Prof. Igor Oliveira

25/10/2015 | 13:18
Compartilhar

Use seu cérebro para passar

Há aproximadamente 10.000 anos alguns indivíduos, muito semelhantes a você e eu, iniciaram, com simples gestos pensados, uma revolução que moldou a forma como conhecemos a nossa civilização. Eles pegaram algumas sementes e plantaram. O que hoje parece ser algo simples, na época foi uma verdadeira quebra de paradigma. A partir dessa atitude, o homem, que até então era nômade, passou a fixar residência em um local. Domesticou animais ao invés de simplesmente caçá-los. E, com isso, aumentou a produtividade através da seleção e preservação das espécies mais produtivas. Começou a produzir mais do que consumia e inaugurou o comércio.

Milhares de anos mais tarde, por volta do ano 1700, um astrônomo e físico britânico, Edmond Halley, observou cometas e calculou algumas de suas órbitas, inclusive prevendo que alguns deles estavam passando não pela primeira vez no nosso sistema solar (um deles é o cometa Halley). Qual a importância disso? Antigamente os cometas eram vistos, por várias civilizações, como prelúdios de morte, peste, guerra e outras catástrofes. Havia um “quê” de misticismo envolvendo esses astros. Halley, com seu pensamento, quebrou esse paradigma e, juntamente com outros pensadores, iniciou o pensamento científico contemporâneo.

Halley não parou por aí. Mapeou o campo magnético da Terra, fez avanços significativos na meteorologia e desenvolveu a primeira tábua de mortalidade com base em preceitos científicos. Agora sugiro que os nerds se segurem nos seus acentos. Halley ajudou Isaac Newton (sujeito sistemático) a publicar sua obra Princípios Matemáticos da Filosofia Natural. Reza a lenda que se não fosse Halley com sua teimosia a obra de Newton nunca teria sido publicada. Se isso não tivesse acontecido, talvez hoje não teríamos conhecimento sobre as leis do movimento de Newton, da gravidade e da mecânica.

Por volta de 1830 o Dr. Robert Darwin chegou a dizer que seu filho, o jovem Charles Darwin era “uma vergonha para si e para toda sua família”. O pobre pai tinha razão. Darwin não se interessou pela medicina e foi obrigado a cursar teologia pelo pai. Ainda na faculdade de teologia gostava mais de caçar e colecionar besouros que estudar. Posteriormente, numa viagem de aproximadamente cinco anos, Charles Darwin, a partir da observação de seres vivos e fósseis, desenvolveu a teoria que deu origem ao livro “A Origem das Espécies”.

Em 1928, Alexander Fleming, ao voltar de férias notou que havia esquecido algumas placas com microrganismos em seu laboratório. Ele viu que em volta das colônias havia um bolor que não se contaminava com as bactérias. Posteriormente, ele um amigo mostraram que esse fungo produzia uma substância com efeitos bactericidas (penicilina). Estava descoberto o antibiótico. Pense em quantas vidas esses dois sujeitos salvaram.

Em 1997 dois garotos americanos mapearam a internet através de um mecanismo de pesquisa revolucionário. Os inventores do Google (Larry Page e Sergei Brin) mudaram a forma como nós nos relacionaríamos com a rede mundial de computadores. Além de terem facilitado muito nossa vida.

Em 2012 eu e minha esposa descobrimos, após observar nossas contas, como dividir gastos no cartão de crédito estava nos prejudicando. O fato é que, ao dividir uma compra em seis vezes, no terceiro mês você nem se lembra do que comprou e o conjunto daquelas divisões se somam e formam um passivo gigante no início do mês. Em resumo: você começa o mês devendo sem nem saber o motivo direito. A partir dessa simples percepção, aprofundamos o debate financeiro, ajeitamos nossas contas e passamos a poupar para nossas aposentadorias.

Ainda que ficção (até quando?), vale pontuar que em 2015, no filme Perdido em Marte, o astronauta Mark Watney utilizou seu cérebro para viver em Marte até ser resgatado. Ele calculou quantas calorias necessitava para sobreviver e plantou batatas dentro do módulo de sobrevivência no intuito de complementar sua dieta. Criou água a partir da queima da hidrazina e conseguiu comunicação com a NASA por meio de uma sonda abandonada.

O que isso tudo tem em comum? E qual a relação com concurso público?

Ora, tudo.

Os homens do neolítico, Halley, Newton, Darwin, Fleming, os garotos do Google, o astronauta, minha esposa e eu somos todos humanos e utilizamos, cada qual em seu nível, nossos cérebros para resolver os problemas que nos afligiam. Em todas essas corridas a partida foi uma só: a observação sistemática. Em todos esses exemplos os protagonistas pararam o que estavam fazendo para observar de perto aquilo que os incomodava. E, partir dessa observação, desenvolveram, na tentativa e erro, soluções para seus problemas. Atitudes disciplinadas e pensadas levaram gerações de seres humanos a encontrar respostas para suas questões.

Com compaixão digo que muitos de nós, ao ingressarem na jornada por um cargo público, o fazem sem parar para pensar no que estão fazendo. E, durante o processo em si, se frustram e perdem o juízo por conta de fatos muito óbvios, como a necessidade de se errar e praticar para aprender.

É como se reagissem a cometas e morressem de febre por falta de antibióticos hoje facilmente comprados na farmácia da esquina. Respondem a qualquer estímulo externo sem o menor senso crítico. E se desesperam com isso. Não procuram ter um entendimento completo do processo. Simplesmente reagem, como os homens do neolítico que mudavam de local para buscar comida ou minha esposa e eu comprando alegres no cartão de crédito sem se dar conta do que estávamos fazendo.

Todos somos dotados de um capacidade incrível de raciocínio e me entristece ver pessoas com saúde se aborrecendo com problemas simples e na prática resolvidos, como a incapacidade de estudar um edital gigante em dois meses que antecedem a prova. Reagir a editais sem pensar ou dar chiliques porque não sabe fazer uma redação não é a postura de um ser dotado de uma máquina magnífica como nosso cérebro.

Não negligencie seu poder de raciocínio e sua habilidade de resolver problemas. Você é incrível! Se você se interessar de verdade e parar para observar com calma o processo irá descobrir soluções criativas e inusitadas para seu problema de “passar em um concurso público”. Ainda que leve tempo ou você erre bastante, entenda que isso faz parte do grande processo de experimentação. Darwin demorou cinco anos para escrever seu livro e minha família levou dois para equilibrar as contas. Nenhuma mudança significativa na história de ninguém aconteceu do dia pra noite e foi isenta de erros, acertos e reviravoltas. Bem como não passou pelo esforço intelectual e apaixonado de descobrir a verdade por si mesmo.

Abs!

Igor Oliveira.

Curta minha fanpage no Facebook.

Siga-me no Twitter.

E-mail: igor[arroba]pontodosconcursos.com.br.

=====

Programa motivacional para concursos públicos.

E-Book gratuito "Ninguém quer ser concurseiro em uma tarde de verão".


Comentários

  • 02/11/2015 - Antonio Jose
    Mestre, Muito obrigado pelo excelente artigo. Vamos em frente, sempre!
    Fica na paz, abraços ;)
  • 02/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Antônio! Muito obrigado! Abs e conte sempre comigo!
  • 02/11/2015 - Terezinha Vilas Boas
    Que dom maravilhoso. Seus textos servem tanto para mim. Parece que te conto os meus dramas antes de vc escrevê-los. Muito obrigada!
  • 03/11/2015 - Prof Igor Oliveira
    hehehe...legal Terezinha. Obrigado pelo comentário. Fico feliz em ajudar. Espero que vá ao webinar. Vai ser bem bacana. Abs!
  • 28/10/2015 - Ana Aires
    Belo artigo, professor! Obrigada! Espero toda semana poder curtir textos maravilhosamente motivacionais como este!!!
  • 29/10/2015 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Ana! Que bom que gostou! Conte sempre comigo! Abs!
  • 26/10/2015 - Taisi
    Muito bom o artigo professor! Abs.
  • 26/10/2015 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Taisi! Conte sempre comigo! Abs!
  • 26/10/2015 - Phelippe
    É incrível quando chega segunda-feira, de manhã; o meu cérebro já sabe que tem um texto incrível me esperando. Muito obrigado mestre! Pensar antes de tomar uma ação, ter criatividade, mesmo depois de muitos erros, pode ser, e é, a chave se conseguir algo ou chegar no seu sonho. Adsumus!
  • 26/10/2015 - Prof Igor Oliveira
    Com certeza Phelippe. Não tenha dúvidas. Coisas incríveis acontecem quando vc começa a pensar por si mesmo. Abs e conte sempre comigo!
  • 25/10/2015 - Simone Mirnad
    Salve Comandante!
    Foco na missão! rs
    Adsumus
  • 25/10/2015 - Prof Igor Oliveira
    Brasilll! ;)
  • 25/10/2015 - Jerley Dantas
    Que interessante essa história do Halley,Igor!Acredito que as pessoas, de um modo geral, não param pra pensar em como estarão daqui a um certo tempo em suas vidas,ou seja,não se planejam para trilhar um caminho e fazer um trabalho de formiguinha, querem resolver seus problemas a curto prazo. As nossas ideias,reflexões e sábias decisões irão definir como a gente estará daqui a alguns anos. Abs amigo!
  • 26/10/2015 - Prof Igor Oliveira
    Ei Jerley! Pois é. Se não pensar, raciocinar, as ações são difusas, sem sentido. Tem que agir, mas com sabedoria, né? rs...abração!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: