cada 50 minutos Richard faz um intervalo de 10 minutos. Assim, após exatos 150 min de estudo, às 21h50min, Richard encerra suas atividades. Verifica o celular pra ver se tem alguma mensagem. Nada demais. Fofocas, como sempre. Toma um chá (a esposa já deixa o chá pronto), conversa com a família, arruma suas coisas e às 22:40 Richard está na cama. Richard pega seu livro de ficção (A Máquina do Tempo, de HG Wells) e lê por 10 min até apagar.

Joseph, ao sentar para estudar (20h30min), não desliga o celular. Fica preocupado com a possibilidade de alguma emergência. Na verdade, Joseph usa isso como desculpa para ele mesmo, só para ficar vendo a sua rede social favorita "paralelamente" aos estudos. Joseph enrola para ler. Às 21h seu filho o chama seguidamente para mostrar como conseguiu passar de fase no vídeo game. Joseph não tem argumentos para falar “não”. Ele sabe que, no fundo, não deu atenção pra ninguém e só jogou tempo fora. Às 21h10min Joseph volta para a escrivaninha. Entre mexer no celular e tentar ler, Joseph leva cerca de 20min para recobrar sua atenção. Às 21h30min Joseph está lá, decidido de que será Auditor, pois quando for Auditor terá tempo para sua família. Às 23h30min, Joseph, após uma série de pequenas interrupções, é vencido pelo cansaço. Tempo total de estudo = 80 min. Joseph deveria ir para a cama o quanto antes. Mas...está passando uma série incrível! E Joseph fica surfando nos canais da TV até cerca de 1h da manhã, quando apaga no sofá e vai se arrastando para a cama.

Tempo de estudo/sono

Richard - 150 min/7 horas.

Joseph – 80 min de concentração ruim (muitas interrupções)/6h30min.

Eficiência nos estudos

Note que Joseph alocou 3 horas de sua rotina para estudar, mas aproveitou apenas 1h20min. Ou seja, aproveitou 44,44% do tempo para estudar efetivamente.

Já Richard foi efetivo em 83,33% do período que alocou para estudar. Fora que entre academia e rotina matutina ganhou 1h, se comparado a Joseph, o que acaba refletindo um efeito positivo na sua rotina como um todo.

Se considerarmos que ambos lêem uma página a cada quatro minutos, temos que Joseph leu 20 páginas ao passo que Richard leu 37,5 páginas numa mesma sessão de estudos. Considerando que ambos estudaram 300 dias num ano, Joseph terá lido 6.000 páginas e Richard, 11.250 páginas. É como se, num mesmo período de tempo, Richard tivesse estudado praticamente o dobro que Joseph!

E isso porque nem consideramos que Richard, certamente, é mais focado e, por consequência, lê mais páginas que Joseph.

Ainda temos outros fatores envolvidos, pois Richard está vendo seu estudo decolar. Joseph, não. A chance de Joseph desistir será bem maior que a de Richard, sem sombra de dúvidas.

No final das contas, Richard estudou mais, com mais qualidade, ficou mais com sua família e ainda dormiu por mais 30 minutos/dia. Apesar de possuírem rotinas semelhantes, Richard é muito mais eficiente.

Infelizmente, há muito mais Joseph’s que Richard’s. De fato, é muito mais fácil desperdiçar tempo e se justificar por não tê-lo. Eu sei disso, pois já fui um Joseph, mas acordei a tempo de me salvar e me tornar um Richard.

“Ah...mas é complicado”!

Será? Tenha suas certezas bem formadas antes de se julgar e condenar a uma vida medíocre. Não faça tanto drama.

Vamos começar com o básico. Richard é implacável. E ser implacável é a primeira coisa que você deve aprender para ser mais eficiente.

Mas isso, só semana que vem.

Abs!

Igor Oliveira.

Curta minha fanpage no Facebook.

Siga-me no Twitter.

E-mail: igor[arroba]pontodosconcursos.com.br.

=====

Coaching para concursos.

Programa motivacional para concursos públicos.

E-Book gratuito "Ninguém quer ser concurseiro em uma tarde de verão".


Comentários

  • 02/02/2016 - Patricia
    Gostei muito do artigo. Te agradeço imensamente por ser um professor tão motivador, não tem ideia de quanto tem me ajudado. Bjs
  • 03/02/2016 - Prof Igor Oliveira
    hehehe...que bom que gostou! Disponha sempre! Abs!
  • 20/11/2015 - Taisi
    Muito bom ter lido o artigo. Estou com receio de o Richard que havia dentro de mim estar virando em Joseph. Abs professor!
  • 21/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    hehe...segura a onda aí! Abs!
  • 19/11/2015 - Rosangela Costa
    Oi professor, tudo bem? Gostei demais do texto. Pena eu ainda ser o Joseph. Quero ser o Richard. Responda, por gentileza, se puder, meu e-mail sobre o coaching? Muito obrigada Igor.
  • 19/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Olá Rosângela, obrigado pelo comentário. É simples Rosângela. Fique ligada no próximo artigo. Vai te ajudar. Sobre seu email, podexá. Vou te responder com o maior prazer. Abs!
  • 18/11/2015 - Phelippe
    Excelente Igor! Li na segunda-feira, no entanto, comentei só hoje porque realmente essa ideia de tirar tempo para as pessoas importantes e fazer o que tem ser feito acontece uma coisa interessante - mente tranquila e focada. Essa história me fez ver de fora como algumas coisas podem ser simples e ter um efeito gigante. Obrigado mestre!
  • 18/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Pois é rapaz. É exatamente isso. A gente se movimenta muito e foca pouco. Quando a gente elimina as distrações, aparece o essencial. Conte sempre comigo! Abs!
  • 18/11/2015 - Antonio Jose
    Mestre. Muito obrigado pelo excelente artigo. Richard ai vou eu! (hehehehe).
    João 8:32 "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." Precisamos acordar, de verdade, para a vida que levamos para chegarmos a vida que queremos. Obrigado mais uma vez, seus conteúdos são formidáveis ;) Abraços e fica na paz.
  • 18/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Disse tudo Antônio. Sua colocação foi muito pertinente. Vou até anotar aqui. Gostei da frase...rs...conte comigo sempre! Abs!
  • 18/11/2015 - Salmo
    Fala Igor, parabéns pelo artigo. Você, como sempre, muito incisivo nos seus escritos. Há um estágio, igualmente difícil, em que já fomos Richard, sabemos ser Richard e continuamos Joseph.
  • 19/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Olá Salmo. De fato, há mesmo...rs...semana que vem iremos explorar mais o tema. Abs!
  • 17/11/2015 - Lopes
    Esse trecho foi o que mais me chamou a atenção: "Richard não é médico, nem bombeiro, não há uma emergência que possa realmente esperar algumas horas". Acho que na verdade somos um pouco dos dois, Richard e Joseph, espero caminhar na direção do Richard. Já comecei a acordar cedo novamente às 05:00, por incrível que pareça estou com mais disposição.
  • 17/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Massa...rs...mas é verdade. A gente tem um senso de urgência incrível para coisas que não são urgentes...rs...abs!
  • 16/11/2015 - Fabao
    Excelente texto professor Igor!

    Devemos ser implacáveis!

    Abraço
  • 16/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Pode crer Fabao! rs...obrigado pela participação! Abs!
  • 16/11/2015 - Joseane
    Excelente artigo Igor. Nem sempre aquele que tem mais tempo é aquele que mais consegue estudar. A gente que não tem muito, tem que inventar e arrumar um pouco.
  • 16/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Com certeza Josy...rs...o tempo é o tempo que se tem. Conte sempre comigo! Abs!
  • 16/11/2015 - Ederson
    Excelente artigo, como sempre.
  • 16/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Ederson pelo comentário. Disponha sempre! Abs!
  • 16/11/2015 - Carla Aparecida Pere
    Parabéns Igor pelo artigo . Realmente, o tempo somos nós que fazemos e o aproveitamento dele também. Abçs
    Carla
  • 16/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado pelo comentário Carla! Concordo contigo. Nós podemos criar tempo, né? rs...abs!
  • 15/11/2015 - Leandro Lucena
    Valeu professor. Preciso como sempre! Parabéns pelo o artigo!!!
  • 15/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Leandro! Semana quem vem continuamos. Abs e obrigado pelo comentário!
  • 15/11/2015 - Adriano Vidal
    Parabéns pelo artigo professor, muitas vezes nos pegamos sendo esse tipo de pessoa, pois é mais fácil achar desculpas a fazer o que realmente tem que ser feito.
  • 15/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Com certeza Adriano. É preciso estar vigilante sempre e não se deixar cair em distrações. Conte sempre comigo! Abs!
  • 15/11/2015 - Antonio Souza
    Parabéns pelo artigo, Igor!
    Antes do coaching eu tinha alguns pontos em comum com o Joseph, mas agora é só estilo Richard! hehehe
    Que venha a parte 2!

    Abs!
  • 15/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    hehehe...valeu Antônio! Pode crer. É mesmo...rs...abs!
  • 15/11/2015 - LUCAS DE SOUSA
    Muito bom. As pessoas se preocupam tanto em criticar a situação que está, que esquecem que a vida é feita de problemas, e a nossa missão é solucioná-los.
  • 15/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Exato Lucas. Obstáculos faz parte da rotina daqueles que almejam algo melhor. Abs e conte sempre comigo!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: