Prof. Bernardo Barbosa

14/10/2013 | 10:06
Compartilhar

Gasto, custo ou investimento. Como anda a sua preparação para os concursos?

Olá amigos!



Tudo bem?



Hoje eu gostaria de tratar de um assunto muito sério que afeta todos que estão empenhados por uma aprovação no mundo dos concursos: as elevadas despesas na preparação e participação nos certames.



Todos nós já ouvimos aquele ditado popular que “nada é de graça”. Todavia, quando se trata de concurso público, percebemos, talvez mais do que em qualquer outra situação, que a luta pela tão sonhada vaga no cargo almejado pode ser tudo (sofrida, doída, estressante, cansativa...), menos barata! rs



Cursos, livros, vídeo-aulas, apostilas, inscrições, passagens, diárias de hotel...nossa! Quanta despesa!



E se formos levar em consideração que muitos concurseiros estão em busca do seu primeiro emprego, ou muitas vezes abandonaram o emprego que tinham para dedicar-se inteiramente aos estudos, ou ainda têm de dividir sua renda entre as despesas com os estudos e o custeio da família, a situação fica ainda mais complicada...os recursos são poucos e as demandas, várias.



Entretanto, será que as despesas possuem todas a mesma importância? Será que é possível fazer mais com menos?...



Não sou economista, mas sempre tive gosto pela matemática e por planejamento. E aprendi ao longo da vida pessoal e profissional, que quando os recursos são escassos, o segredo para administrar a crise é fazer contas e eleger prioridades.



Assim, antes de seguirmos a nossa conversa convém revisarmos alguns conceitos.



Dando uma olhadinha no famoso Aurélio, verificamos que:



a)   Gasto: é “aquilo que se gastou ou consumiu”. Está ligado à idéia de “dano, quebra”;



b)   Custo: no sentido figurado, representa “dificuldade, trabalho, esforço”;



c)   Investimento: seria a “aplicação ou emprego de capitais em negócios”.



Podemos então dizer que a preparação para concursos públicos implica em um CUSTO (o esforço em estudar, a superação das dificuldades, o trabalho de ler vários livros, fazer inúmeros exercícios, resumos etc.), sendo um grande INVESTIMENTO (pois estamos aplicando os nossos parcos recursos financeiros na expectativa de, após aprovados, realizarmos nosso sonho profissional e ainda termos um merecido retorno: estabilidade e um bom salário!).



E mais, que devemos evitar ao máximo os GASTOS! Uma vez que estes são, em verdade, o consumo inútil de recursos, quer financeiros quer de tempo!



Quando eu estava começando a estudar para concursos tinha um amigo que fazia cursinho comigo a quem apelidei de “o tarado da livraria”, rsrs. Toda vez que passávamos em frente a uma livraria ele não resistia, entrava e ia correndo para as estantes de livros de direito. Dava uma olhada em vários livros e, todo empolgado, dizia “Olha Bernardo! Esse autor é muito bom! E esse outro livro aqui? Está repleto de quadros esquemáticos! Era isso que eu estava precisando para meus estudos engrenarem!!!”.



E saía de lá repleto de livros de Penal, Constitucional, Administrativo, exercícios resolvidos de português etc. e, é claro, uma conta enorme no cartão de crédito.



O problema é que ele terminava por não ler quase nenhum dos livros que comprava. E ia cada vez mais abarrotando a casa dele de diversas obras que iam ficando defasadas antes mesmo de serem lidas...



Eu pergunto, meu amigo estava fazendo um investimento ou tendo simplesmente um (enorme) gasto?



O fato é que esse comportamento acomete muitos concurseiros e, assim como na compra compulsiva de livros e mais livros/apostilas (que não são lidos ou corretamente estudados), também se manifesta na matrícula em diversos cursos on line ao mesmo tempo (que quase nunca são assistidos) ou mesmo na inscrição de vários concursos que o candidato sequer vai no dia fazer a prova!



Mas, infelizmente, quem age assim pensa que está fazendo um investimento, que está fazendo tudo que está ao seu alcance, que está se esforçando ao máximo. Quando, na verdade, está tendo tão somente um enorme e inócuo GASTO.



Essas atitudes impulsivas, e muitas vezes compulsivas, são consequência de uma busca (ainda que inconsciente) de redução da ansiedade. Assim como uma determinada pessoa pode ir ao shopping comprar roupas novas (que não precisa) ou se afundar em um pote de sorvete, ou devorar barra de chocolate, quando se sente triste, deprimida.



“Nossa professor, nunca tinha pensado dessa forma!”



É meus amigos...esse negócio de estudar para concurso é um troço muuuito complexo! rsrs



O fato é que nesse processo caótico, de livro em livro, de curso em curso, de apostila em apostila, em doses “homeopáticas” (sem sentir), um concurseiro pode gastar uma verdadeira fortuna ao longo de um, dois anos, sem que isso represente uma melhoria real na sua preparação para o concurso.



E o mais grave, nesse processo todo, ele de fato GASTOU (consumiu, desperdiçou) o recurso mais valioso, mais importante das nossas vidas, o tempo!



Talvez se esse mesmo aluno tivesse INVESTIDO seus recursos financeiros e tempo em uma preparação planejada, profissional, selecionando os melhores materiais/aulas, utilizando técnicas de estudo adequadas, cumprido metas determinadas etc. e assumido o CUSTO (esforço), ele tivesse tido um RETORNO muito mais rápido.



Já que estamos falando em investimento, façamos uma conta a fim de melhor ilustrar o nosso raciocínio:



Suponhamos que um aluno esteja se preparando para passar em um cargo cujo salário líquido seja R$ 7.000,00, mas adquire livros que não lê, cursos que não assiste regularmente, segue estudando sem muito método e sem muito foco.



Além dos gastos financeiros com material/aulas não utilizados, A CADA ANO que ele atrasa a sua aprovação, por não estar estudando corretamente, ele está tomando um prejuízo de 12xR$ 7.000,00, mais 1/3 de férias, mais 13º salário. O que representa algo em torno de R$ 93.000,00!!!



Já pensou nisso?



E por que eu fiz questão de explicar essa relação gasto x investimento x prejuízo de forma bem didática?



Porque alguns alunos ficam receosos de INVESTIR em um treinamento que irá proporcionar uma melhoria fantástica no rendimento dos seus estudos e, por conseguinte, antecipar a tão sonhada aprovação (e o bom salário), e seguem GASTANDO recursos e tempo com materiais que sequer chegam a ser (corretamente) estudados, ou mesmo de qualidade duvidosa.



Meus amigos, quando eu resolvi fazer prova para Delegado Federal, tomei a decisão de INVESTIR todos os recursos possíveis e tempo visando a essa aprovação, pois sabia que quanto antes eu fosse chamado, um maior e mais rápido retorno teria.



Essa postura implicou, inclusive, em me casar e não ter viagem de lua de mel!!!



“Como assim professor???”



Foi o seguinte: depois de tudo (igreja, festa etc.) acertado e pago para setembro de 2004, o CESPE me marca as provas para...outubro!!! Ebaaaa rsrs. Minha então noiva ficou histérica! Kkkk



Como ela já me conhecia há 7 anos, e sabia que eu estava 100% focado na prova e terminaria por não aproveitar a viagem, concordou em, após a noite de lua de mel em um hotel bem bacana, “se mudar” para a casa da mãe dela enquanto eu permaneci sozinho na nossa casa, durante o período da licença núpcias, estudando 13 horas líquidas por dia durante uma semana inteira!



Muitos dos meus amigos disseram na época “Você é maluco! Como é que se casa e não viaja??? Concurso tem todo ano!”.



Pois bem, assumir o CUSTO do estudo planejado, focado, me rendeu uma excelente colocação no concurso, de forma que fui convocado logo na primeira turma de formação de Delegado de Polícia Federal.



O que significa que recebi quase 4 anos de salário de DPF a mais do que os últimos convocados do mesmo concurso. Um ÓTIMO INVESTIMENTO, não acha?



Além disso, o outro concurso para DPF só foi acontecer agora em 2013, 9 anos depois (e não todo ano, como um amigo meu havia dito).



Quanto conto essa história, costumo dizer que tive uma lua de mel “postergada ou diferida”! kkkk



Meu amigo, minha amiga, se seus estudos não estão rendendo e você não quer mais ficar GASTANDO seus recursos e tempo.



Se você está decidido(a) a INVESTIR corretamente visando a atingir sua aprovação de forma mais eficiente e rápida possível, faça as contas (como fizemos aqui) e matricule-se nas turmas de Coaching do Ponto. São professores extremamente capacitados e que se dedicam diuturnamente a desenvolver maneiras, técnicas, métodos e abordagens para otimizar seus estudos ao máximo.



E, por fim, se o seu objetivo são as carreiras de Delegado ou Promotor de Justiça, será uma grande honra poder lutar ao seu lado, fazendo o meu melhor e buscando o seu melhor, para juntos conquistarmos a tão sonhada vitória. As matrículas do Coaching comigo para estes dois cargos estão abertas e ainda restam algumas vagas.



Convido você a dar uma lida nas aulas demonstrativas já disponíveis no site.



http://www.pontodosconcursos.com.br/cursos/produtos_descricao.asp?desc=n&lang=pt_BR&codigo_produto=6680



http://www.pontodosconcursos.com.br/cursos/produtos_descricao.asp?desc=n&lang=pt_BR&codigo_produto=6679



Um forte abraço e firme no combate Fuzileiro!



Até a próxima.



Facebook: https://www.facebook.com/bernardo.barbosa.1257


Comentários

Ainda não há comentários

Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: