Prof. Marlos Ferreira

28/04/2014 | 10:18
Compartilhar

Economia em questões comentadas

Amigos do Ponto!

Informo sobre o livro Economia em questões comentadas de todas as bancas examinadoras dos últimos cinco anos, contemplando tudo em Economia (Micro, Macro, Economia Brasileira, Economia Internacional e Economia da Tributação). São mais de 260 questões literalmente comentadas. 

Seguem algumas questões para demonstração. 

A quem interessar, tenho os últimos seis exemplares comigo (a preços promocionais e sem cobrança de frete). Depois, só nas livrarias e sites especializados.

marlos@pontodosconcursos.com.br

01-(CESPE/UNB-ANTAQ/2009) Os problemas associados à volatilidade do capital internacional decorrente da globalização financeira atingem, principalmente, os investimentos externos diretos e praticamente não afetam o investimento de portfólio.

Comentários:

A assertiva está incorreta porque os problemas associados à volatilidade do capital internacional decorrente da globalização financeira atingem os investimentos externos diretos (investimentos de longo prazo, que vem para a produção e aumento da formação bruta de capital fixo e, notadamente, os investimentos em portfólio e carteira (capitais especulativos, de curto prazo, que se aproveitam das oscilações cambiais e dos movimentos dos juros).

Cabe repisar que Investimento em portfolio: envolve somente ativos financeiros, como aquisição de títulos ou de ações. A transação realiza-se por meio de instituições financeiras e não implica o controle da empresa beneficiária do capital por parte do investidor.

Investimento direto: é uma operação em que se cria uma subsidiária no

exterior ou passa-se a exercer controle sobre uma empresa estrangeira,

adquirindo a maior parte de suas ações. É um importante canal para os fluxos internacionais de capital privados e constitui um dos pilares do processo de globalização.

Gabarito: E

02-(CESPE/UNB-ANTAQ/2009) O estágio atual da economia mundial é marcado, entre outros aspectos, pela ampliação da capacidade produtiva e dos mercados, pela rapidez na circulação de bens e capitais, pelas incessantes inovações tecnológicas. A denominação mais comum para esse quadro da economia contemporânea é

a) capitalismo de Estado

b) socialismo real

c) socialismo utópico

d) globalização

Comentários:

Questão sem maiores aprofundamentos. Tem-se aqui o conceito completo do termo globalização.

Gabarito: D

03-(CESPE/UNB-HEMOBRAS/2008) Obama, como Roosevelt, tem pela frente um contexto internacional bastante favorável à exploração e aprofundamento da economia liberal desregulamentada.

Comentários:

A assertiva está incorreta porque Obama teve pela frente um contexto internacional em que se redescobriu o multiplicador keynesiano, louvando a capacidade dos déficits públicos de tirarem as economias rapidamente da recessão. Trata-se justamente da antítese da exploração e aprofundamento da economia liberal desregulamentada.

Gabarito: E

 

04-(CESGRANRIO/BNDES/2012) A crise econômica mundial que se estende desde o ano de 2008 tem pressionado diversos países. Na Europa, é preocupante a situação, em especial da Grécia. Apesar do profundo desgaste que tem provocado na economia européia, sabemos que essa crise teve seu início nos EUA, e sua principal causa foi:

a) o estouro de uma bolha imobiliária provocada por empréstimos bancários e a grande oferta de títulos advindos desses empréstimos.

b) diminuição da produção de petróleo devido à longa guerra de ocupação do Iraque conduzida pela OTAN e ONU, fator este que afetou negativamente os níveis de produção industrial.

c) condução equivocada da política econômica dos EUA que sob o Governo Al Gore não foi capaz de conjugar desenvolvimento energético com preservação ambiental.

d) quebra da Bolsa de Valores de NY, conhecida como crack da bolsa provocada pela especulação com ações de empresas inexistentes e pela produção industrial acima da capacidade de consumo do mercado.


Comentários:

A assertiva A está correta porque o foco da crise dos EUA que provocou a desaceleração da economia global está enraizado na bolha imobiliária provocada pelos empréstimos imobiliários de segunda linha para quem não tinha condições de receber. 

A assertiva B está incorreta porque coloca como origem da crise norte americana de 2008 a questão da guerra do Iraque (2003) e da questão sempre emblemática dos países exportadores de petróleo.

A assertiva C está incorreta porque Al Gore não ganhos as eleições e a crise não é fruto de questões de sustentabilidade ambiental.

A assertiva D está incorreta porque a quebra da Bolsa de Valores é referência maior da crise de 1929, primeira grande crise do capitalismo mundial.

Gabarito:A

05-(FUNTEF/PREF AMOREIRA/PR/2013) Em 2011, um dos países da UE passou a enfrentar um de seus momentos econômicos mais difíceis, com redução de salários, criação de novos tributos e muitos assalariados trabalhando sm receber. Estima-se que, em decorrência desse momento, até 2015, 120 mil assalariados com mais de 53 anos devem deixar o emprego. Um programa de ajuda financeira foi , então, colocado em prática pela UE, liderando pela Alemanha, a fim de recuperar a situação do país em crise.O país europeu que, ao longo de 2011 e 2012, vive a crise descrita é a

a) Suécia

b) Holanda

c) Grécia

d) França

e) Finlândia


Comentários:

A crise da dívida afeta a Europa e tem reflexos não só no continente, mas em várias outras partes do mundo, inclusive, no Brasil, em um cenário internacional onde as relações econômicas e financeiras estão cada vez mais interligadas.

Mas as fragilidades causadas pelos altos déficits que ocorrem quando um país gasta mais do que arrecada, são mais latentes e concentradas em cinco países da região que adotou o euro como moeda única: Portugal, Irlanda, Itália, Grécia e Espanha batizados de “Piigs”, uma sigla depreciativa criada com a junção das letras iniciais do nome de cada nação, em inglês, e cuja sonoridade se assemelha com a palavra “porcos”, no mesmo idioma.

A Grécia foi uma das maiores beneficiadas com a de adesão ao euro em 2001. Mas o governo grego foi incapaz de gerir a expansão dos gastos públicos que dispararam de forma desordenada. Nesse período, os salários do funcionalismo praticamente dobraram. Agora, a Grécia é o país de maior evidência no grupo de devedores da União Europeia.

O país tem hoje uma dívida equivalente a cerca de 142% do Produto Interno Bruto (PIB), a maior relação entre os países da zona do euro. O volume de dívida está muito acima do limite de 60% do PIB estabelecido pelo pacto de estabilidade do bloco assinado pelo país para fazer parte do euro.

Apesar da ajuda da União Europeia, a Grécia segue em dificuldades. Em meados de 2011, foi aprovado um segundo pacote de ajuda, de cerca de 109 bilhões de euros, em recursos da União Europeia, do Fundo Monetário Internacional (FMI) e de bancos do setor privado. Um programa de recompra de dívidas deve somar outros 12,6 bilhões de euros vindos de instituições financeiras não estatais, chegando a cerca de 50 bilhões de euros apenas a contribuição dos credores privados.

Gabarito: C



 abraço e bons estudos!

Marlos 


Comentários

  • 28/04/2014 - Fernando Pereira
    Prezado Marlos,
    Como faço para comprar o livro. Estou no RS e pretendo começar a preparação para concursos na área de economia.
    Atenciosamente,
    Fernando
  • 06/05/2014 - Prof Marlos Ferreira
    Bom dia, Fernando. Repasso para o seu email as instruções.
    Abraço e bons estudos!
    Marlos
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: