Prof. Fernando Graeff

18/08/2015 | 22:41
Compartilhar

Resolução da prova de auditoria do TCU

Pessoal,

Seguem os comentários de Auditoria Governamental da prove de conhecimentos gerais (P1 - todos os cargos) e de Auditoria da prova de conhecimentos específicos (P2 - cargo de auditoria governamental).

Auditoria Governamental (P1 - todos os cargos)

Com relação às normas de auditoria emanadas do TCU e de organismos internacionais, julgue os itens que se seguem.

71 O auditor deve declarar seu impedimento e suspeição em toda situação em que haja risco de que sua independência e sua imparcialidade sejam influenciadas quando do desempenho de suas funções, ainda que a influência não ocorra de fato.

Comentários:

A independência é fundamental para o auditor, nesse sentido, é essencial que os auditores não somente sejam independentes e imparciais de fato, como também pareçam ser. Assim, não importa se a influência ocorra ou não de fato, existindo o risco, o auditor deve declarar seu impedimento ou suspeição, conforme o caso. Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: C

72 Denomina-se auditoria financeira, de acordo com as normas da INTOSAI (International Organization of Supreme Audit Institutions), a realização de avaliação independente com o objetivo de obter-se garantia razoável de opinião, por meio da verificação da conformidade, com os relatórios, da condição financeira, dos resultados e do uso de recursos da entidade examinada.

Comentários:

Essa questão refere-se à ISSAI 200, que trata dos princípios fundamentais da auditoria financeira. Segundo referido normativo, na condução de uma auditoria de demonstrações financeiras, um dos objetivos gerais do auditor é obter segurança razoável se as demonstrações financeiras como um todo estão livres de distorção relevante, seja por fraude ou erro, possibilitando, assim, expressar uma opinião se as demonstrações financeiras foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável. Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: C

73 Exige-se que os auditores internos detenham os conhecimentos especializados necessários para detectar e investigar as fraudes na entidade examinada.

Comentários:

Não é necessário, nem seria viável, que os auditores internos detenham conhecimentos especializados para detectar e investigar fraudes na entidade examinada. Imagine a variedade de ramos do conhecimento que isso pode envolver, para tanto, quando necessário, são contratos especialistas externos. Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: E

Com relação aos procedimentos necessários para a realização e a correta conclusão da auditoria, julgue os itens a seguir.

74 Informações relativas aos objetivos, riscos e controles do objeto auditado devem ser obtidas pelos autores até, no máximo, a fase de planejamento do trabalho.

Comentários:

De fato, segundo as Normas de Auditoria do TCU, essas informações são necessárias para a confecção da matriz de planejamento da auditoria. Portanto, os auditores devem obter essas informações até a fase de planejamento. 

Contudo, a questão contém um erro material ao falar em “autores” ao invés de “auditores”. Ora, quem são os autores? Refere-se aos auditores? Assim, creio que caberia recurso, forçando um pouco a barra, pedindo a anulação da questão, alegando que a palavra “autores” causou ambiguidade na interpretação da questão.

Gabarito preliminar: C

75 Caso considere que a avaliação da realização de determinado processo ou que a avaliação da prestação de determinado serviço pela entidade auditada é essencial para a formação de sua opinião, o auditor deve realizar uma inspeção física apropriada.

Comentários:

Segundo as Normas de auditoria do TCU, a inspeção física é a constatação in loco, que deverá fornecer à equipe a certeza da existência, ou não, do objeto ou item verificado. Já, a observação consiste em olhar como um determinado processo ou procedimento está sendo executado por outros.

Assim, o procedimento adequado para a avaliação da realização de determinado processo ou a avaliação da prestação de determinado serviço é a observação e não a inspeção física.

Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: E

76 A evidência de auditoria engloba tanto a informação que respalda e corrobora as manifestações da administração da entidade auditada quanto a informação que as contradiz.

Comentários:

As evidências são informações obtidas durante a auditoria e usadas para fundamentar os achados, para fundamentar a opinião do auditor. As evidências podem tanto ir ao encontro, como serem contrárias às manifestações da administração da entidade auditada. Se forem ao encontro, o auditor opinará pela conformidade, se forem contrárias, o auditor opinará pela desconformidade. Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: C

Acerca do trabalho de acompanhamento e controle realizado após a conclusão da auditoria no âmbito do TCU, julgue os itens subsequentes.

77 Em situações específicas, nas quais as normas de auditoria do TCU não puderem ser seguidas na íntegra, será necessário declarar no relatório de auditoria, especificamente, os requisitos não observados, assim como as razões para a não observância desses requisitos.

Comentários:

Os relatórios de auditoria devem incluir uma declaração dos auditores de que os trabalhos foram realizados em conformidade com as Normas de Auditoria do TCU, desde que todos os requisitos nelas previstos tenham sido observados. Caso, algum requisito não possa ser observado, cabe ao auditor declarar qual requisito não foi observado e quais foram os motivos para essa não observância. Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: C

78 O monitoramento das deliberações tomadas em decorrência da realização de determinada auditoria é de responsabilidade do auditor, a quem cabe decidir o escopo e a oportunidade desse monitoramento.

Comentários:

Segundo as Normas de Auditoria do TCU, as determinações endereçadas aos jurisdicionados serão obrigatoriamente monitoradas e as recomendações o serão a critério do Tribunal, do relator ou da unidade técnica.

Não existe liberdade para o auditor decidir o escopo e a oportunidade do monitoramento. O escopo é definido pela determinação ou recomendação deliberada pelo Tribunal e a oportunidade é o prazo dado pelo Tribunal para o atendimento dessas deliberações.

Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: E

79 O TCU estabelece padrões rígidos quanto a forma e ao conteúdo dos papéis de trabalho da auditoria, devendo esses padrões ser adotados na confecção dos referidos papéis em cada auditoria.

Comentários:

Não existem padrões rígidos quanto a forma e o conteúdo dos papéis de trabalho, somente são determinados alguns aspectos que devem ser observados pelos auditores.

Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: E

80 Caso determinada unidade jurisdicionada do TCU sofra processo de desestatização, a constituição do respectivo processo de contas deverá ser instruída com a comunicação do encerramento do processo modificador ao órgão de controle interno e ao TCU, pelo responsável da unidade.

Comentários:

Correto. Essa previsão encontra-se na IN TCU 63/2010 e refere-se ao processo de contas extraordinário.

Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: C

Auditoria (P2)

Julgue os próximos itens, acerca das normas técnicas de auditoria. 

141 Situação hipotética: Um auditor independente verificou que as taxas de depreciação utilizadas por uma empresa foram calculadas pelo método das somas dos dígitos. Além disso, o auditor verificou que tal procedimento diferia daquele realizado no último exercício, quando foi adotado o método das quotas constantes, sem evidenciar em notas explicativas.

Assertiva: Diante desses fatos, por se tratar apenas de uma mudança de política contábil, a conduta adequada do auditor independente seria considerar como não relevante a alteração descrita.

Comentários:

Nesses casos, o auditor deve expressar a opinião com ressalva ou abstenção de opinião sobre as demonstrações contábeis, conforme apropriado se:

As políticas contábeis do período corrente devem ser aplicadas de maneira uniforme em relação aos saldos iniciais de acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável, caso haja uma mudança nas políticas contábeis, ela deve ser devidamente registrada, adequadamente apresentada ou divulgada, de acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável. Portanto, na situação hipotética apresentada o auditor deve considerar relevante a alteração descrita.

Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: E

142 A determinação do escopo do trabalho constitui um dos pontos essenciais a serem obrigatoriamente documentados nos papéis de trabalho do auditor, que deve observar o conceito de materialidade quanto aos procedimentos e à relevância da informação, além de ter senso crítico e julgamento para direcionar o seu trabalho.

Comentários:

O enunciado faz uma relação entre os assuntos papéis de trabalho, materialidade e julgamento profissional do auditor. De fato, o registro do escopo do trabalho nos papéis de trabalho é essencial para que outro auditor olhando somente os papéis possa entender como a auditoria foi conduzida, além disso, o auditor deve sempre considerar o conceito de materialidade e utilizar seu julgamento profissional para conduzir dos trabalhos.  

Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: C

143 O risco de auditoria é a possibilidade de o auditor, por algum motivo alheio a sua vontade, vir a emitir uma opinião tecnicamente inadequada sobre demonstrações contábeis significativamente incorretas. Para fins de análise, o risco de auditoria divide-se em três componentes: risco inerente, risco de controle e risco de detecção.

Comentários:

De acordo com a NBC TA 200, o risco de auditoria é o risco de que o auditor expresse uma opinião de auditoria inadequada quando as demonstrações contábeis contiverem distorção relevante.

O risco de auditoria é uma função de dois tipos de risco: dos riscos de distorção relevante e do risco de detecção. Os riscos de distorção relevante, por sua vez, consistem em dois componentes: risco inerente e risco de controle.

Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: C

144 Ao emitir parecer com abstenção de opinião para as demonstrações contábeis de uma entidade, o auditor não estará isento da responsabilidade de mencionar, no parecer, qualquer desvio que possa influenciar a decisão do usuário das demonstrações, independentemente da relevância ou da materialidade desse desvio.

Comentários:

Segundo o item 27 da NBC TA 706, quando o auditor se abstém de expressar uma opinião devido à impossibilidade de obter evidência de auditoria apropriada e suficiente, ele deve alterar a descrição da sua responsabilidade e a descrição do alcance da auditoria para especificar somente o seguinte:

“Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre as demonstrações contábeis com base na condução da auditoria de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Em decorrência do(s) assunto (s) descrito(s) no parágrafo sobre a base para abstenção de opinião, não conseguimos obter evidência de auditoria apropriada e suficiente para fundamentar uma opinião de auditoria.”

Concordo com o gabarito preliminar.

Gabarito preliminar: E

Um grande abraço.

Fernando.


Comentários

Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: