Prof. Juliana Renz

24/09/2015 | 20:12
Compartilhar

Comentários - Prova de Psicologia TJ/RO

COMENTÁRIOS SOBRE A PROVA - Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia   - FGV –Analista Judiciário - Especialidade - Psicólogo  -  Tipo 1 – 2015



 



 



Certo alunos, provinha mediana, nosso curso respondeu aproximadamente 65% das assertivas dessa prova, feliz aquele que conseguiu estudar para valer nossas apostilas :D :D



 



(Questões de Psicologia  da 21 até 53)



 



21 João e Maria vivem uma situação de litígio em relação à filha comum, que se recusa a ver o pai e os familiares desse último. Segundo a mãe, tal repúdio se deve ao fato de a criança ter sofrido maus tratos por parte dos avós paternos, conforme supostamente ela lhe revelou. Por sua vez, a acusação é prontamente rebatida pelos familiares paternos, de tal modo que, com base na Lei nº 12.318/2010, João acusa Maria de alienação parental. A esse respeito, é correto afirmar que:



(A) os atos de alienação parental devem ser necessariamente constatados pela perícia, após declarados pelo juiz;



(B) declarado indício de ato de alienação parental, o processo terá a tramitação normal, a menos que se verifique situação de violência contra a criança ou o adolescente;



(C) caracterizados atos de alienação parental, o juiz poderá destituir o pátrio poder do alienador e aplicar sanção penal caso apresente relato falso à autoridade judiciária;



(D) apresentar falsa denúncia contra avós para dificultar ou obstar a convivência é um exemplo tipificado como ato de alienação parental;



(E) as partes deverão utilizar o procedimento de mediação judicial ou extrajudicial para a solução do litígio, antes ou no curso do processo judicial. 



 



Resposta correta é a letra “D”. Aula 05, página 72, vejamos: De acordo com a Lei nº 12.318/2010 em seu artigo 2º a alienação parental é “a interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob a sua autoridade, guarda ou vigilância para que repudie genitor ou que cause prejuízo ao estabelecimento ou à manutenção de vínculos com este”.



Assunto reforçado em nossa aula 07, página 12 e 13: ” O comportamento do alienador é patológico, descontrolado e desconectado da realidade, assim quando uma situação sai do controle, ele supervaloriza o fato, exagera nas emoções, distorce as informações, da realidade e passa a assumir o papel de vítima (Silva, 2012). Como possui essa patologia pode sim, em uma falsa denúncia, criada por ele próprio, desapontar-se por não ser uma verdade”.



 



 



22 O ano de 2015 foi sem dúvida importante para a mediação no Brasil, na medida em que foi sancionada a lei nº 13.140/2015 que dispõe sobre o seu uso entre particulares como meio de solução de controvérsias e a autocomposição de conflitos no âmbito da administração pública.  Com relação à mediação, analise as afirmativas a seguir:



 I - Considera-se mediação a atividade técnica exercida por terceiro imparcial sem poder decisório, que, escolhido ou aceito pelas partes, as auxilia e estimula a identificar ou desenvolver soluções consensuais para a controvérsia.



II - A mediação será orientada pelos princípios de imparcialidade do mediador, isonomia entre as partes, oralidade, informalidade, autonomia da vontade das partes, busca do consenso, confidencialidade e boa-fé.



III - A pessoa designada para atuar como mediador tem o dever de revelar às partes, antes da aceitação da função, qualquer fato ou circunstância que possa suscitar dúvida justificada em relação à sua imparcialidade para mediar o conflito, oportunidade em que poderá ser recusado por qualquer delas.



Está correto o que se afirma em:



(A) somente I;



(B) somente II;



(C) somente I e III;



(D) somente II e III;



(E) I, II e III. 



 



Resposta correta é a letra “E”.



Conforme nossa aula 07 na página 14: “O mediador espera e auxilia que as próprias pessoas encontrem uma solução para o conflito familiar, a partir de diálogos, orientações e entrevistas (Silva, 2012).  



Objetivos a mediação familiar, a saber:



      Esclarecer as reais necessidades e interesses de todos os envolvidos, para que as soluções sejam satisfatórias e cumpridas através de acordos viáveis;”.



Já na página 15, segundo Grunspun (2000), no Brasil, o mediador familiar é um profissional voluntário, não precisa ser psicólogo, que deve estar preparado para alcançar um acordo nas controvérsias, conflitos, litígios (...)



Em relação a LEI Nº 13.140, DE 26 DE JUNHO DE 2015 em seu Art. 2o A mediação será orientada pelos seguintes princípios: 



I - imparcialidade do mediador; 



II - isonomia entre as partes; 



III - oralidade; 



IV - informalidade; 



V - autonomia da vontade das partes; 



VI - busca do consenso; 



VII - confidencialidade; 



VIII - boa-fé.



 



23 Maurício e Roberta estão separados há dois anos e possuem um filho, Bruno, com três anos de idade. Maurício possui o direito de conviver com Bruno, sob forma de visita regulamentada, em finais de semana e quartas-feiras quinzenais. Contudo, ele sentiu-se incomodado com as dificuldades em obter informações de interesse do filho, especialmente as escolares, além de pretender passar mais tempo em sua companhia. Assim, Maurício ajuizou uma ação de guarda compartilhada, sobre a qual é correto afirmar que:



(A) a guarda compartilhada pressupõe necessariamente a alternância do tempo de convívio com o filho, devendo ser consideradas as condições fáticas e os interesses dos filhos;



(B) quando não houver acordo quanto à guarda do filho, encontrando-se ambos os genitores aptos a exercer o poder familiar, será aplicada a guarda compartilhada, salvo se um deles declarar ao magistrado que não deseja a guarda do menor;



(C) para estabelecer as atribuições do pai e da mãe, o juiz poderá basear-se em orientação técnico-profissional ou de equipe interdisciplinar, cabendo à parte interessada ajuizar outra ação, de regulamentação de visita, para que seja definida a convivência familiar;



(D) se o juiz verificar que o filho não deve permanecer sob a guarda do pai ou da mãe, deferirá a guarda a pessoa com maior relação de afinidade e afetividade e condições financeiras para o seu sustento;



(E) não há obrigação legal para a prestação de informações por parte do estabelecimento público ou privado a qualquer um dos genitores. 



        Resposta correta é a letra “B”. De acordo com a aula 08 página 15, a preferência atualmente é da guarda compartilhada, mas não havendo possibilidade para tal procura-se averiguar o genitor mais indicado para exercer a guarda do seu filho.



 



24 Luciana iniciou o trabalho como psicóloga do Tribunal de Justiça e precisa saber como organizar os laudos decorrentes de suas avaliações psicológicas. Para tanto, consultou a Resolução CFP nº 001/2009 que dispõe sobre a obrigatoriedade do registro documental decorrente da prestação de serviços psicológicos. Segundo a resolução:



(A) o registro documental em papel ou digitalizado tem caráter público quando se tratar de atendimento realizado em instituição pública;



(B) os documentos agrupados nos registros devem contemplar identificação do usuário, procedimentos técnico-científico realizados, diagnóstico e prognóstico;



(C) a guarda do registro documental é de responsabilidade do psicólogo, da equipe multiprofissional do caso atendido e do chefe de setor imediato;



(D) o registro documental serve como meio de prova idônea para processos disciplinares e defesa legal; 



(E) fica garantido ao usuário ou representante legal o acesso parcial, mediante autorização do psicólogo, às informações registradas em seu prontuário. 



 



Resposta correta é a letra “D”. Vejamos o memorex da nossa aula 02 página 31 já nos ajudava a responder a questão e lembrar no Art. 4º, parágrafo segundo dessa lei que se encontra na aula 02 página 27, a saber: “Art. 4º, § 2º. O registro documental deve ser mantido em local que garanta sigilo e privacidade e mantenha-se à disposição dos Conselhos de Psicologia para a orientação e fiscalização, de modo que sirva como meio de prova idônea para instruir processos disciplinares e à defesa legal”.



 



 



25 Um juiz encaminha ao psicólogo uma criança cujos pais disputam a guarda para a realização de perícia. Com base nas resoluções CFP nº 017/2012, que dispõe sobre a atuação do psicólogo como perito nos diversos contextos, e CFP nº 008/2010, que dispõe sobre a atuação do psicólogo como perito e assistente técnico no Poder Judiciário, é correto afirmar que:



(A) o trabalho pericial terá como garantia o princípio fundamental de bem-estar exclusivo da criança; (Lei 017/2012, Art. 3º, aula 02 – pág. 69).



(B) o periciado deve ser informado acerca dos motivos, das técnicas utilizadas, datas e local da avaliação pericial psicológica; 



(C) quando a pessoa atendida for criança, é necessário o consentimento formal de pelos menos um dos genitores, mesmo não sendo o responsável legal; (Lei 017/2012, Art. 4º, § único; aula 02 – pág. 69).



(D) a devolutiva do processo de avaliação deve direcionar-se para a síntese da demanda inicial, explicitação dos procedimentos utilizados, o diagnóstico e prognóstico; (direcionar para os resultados dos instrumentos e técnicas utilizados – art. 10 da lei 017 de 2012; aula 02 página, 70).



(E) em seu relatório, o psicólogo perito pode adentrar as decisões judiciais referentes à guarda da criança.  (não interfere, só subsidia)



Conforme nossa aula 02 em sua página 69 na resolução nº 017 de 2012 no Art. 4º – O periciado deve ser informado acerca dos motivos, das técnicas utilizadas, datas e local da avaliação pericial psicológica.



 



 



26 “Sua majestade, o bebê” é a expressão encontrada por Freud (1914) para designar o investimento libidinal dos pais sobre a criança na formação de seu ego. Mais do que simplesmente uma fase evolutiva, corresponde a uma estase da libido que nenhum investimento de objeto permite ultrapassar completamente. Para tanto, Freud lança o conceito de:



(A) complexo de Édipo;



(B) sexualidade infantil perverso-polimorfa;



(C) recalcamento originário;



(D) complexo de castração;



(E) narcisismo. 



 



 Resposta correta letra “E”. Aula 06, página 15; 16 e 19 . Em nosso conceito sobre narcisismo já irimos conseguir responder essa assertiva, mas é na página 19 que aprendemos que ele o ideal do ego é herdeiro do narcisismo original.



  



27 Pierre Legendre é um autor de inegável importância nas discussões entre o direito e a psicanálise. Para o autor, a humanidade vive e se reproduz dando sentido ao face a face entre pais e filhos, de acordo com a estrutura do interdito e as modalidades jurídicas. Donde a importância das categorias genealógicas de filiação, sem as quais não é possível sequer a reprodução da vida humana. As categorias de filiação e, portanto, de reprodução são garantidas pelo poder genealógico que emana:



(A) do totem e tabu;



(B) do Pai primitivo;



(C) do Estado;



(D) da sociedade disciplinar;



(E) do complexo de Édipo. 



  



Resposta correta é a letra “C”. Essa era de arrepiar, lembra que comentei que a FGV sempre lançava uma assertiva para amedrontar, mesmo não tendo estudado sobre o Pierre Legendre que realmente diz que o poder genealógico é do Estado, você acertaria por eliminação, pois as alternativas “A” e “E” se referem ao Freud; na alternativa “D” não podemos dizer que isso fica em poder da sociedade disciplinar pura invenção da banca, poderiamos ficar em dúvida entre a “C” e a “B”, mas aí era só lembrar que o enunciado da questão se remete ao direito e a psicanálise e em nenhuma leitura sobre esses assuntos em nossa material lemos essa denominação, então sobrou o Estado que sempre quis ter o poder frente ao povo.



 



 28 De forma controversa, o Depoimento sem Dano ou Depoimento Especial tem sido justificado pelo art. 12 da Convenção Internacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que preconiza o direito de a criança expressar suas opiniões livremente sobre todos os assuntos relacionados a ela e ser ouvida em todo processo judicial ou administrativo que a afete. Por sua vez, o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA), na Resolução nº 169/2014, estabelece que o atendimento não pode agravar o sofrimento psíquico de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de crimes, devendo-se respeitar o tempo e o silêncio de quem é ouvido. Sobre esse assunto, é correto afirmar que:



(A) o direito de se expressar não é equivalente à obrigação de depor como vítima ou testemunha de um crime;



(B) o psicólogo é o profissional mais qualificado para a inquirição da criança vítima de violência;



(C) o método tradicional de depoimento da criança em audiência oferece menos dano do que o Depoimento Especial;



(D) a subjetividade, de acordo com a psicologia e a psicanálise, não tem ligação com as leis e as formas jurídicas;



(E) a criança não deveria ser escutada em processos judiciais na medida em que a expõem a situações perturbadoras. 



 



Resposta correta é a letra “A”. Conforme consta na aula 07 página 8: “A escuta de crianças e adolescentes deve ser pautada pela doutrina da proteção integral, pela legislação específica da profissão, em marcos teóricos, técnicos e metodológicos da Psicologia como ciência e profissão. Nesse sentido, portanto, não é papel do psicólogo tomar depoimentos ou fazer inquirição judicial (CFP, 2010)”.



 



29 A psicologia iniciou sua trajetória científica através do estudo experimental dos processos psicológicos, os “elementos da mente”. Contudo, ela não ficou restrita aos limites do laboratório, dando origem a testes e avaliações que pudessem ser aplicados em diversos locais e com várias pessoas ao mesmo tempo. Com a acumulação de saber sobre a percepção, motivação e emoção, memória, aquisição de hábitos, tempo de reação, etc., a psicologia realizou historicamente a primeira grande aproximação com o campo do direito com o principal objetivo de:



(A) definir o melhor guardião para os filhos de casal separado;



(B) habilitar famílias e preparar órfãos e enjeitados para a adoção;



(C) acompanhar medidas socioeducativas para jovens infratores;



(D)controlar os casamentos para evitar a transmissão da degenerescência;



(E) avaliar a fidedignidade do testemunho em relação a um ato criminal. 



 



Resposta correta letra “E”. Em nossa aula 08 na página 4 há um comentário sobre a psicologia ser denominada Forense na Argentina, aqui no Brasil ela é um ramo novo, mas sua primeira aproximação com o campo do direito foi no contexto Forense.



 



 30 Importantes transformações sociais, advindas do processo de redemocratização da sociedade brasileira, no decorrer da década de 1980, tiveram influência significativa na produção textual da Constituição de 1988 e na promulgação do Estatuto da Criança e do Adolescente em 1990. Com relação às diferenças de abordagem social e jurídica das concepções menoristas e a atual concepção estatutária diante das crianças e adolescentes autores de atos infracionais, analise as afirmativas a seguir:



I - Na hipótese de cometimento de ato infracional as crianças não serão alvo de medidas socioeducativas, devendo ser encaminhadas para os Conselhos Tutelares. (Art. 101 - ECA, aula 08 página 60).



II - A concepção menorista, expressa nos Códigos de Menores de 1927 e de 1979, fundou-se na Doutrina Jurídica da Situação Irregular, cuja principal característica é se destinar a uma categoria sociologicamente indefinida, os “menores em situação irregular”. (Sim, antes da influância da CF de 1988 a Doutrina Jurídica da Situação Irregular teve grande abrangencia nesses Códigos, mas atualmente utilizamos o Estatudo da Criança ).



III - A Doutrina Jurídica da Proteção Integral considera crianças e adolescentes como sujeitos de direitos, o que se revela desafiante na construção de novas práticas institucionais. (Qualquer prática institucional é desafiante, imagina, então, quando se trata de crianças e adolescentes).



Está correto o que se afirma em:



(A) somente I;



(B) somente I e II;



(C) somente I e III;



(D) somente II e III;



(E) I, II e III. 



Resposta correta é a letra “E”.



 



31 Renata e Daniel convivem maritalmente há cinco anos e são responsáveis pela assistência moral, material e educacional do filho de Renata, Yuri, de 4 anos. Muito embora a criança tenha sido reconhecida legalmente pelo pai biológico, Antônio, esse não mantém qualquer contato com o filho desde o nascimento. Diante disso, Daniel decidiu adotar Yuri. Segundo as disposições trazidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, é correto afirmar que:



(A) Daniel precisará se habilitar para adoção do menino, devendo ser inscrito no Cadastro Nacional de Adoção;



(B) o processo de adoção formulado por Daniel não necessitará do consentimento de Antônio, já que ele não convive com o filho;



(C) a adoção será deferida em favor de Daniel e a revelação sobre a origem biológica de Yuri não será necessária, pois o menino acredita ser filho biológico do adotante;



(D) como se trata de hipótese de adoção unilateral, não será necessária a habilitação do adotante para inserção no Cadastro Nacional de Adoção;



(E) a adoção será deferida em favor de Daniel, mas deverá ser precedida de estágio de convivência com o adotante. 



 



Resposta correta é a letra “D”. Fácil essa assertiva, está lá na nossa lei do ECA na aula 08 na página 28 e posteriores, artigo 41 parágrafo primeiro combinado com o art. 44, 45 e art. 50 parágrafo 13, inciso I.



 



32 Jonathan, 15 anos, foi pego em flagrante na prática de ato infracional. Na audiência, a autoridade judiciária aplicou a medida socioeducativa de internação ao adolescente. Com relação a essa medida, é correto afirmar que:



(A) será permitida a realização de atividades externas, a critério da equipe técnica da entidade, salvo expressa determinação judicial em contrário; (Art. 121, parágrafo primeiro – ECA, aula 08 página 69).



(B) será aplicada com prazo determinado, ao término do qual será reavaliada a condição do socioeducando;



(C) a critério da autoridade judicial, em situações excepcionais, a medida de internação poderá exceder a três anos;



(D) durante o período de internação, exceto provisória, serão obrigatórias atividades pedagógicas;



(E) a autoridade judicial, ouvido o Ministério Público, poderá determinar a incomunicabilidade do adolescente, se existirem motivos sérios e fundados nesse sentido.  



        Resposta correta é a letra “A”. Está no artigo 121 do Estatuto da Criança e do Adolescente, § 1º na aula 08 página 69.



 



33 Em consonância com a Resolução do Conselho Federal de Psicologia nº 008/2010, considera-se que o psicólogo assistente técnico:



(A) é o profissional designado a assessorar a Justiça no limite de suas atribuições, emitindo posicionamento de sua competência teórico-técnica, a qual subsidiará a decisão judicial;



(B) é o profissional de confiança da parte para assessorá-la e garantir o direito ao contraditório, não sendo sujeito a impedimento ou suspeição legais; (CONSIDERANDO que os assistentes técnicos são de confiança da parte para assessorá-la e garantir o direito ao contraditório, não sujeitos a impedimento ou suspeição legais – aula 02 página 59).



(C) deve estar presente durante a realização dos procedimentos metodológicos que norteiam o atendimento do psicólogo perito e vice-versa;



(D) produzirá relatório de cunho decisório sobre a dinâmica em análise, de forma a subsidiar o juiz, que não possui a expertise para decidir em conflitos relacionais;



(E) complementará (analisar) o estudo psicológico resultante da perícia, elucidando (esclarecendo) quesitos porventura (hipótese) propostos pelo psicólogo perito. 



Resposta correta é a letra “B”. Para quem marcou a letra “E”, realmente estava “danada” essa assertiva, vamos entender o erro, na literalidade do texto da Resolução mostra que os quesitos serão elaborados, formuados... esclarecidos serão os pontos não contemplados.



Realização da Perícia - Art. 2º, parágrafo único. A relação entre os profissionais deve se pautar no respeito e colaboração, cada qual exercendo suas competências, podendo o assistente técnico formular quesitos ao psicólogo perito.



Produção e Análise de Documento - Art. 8º - O assistente técnico, profissional capacitado para questionar tecnicamente a análise e as conclusões realizadas pelo psicólogo perito, restringirá sua análise ao estudo psicológico resultante da perícia, elaborando quesitos que venham a esclarecer pontos não contemplados ou contraditórios, identificados a partir de criteriosa análise.(aula 02).



 



34 Elisa é psicóloga clínica. Em seu consultório atende Marília, que está se separando de Oscar, seu companheiro há 10 anos e com quem possui uma filha, Clara, de 6 anos. Diante dos conflitos advindos da separação, Marília pergunta se Elisa poderá atuar como perita ou assistente técnica em seu processo de separação. À luz das Resoluções do CFP nº 017/2012 e nº 008/2010, Elisa:



(A) poderá atuar tanto como perita quanto como assistente técnica no processo apenas se houver consentimento expresso de Oscar;



(B) somente poderá atuar como perita no processo;



(C) somente poderá atuar como assistente técnica no processo;



(D) não poderá atuar nem como perita nem como assistente técnica no processo;



(E) poderá atuar como perita e/ou como assistente técnica, independentemente da autorização de Oscar. 



Resposta corrta é a letra “D”. Aula 02 página 60: “CONSIDERANDO que é vedado ao psicólogo ser perito, avaliador ou parecerista em situações nas quais seus vínculos pessoais ou profissionais, atuais ou anteriores, possam afetar a qualidade do trabalho a ser realizado ou a fidelidade aos resultados da avaliação;”.  



 



35 Cláudia atua como psicóloga na instituição de acolhimento Paz e Vida, de cunho religioso, que atende meninos de 12 aos 18 anos incompletos. No início desse ano, o adolescente Evandro, 16 anos, foi acolhido na instituição por se encontrar em situação de rua. O ingresso do adolescente no ambiente institucional causou grande constrangimento, pois o jovem se declara abertamente homossexual, o que conduziu Miguel, dirigente da instituição, a solicitar que Cláudia desenvolva estratégias para que Evandro possa superar a homossexualidade. Diante da demanda de Miguel e à luz da Resolução do CFP nº 001/1999, Cláudia:



(A)  poderá encaminhar Evandro  para a rede de saúde existente no município, visando ajudá-lo a superar a homossexualidade;



(B) deverá atender psicoterapeuticamente Evandro, auxiliando-o a compreender e superar os desejos homoafetivos;



(C) deverá buscar profissional especializado em sexologia, de forma  a minimizar os conflitos decorrentes da psicopatologia;



(D) poderá desenvolver intervenções institucionais no abrigo, visando ressignificar a visão de doença, perversão e desvio presentes no discurso do dirigente;



(E) poderá atender psicoterapeuticamente Evandro e sua família biológica, buscando compreender a origem do comportamento e buscar sua transformação.



Resposta correta é a letra “D”. Aula 02 páginas 52 e 53 nos artigos Art. 2° - Os psicólogos deverão contribuir, com seu conhecimento, para uma reflexão sobre o preconceito e o desaparecimento de discriminações e estigmatizações contra aqueles que apresentam comportamentos ou práticas homoeróticas.



Art. 3° - os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados. Parágrafo único - Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que  proponham  tratamento e cura das homossexualidades.



 



36 A Justiça Restaurativa:



(A) propõe o crime como ato que viola a norma estatal, considerando a pena como reação correta à conduta delitiva;



(B) centraliza no Estado o papel definidor do tipo penal, cabendo a ele a atribuição da sanção segundo a norma instituída;



(C) pensa o crime pelo viés comutativo na atribuição de pena proporcional ao mal praticado, considerando o processo intimidatório como primordial no controle da conduta do infrator;



(D) considera a infração pela lógica distributiva, destinando serviços e benefícios a cada infrator de forma desigual, visando recuperar o infrator e reintegrá-lo à sociedade;



(E) concebe o crime como violação à pessoa e às relações interpessoais, valorizando a reparação dos danos causados à vítima, à sociedade, ao ofensor e às relações interpessoais.



 



Resposta correta é a letra “E”. Como está em nossa aula 07 página 16 a Justiça Restaurativa é um processo colaborativo voltado para resolução de um conflito caracterizado como crime, que envolve a participação maior do infrator e da vítima.



  



37 Ana Luísa, 7 anos, começou a apresentar comportamentos arredios e isolados na escola, relatando à professora práticas de abuso sexual praticados por seu pai, Sr. Renato, contra ela. Descobriu-se que as situações acontecem durante a parte do dia em que o pai fica sozinho com a criança, enquanto a mãe de Ana Luísa trabalha. Diante dessa informação, a escola imediatamente comunicou à mãe da menina, Sra. Giovana, que buscou a Justiça da Infância e Juventude. Frente a tais relatos, a autoridade judicial determinou cautelarmente o afastamento do agressor do lar familiar, fixando alimentos provisórios que devem ser pagos pelo Sr. Renato em favor da filha. De acordo com o ECA:



(A) o juiz da Infância e Juventude não poderá decidir nesse caso, pois se trata de conflito entre pai e mãe, que deverá ser resolvido por juiz de Vara de Família;



(B) o juiz da Vara de Infância é o responsável pelo afastamento cautelar, mas a fixação dos alimentos provisórios é competência do juiz da Vara de Família;



(C) o juiz da Vara de Infância é o responsável pela fixação dos alimentos provisórios, mas o afastamento cautelar do lar é competência do juiz da Vara de Família;



(D) o juiz da Vara de Infância e Juventude é a autoridade judicial competente tanto para a fixação dos alimentos provisórios quanto pelo afastamento cautelar nesse caso; (Art. 130, § único – aula 08 página 72)



(E) o juiz criminal é a autoridade judicial competente pela decisão de afastamento cautelar, cabendo ao juiz da Vara de Família a fixação dos alimentos provisórios. 



Resposta correta é a letra “D”. Aula 08, página 72 no artigo 130 do ECA).



 



38 O Sr. José Alfredo (66 anos) foi encontrado pela Vigilância Sanitária em um barraco, desamparado, em precárias condições de saúde. Diante dos riscos a que vinha sendo exposto, foi colocado em instituição de acolhimento que atende idosos. Através de estudos psicossociais foi descoberto que o Sr. José Alfredo possui dois filhos, Antônio e Manoel. Em função dessa informação, cogitou-se na propositura de ação de alimentos face aos filhos, mas o idoso recusa peremptoriamente que a ação seja movida perante seu filho Manoel, desejando que apenas Antônio figure como polo passivo da ação. Segundo o idoso, Antônio é um empresário bem sucedido, com boas condições financeiras, enquanto Manoel é profissional autônomo da construção civil, com dificuldades para sobreviver. À luz do Estatuto do Idoso, o desejo do Sr. José Alfredo: 



(A) não pode ser atendido, pois a obrigação alimentar é solidária, não cabendo ao idoso optar entre os prestadores;



(B) não pode ser atendido, pois a obrigação alimentar é preferencial, não cabendo ao idoso a definição do alimentante preferencial;



(C) pode ser atendido, pois a obrigação alimentar é solidária, podendo o idoso optar entre os prestadores;



(D) pode ser atendido, pois a obrigação alimentar é preferencial, cabendo ao idoso a definição do alimentante preferencial;



(E) não pode ser atendido, pois a obrigação alimentar é exclusiva do cônjuge e dos ascendentes, não havendo transmissão da obrigação aos descendentes. 



Resposta correta é a letra “C”. Está em nossa aula 07 na página 66 no Art. 12. “A obrigação alimentar é solidária, podendo o idoso optar entre os prestadores”.



 



39 A questão da revelação atravessa todas as etapas da adoção, desde a preparação dos pretendentes pela equipe interprofissional até depois que a adoção foi consumada. De acordo com o que está disposto no Estatuto da Criança e do Adolescente:



(A) a revelação ao adotado de sua origem biológica será feita pela equipe psicossocial do Juízo no curso de audiência designada para essa finalidade;



(B) o direito de ser informado pelos pais de sua condição de adotado é adquirido pelo filho adotivo a partir de 16 (dezesseis) anos;



(C) o acesso ao processo no qual a medida de adoção foi aplicada poderá ser deferido ao adotado adolescente a seu pedido, assegurada orientação e assistência jurídica e psicológica; (Art. 48, parágrafo único, aula 08, páginas 31 e 32).



(D) é desaconselhável a revelação da adoção para as crianças, considerando seu estágio de desenvolvimento e as limitações na capacidade de compreensão sobre as implicações da medida;



(E) em atenção a pedido fundamentado e circunstanciado dos adotantes, o processo relativo à adoção e outros a ele relacionados serão eliminados do arquivo. 



Resposta correta é a letra “C”. Está em nossa aula 08 no Art. 48, parágrafo único nas páginas 31 e 32.



 



40 Mãe de dois filhos adolescentes, Valéria havia iniciado a faculdade de História quando se descobriu novamente grávida. O terceiro filho, hoje com 4 (quatro) anos, ocupa integralmente Valéria, que é extremosa nos cuidados com sua segurança, alimentação e higiene e ainda o considera muito imaturo para iniciar a escolaridade.  O comportamento de Valéria é sugestivo da dinâmica do mecanismo de defesa de: 



(A) identificação projetiva;



(B) intelectualização;



(C) conversão;



(D) deslocamento;



(E) formação reativa.  



 



Resposta correta é a letra “E”. Em nossa aula 05 no quadro dos mecanismos de defena na página 6 encontramos a formação reativa: transformar um desejo ou impulso inaceitável em seu oposto.



 



41 Diagnosticada com transtorno de personalidade borderline (TPB), a jovem Mariana, 19 anos, foi atendida na emergência de um hospital geral após ter sido encontrada desacordada em meio às embalagens vazias de seus medicamentos psiquiátricos. Temendo que após o atendimento clínico a jovem empreendesse nova tentativa de suicídio, a mãe de Mariana pediu sua transferência para um hospital psiquiátrico. Considerando o quadro clínico de Mariana e a legislação que trata da proteção da pessoa com transtorno mental, é correto afirmar que:



 (A) o tratamento em regime de internação psiquiátrica dependerá da concordância expressa de Mariana;



(B) em se tratando de menor de 21 anos, será necessária a autorização judicial para a internação psiquiátrica;



(C) o embotamento afetivo e o isolamento social típicos dos pacientes com TPB são indicadores para a internação;



(D) a internação psiquiátrica pedida pela mãe poderá ser realizada após avaliação e de acordo com a indicação médica;



(E) a tentativa de suicídio no TPB tem um padrão teatral, sem risco real à integridade física dos pacientes. 



 



Resposta correta é a letra “D”. Sobre a personalidade do Tipo “Borderline”: instabilidade emocional e falta de controle dos impulsos e perturbações da auto-imagem, do estabelecimento de projetos e das preferências pessoais, por uma sensação crônica de vacuidade, por relações interpessoais intensas e instáveis e por uma tendência a adotar um comportamento autodestrutivo, compreendendo tentativas de suicídio e gestos suicidas. (aula 05, página 30). Em relação à internação ela pode ser: voluntária, involuntária e compulsória, em qualquer modalidade a internação só é realizada depois de esgotados os recursos extra-hospitalares e ela só será realizada por laudo médico que justifique seus motivos.



 



42 O ECA preconiza a inclusão de crianças ou adolescentes afastados do convívio com sua família de origem em programas de acolhimento familiar de preferência ao acolhimento institucional. Considerando os aportes teóricos de John Bowlby, as vantagens do acolhimento familiar sobre o acolhimento institucional para o desenvolvimento emocional saudável de um bebê se justificariam pela:



(A) oportunidade de estabelecer uma relação continuada com um substituto materno cuidador significativo e estável;



(B) sucessão de agentes cuidadores, proporcionando diferentes oportunidades de vinculação e atenção;



(C) possibilidade de prevenção da depressão anaclítica que acomete bebês subitamente privados da convivência materna;



(D) proteção contra as falhas ambientais conferida pelo vínculo de apego criado com uma mãe suficientemente boa;



(E) provisoriedade dos vínculos afetivos construídos com os cuidadores temporários no aguardo da colocação familiar definitiva.



 



Resposta correta é a letra “A”. A função primordial, apresentada por Bowlby (1990), para o comportamento de apego é a proteção. Conforme o autor a perda ou a separação da criança de sua mãe traz, necessariamente, danos desastrosos ao seu desenvolvimento. Já o autor Rutter diz que a criança pode desenvolver relação de amor e segurança com outras figuras além da mãe. Em um acolhimento institucional existe a possibilidade de estabelecer uma relação estável e segura, já que a genitora e/ou os parentes próximos não puderam fornecer.



   



43 Em relação ao grave problema da violência intrafamiliar, é possível identificar a existência de condições particulares individuais, familiares e coletivas que aumentam o risco de ocorrência de situações de violência.  Analise os fatores a seguir, considerando o risco para a ocorrência de violência na família:



I – a maior incidência de abuso de drogas e álcool;



II – a presença de um modelo familiar violento na história de origem das pessoas envolvidas;



III – as organizações familiares não convencionais – monoparentais, homoafetivas, mosaico;



IV – a dependência econômica e/ou emocional por parte de um ou mais membros.



Os fatores de risco para a ocorrência de violência na família são:



(A) somente I e IV;



(B) somente II e III;



(C) somente I, II e III;



(D) somente I, II e IV;



(E) I, II, III e IV. 



Resposta letra “D”. Aula 07 página 42. A violência intrafamiliar não é, na maioria dos casos, claramente identificável (Farinatti, Biazus & Leite, 1993). Origina-se de relações interpessoais assimétricas e hierárquicas, marcadas por desigualdade e subordinação (Koller, 1999). Pode ser fruto de uma crise não resolvida na família, ou pode ser um padrão de relacionamento que acompanha a história familiar daquele grupo. A ocorrência de violência intrafamiliar pode ser ocultada como um segredo, o que revela a coesão doentia deste grupo. Segundo Forelli & Mangini (2015), citam alguns tipos de violência, a saber:



A violência física ocorre quando alguém causa ou tenta causar dano por meio de força física, de algum tipo de arma ou instrumento que possa causar lesões internas, externas ou ambas. 



A violência psicológica inclui toda ação ou omissão que causa ou visa a causar dano à auto-estima, à identidade ou ao desenvolvimento da pessoa. 



A negligência é a omissão de responsabilidade de um ou mais membros da família em relação a outro, sobretudo àqueles que precisam de ajuda por questões de idade ou alguma condição física, permanente ou temporária. 



A violência sexual é toda ação na qual uma pessoa, em situação de poder, obriga uma outra à realização de práticas sexuais, utilizando força física, influência psicológica ou uso de armas ou drogas.



 



44 O uso indevido de substâncias entorpecentes tem sido objeto de atenção especial em todas as esferas da sociedade, inclusive nos Sistemas Judiciário e Penitenciário, onde merece atenção a estreita relação entre os diversos delitos e o abuso dessas substâncias.  Com foco na ressocialização desses indivíduos, muitos tribunais instituíram um programa judicial de atenção ao infrator usuário e ao dependente químico, conhecido como Justiça Terapêutica, cuja colocação em prática fica a cargo da equipe técnica ligada ao Juízo de Execução Penal. São atribuições dos psicólogos que atuam no programa, EXCETO:



(A) propor a transação penal aos infratores no curso das audiências nos Juizados Especiais Criminais ou nas Varas Criminais;



(B) avaliar e encaminhar apenados para tratamento em instituição especializada em dependência química e acompanhar sua frequência ao tratamento;



(C) coordenar grupos de reflexão com  apenados em torno de temas relativos às drogas e aos benefícios da medida alternativa;



(D) prover suporte aos familiares para promover a implicação das famílias com a medida e com o tratamento de dependência química dos infratores;



(E) realizar entrevistas individuais para buscar um maior compromisso do beneficiário com a medida e elevar o nível de motivação para o tratamento. 



Resposta correta é a letra “A”, ou seja, aquilo que para nós psicólogos é vedado e não está em consonancia com as normas éticas. Agora o que podemos fazer em instituições judiciárias (aula 08, página 4 e 5), o psicólogo, realiza trabalhos de avaliação psicológica, elaboração de documentos, acompanhamento de casos, aconselhamento psicológico, orientação, mediação e encaminhamentos, desempenhando funções periciais e/ou de intervenção direta, conforme a natureza do caso e o momento de atendimento, ou seja, antes, durante ou após a sentença judicial (Bernardi, 2005).



 



45 A avaliação psicológica consiste em um estudo que requer planejamento prévio e cuidadoso, de acordo com a demanda e os fins para os quais se destina. Considerando a avaliação psicológica no contexto judiciário, é correto afirmar que:



(A) de acordo com a especialização das competências na equipe técnica judicial, as visitas domiciliares e institucionais são recursos privativos do assistente social; (psicólogo também faz)



(B) a aplicação de testes psicológicos objetivos e/ou  projetivos é reservada ao psicodiagnóstico no contexto clínico, não cabendo seu uso pericial; (perícia também é avaliação)



(C) o juiz deverá requerer a autorização formal dos responsáveis legais para a avaliação psicológica quando se tratar de periciando menor de idade; (Aula 02, página 69: Art.4 º, Parágrafo único: Quando a pessoa atendida for criança, adolescente ou interdito, é necessária a apresentação de consentimento formal a ser dado por pelo menos um dos responsáveis legais).



(D) o psicólogo judicial está diretamente subordinado técnica e administrativamente à autoridade judiciária que demandou a avaliação; (assessora o juiz)



(E) na atuação em equipe multiprofissional, o psicólogo compartilhará somente informações relevantes para qualificar os serviços prestados.



Resposta corrata letra “E”. Aula 02, página 60: “CONSIDERANDO que o psicólogo, no relacionamento com profissionais não psicólogos compartilhará somente informações relevantes para qualificar o serviço prestado, resguardando o caráter confidencial das comunicações, assinalando a responsabilidade, de quem as receber, de preservar o sigilo;”.  Art. 5º - O psicólogo perito poderá atuar em equipe multiprofissional desde que preserve sua especificidade e limite de intervenção, não se subordinando técnica e profissionalmente a outras áreas. (Aula 02, página 62).    



 



46 Uma empresa estatal tem um número significativo de funcionários que estão a cinco anos de completarem o tempo exigido para aposentadoria. A empresa quer implantar um programa de preparação para aposentadoria, visando ao bem-estar desses colaboradores e apoiando-os na transição para a essa nova fase. A empresa gostaria de proporcionar, especificamente, apoio e orientação formal no que se refere ao estabelecimento de objetivos de curto, médio e longo prazos e à identificação de aspectos pessoais a serem desenvolvidos para um aprimoramento integral da vida. É um método de  desenvolvimento de pessoas na organização que pode ser direcionado e utilizado para tal objetivo:



(A) instrução programada;



(B) treinamento de sensitividade; (correto é treinamento de sensibilidade).



(C) aprendizagem prática;



(D) coaching;



(E) reunião de confrontação. 



 



Resposta correta letra “D”. Existem “coaching” de aposentadoria.



 



 



47 O chefe de uma equipe especializada em suporte de TI constantemente explicita aos funcionários o que se espera deles e proporciona diretrizes específicas para a realização das tarefas e o atingimento dos objetivos propostos. O estilo de liderança do gerente é do tipo:



(A) apoiador;



(B) participativo;



(C) visionário;



(D) orientado para realização;



(E) diretivo. 



Resposta correta letra “E”. A FGV só mudou a denominação, mas é o líder autocrático que está na aula 04, página 26. O líder diretivo beneficia-se de sua liderança formal e do abuso da autoridade, ou seja, do autoritarismo para impor, ditar normas e regras;



 



48 A diretora de recursos humanos de uma empresa fabricante de autopeças quer avaliar os resultados dos projetos de desenvolvimento de pessoas realizados no ano anterior. O foco principal desses projetos foi o treinamento para melhoria do desempenho no nível dos cargos, e os projetos utilizaram métodos diversos, como participação em cursos externos, aprendizagem prática e exercícios de simulação. A diretora poderia utilizar como indicadores de avaliação dos resultados dessas iniciativas, no nível dos cargos:



(A) melhoria da qualidade e redução do índice de acidentes de trabalho;



(B) melhoria do clima organizacional e melhoria da qualidade de vida no trabalho;



(C) melhoria da imagem da empresa e redução do absenteísmo;



(D) redução da rotatividade e alcance dos objetivos de treinamento;



(E) aumento da produtividade e aumento da eficácia organizacional. 



 



Resposta correta é a letra “A”. Em nossa aula 04, página 39 aprendemos que desenvolver pessoas está intimamente relacionado com o desenvolvimento de carreiras. Já na página 42 aprendemos que o treinamento tem enfoque no aprendizado para aplicação no ambiente de travalho. O caso hipotético da questão busca avaliar os resultados obtidos no treinamento para o desenvolvimento no cargo, então é uma competencia individual, vejamos página 47 da aula 04: As competências individuais representam combinações sinérgicas de conhecimentos, habilidades e atitudes, expressas pelo desempenho profissional, dentro de determinado contexto organizacional (Durand, 2000; Nisembaum, 2000)”. Alternativa que nos daria maiores indicadores sobre o resultado desse treinamento é a letra “A”.



 



49 Uma empresa atua em um ambiente relativamente estável e previsível, adotando estratégia de negócio conservadora e defensiva. Nesse contexto, a estratégia de recursos humanos relativa ao treinamento e desenvolvimento de pessoas deve estar voltada para:



(A) treinamento genérico e comparação de habilidades;



(B) treinamento específico e comparação de habilidades;



(C) treinamento em equipe e construção de habilidades;



(D) treinamento genérico e construção de habilidades;



(E) treinamento externo e construção de habilidades. 



 



Resposta correta é a letra “B”. Levando em consideração que é uma empresa estável, previsível, estratégica de negócio conservadora e defensiva procura-se atender sua demanda naquilo que pode trazer benefício para a organização, então não dá para pensar em grandes revoluções, um treinamento específico e uma comparação de habilidades para “quebrar a rotina” já está de bom tamanho.



 



 50 A cultura organizacional apresenta-se em diferentes níveis. A realização de um diagnóstico da cultura de uma organização envolve o conhecimento desses diversos níveis. Para se conhecer o nível dos artefatos é preciso, entre outros aspectos:



(A) identificar os valores organizacionais compartilhados;



(B) observar os símbolos, a linguagem e o vestuário;



(C) conhecer a história pessoal dos fundadores da organização;



(D) observar como os líderes reagem a incidentes críticos;



(E) identificar os pressupostos básicos que se manifestam nos valores organizacionais. 



 



Resposta correta é a letra “B”. Tranquila essa né alunos. Aula 03, página 6, esquema sobre os artefatos, mas só para lembrar é o que é visível.



 



51 Um dos fenômenos que podem afetar negativamente o desempenho dos grupos de trabalho é a chamada “folga social”, ou a tendência que as pessoas têm de se esforçar menos quando trabalham em grupo do que quando trabalham sozinhas. Uma das maneiras de se reduzir a folga social em uma equipe de trabalho é:



(A) evitar o domínio da minoria com poder;



(B) reduzir o pensamento grupal (groupthink);



(C) adotar estilo de liderança democrático;



(D) decompor as metas comuns em metas individuais;



(E) praticar a escuta ativa. 



 



Resposta correta letra “D”. Sem dúvidas, alunos, a assertiva inclusive é autoexplicativa. Nossa aula 03, página 42 nos ensina sobre os grupos de trabalho: “Os grupos formais são aqueles que têm metas estabelecidas, voltadas para objetivos , e que são explicitamente formados como parte da organização, tais como grupos de trabalho, departamentos, equipes de projetos”. Quando o grupo começa a desenvolver esse sintoma a competição interna é uma boa jogada. Também podemos ver sobre essa questão nos três tipos de conflitos, em especial, ao da tarefa (aula 3, página 37) e os modos de administrar (aula 3, página 38).



 



52 Uma equipe de trabalho de cinco pessoas tem rede de comunicação que segue rigidamente a cadeia formal de comando. Esse tipo de rede de comunicação é conhecido como de cadeia, e é mais eficaz do que os demais tipos de rede de comunicação quando o foco está na(o):



(A) satisfação dos membros da equipe; 



(B) velocidade da comunicação;



(C) precisão da comunicação;



(D) fortalecimento da liderança;



(E) feedback impessoal.  



 



Resposta correta é a letra “C”. Se a cadeia de comando é formal a comunicação precisa ter menos ruído possível, então precisa ser precisa. Nas organizações, o processo de comunicação não é apenas a maneira de disseminar a cultura da empresa, é também a forma de se fazer cumprir os objetivos empresariais (aula 03, página 32).



 



 



53 Em uma reunião de equipe, os funcionários A e B entraram em conflito sobre a melhor forma de realizar determinado trabalho. Como não houve consenso sobre a melhor abordagem a adotar, a reunião foi suspensa pelo gerente. Outra reunião foi marcada e o impasse permaneceu, até que A declarou que “sempre trabalhamos bem nesta equipe, e acredito que esse é o aspecto principal. Vamos implementar a solução proposta por B e, se preciso, faremos acertos no futuro”. O conflito descrito e a estratégia de administração de conflitos apresentada foram, respectivamente, dos tipos:



(A) conflito de processo; abordagem de acomodação;



(B) conflito de tarefa; abordagem de colaboração;



(C) conflito de relacionamento; abordagem de evitação;



(D) conflito de processo; abordagem de compromisso;



(E) conflito de tarefa; abordagem de evitação.



 



Resposta correta é a letra “A”. Aula 03, página 37, os três tipos de conflito novamente sendo pedidos pela banca, porém agora o conflito de processo. As formas de administrar o conlito na página 38, a acomodação é exatamente um apaziguar a situação, solução porposta  por “B”.


Comentários

Ainda não há comentários

Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: