Prof. Bruno Fracalossi

07/10/2015 | 13:00
Compartilhar

O paradoxo da crise e as metas realistas!

Fala pessoal, tudo bem?

Hoje eu escrevo um pouco sobre algo que eu observo constantemente entre os milhares de concurseiros que eu tenho contato.

Eu a nomeei de “o paradoxo da crise”!

Que treco é esse, professor?! De onde você tirou isso?

Calma! Aposto que você conhece muitas pessoas que possuem essa “doença”.

Você não convive com pessoas que ficam desesperadas para que o edital não saia de maneira alguma, pois elas ainda não estudaram todo o conteúdo, e sentem que não vão passar!

E me diga se essas pessoas não são as mesmas que se desesperam ainda mais quando vem uma crise e suspende os concursos por um tempo?

Ou seja, tem edital bombando, a pessoa está reclamando que não estudou direito. Os concursos são suspensos, ela está reclamando que não vai ter edital para ela estudar!

Não é assim que se passa em concurso, pessoal!

O imediatismo é muito difundido em nossa cultura.

Em se tratando de concursos públicos então, é muito mais forte.

Muitos dos meus alunos entram no projeto do Coaching e me dizem assim: - Professor, preciso passar em 6 meses!

Para esses casos, o meu foco de abordagem já é diferente dos demais.

O meu primeiro trabalho com eles não é o de definição de foco e planejamento, mas de quebra do paradigma de que há um tempo máximo definido para ser aprovado.

Não existe esse tempo! Não existe isso de : se eu não for aprovado em 6 meses, desisto!

Você já viveu situações em que você está esperando algo muito importante há muito tempo ja e não aguenta mais. E você estipula mentalmente um prazo de espera. Se fulano não chegar em 20 minutos eu vou embora. E o tempo vai chegando e você vai dando mais prazo. Só mais 5 minutos, fim de papo. E você acaba ficando até a pessoa chegar?

Com os concursos é a mesma coisa. Você dá 6 meses de prazo e vive ansioso por todo esse tempo. Terminou o prazo, você dá mais 6 meses. É sempre assim, então para que estipular prazos dessa forma?

Não tem como desistir de algo tão importante! Você não desiste da pessoa que estava esperando, desiste (na maioria das vezes não, rsss)?

O que eu tento mudar em seus pensamentos é a questão das metas realistas!

Estabeleça metas de 6 meses para cumprir determinada quantidade de horas líquidas, ou para terminar determinado conteúdo, mas cumpra essa meta, pois ela depende você.

Passar em um concurso em 6 meses não depende somente de você. Depende de fatores aleatórios, e isso você não consegue controlar.

O que você consegue controlar, e ainda não totalmente, é o cumprimento de uma meta adequada e realista que se coadune com a sua rotina de atividades diárias.

Ao definir essa meta de 6 meses e cumpri-la, você terá respeitado um planejamento inicial, e ele te dará respaldo para o próximo período de metas. Ou até mesmo não, pois esses 6 meses de metas cumpridas poderão te levar a uma aprovação antes, durante ou depois desse tempo cabalístico.

A nossa vida se desloca no tempo, e o tempo é algo muito relativo (depois que você for aprovado, e puder estudar algo diferente de Direitos, Português etc., dê uma lida na teoria da relatividade de Einsten).

Não adianta estipular prazos para ser aprovado. Agora estipular prazos para cumprir um cronograma funciona demais. Ele não te deixa procrastinar, não te deixa ficar mole demais nos estudos, e não te deixa pegar pesado demais antes da hora.

Estabeleça metas de estudo de curtíssimo (um dia), curto (uma semana), médio (um mês) e longo prazo (um ano). E cumpra-as! A sensação será de realização, e a aprovação virá naturalmente!

Beleza?

Abaixo eu listo 5 fatores a serem observados em um tempo de crise como o que estamos vivendo no momento:

1 – Não se desespere

Os concursos voltarão. Ano que vem teremos vários, com nomeações em 2017. Sempre foi assim, e isso não vai mudar. Com o fim do abono de permanência então, mais de 30% da força de trabalho Federal vai se aposentar, e a promessa é de grande bonança de vagas após essa tempestade.

2 – Não mude de foco

Crise é uma desculpa excelente para voltar a atirar para todos os lados. Faça isso e você ainda estará estudando na próxima crise.

3 – Não desanime

O momento é de aparar as arestas, e estudar todo o conteúdo teórico com tranquilidade. Aproveite esse tempo que você ganhou para formar a sua base.

4 – Não dê ouvido aos derrotistas

Nem preciso falar que é para se afastar completamente dessas pessoas, não é? Se reclamar resolvesse alguma coisa, o Brasil seria um país de primeiro mundo.

5 – Não desista

Não cometa esse erro. Você vai se arrepender e vai voltar para a fila no ano que vem, me escute. Só que aí terá perdido o seu lugar, e terá que entrar na rabeira dela!  

              

Informo que encontra-se disponível no meu grupo do Facebook, na parte de arquivos, a amostra do meu novo livro: Manual das Principais Bancas Examinadoras de Concursos Públicos, com os capítulos Esaf e Cespe.

Mas é somente para aqueles que se cadastrarem!

Estou sorteando vários livros nele!

As regras e o grupo estão nos links abaixo:

Regras dos sorteios

Técnicas de Preparação para Concursos Públicos (no grupo, todos os dias, um tema motivacional ou um texto interessante, meu e de outros autores).

Deixo aqui também o link para acessar as minhas turmas de Coaching para concursos:

Coaching - Bruno Fracalossi

Está lançada a turma 33! Limitada a 5 alunos, ela começa no dia 08/10. Quem se matricular começa imediatamente, ok, e ganha alguns dias de trabalho gratuito!

Seguem seis entrevistas com aprovados do meu programa de Coaching:

https://www.pontodosconcursos.com.br/entrevistas2.asp?art=12660

https://www.pontodosconcursos.com.br/entrevistas2.asp?art=12590

https://www.pontodosconcursos.com.br/entrevistas2.asp?art=12550

https://www.pontodosconcursos.com.br/entrevistas2.aspart=12175

https://www.pontodosconcursos.com.br/entrevistas2.asp?art=12058

https://www.pontodosconcursos.com.br/entrevistas2.asp?art=12268

 

Seguem também as aulas do nosso curso online grátis de Técnicas de Preparação!

Aqui eu abordo desde os fatores necessários a um bom planejamento, passando pela execução, até o seu momento da aprovação.

Veremos:

- COMO DEFINIR E MANTER O MEU FOCO NÃO CEDENDO ÀS PRESSÕES EXTERNAS;

- COMO EQUILIBRAR A MINHA VIDA EM TODOS OS ASPECTOS;

- COMO ESTIPULAR METAS (NEM MUITO LEVES, NEM MUITO PESADAS);

- COMO ELABORAR UM PLANEJAMENTO DE CURTO E DE LONGO PRAZO;

- COMO SER MAIS DISCIPLINADO;

- CRIANDO UM RECEPTOR DE FEEDBACKS;

- TÉCNICAS DE RESUMOS;

- TÉCNICAS DE APRENDIZAGEM ACELERADA E DE MEDITAÇÃO FORÇADA;

- NÃO DÁ PARA USAR LEITURA DINÂMICA NOS ESTUDOS PARA CONCURSOS, MAS HÁ COMO LER MAIS RÁPIDO. COMO? 

- TÉCNICAS MOTIVACIONAIS E EMOCIONAIS; COMO CONTROLAR A MINHA ANSIEDADE E AUMENTAR A MINHA CONCENTRAÇÃO?;

- ERROS E ACERTOS DE UM CONCURSEIRO;

- TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA APLICADA AOS ESTUDOS;

- TÉCNICAS DE DISCURSIVAS; 

- AS MALÍCIAS DE UM CONCURSEIRO EXPERIENTE E COMO PRIORIZAR VOCÊ EM DETRIMENTO DOS OUTROS QUE NÃO RESPEITAM A SUA CAUSA;

O curso todo terá muito mais do que as 8 horas inicialmente previstas, e eu irei dividí-lo em aulas de 30 minutos aproximadamente, para que não fique muito cansativo!

Abaixo os links das aulas 01 a 10:

Aula 01

Aula 02

Aula 03

Aula 04

Aula 05

Aula 06

Aula 07

Aula 08

Aula 09

Aula 10

 

Um abraço.

Prof. Bruno Fracalossi 

Logo do Ponto 

brunofracalossi@pontodosconcursos.com.br

www.facebook.com/bruno.fracalossipaes

Grupo Técnicas de Preparação para Concursos - Facebook

 

  



 



 



 


Comentários

  • 09/10/2015 - Phelippe
    Excelente Bruno. Bem, essa de crise é manter o foco e a disciplina, ainda que seja um desafio. Uma pergunta: se o concurso escolher outra banca examinadora, e as matérias continuarem a mesma, isso seria também mudar de foco? Por exemplo, um órgão público resolveu mudar do CESPE para a ESAF, o que acha? Abraço.
  • 09/10/2015 - Prof Bruno Fracalossi
    Nesses casos, o que mais muda é o foco de cobrança, simplesmente. Um abraço.
  • 08/10/2015 - vingador
    Sabias suas palavras e com certeza irao ajudar a muitos.O problema e quando a gente se doa a um projeto (passar num concurso ) e o resultado nao chega ,embora tenhamos estudado muito tempo(estudar dez anos para um concurso ,usando estrategias incorretas,acredito que "iguale" um candidato que estude corretamente por um ano).
    Talvez seja palavra inapropriada para este local,mais o certo e que desistir(unicamente neste caso) parece ser a opcao mais razoavel(as vezes podemos falar de um "destino";ou quem sabe ,minha incompetencia e tamanha que jamais consigo.Ha pouco tempo fiz um ,era dos meus sonhos,e nao conseguir).
    Nao quero desestimular a ninguem,apenas compartilhar o que acho e debater ideias.
  • 09/10/2015 - Prof Bruno Fracalossi
    Olá meu amigo, tudo bem? O problema é que desistir acaba confirmando essa perda de 10 anos de vida, sendo que a sua redenção poderia estar bem próxima Certas escolhas determinam que a desistência não é uma opção. E, para mim, estudar para concursos públicos é algo sem volta. Se começou, tem que ir até o fim. Mas é a minha opinião, ok? Um grande abraço e obrigado pelo comentário.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: