Prof. Leandro Signori

12/08/2015 | 15:56
Compartilhar

TCU - Comentários as questões objetivas e discursiva de Atualidades - Técnico

Olá pessoal,

Saiu o gabarito preliminar do concurso de Técnico (TFCE) do TCU. Em Atualidades não houve surpresas, os assuntos cobrados foram de temas amplamente divulgados pela imprensa. Quem estudou pelas minhas apostilas e assistiu as minhas aulas ao vivo, tanto nos cursos pré-edital ou pós-edital, resolveria todas as questões objetivas e faria uma boa questão discursiva.

Foram oito questões na prova objetiva, na média do Cespe para o concurso do TCU. A banca cobra geralmente de seis a dez questões de Atualidades. Não surpreendeu a cobrança de um tema de Atualidades na questão discursiva. Este ano a disciplina já foi tema das discursivas dos concursos da Polícia Federal, FUB (duas vezes), Depen e agora o TCU. Fiquem atentos para os próximos concursos do Cespe!

As questões foram de política, conflitos e economia internacional. O Cespe passou longe do Brasil.

O tema da prova discursiva – Imigração no mundo contemporâneo: uma tragédia sem fronteiras e os tópicos estavam fáceis de serem dissertados. Foram bem trabalhados nas nossas aulas.

Chamo atenção para a interposição de recurso em relação ao padrão preliminar de resposta do primeiro tópico: Fatores determinantes para as atuais correntes migratórias. Claro que a banca disse esperar que o candidato aponte, entre outros... Veja bem, entre outros. Mas não podemos dar sorte para o azar e nem ficar confiando no examinador que elaborou a questão, tampouco nos examinadores que corrigirão as discursivas.

Vejamos o que diz o padrão de resposta: Espera-se que, em relação ao primeiro aspecto a ser abordado (Fatores determinantes para as atuais correntes migratórias), o candidato aponte, entre outros, as péssimas condições econômicas nas regiões de origem dessas correntes migratórias, assinaladas pela miséria extrema, pela fome generalizada e pela falta de perspectivas; as perseguições políticas, normalmente levadas a efeito por governos ditatoriais sobre pessoas e grupos sociais; a intolerância religiosa que se manifesta em violentas perseguições.

Galera, faltou citar expressamente as guerras, os conflitos armados, como um dos fatores determinantes das recentes migrações. Vide as notícias e os relatórios da ONU e de outras organizações internacionais do grande número de migrações forçadas – deslocados e refugiados -, pessoas que fogem dos conflitos armados no Oriente Médio, norte da África, Síria, Iraque, Líbia, Somália, Afeganistão entre outros países. Estes migrantes forçados, que fogem dos conflitos, são chamados de deslocados e refugiados.

Muitas vezes as péssimas condições econômicas, a miséria extrema e a fome têm como causas ou são agravadas pelos conflitos armados que surge nos países. A Primavera Árabe criou um fluxo inesperado de imigrantes árabes e africanos fugindo das guerras e revoltas populares. A maioria está em países vizinhos, mas muitos tentam a Europa. Segundo a Frontex, a agência europeia que cuida da segurança de fronteiras, a Primavera Árabe aumentou em 80% a imigração ilegal para a Europa.

Então galera, façam o recurso, principalmente se você citou corretamente os conflitos armados, as guerras, como um dos fatores determinantes para as atuais correntes migratórias.

Seguem links de notícias sobre as migrações causadas pelos conflitos armados para subsidiar o recurso. Consulte também a apostila do nosso curso.

http://www.acnur.org/t3/portugues/noticias/noticia/relatorio-do-acnur-revela-60-milhoes-de-deslocados-no-mundo-por-causa-de-guerras-e-conflitos/

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/05/1631851-entenda-as-diferencas-entre-as-crises-migratorias-na-europa-e-na-asia.shtml

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/04/150419_mediterraneo_cinco_razoes_fd

 

Nas questões objetivas não considero haver possibilidades de recursos. A questão abaixo causou polêmica. Teve inclusive gabarito extraoficial de curso dando como certa.

 

Questão: A definição de terrorismo é bastante controversa, mas há um consenso básico: terroristas são aqueles que lutam contra o Estado e também contra um de seus elementos básicos, o povo.

 

Eu sei, você já ficou atento para a pegadinha da palavra “consenso”. Mas a questão falou de consenso básico.

- Tá bom, o que seria este consenso básico?

- Eis uma pergunta para os professores de língua portuguesa.

Turma, a literatura especializada nos ensina que existe também o terrorismo de Estado. Neste caso, terroristas são agentes do próprio Estado que lutam contra o seu povo, mas não contra o Estado, para o qual agem disseminando o terror. Para lhe explicar melhor, seguem duas questões comentadas, que estão na aula 4 do nosso curso do TCU, onde abordo o tema. São do concurso da Abin (2008).

 

(CESPE/ABIN/2008 – Agente de Inteligência) A respeito do conceito de terrorismo e de suas implicações nos cenários internacional e nacional, julgue os itens.

A definição do fenômeno atual do terrorismo, que é consensual, está vinculada aos resultados da ação violenta empreendida por grupos insatisfeitos com seus governantes.

COMENTÁRIOS:

Não há consenso na definição do fenômeno atual do terrorismo. Há várias análises e conceituações. Muita atenção e cuidado quando o Cespe afirma: é consenso, é consensual, apenas se, somente se. Geralmente estas questões estão erradas. Você já viu um conceito único, consensualmente aceito pelas ciências?

O terrorismo é uso de violência física ou psicológica, através de ataques localizados a elementos ou instalações de um governo ou da população governada, de modo a incutir medo, terror, e assim obter efeitos psicológicos que ultrapassem largamente o círculo das vítimas, alargando-se para a população do território.

Veja-se o caso do atentado terrorista ao World Trade Center. Foi executado por uma organização fundamentalista islâmica, formada por membros de várias nacionalidades, tendo por alvo instalações físicas localizadas nos Estados Unidos. Os membros da Al-Qaeda não eram americanos, tampouco governados pelos Estados Unidos.

Gabarito: Errado

Há certo consenso na história recente da América Latina de que houve experiências, na segunda metade do século XX, tanto de métodos terroristas de grupos políticos com caráter reivindicatório quanto de terrorismo de Estado.

COMENTÁRIOS:

O terrorismo de Estado consiste em um regime de violência instaurado por um governo, em que o grupo político que detém o poder se utiliza do terror como instrumento de governabilidade. Caracteriza-se pelo uso da máquina de repressão do Estado como organização criminosa, restringindo os direitos humanos e as liberdades individuais.

Na segunda metade do século XX, em muitos países da América Latina, chegaram ao poder ditaduras militares que estabeleceram regimes de exceção com restrições democráticas aos direitos humanos e às liberdades individuais. Contra esses regimes, levantaram-se oposições civis e grupos armados. Como método de dissuasão e combate às oposições, os regimes autoritários muitas vezes se utilizaram do terrorismo de Estado. Alguns especialistas apresentam como exemplo de terrorismo de Estado, a atuação do DOPS durante a ditadura militar brasileira, cuja tortura e acúmulo sistemático de informações sobre cidadãos considerados suspeitos de subversão potencializou um processo de terror.

Por outro lado, a segunda metade do século XX também foi pródiga no surgimento e atuação de grupos guerrilheiros e terroristas na América Latina que se utilizavam de métodos violentos para o enfrentamento aos governos que se opunham. Na sua ação, muitos se utilizaram de atos terroristas como sequestros, assassinatos e atentados à bomba.

Gabarito: Certo


Sucesso no concurso!

Prof. Leandro Signori



 


Comentários

  • 12/08/2015 - marcos
    Professor, aquela sobre referendo grego está errada, pois o que realmente aconteceu na Grécia foi um plebiscito. O próprio site de onde saiu a assertiva diz isso em: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/07/1651943-nao-vence-plebiscito-na-grecia-e-pais-rejeita-proposta-de-credores.shtml.
    Além disso, o resultado do "NÃO" já era esperado. O próprio Tsipras manifestou-se nesse sentido. Quem se surpreendeu foi o site folha! Discordo totalmente desse gabarito!
  • 12/08/2015 - Prof Leandro Signori
    Olá Marcos, juridicamente foi um plebiscito, pois, primeiramente o parlamento grego aprovou a sua realização. Depois houve o plebiscito com o "NÃO" saindo-se vencedor. Posteriormente o parlmento grego aprovou o resultado da consulta popular. Está tudo noticiado na imprensa. Ocorre que a imprensa também falou em referendo, assim no mínimo há dois tipos de notícias. Veja links onde foi noticiado o referendo. Você pode tentar um recurso pedindo a alteração do gabarito ou anulação da questão. http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,parlamento-grego-aprova-convocacao-de-referendo-sobre-resgate,1715050 http://economia.terra.com.br/parlamento-da-grecia-da-luz-verde-a-referendo-sobre-resgate,88aaf62485e4d73480fac8b4ed258354ct4eRCRD.html
  • 12/08/2015 - marcos
    Na que começa com: No Brasil, o casamento entre pessoas do mesmo gênero...O termo "legalmente" prejudica o julgamento objetivo do item, já que pode ser em sentido estrito ou sentido amplo. Discordo também!
  • 12/08/2015 - marcos
    A definição "básica" sobre terrorismo é essa mesma! O próprio texto da questão deixa isso claro ao afirmar que não há um consenso. Simples assim! Também discordo totalmente!
  • 12/08/2015 - Prof Leandro Signori
    Caro Marcos, consenso básico não é o que está na internet, onde muitas vezes os sites copiam o que o outro escreveu. Transcrevo trecho do livro "As diversas faces do terrorismo" (Ed. Harbra, 2003): "É difícil conseguir uma definição suficientemente ampla e consensual para terrorismo, pois ela envolve conceitos políticos, ideológicos, militares e religiosos". Por ter limite de caracteres, não vou poder transcrever aqui outras definições, mas você pode consultar a Enciclopédia Verbo do Direito e do Estado, The Blackwell Encyclopedia of Political Institutions, Atlas de Relações Internacionais (Ed. Hatier), A Dictyonary of Moderns Politics, entre outros. Verás que não há um consenso básico. Beleza!
  • 12/08/2015 - Paulo Correa
    Prezado Professor,acho que a questão 46 O FMI recomendou, em estudo recente, entre outras possíveis
    medidas para fazer frente à crise na Grécia, o perdão da dívida
    externa do país.Acredito que essa questão deve ser anulada pois essa recomendação do FMI aconteceu em 14/07/2015,ou seja, após a publicação do Edital CESPE e segundo o item 16.30 As alterações de legislação com entrada em vigor antes da data de publicação deste edital serão
    objeto de avaliação, ainda que não mencionadas nos objetos de avaliação constantes do item 17 deste edital.O item nos leva a crer que qualquer informação ocorrida e divulgada após a data de lançamento do Edital deverá ser desconsiderada nas questões de prova.É isso mesmo?
  • 12/08/2015 - Prof Leandro Signori
    Caro Paulo, a questão é de Atualidades. Não é de legislação, portanto não foi infringida eventual regra do edital. Não há nada no edital que diga que o Cespe não pode cobrar fatos ocorridos após a publicação do edital. Sucesso no concurso!
  • 12/08/2015 - concurseira
    Professor, surgiu uma dúvida. Em relação à questão do FMI, as notícias veiculadas sobre esse assunto, pelo menos as que encontrei, estão todas datadas pós edital, ou seja, quando da divulgação do edital esse fato ainda não havia acontecido (se eu não estiver errada, me corrija por favor). A banca pode fazer isso?
  • 12/08/2015 - Prof Leandro Signori
    Cara Luciene, não há nada no edital que diga que o Cespe não pode cobrar fatos ocorridos após a publicação do edital. Pode sim e o faz com frequência. Gosto do Cespe, quando ele cobra o contexto, o conceito dos fatos. Quando começa a cobrar dados, números, pode se enrolar. Nesta questão do FMI um aluno me enviou uma notícia com outro valor da reparação exigida pela Grécia - 278 bilhões de euros. Se você achar uma notícia assim, já pode constestar o gabarito. Outro aluno acessou o site do FMI e leu o comunicado em inglês, onde o Fundo fala em "alívio" e não em perdão. Bem, eu ensino conforme é noticiado pela imprensa. Claro que consulto livros, relatórios, sites, questões antigas, etc. Como o Cespe derivou para os números, esses podem ser questionados. Siga por aí.
  • 12/08/2015 - Leonardo
    Caro professor, acha que é razoável a interposição de recursos em razão da divergência do valor citado pela banca na prova e do valor real solicitado pela Grécia à Alemanha? A banca citou o valor exato de 279 bilhões de euros, enquanto o valor aproximado citado em reportagens foi de 278,7, ou seja, uma diferença de quase 300 MILHÕES DE EUROS! Fonte: http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKBN0MX1N120150406
    A revista exame cita 278: http://exame.abril.com.br/economia/noticias/grecia-afirma-que-alemanha-deve-278-bi-por-ocupacao-nazista
  • 12/08/2015 - Prof Leandro Signori
    Caro Leonardo, cabe sim recurso. O Cespe foi preciso, falou em 279 bilhões de euros. Não disse em torno de, aproximadamente. O examinador resolveu ir para o detalhe do número e em havendo divergências sobre o valor absoluto do número, cabe recurso. Se puder, procure também alguma notícia em um jornal europeu, como o Financial Times, BBC e El País. Abs. Leandro
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: