Prof. Flávia Lorena

16/09/2015 | 17:56
Compartilhar

Por que não é hora de jogar a toalha?

     Como se não bastassem todas as preocupações que assombram a mente de quem faz parte do serviço público e especialmente daqueles que querem entrar nele, esta semana recebemos uma notícia que nocauteou muita gente: a suspensão dos concursos públicos.

     Tenho certeza que isso tirou a esperança de muitos. Para nós que estamos no serviço público, esta notícia trouxe muita, mas muita indignação. Não trarei aqui minhas indignações à forma como este governo tem tratado os SERVIDORES PÚBLICOS. Meu objetivo é externar minha opinião sobre as circunstâncias para aqueles que têm o sonho de um dia SERVIR ao nosso país.

     Sem dúvida alguma estamos diante de uma ADVERSIDADE. Isto é fato! Os concursos públicos, caso essa equipe de governo continue, receberão um freio. Tenho certeza que com esta notícia, muitos concurseiros já encostaram os livros e estão com as mãos na cabeça refletindo sobre novos horizontes.

“Mesmo estando na estrada certa, você será atropelado se ficar apenas sentado nela.” (Will Rogers)

     Segundo o conceito do dicionário Aurélio, ADVERSIDADE é “sorte adversa, infortúnio, aquilo que é desfavorável.” Sim, o momento é desfavorável para os concursos públicos! Mas você pode tirar proveito desta adversidade! Como assim? Fazendo diferente do que a maioria das pessoas faria.

A adversidade tem o efeito de atrair a força e as qualidades de um homem que as teria adormecido na sua ausência.” (Heródoto)

     Reflita comigo ... vc acha que é possível nosso país sobreviver sem o serviço público, especialmente aqueles que são essenciais para o bom funcionamento do Estado Democrático de Direito tais como fiscalização e arrecadação, segurança, energia elétrica, água, gás, etc ?

    Claro que não! Vocês observaram que uma das medidas anunciadas foi o corte do abono de permanência. Sabem o que é isso e o que isso trará como consequências?

     O abono de permanência é o reembolso da contribuição previdenciária devido ao funcionário público que esteja em condição de aposentar-se,  mas que optou por continuar em atividade. Trata-se de um incentivo financeiro para que servidores continuassem em atividade e adiassem a aposentadoria.

     O número de servidores que se encontram nessa situação é muito grande. Com o corte do abono de permanência os servidores que se encontram em condições de aposentadoria de certo irão se aposentar! A carência de servidores públicos se agravará! Existem órgãos em que mais de 50% dos servidores recebem abono de permanência.

     E aí é que surge a oportunidade de quem pretende entrar no serviço público e que não desistiu de estudar em meio a esta crise. O número de vagas irá aumentar e o número de pessoas preparadas irá diminuir.

     Tenho convicção que a maioria das pessoas desistirá de estudar agora sob o argumento de que não existe luz no fim do túnel. É característico da maioria das pessoas desistir quando as coisas não lhe parecem favoráveis. E é exatamente por isso que grandes conquistas são reservadas àquelas pessoas que enxergam a luz no meio do caos, que continuam firmes e fortes diante de seus propósitos e que acreditam que a “sorte” reversa irá mudar!

     As oportunidades irão surgir, mas apenas as pessoas preparadas irão alcançadas.

“A vitória pertence ao mais perseverante.” (Napoleão Bonaparte)

     Você deve estar se perguntando? Terei que passar mais quanto tempo esperando? E minhas contas, minha família, como vou sobreviver?

      Seria utópico se eu dissesse: largue tudo na sua vida (faculdade, trabalho, família e lazer) e foque no estudo. Eu não daria esse conselho nem na conjuntura anterior. Eu nunca fiz isso enquanto corria trás do meu sonho! Eu fazia faculdade, trabalhava e me preparava para as provas de concurso. E detalhe, com um filho pequeno (quando iniciei a maratona de concursos meu filho tinha 2 anos). Quatro anos depois eu tinha alcançado a minha maior meta: ser Auditor Fiscal do Trabalho.

     O que quero dizer é que você precisa continuar estudando para que esteja preparado e esteja na frente daqueles que vão desistir e daqueles que vão ainda começar a se preparar quando o cenário mudar e as oportunidades surgirem. Essa decisão requer CORAGEM e FÉ! Dois atributos encontrados nos grandes vencedores.

Direção é mais importante do que velocidade.” (Edson Marques)

        Pense bem !!!


Comentários

  • 18/09/2015 - Marcella
    Obrigada Flávia, teve coragem de falar a verdade, eu como servidora federal e ainda concurseira tenho vontade de chorar..
  • 18/09/2015 - Lilian
    Olá, Professora!
    Gostaria de te parabenizar pelo texto! Muito legal sua iniciativa de encorajar e motivar nós concurseiros.
    Realmente, neste momento crítico e de desilusão total, faz-se necessário termos coragem e fé para continuarmos seguindo em busca dos nossos objetivos.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: