Prof. Igor Oliveira

27/04/2014 | 10:07
Compartilhar

As pessoas que me amam não me apoiam

Nem sempre podemos contar com o apoio das pessoas que amamos nas atividades que nos propomos a fazer. Gosto de classificar os “não apoios” em dois tipos. Os temporários e os permanentes.

Os temporários são toleráveis e fáceis de lidar, afinal de contas ninguém é obrigado a estar bem 100% do tempo. Um mau humor passageiro faz parte da vida. Não podemos ser egoístas e querer as pessoas à nossa disposição o tempo todo. Não abuse de quem te ama. A pessoa gosta de você, é seu amigo, não seu psicólogo. Seja paciente.

Os permanentes são fruto da descrença em nosso potencial. Tem origem ou no nosso desempenho ruim em ações passadas ou em um preconceito mesmo (conceito pré-formado).

Se as pessoas não acreditam em você ou não o apoiam por um erro seu no passado, creio que uma conversa madura ou o esforço sincero funcionam bem como argumentos de convencimento. Ou seja, se você se dedica a alguma atividade de forma ininterrupta, honesta e sistemática, certamente motivará as pessoas a acreditarem no seu trabalho. Isso se chama honestidade de propósito. Um esforço humilde e contínuo toca até mesmo os corações mais frios.

Agora, se as pessoas simplesmente implicam com você sem nenhum motivo aparente, tenho algumas dicas de ordem prática:

- Não prostitua seus sonhos para agradar ninguém. Não estou dizendo pra você destratar seus amigos ou tomar alguma decisão estúpida. Simplesmente proteja seus sonhos. A vida é sua. Se você doar seu tempo e força de vontade para realizar os sonhos dos outros, desde que não seja alguma filantropia, você está se vendendo e vai acabar se magoando. Se a pessoa te ama, ela vai entender. Pode até demorar, mas ela vai entender.

- Não leve para o pessoal. As pessoas não são iguais. Algumas são mais céticas que outras e necessitam de uma prova mais robusta do seu esforço. Continue tentando e não ligue. Aprenda a compartimentalizar. Meu sonho, meu sonho. Meus relacionamentos, meus relacionamentos.

- Não tente mudar as pessoas na força. Não espere as pessoas mudarem pra você fazer o que tem que fazer. Ninguém muda na marra. As pessoas mudam pelo amor. Se você as ama e ama seus sonhos, elas o seguirão. Se você começar a exigir demais, não vai dar certo.

- Evite confrontos. Se a pessoa que o magoa não for do seu círculo mais próximo de amigos ou familiares, afaste-se. Se for possível, claro. Se não for possível se afastar, evite comentar sobre o assunto. Você fará isso não para se livrar da pessoa, mas para proteger sua relação. A ideia é simples. Se você sempre briga quando toca no assunto, pare de tocar no assunto. Controle-se. Viver bem e buscar seus sonhos são mais importantes que as intrigas do dia a dia. Você não está sendo covarde ou falso. Você está sendo sábio. Às vezes, na vida, é melhor ser feliz que ter razão.

- Esqueça a vingança. Não adote como motivação o ódio ou o revanchismo. São sentimentos muito negativos que vão prejudicar somente ao seu rendimento. Se você quiser dar uma lição em alguém, só o fato de conseguir atingir suas metas é motivo suficiente para despertar o furor alheio.

Não espere ter um ambiente super favorável para começar seus projetos de vida. Se o seu coração aponta na direção de algo, vale a pena lutar. No entanto, não vale também, julgo eu, fomentar o mal estar gratuito. Uma solução diplomática é a base para a convivência saudável entre seus sonhos e as pessoas que ama.

Abs!

Igor Oliveira

Coordenador – coaching do Ponto

Email: igor@pontodosconcursos.com.br

Sugestões:

- Sem tempo na vida? Este artigo pode ajudar:

10 dicas práticas para economizar tempo

- Seu filho não te dá sossego para estudar? Segue abaixo um pouco de conforto:

Conciliando os estudos com filho pequeno


Comentários

  • 27/04/2014 - Rodrigo
    Perfeito, Professor! Muito Obrigado! Eu precisava ler isso hoje... Forte abraço!
  • 27/04/2014 - Prof Igor Oliveira
    Valeu Rodrigo. Disponha. Forte abraço!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: