Prof. Maurício Oliveira

23/04/2014 | 17:33
Compartilhar

Vale à pena contratar um coach?

Olá, pessoal.

Em virtude dos inúmeros emails e mensagens que recebo diariamente, senti a necessidade de escrever este artigo. A maior parte das dúvidas, daqueles que me enviam essas mensagens, resume-se a uma única - e complexa - pergunta: Como passar em concurso público?

Não, não é simples responder isso. Não, este não vai ser mais um daqueles artigos em que vou dizer que dedicação e consistência são fundamentais para passar em concurso público - e é bom dizê-lo, de fato são. Este artigo tem um viés mais prático, tem o condão de esclarecer algumas situações que são objeto de questionamento dos candidatos e apresentar uma possível solução.

Primeiramente, é salutar destrinchar aquela pergunta do início do artigo. Nesse sentido, decorrem dela alguns questionamentos: Estou estudando corretamente? O que é um material bom? Aquele livro é suficiente para aquele concurso ou vai além do que, de fato, é necessário? Aquela apostila vai ao encontro do que a banca examinadora do meu concurso exige? Quantas horas por dia devo estudar? Devo resumir todo o conteúdo, os pontos mais importantes ou os de maior dificuldade de memorização? Quais disciplinas priorizar e quanto tempo de estudo devo dedicar a cada uma delas? Como estudar todas essas matérias se a prova é daqui a dois meses? Resolvi estudar para concurso agora, é tarde? Resolvi estudar para concurso agora, por onde começo? Posso estudar para mais de um concurso ao mesmo tempo?

UFA! Pois é! Esses são alguns questionamentos que chegam a mim, diariamente.

Queria eu ter a condição de respondê-los inteiramente e da maneira como devem ser respondidos (não deixe de me escrever por isso, vou explicar melhor o que acabei de dizer). Primeiramente, é preciso dizer que, felizmente, tenho minhas atribuições enquanto servidor público e, também, coach, aqui no Ponto. Depois, e aqui é ponto principal, preciso dizer que para responder adequadamente muitas dessas perguntas - senão todas - preciso conhecê-lo muito bem, preciso conhecer a sua rotina, preciso conhecer a sua vida.

Como indicar um material sem saber o nível de conhecimento atual que você possui? Como saber se você está estudando corretamente sem conhecer o seu perfil cognitivo? Como dizer quantas horas você deve estudar sem conhecer a sua rotina? Como dizer quais disciplinas você deve priorizar sem estudar o edital do seu concurso, ou, novamente, sem saber o nível de conhecimento atual que você possui em cada uma delas? Como dizer se você deve priorizar apenas um concurso ou um grupo de concursos sem conhecer a sua disponibilidade de tempo, a data da prova ou possível publicação do edital, e, por fim, as matérias comuns e incomuns deles? Como dizer se é possível estudar após o edital sem conhecer a sua trajetória nos concursos públicos? Como indicar a forma correta de resumir sem um acompanhamento contínuo do seu estudo?

É, meus caros! Essas são algumas perguntas que surgem e, infelizmente, para achar a resposta exata da pergunta "Como passar em concurso público?" é preciso, também, responder aquelas outras. Até agora, não respondi se vale à pena contratar um coach, não é mesmo? Rs. Na verdade, onde é que o coach entra nessa história?

Pois bem. Eu lhe digo. O coach é um profissional preparado e capacitado para responder todas essas perguntas. É alguém que já passou em alguns - ou vários - concursos. É alguém que tem uma vasta experiência nesse ramo. Enfim, é alguém que, de fato, vai ensinar o caminho das pedras, o caminho da aprovação.

Então, Maurício, vale à pena contratar um coach?

É claro que sim! Se eu não recebesse todas essas perguntas, eu diria que ele é dispensável. Contudo, eu sou questionado tanto por aqueles que iniciaram os seus estudos hoje quanto por aqueles que estudam há 3 anos e ainda não foram aprovados.

Professor, mas o coaching não é um serviço caro?

Essa é uma das perguntas que mais me entristece. O concurseiro quer ser aprovado sem investir tempo e dinheiro. Ele reclama do preço de um livro ao preço de um coaching. Vale dizer que no mercado há livros melhores e livros piores, há coaches melhores e coaches piores. É natural que os melhores sejam mais caros; porém, isso é justo. Ah, esqueci de mencionar um detalhe. Quanto você irá investir na contratação de um coach? R$ 1.500, R$ 2.000, R$ 3.000, R$ 4.000, talvez? Agora, pergunto a você: quanto ganha um técnico no Judiciário ou em uma autarquia do Executivo? Aproximadamente, R$ 5.000. Mas você pode querer ser um técnico legislativo, na Câmara ou no Senado, eles ganham aproximadamente R$ 14.000. Lembro que esses são cargos de nível médio, você pode optar por concursos de nível superior, a remuneração é ainda maior. E aí, vale à pena contratar um coach?

 

A seguir, meus coachings aqui no Ponto:

COACHING PARA CONCURSOS COM O PROF. MAURÍCIO OLIVEIRA - (DURAÇÃO: 3 MESES)

COACHING PARA CONCURSOS COM O PROF. MAURÍCIO OLIVEIRA - (DURAÇÃO: 6 MESES)

COACHING PARA CARREIRAS ADMINISTRATIVAS COM O PROF. MAURÍCIO OLIVEIRA

 

Forte abraço e excelente estudo!

Maurício Oliveira

Facebook


Comentários

  • 30/04/2014 - Naguni
    Parabens parabens
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: