Prof. Bruno Fracalossi

03/11/2013 | 02:05
Compartilhar

Cansou da iniciativa privada? Vamos estudar!

Olá pessoal, tudo bem?

Recentemente, eu li uma reportagem no jornal Correio Braziliense informando que 2/3 dos empregados da iniciativa privada do Distrito Federal estão estudando ou pretendendo estudar para seguir uma carreira pública.

Evidentemente, temos que levar em consideração o fato de Brasília ser uma espécie de “Meca” dos cargos públicos, já que a sede da maioria dos órgãos públicos encontra-se aqui. Consequentemente, aqui temos o maior número de vagas também.

A economia de Brasília é quase toda movimentada em razão dos servidores públicos, incluindo cargos civis, políticos e militares. Isso traz benefícios, como a maior renda per capita do Brasil, mas também problemas, como o elevado custo de vida e uma enorme desigualdade social, principalmente em relação às cidades formadas pelo entorno do DF, conhecidas como umas das mais violentas do país.

- Mas, professor! Aonde você quer chegar com isso?

Eu escrevi isso tudo para comentar sobre uma aflição que já me envolveu, e que envolve muita gente, não só de Brasília, mas do Brasil todo: o fato de trabalhar em alguma empresa da iniciativa privada, e sentir que não nasceu para aquilo, ou até que nasceu, mas que não aguenta mais as “pérolas” que envolvem esse ramo, como os puxa-sacos, as trairagens, o stress, as horas-extras, os chefes intragáveis, os colegas não muito confiáveis, o assédio moral etc.

Eu já passei por tudo isso. Antes de tomar posse na Receita Federal, eu trabalhei por alguns anos em uma empresa privada e pude constatar tudo isso que eu relatei acima. É lógico que havia muitas coisas boas também onde eu trabalhei: benefícios indiretos, excelentes colegas, ótimos chefes... Porém, os fatores negativos acabam prevalecendo com o tempo.

Muitos de nós chegamos a um ponto que nem bom dia mais conseguimos dar, em razão de tanto stress e cobrança a que somos submetidos. Se você está lendo esse artigo, e trabalha na iniciativa privada, garanto que você não está muito satisfeito, rssss!

E qual é a solução para esse problema? Seria ficar lamentando com a família, com os amigos, com o seu cachorro, com o vizinho, sei lá com quem? Não, meu amigo! A solução é destruir de estudar! A solução é você comprar os melhores materiais e secar os olhos de tanto ler! A solução é você ter garra e zerar a tinta de várias canetas através dos seus resumos! Essa é a única solução viável, a meu ver!

Mas aí você, mesmo extremamente insatisfeito, vem e me fala: COMO EU VOU ESTUDAR SE TRABALHO O DIA INTEIRO, PROFESSOR?

Meu amigo, dê os seus pulos. Quem quer, consegue! Eu consegui, por que você não conseguiria?

Eu sempre estudei e trabalhei. Em todos os concursos que eu passei, eu sempre trabalhei 08 horas por dia. Foi muito desgastante, mas eu consegui, então você conseguirá também.

Não tem essa de que precisa largar o seu emprego para estudar, não! No último concurso da CGU, por exemplo, quase 90% dos aprovados trabalhavam e estudavam. Tenha plena certeza que esse negócio de ficar o dia inteiro por conta de estudar só funciona com quem é extremamente disciplinado.

Ressalto, porém, duas coisas:

1 - Se você tem condições financeiras e psicológicas de largar o seu emprego e ficar por conta dos estudos, aproveitando todo o seu tempo, e sem pirar, excelente! Faça isso então. Mas eu te garanto que são poucas as pessoas que conseguem viver essa rotina por muito tempo sem stressar demais.

2 – Se você trabalha 12, 14 horas por dia, aí sim é um caso a se pensar, pois vc chegará em casa muito desgastado para ainda querer se dedicar aos livros.

Do contrário, não há por que largar o emprego. O ideal é conseguir tirar férias antes das provas. Isso sim é muito bom, porque você vai conseguir aproveitar todo o seu tempo livre, visto que há um objetivo próximo.

Uma sugestão que eu já dei antes e que eu darei novamente é a questão de tentar dividir o seu dia. Tente estudar uma hora e meia antes de ir trabalhar, mais uma hora no almoço e mais uma hora e meia à noite. Isso dá quatro horas líquidas ao dia, o que já está ótimo.

E dê o gás total nos fins de semana.

E para dar uma motivação extra, sempre que você se desanimar dos estudos, lembre-se de todos os fatores intempéries que te desmotivam no seu trabalho atual. Use-os como fator motivacional.

Lembre-se também de nunca comentar em seu ambiente de trabalho que você está estudando para concursos. Eu te garanto que a revelação desse “segredo” não te ajudará em nada na sua caminhada para a aprovação. Aliás, isso pode é te atrapalhar, confie em mim.

O que eu posso te dizer também, e sendo um pouco politicamente “incorreto”, rsss, é que não há sensação melhor do que ver os seus desafetos recebendo a notícia de que você foi aprovado, rsss, além da sensação de liberdade que isso te dá!

Vou contar o meu caso em especial: quando eu fui aprovado no concurso de Técnico da Receita Federal (atual Analista-Tributário) em 2006, vi o resultado às 10:00 horas da manhã, no trabalho, e com a sala lotada. Eu não resisti: dei um murrão na mesa e gritei bem alto: PASSEEEEEIIII!!!!!! TÔ LIVREEEEE!!!!!! Kkkkkkkk! Foi uma sensação indescritível. Saí correndo de lá, entrei no meu paliozinho velho (já sabendo que eu iria trocá-lo rapidamente após a posse, rsss), ouvindo chiclete com banana (eu ainda era novo, rsss) no som do carro, em uma quarta-feira, dia normal de expediente!

Parei em uma dessas lojas de conveniência de posto de gasolina, sentei em uma mesa, e tomei uma latinha de cerveja bem gelada! Uma coisa bem simples, mas que foi feita com aquela maravilhosa sensação de dever cumprido.

Passar pela primeira vez em um bom concurso é igual ao nosso primeiro beijo: a gente nunca mais esquece!!!

Que isso te sirva de motivação! Pegue firme, mesmo trabalhando e sem ter tempo de fazer cursinho. Eu trabalhava e não fazia cursinho, e passei! Em dois excelentes concursos. O que define é o seu suor sobre o livro!! Você consegue também!!!

E se você estiver precisando de uma ajuda extra, pode contratar algum dos meus coachings.

http://www.pontodosconcursos.com.br/coaching/servicos_coaching.asp

Recebi hoje o e-mail abaixo de uma ex-aluna, e é sempre gratificante:


“Professor,

Estou escrevendo para dar noticias de como ando progredindo graças ao sua ajuda, mesmo que por um período curto de tempo. Fiz o concurso para Oficial de Fazenda da SEFAZ RJ e obtive a xxxª colocação com 62%. Estou em xx na lista de espera. Na prova de Auditor Fiscal da SEFAZ ES fiz 60 na objetiva e 20,26 na dissertativa total de 80,26 sem os titulos e estou em xxx entre os xxx aprovados. Estou muito feliz de estar conseguindo ver o meu nome na listinha, mesmo que seja lá no final, porém aprovada! Queria agradece-lo por ter sido fundamental nessa minha evolução. Continuo firme e forte rumo ao meu objetivo. Um grande abraço”

Um grande abraço!

Prof. Bruno Fracalossi

www.facebook.com/bruno.fracalossipaes

brunofracalossi@pontodosconcursos.com.br



 


Comentários

  • 08/11/2013 - Larissa
    Bom dia Professor! Tenho uma duvida..no caso de eu ter sido aprovada, mas fora do limite de vagas estabelecidas no Decreto..existe alguma possibilidade de eu ser convocada? Assim, são 9 vagas, mas o Decreto estende ate o numero maximo de 35. O que pode acontecer? Obrigada!
  • 04/11/2013 - Fabio Campos
    Oi Bruno. Graças a Deus eu não passei pela iniciativa privada. Quando
    eu estava começando a graduação fiz o concurso do INCRA para o cargo
    de Técnico.
    Passei como excedente. Faltando um ano e meio para terminá-lo, entrei
    em exercício. O detalhe é que sou deficiente visual. Tenho baixa visão
    e você não
    pode imaginar como é difícil para a gente estudar, dependendo de outra
    pessoa ler os textos e ter disponibilidade para isso. Hoje estudo no
    computador
    com o software de voz, o que facilitou muito a minha vida. Inclusive
    passei no concurso da CGU para a área administrativa. Estou na espera
    do segundo curso
    de formação. O recado que quero dar é o seguinte: nunca desista de
    seus objetivos, por mais que pareça muito distante ou impossível, pois
    quem luta um
    dia consegue a vitória. Um grande abraço meu amigo!
  • 04/11/2013 - Nilza Raquel
    Caro professor Bruno, seus artigos são sempre muito motivadores. Já sou servidora publica, mas continuo estudando para concurso. No momento trabalho, faço faculdade e no pouco tempo que sobra estudo para concurso. Estava pensando em trancar a faculdade para poder me dedicar mais, pois a faculdade toma quase todo o meu tempo. O senhor acha que vale a pena?
  • 03/11/2013 - Fernando Maeda
    Bruno, Excelente artigo! Trabalhei por um bom período na iniciativa privada. Mesmo com excesso de trabalho, sempre aproveitava os horários vagos para estudar. Com planejamento e foco, logrei o cargo de Analista Administrativo da Previc no início deste ano. Fiquei quatro meses nesse cargo. Hoje, estou na Anac. Passei em primeiro lugar para o cargo que ocupo atualmente. É possível conciliar trabalho e estudo! Um abraço.
  • 03/11/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Grande Fernando, tudo bem meu amigo? Lembro muito bem do seu esforço na biblioteca do Bacen. Vc merece! Boa sorte e um abraço.
  • 03/11/2013 - Rivaneide Sousa de M
    É verdade Professor, as dificuldades existem para todos que se preparam para concursos, mas a alegria de ser aprovado é compensadora. Já sou funcionária pública municipal e, fiz xixi nas calças quando recebi o telegrama de convocação. O salário é pouco, mas tenho minha estabilidade. Estudo para concursos federais há dois anos, não tenho recursos para pagar cursinho, contudo invisto em livros e sempre estou ligada nos artigos do Ponto. Fiquei entre os 100 primeiros colocados para analista do MPU ( Serviço Social), e o site do Ponto me ajudou muito. Não é dessa vez que serei chamada, porém, estou chegando perto. Um forte abraço!
  • 03/11/2013 - Prof Bruno Fracalossi
    Olá minha amiga, tudo bem?
    Parabens pelos resultados e continue assim!
  • 03/11/2013 - Ana Claudia
    Olá Professor,
    Inspirador seu artigo!
    Mas uma dúvida... li em um outro artigo seu sobre a possibilidade de sair o concurso da SUSEP e EPPGG/MPOG, qual a probabilidade de saírem em 2014? =s
    Vale a pena investir nesses dois, juntos? =)
    Desde já agradeço!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: