Prof. Juliana Renz

03/08/2015 | 01:00
Compartilhar

A ansiedade gerada pelos estudos: podemos superar?

A ansiedade gerada pelos estudos: podemos superar?



 



    Todos nós já falomos ou escutamos essas frases: “estou ansioso(a), tenho uma prova para prestar”, “ai, o que será que irá cair na avaliação?”, “estou nervoso(a), não consegui cumprir minha meta de estudos”. São tantas as situações cotidianas que nos remetem a momentos e sentimentos de ansiedade que não temos como evitar essa inquietude. Diante deste inevitável desconforto surge a dúvida: existe alguma forma de superar, ou ao menos minimizar a ansiedade gerada nesta fase de estudos?



   Não há como abolir a ansiedade da nossa vida, pois todo o desconhecido pode gerar um certo grau de ansiedade. Mas não é só o que desconhecemos que nos deixa ansiosos. Você concurseiro certamente pode sofrer com esse incômodo nesta fase que exige tanta dedicação. E provavelmente já sabe o que deve fazer para superar esta etapa: estudar mais! Mas então por que não conseguimos concretizar nossas metas e assim conquistar rapidamente nossos objetivos?



   Difícil termos uma resposta específica sem autoconhecimento. Em um contexto geral existem muitas respostas para isso, mas sendo bem genérica diria que pode haver falta de força de vontade. Entendamos falta de força de vontade nesse contexto como uma insatisfação, falta de motivação, indisciplina, enfim essas “pequenas” atitudes negativas que geram grandes consequências. Por outro lado, cultivar persistentemente atitudes positivas nos trará grandes resultados igualmente positivos.



   O desconhecido ou conhecido que enfrentamos, não é apenas a situação externa nova ou aquela que desejamos há anos realizar, mas também o “perigo” que desconhecemos em nossa personalidade. Às vezes, pessoal, por mais que queiramos realizar um propósito de vida, internamente nos acomodamos por que desconhecemos as consequências emocionais, boas ou ruins, que a concretização de um desejo ocasionaria.



   Se sua ansiedade se relaciona aos estudos e você quer saná-la, é simples; “baixe a cabeça” e resolva esse problema. Muito fácil dizer, mas não é tão simples assim ter atitudes resolutivas. Nossos comportamentos geradores de ansiedade (digo geradores de ansiedade por que não resolvem aquilo que gostaríamos de mudar, de transformar, de ser) já nos acompanham de longa data, sendo repetidos da mesma forma diariamente.



   Não podemos mudar de repente, não dá para aplicar uma reengenharia em si próprio, colocar fora aquilo que nos incomoda, que trava nosso desenvolvimento, nosso progresso, e inovar com uma tecnologia revolucionária de comportamento, isto está fora de nosso alcance. Não somos máquinas, somos seres humanos, temos nossas limitações físicas, emocionais e aí vai... só nós mesmos podemos saber quais são nossas limitações e até onde podemos chegar.



   Precisamos refletir sobre aquilo que queremos conquistar ou o que desejamos modificar. Para nossa ação ter resultado é necessário iniciar as mudanças aos poucos, então priorizem aquilo que possuem maior necessidade de concretizar, pensem em suas atitudes, se perguntem: “o que eu estou fazendo agora vai trazer o que eu quero como resultado?”.



   Se precisarem listar seus desejos, suas atitudes, seus comportamentos, listem, e façam as mudanças de maneira gradativa. Se a ansiedade está nos estudos, se proponham a aumentá-los a cada dia, ler um pouco mais, fazer mais exercícios das bancas. Se aumentarem dez minutos a cada dia, no final da semana são 70 minutos a mais, e em um mês soma 300 minutos a mais, o que significa 5 horas de estudos adicionais.



    As atitudes realizadas repetidamente geram mudanças de comportamentos que se forem seguidas consistentemente (independente se decidirem tê-las nos estudos, na saúde ou no amor), com o passar do tempo diminuirão a ansiedade que possuíam sobre sua conquista e resultarão na realização do seu sonho. Então, pessoal, sejam os gerentes de suas ansiedades e não deixem ela os dominar.



    Um abraço e ótimos estudos,



    Professora Juliana Renz



    Revisão Daniele Hannusch


Comentários

  • 23/09/2015 - Vivi Chagas
    Adorei a abordagem, foi bem realista , eu particularmente não acredito em fórmulas prontas ou overdose de estudos , acho que tudo parte do treinamento e da modelagem mental que você vai aos poucos construindo, processando e esculpindo seu cérebro para suportar e encontrar saídas nesses momentos "donw" do estudo, pois infelizmente eles virão, mas com a ferramenta certa é possível abreviar sua temporada eheh e retornar ao cronograma proposto. Obrigada pela reflexão proposta e pelo caminho indicado.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: