Prof. Igor Oliveira

05/09/2015 | 11:03
Compartilhar

Lave o queijo cottage

Dave Scott é um atleta americano que ganhou seis vezes o Ironman no Havaí. Pra quem não sabe, o Ironman é a prova de triatlo mais difícil do mundo. O competidor deve nadar 3,8 Km, pedalar por 180 Km e correr 42 Km, isso tudo em sequência e sem parar!

Dave acreditava que uma dieta rica em carboidratos e pobre em gorduras lhe daria uma vantagem competitiva frente aos seus concorrentes. Dessa forma, Dave lavava o queijo cottage para tirar o excesso de gordura! Você consegue imaginar alguém lavando o queijo cottage para tirar o excesso de gordura?! Que já não tem quase nada de gordura?!

Não acredito que Dave tenha ganhado o Ironman seis vezes apenas por lavar o queijo cottage. Dave treinava muito e não tinha problemas com peso, afinal. Mas as atitudes diárias que Dave tomava (lavar o queijo cottage!), representadas por suas escolhas, é que levaram Dave à excelência.

Nas forças armadas classificávamos essas atitudes como sendo a diferença entre o “bom” e o “excelente”. Um instrutor meu nos fuzileiros navais dizia que o oficial bom se preocupa com seu fardamento, com o corte de seu cabelo, tem uma boa postura e aparenta estar bem vestido. O excelente, além daquilo que o bom faz, se preocupa em alinhar os botões de sua farda de gala. Pra você entender, os botões da farda de gala da Marinha possui âncoras desenhadas e esse instrutor dizia que era preciso apontar as pontas das âncoras todas para o chão para ser excelente (acredite em mim, um leigo JAMAIS iria conseguir perceber que nos botões há âncoras desenhadas)

Assim como Dave, não era apenas apontar os desenhos das âncoras para o chão que tornavam o oficial excelente. Mas sim a vontade de ser melhor, retratada aqui com a preocupação obsessiva com os detalhes e com a qualidade.

Verdade seja dita, para você passar num concurso TOP você tem que ser excelente. Se você for muito bom, você vai ficar no “quase”.

O candidato bom estuda bastante, com constância e qualidade. O excelente, além disso, ataca ferozmente suas deficiências, faz redações, lê normas de maneira constante, faz simulados. Quando ele não entende um assunto, ele sente uma espécie de coceira, típica das pessoas excelentes. Ele não reclama, é proativo e busca, por si próprio, as respostas.

Três diferenças primordiais entre os bons e os excelentes:

1) os excelentes devem, ao contrário dos bons, se esforçar para desistir. A palavra “desistir” incomoda muito as pessoas excelentes. Elas têm pesadelos com isso.

2) o excelente acredita (ainda que não fale) que é excelente. Ele tem uma autoimagem positiva de si mesmo, é coerente e defende com atitudes suas crenças. Logo, fará o que for preciso (lavar o queijo cottage!) para sustentar a qualidade de suas ações.

3) o bom tem um limite e se justifica quando atinge esse limite: “ah, eu mereço me encostar aqui um pouquinho”. O limite do excelente é o cumprimento da missão. O excelente só vai abaixar a guarda quando a missão estiver cumprida.

Ser excelente não é um dom, mas uma filosofia de vida. É ser o próprio vigilante de suas ações e não aceitar que seu nome seja associado a algo mais ou menos (uma redação ou um parecer, por exemplo). Ser excelente é encontrar paixão na jornada e lutar, até as últimas consequências, para entregar o melhor resultado possível.

O cérebro é como um circuito. Quando você estuda ou faz o que for preciso, naquele dia, a despeito do cansaço ou das críticas, você cria uma trilha no seu cérebro, um padrão neural. A cada vez que você diz não à mediocridade ou aos sabotadores, esse padrão será reforçado até que chegará um dia em que ser excelente será sua realidade. Você mudará seu modo de pensar e agir. As pessoas vão procurar você para tarefas difíceis, confiarão em você, pois sabem que você cumprirá a missão de um jeito ou de outro (lembre-se, excelentes tem que se esforçar para desistir).

Recebo muitos e-mails me perguntando sobre o futuro dos concursos, corte no orçamento, impeachment e essas coisas. Confesso que sei pouco sobre o que está acontecendo, pois quase não vejo TV. Mas uma coisa eu sei. Os excelentes estão por aí, em silêncio, lavando o queijo cottage e alinhando os botões de suas fardas. Os excelentes estão comendo os livros com farofa e pólvora. Os excelentes fazem isso, pois, além de serem excelentes, sabem que a vitória é construída na constância, nas escolhas diárias e na disciplina genuína, sem bravatas ou afobação. E sabem que a maioria vai desistir, pois a maioria é composta pelos bons, que não precisam se esforçar para desistir.

Abs!

Igor Oliveira.

Curta minha fanpage no Facebook.

Siga-me no Twitter.

E-mail: igor[arroba]pontodosconcursos.com.br.

=====

Para ver como o coaching funciona na prática, você pode ler esta entrevista.

Conheça o Programa motivacional para concursos públicos.

Baixe gratuitamente meu e-Book: "Ninguém quer ser concurseiro em uma tarde de verão".


Comentários

  • 24/09/2015 - Tania Maria
    Mestre Igor!
    Que texto maravilhoso!!! E caiu pra mim feito uma luva. Como eu preciso parar de procrastinar, acreditar no meu potencial e seguir em frente, com calma, sabedoria e constância.
    Preciso sair da multidão dos bons e me tornar excelente. Fiquei até sem fôlego. rs
    Abraços
  • 24/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    hehehe...legal TM. Obrigado pelo comentário. E conte sempre comigo na sua jornada! ;)...abs!
  • 23/09/2015 - Antonio Jose
    Mestre, muito obrigado! Tamo junto e rumo a excelência, sempre.
    Abraços e fica na paz ;)
  • 23/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Antônio! Eu é quem agradeço! ;)
  • 11/09/2015 - Aline
    Mestre! Tuas palavras edificam e impulsionam nessa jornada. Refletem a centelha divina de paz e amor. Gratidão. ADSUMUS!
  • 11/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Leia o artigo com calma. Reflete muito vc. Sério. A parte dos "excelentes", claro...rs...adsumus!
  • 10/09/2015 - ronaldo
    valeu mestre!!! essa história me lembrou "o sorvete de baunilha e a GM". Não pelo fato de a reclamação ter ou não procedência, mas sim, pela observância dos detalhes, persistência e obsessão do engenheiro da fábrica. O básico todos nós fazemos, mas o que nos torna diferentes, vencedores, é o modo de como "pensamos e agimos fora da caixa".
    abc.
  • 10/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Com certeza Ronaldo! O que nos torna diferentes são as ações extras que fazemos. O básico todo mundo faz. Obrigado pelo comentário. Abs!
  • 10/09/2015 - Michael
    Excelente artigo, professor. Recomendo a leitura de outro, onde utilizando uma mentalidade parecida, uma equipe se tornou bicampeão do Tour de France em menos de 5 anos. http://jamesclear.com/marginal-gains

    Abraço! =)
  • 10/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Legal Michael. Obrigado mesmo. Vou estudar e ver se escrevo mais um pouco sobre esse tema. O que acha? Abs!
  • 10/09/2015 - Antonio Souza
    Texto sensacional, Igor! Me fez lembrar bastante do coaching! rsrs
    Abs!
  • 10/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    hehehe...valeu Antônio. Eu tb lembro de certos alunos aí...rs...conte sempre comigo! Abs!
  • 10/09/2015 - Fabiola
    Este texto foi escrito pra mim. Obrigado!!! Precisava muito destas palavras. Você é 10.
  • 10/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Fabiola. Eu é quem agradeço o comentário. Raça! E conte sempre comigo! Abs!
  • 09/09/2015 - Phelippe
    Excelente mestre Igor! Estou na semana ainda me concentrando e deixando meus pensamentos correrem até passar. Obrigado mais uma vez. Como o senhor disse: o excelentes estão em silêncio trabalhando arduamente.
  • 09/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Olá Phelippe, acho que o segredo de tudo é não pensar. Ou melhor, pensar de maneira disciplinada. Quando a cabeça vira um liquidificador, a gente não consegue agir de maneira disciplinada. Força na peruca! Abs!
  • 09/09/2015 - Silvana
    Que belo texto Mestre! Estou aqui buscando sempre a excelência...(rs). Obrigada pelas lindas palavras que em muito contribuem nessa caminhada. Adsumus!!!
  • 09/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Olá Silvana! Obrigado pelo comentário! Fico feliz que tenha gostado! Siga na busca com disciplina Silvana! Adsumus!
  • 08/09/2015 - Edimar Oliveira
    Excelente texto Comandante! Olhos bem atentos quanto ao alinhamento das âncoras, que será o diferencial na aprovação. Abraços!
  • 08/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Pode crer Edimar! rs...adsumus!
  • 08/09/2015 - Hione Neves
    "a vitória é construída na constância, nas escolhas diárias e na disciplina genuína, sem bravatas ou afobação. E sabem que a maioria vai desistir, pois a maioria é composta pelos bons, que não precisam se esforçar para desistir."
    Eu não vou desistir, já sou aprendiz de excelente! rsrs.
    Maravilhoso artigo, Mestre! Como sempre!
    abs
  • 08/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Hione! Que bom que gostou! Obrigado pelo comentário. Conte sempre comigo! Adsumus! ;)
  • 08/09/2015 - Maria Carolina Souza
    Quem acredita no seu objetivo, tem foco na missão e não desiste por qualquer empecilho! Adsumus, mestre Igor! Artigo excelente!
  • 08/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Carol! Que bom que gostou. Fico feliz mesmo! Foco, disciplina! Adsumus!
  • 07/09/2015 - Adriano da silva
    "Os excelentes estão comendo os livros com farofa e pólvora." Mas uma para o repertório. Valeu Igor!!!
  • 07/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    kkkk...pode crer...obrigado pelo comentário Adriano! Conte sempre comigo! Abs!
  • 07/09/2015 - Taisi
    Ótimo artigo professor! Ser bom não basta mesmo, é preciso mais que isso, a excelência.
  • 07/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Com certeza Taisi. Disponha sempre! Adsumus!
  • 07/09/2015 - Alysson Firmino
    Professor Igor, você tem o dom da palavra! E isso me ajuda muito nessa caminhada. Inclusive, sempre que posso Re-re-releio(rsrs) seu livro. Sempre há algo nele que acrescenta! Um abç.
  • 08/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Olá Alysson, pode ter certeza que vocês são minha força! Obrigado por ler meu livro e pelo comentário. Conte sempre comigo na suas batalhas! Abs!
  • 07/09/2015 - William Ribeiro
    Boa noite Igor ! Preciso da sua ajuda ! Sou Capitão da Aeronáutica e tenho 25 anos de serviço. Fiz o concurso da SUSEP passado e fui até bem...só que aquela armadilha chamada Legislação Básica me deixou de fora das vagas...Hoje busco a excelência focando para um único concurso. MInha dúvida é, se vale a pena entrar para a SUSEP na altura do campeonato (faltam apenas 5 anos para ir para reserva). Entro para SUSEP e aguardo chegar ao topo em 12, 13 anos...portanto mais uns 7 anos ou invisto esse tempo de serviço obtido na caserna prestando para ICMS RJ que aproveitaria esses anuênios...e aí ? O que você pensa ? Mediante sua resoposta iniciarei um coaching com você...Forte abraço !
  • 08/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Olá William, como vai? A sua questão não é o concurso que deve fazer, mas qual a implicância em passar num concurso público. Olhe atentamente a legislação, mas por alto, o pouco que lembro, não sei se você pode acumular os proventos da aposentadoria com o salário do cargo público. Se for isso mesmo, vale a pena vc fazer concurso agora. Mas se vc puder acumular, ainda que uma parte, eu aguardaria a reserva. Eu sou da opinião William que, mais importante que fazer alguma coisa, é fazer com critério e sabedoria. Enfim, veja essa questão e me procure. Mas eu nem começaria a estudar se isso não estivesse totalmente sedimentado. Senta a pua!!
  • 06/09/2015 - Maria Luisa
    Bom dia, coach querido! tudo bem? Como sempre, um excelente texto! Tô por aqui também lavando meu queijo cottage, acertando a posição das minhas âncoras (eu já sabia dessa informação kk) e vigiando minhas ações! Rumo à vitória, meu amigo!!!
    Bjos e abraços na family!
  • 07/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Isa! Bom saber notícias suas! Melhor ainda saber que vc está firme nos estudos! Não esmoreça! Mantenha a pegada. Vai dar tudo certo! Adsumus!
  • 06/09/2015 - Jose Fernando
    Mais um artigo que motiva tantas pessoas a seguirem em frente nos estudos e a serem pessoas melhores no dia-a-dia. As comparações/metáforas usadas em todos os artigos são sempre perfeitas. Parabéns e obrigado pelo excelente texto!
  • 07/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Disponha sempre José. Grande abraço! Igor.
  • 06/09/2015 - Rosana
    Foco, constância, excelência...esse é o lema! Abs.
  • 07/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Exato Rosana. Resumiu muito bem. Conte sempre comigo. Abs!
  • 06/09/2015 - Rafaela
    Seus artigos são sempre carregados de sabedoria, Igor. Obrigada por compartilhar! Já aprendi tanto contigo sobre concursos e sobre a vida. ;) Abs! Adsumus!
  • 07/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Eu tb aprendi muito contigo Rafaela! Vc é um exemplo pra mim! Nunca perca a pegada! Adsumus!
  • 06/09/2015 - daniel
    Boa noite Professor. Excelente o texto, fez repensar algumas coisas e atitudes da minha vida. Vai ajudar dar um novo rumo. Obrigado.
  • 07/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Que bom Daniel. Fico feliz em saber que ajudei vc. Conte sempre comigo! Abs!
  • 05/09/2015 - ramon
    Excelente artigo.
  • 05/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Ramon. Disponha sempre. Abs!
  • 05/09/2015 - Leandro
    Excelente texto (sem nenhuma intenção de trocadilho). Gosto muito de tua escrita Igor e agradeço por tudo o que proporciona àqueles que buscam a excelência.
    Um dia te mandei um e-mail comentando sobre o grande esforço que foi para mim ter que tomar a decisão de largar um "bom" trabalho em um Tribunal de Contas.
    Como eu comentei contigo, o salário era "bom", o trabalho era "bom", o ambiente era "bom", o problema é que o horizonte daquele trabalho, no máximo, seria "bom".
    Graças as tuas palavras minha coragem se fortaleceu e, apesar do sofrimento em ter que decidir abrir mão de um concurso "bom", a cada dia que passa tenho certeza de que foi a escolha certa.
    Obrigado novamente.
  • 05/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Eu me lembro Leandro. Fico contente em fazer parte disso e pela sua confiança em mim. Continue contando sempre comigo! Abs!
  • 05/09/2015 - ALEXSANDRO MARQUES
    PERFEITO!!!
  • 07/09/2015 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Alex! Tá sumido, hein? rs...abs!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: