Prof. Igor Oliveira

08/06/2014 | 11:11
Compartilhar

A arte do pragmatismo

Certo dia estava na livraria do Shopping procurando um romance para ler quando vi dois homens de meia idade no setor de concursos públicos escolhendo com esmero um livro de direito administrativo.

Aproximei-me para observar. Sei que é feio prestar atenção na conversa dos outros, mas achei que poderia, quem sabe, ajudar. Quando vi o tamanho do livro que eles estavam na mão quase caí duro-pra-trás-fedendo. O livro parecia um compêndio sobre tudo que pode existir no planeta terra desde o pleistoceno. Gigantesco. Nunca havia visto o nome do autor daquela bíblia do direito.

Com ar detetivesco perguntei:

- concurso público?

- sim, TJ do Rio – responderam. E você, também está estudando?

- sim – respondi. Além de bisbilhoteiro e péssimo ator, agora sou mentiroso também, que feiura Seu Igor – pensei comigo.

Daí, como se fosse um catedrático da velada ciência do concurso público, comecei a explicar para os homens que iniciar os estudos por um livrão daqueles não era aconselhável.

Resistentes, eles argumentavam que deveriam estudar sim aquela monstruosidade jurídica, pois a concorrência seria devastadora e eles estavam cercando por todos os lados, com o intuito de garantir uma nota boa.

Ciente que estava fracassando miseravelmente na minha empreitada filantrópica, rendi-me e resolvi dar uma trégua para os pobres homens, felizes em sua ignorância. Saí de lado docilmente e fui buscar meu romance.

Esse drama mexicano é muito comum. Ele representa a necessidade que temos de segurança. De nos agarrar a algo concreto, completo, que nos passe o sentimento de uma vitória certa. Se você se render aos seus instintos e delírios de grandeza, você estará sujeito a incorrer em um grave erro: falta de pragmatismo.

Ler um livrão não é a garantia que você vai se dar bem no seu concurso. Pelo contrário. Você pode se afogar em tanta informação e não saber dar a devida atenção ao que pode ser mais cobrado.

Para ilustrar minha tese, fiz um experimento prático. Acessei um site de questões e escolhi uma disciplina que não possuía conhecimento: controle externo. Analisei algumas questões antigas do CESPE e notei que a maioria estava relacionada a alguns artigos da CF/88 e da Lei Orgânica do TCU. Em duas horas consegui ler tudo. Fui pretensioso: nem a LOTCU li toda, mas apenas artigos selecionados. No outro dia, acessei o site e resolvi 50 questões do CESPE do assunto controle externo. Pra minha surpresa acertei 45! Ou seja, com duas horas de estudo teria feito 90% de uma prova de controle externo. Uma ótima relação custo x benefício. Eu sou um gênio? Não. Apenas tenho a malícia bem desenvolvida e tempo para brincar de cientista social.

Para saber o que mais cai, é necessário fazer essa engenharia reversa. Você pode contra argumentar, por exemplo, que no último concurso da Receita Federal caiu muita doutrina/jurisprudência em direito administrativo e não lei seca, fato que anularia minha tese. Mas aí eu pergunto pra você nobre guerreiro: ler o livrão garante que você saiba a doutrina/jurisprudência que será cobrada? Não! Pelo simples motivo que você não conseguirá memorizar todo o conhecimento que está disposto ali. É preciso ser seletivo.

A memorização é um consectário da repetição. Se a cada questão que você não souber, recorrer de forma pontual à teoria/jurisprudência, tenho certeza que irá memorizar mais se adotasse um estudo ortodoxo, baseado na leitura maciça.

Mas o livrão tem sim o seu valor. Como objeto valioso de consulta. No entanto, até a escolha do livrão deve ser criteriosa. Faça a opção por materiais voltados para concurso, com linguajar mais acessível. Em direito administrativo, como exemplo, há o insuperável Direito Administrativo Descomplicado.

Ser pragmático não é fácil. É uma mistura de desapego iogue, coragem empreendedora e olhar de relojoeiro. Mas acho que pode economizar um tempão, aborrecimento e dinheiro.

Para finalizar, como de costume, gostaria de avisar que escrevo toda semana aqui no Ponto, nas manhãs de domingo, quando já bebi meu café com leite e vi Globo Rural, um dos poucos programas úteis da TV brasileira. Tento sempre trazer algo novo, livre de sensacionalismo, que acalente seu coração e o faça rir um pouco, pois nem só de concurso público vive o homem.

Abs!

Igor Oliveira.

Coordenador – coaching do Ponto.

Coaching para concursos.

Email: igor[AT]pontodosconcursos.com.br


Comentários

  • 10/06/2014 - RUAN CARLOS
    Professor quando o senhor ira escrever o seu livro de Contabilidade e Afo?
  • 10/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Olá Ruan, pois é...quem sabe eu não dou uma de escritor, né? rs...mas brincadeiras a parte, não sei. Acho que não é a hora. Um livro é algo mágico. Não quero escrever um SPAM como muitos que vemos por aí. Abs!
  • 09/06/2014 - Julliana Mota
    Salve, salve, Fuzileiro!!! Tenho acompanhado seus artigos como pequenas doses de encorajamento para a batalha. Mas esse de hoje me caiu muito bem. Estou quase desistindo de carreira fiscal por causa de contabilidade. Tenho um bom material para estudo e não entendo grande parte do que leio. Quando faço exercícios dá vontade de chorar. O que fazer? No meu caso nem a bíblia 3D tem adiantado. Me dê uma luz, pelo amor de Deus!!!
  • 09/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    hehehe...depois me mande um email fera! Forte abraço! Igor.
  • 09/06/2014 - Diogenes
    Mais uma bela reflexao professor. Descobri uma palavra nova - pleistoceno - e seus irmãos: o mioceno, haloceno, plioceno.... rsrs. Parabéns e só aproveitando a prosa, acredita em certame Susep pra esse ano ainda? Abraços
  • 09/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Olá Diogenes, francamente falando não acredito. Acabamos de trocar o Superintendente e somado ainda a ano de eleição, quando o mistério sempre paira no ar, acho impraticável concurso este ano. No mais, grande abraço! Igor.
  • 09/06/2014 - Eder A
    Caro Prof. Igor,

    Parabéns pelos excelentes textos, inspiradores até. É, de fato, um talento que você vem demonstrando aqui. Estou quase encerrando a carreira/fase/sei lá de concurseiro. Sou excedente em um dos concursos mais concorridos do país e, segundo colegas já nomeados, está para sair um novo "lote" de nomeações, no qual estarei inserido. Isso já me faz pensar no que fazer, uma vez "liberado" dos estudos para concurso... Enfim, vejo que você parou com as provas e, digamos, encontrou-se como professor, como coach. Muito legal. Apesar de falar principalmente para quem ainda está na luta, o que você acha de abordar o momento pós-concurso? Valeu.

    Eder
  • 09/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Olá Eder! Parabéns, primeiramente! Bom, já até pensei nisso, afinal de contas a vida não acaba nem começa com a aprovação. Vamos ver...quem sabe não abrimos uma série de artigos nova: depois do DOU...hehehe...abração!
  • 09/06/2014 - Tiele
    Não perco um artigo seu. Palavras simples que tem um poder enorme de nos encorajar ainda mais e ver a vida de um jeito diferente, fortalece nossas escolhas e nos motiva. Parabéns e obrigada.
  • 09/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Disponha sempre Tiele! Que bom que gostou. Conte comigo! Abs!
  • 08/06/2014 - Silvana
    Belas palavras Mestre Igor!
    Ler seus artigos fortalece o meu espírito de concurseira e me faz ter a certeza que com determinação, bom senso e pragmatismo é possível VENCER!!
    Parabéns pelo dom da escrita, que Deus a conserve e te faça prosperar sempre.
    Sucesso para todos nós.
  • 08/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Oi minha filha! Obrigado pela presença constante e encorajamento. Escrevo esses artigos com muito carinho. Que bom que gostou. Disponha sempre! Igor.
  • 08/06/2014 - RODRIGO
    Se há o "guru" dos concursos, eu diria que o senhor é o "monge" dos concurseiros! Não perco um artigo!
  • 08/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Rodrigo. O título é muito bonito. Já me chamaram de tudo, mas de monge é a primeira vez. Confesso que a rigidez e serenidade da vida monástica realmente me inspiram...rs...conte sempre comigo! Abs!
  • 08/06/2014 - Elton Tomazeli
    Olá Igor. Gostei muito do artigo, estou sempre aprendendo com eles. Um dia, gostaria de desenvolver toda esta empatia que você transmite em suas publicações. Parabéns. Ah, também adoro assistir o Globo Rural, programa exemplar, é uma das poucas coisas que assisto na TV. Forte abraço e uma boa semana!
  • 08/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Obrigado Elton. De fato, adoro Globo Rural. Eu tenho vocação pra ser peão de fazenda, pois gosto de mato, bicho, roça. Vim de uma cidade de 4000 habitantes, não podia ser diferente, né? rs...obrigado pela presença. Disponha sempre!
  • 08/06/2014 - Hugo Fernandes Pimen
    Olá professor, tudo bem?

    Muito obrigado por novamente nos ajudar com valiosas dicas.
    Quando puder, tenta nos ajudar em AFO/LRF/4320 e Contabilidade Pública.
    Quais as legislações, normas etc que devemos ler para ter um ótimo desempenho?

    abração!!!
  • 08/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Hugo. Vou elaborar algo e publicar. Disponha sempre! Abs!
  • 08/06/2014 - Luciana Super
    hahaha... amei! Que texto legal!! Obrigada, professor!!
    Abraços!
  • 09/06/2014 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Luciana. Que bom que gostou..rsrs...conte sempre comigo, tá? Abs!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: