Prof. Marcelo Seco

11/09/2013 | 23:18
Compartilhar

Contabilidade AFT 2013

 
Olá turma!

Espero que tenham logrado êxito na prova. As questões estavam tranquilas e tenho certeza de que quem estudou um pouco pôde obter uma boa pontuação.
A banca fez boas questões, sem possibilidade de recursos, a meu ver.
Um ponto a observar é que as questões 210 e 211 pediram o conhecimento das fórmulas de lançamento. Normalmente esse assunto é tratado nos conteúdos programáticos dos editais como “Lançamento Contábil”. Esse item não estava no nosso edital. Mesmo assim, eu incluí as fórmulas de lançamentos em nossa aula sobre as contas.
Talvez pudessem tentar um recurso por esse motivo. Não creio que a banca ceda nesse ponto, pois a resposta da questão, em essência, independia desse conhecimento.

Vamos dar uma olhada na prova.

206 O cumprimento do princípio da prudência é indispensável à correta aplicação do princípio da competência.
Errado. Assunto tratado em nossa aula 01. Vamos lembrar a definição dos princípios:
Prudência
O Princípio da Prudência determina a adoção do menor valor para os componentes do ativo e do maior para os do passivo, sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o patrimônio líquido.
Prudência pressupõe o emprego de certo grau de precaução no exercício dos julgamentos necessários às estimativas em certas condições de incerteza, no sentido de que ativos e receitas não sejam superestimados e que passivos e despesas não sejam subestimados, atribuindo maior confiabilidade ao processo de mensuração e apresentação dos componentes patrimoniais.
Vejam bem, a Prudência só pode ser aplicada quando houver mais de uma alternativa cabível para a determinação do valor. Não se pode ser prudente apenas por querer sê-lo. Além do que, a alteração deliberada de valores, para cima ou para baixo, mesmo que com a melhor das intenções, retira da informação contábil uma de suas características fundamentais, que é a representação fidedigna, pois lhe afeta a neutralidade.
Competência
O Princípio da Competência determina que os efeitos das transações e outros eventos sejam reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do recebimento ou pagamento. O Princípio da Competência também pressupõe a simultaneidade da confrontação de receitas e de despesas correlatas.
Não obstante todos os princípios devam ser observados, resta claro que a obediência ao princípio da competência não depende da aplicação do princípio da prudência, dado que este último só deverá ser utilizado nos casos em que haja mais de uma possibilidade de estimativa de valores, enquanto aquele primeiro deve sempre ser observado.
Gaba: E

207 Conforme o princípio contábil da entidade, a soma ou agregação contábil não resulta em uma nova entidade, mas em uma unidade de natureza econômico-financeira.
Correto! Assunto tratado em nossa aula 01. Vamos ver.
Entidade
O princípio da entidade reconhece o Patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, a necessidade da diferenciação de um Patrimônio particular no universo dos patrimônios existentes, independentemente de pertencer a uma pessoa, um conjunto de pessoas, uma sociedade ou instituição de qualquer natureza ou finalidade, com ou sem fins lucrativos. Por conseqüência, nesta acepção, o Patrimônio não se confunde com aqueles dos seus sócios ou proprietários, no caso de sociedade ou instituição.
O patrimônio pertence à entidade, mas a recíproca não é verdadeira. A soma ou agregação contábil de patrimônios autônomos não resulta em nova entidade, mas numa unidade de natureza econômico-contábil.
Principais pontos que devemos entender com clareza, e levar para qualquer prova:
-Autonomia patrimonial, diferenciação de patrimônios;
-Patrimônio da entidade não se confunde com o de seus sócios;
-Patrimônio pertence à entidade, mas o inverso não é verdade;
-Junção de vários patrimônios não resulta em nova entidade.
Gaba: C

Em relação ao patrimônio, julgue os itens subsequentes.
208 Créditos incobráveis e estoques de medicamentos vencidos não representam ativos.
Correto. Assunto abordado em nossa aula 00. Vejamos:
CPC 00
Ativo é um recurso controlado pela entidade como resultado de eventos passados e do qual se espera que fluam futuros benefícios econômicos para a entidade;
Créditos incobráveis e medicamentos vencidos não podem trazer benefícios futuros para a entidade. Pelo contrário, representarão perdas e serão reconhecidos como despesas.
Gaba: C

209 A existência de uma obrigação futura é requisito essencial para a contabilização de um passivo.
Errado, pois passivo é uma obrigação presente da entidade. Assunto tratado em nossa aula 00. Vamos ver:
CPC 00
Passivo é uma obrigação presente da entidade, derivada de eventos passados, cuja liquidação se espera que resulte na saída de recursos da entidade capazes de gerar benefícios econômicos.
Obrigação presente é diferente de compromisso futuro. A intenção da entidade de adquirir ativos no futuro não dá origem, por si só, a uma obrigação presente. A obrigação surge somente quando o ativo é entregue ou contratos de aquisição são assinados.
Gaba: E

Acerca das variações decorrentes dos fatos administrativos, julgue os itens seguintes.
210 A compra de veículos à vista é um fato modificativo aumentativo que deve ser registrado em lançamento de primeira fórmula.
Errado, temos de um fato permutativo. Assunto tratado em nossas aulas 01 e 02. Vamos ver.
Fatos Permutativos
Também chamados de compensativos ou qualitativos. Representam transações apenas entre contas do ativo e do passivo, e NÃO alteram o PL.
Ex.: Compra de uma máquina à vista. O valor saiu do caixa e entrou no imobilizado. Não mudou valor do PL.
Temos um débito e um crédito, logo, lançamento de primeira fórmula.
Gaba:E

211 O pagamento de duplicatas com juros é um fato modificativo diminutivo que deve ser registrado em lançamento de terceira fórmula.
Julgue os itens a seguir, relativos a plano de contas e a funções e estrutura das contas.
Errado, temos um fato misto diminutivo. Assunto tratado em nossas aulas 01 e 02.
Fatos Mistos
São fatos que combinam duas situações, envolvendo mais de um lançamento e representando transações entre ativo e passivo e também transações que causam alteração no PL. Ou seja, possuem em sua essência um fato permutativo e um modificativo.
Ex.: Pagamento de uma duplicata com juros pelo atraso. Sai valor do caixa e vai para baixar contas a pagar, no passivo. Fato permutativo. Até agora o PL permanece inalterado. Mas e os juros? Uma parte do que saiu do caixa vai para fora da entidade, pela despesa de juros, diminuindo o lucro e o PL. Fato modificativo diminutivo. Na combinação, temos um fato misto diminutivo.
De maneira análoga, o recebimento de uma conta em atraso, com pagamento de juros pelo cliente, aumenta o lucro e o PL, dando origem a um fato misto aumentativo.
Temos dois débitos e um crédito, logo, lançamento de terceira fórmula.
Gaba:E

212 A conta juros ativos é uma conta de resultado, analítica, de natureza credora, unilateral e dinâmica.
Correto. Assunto tratado em nossas aulas 02 e 05
Juros ativos é uma conta de receita.
Portanto ela é:
Credora
Unilateral ou estável (só tem saldo credor)
Analítica (está no último grau de detalhamento)
Dinâmica (faz parte da DRE, que é uma DC dinâmica)
Gaba:C

213 A conta passivo circulante é denominada conta sintética, sendo o seu saldo obtido pelo somatório do saldo de contas analíticas.
Correto. Passivo Circulante é um dos grupos do BP. Logo, seu saldo é formado pela soma dos saldos das demais contas que fazem parte do grupo, estas sim, analíticas.
Vamos ver um exemplo:
ANC Imobilizado 1000 – Sintética
Veículos 200 - Analítica
Máquinas 300 – Analítica
Imóveis 500 – Analítica

Gaba: C


ativo                                                            passivo
                                  12 11                                               12 11
ativo circulante             70 50                     passivo circulante 35 25
disponível                    30 30                            fornecedores 30 15
estoque                       40 20                       impostos a pagar 5 10
ativo não circulante       60 50               passivo não circulante 35 25
investimentos               30 20        empréstimos a longo prazo 35 25
imobilizado                  30 30 
                                                                patrimônio líquido 60 50
                                                                       capital social 60 50
total                          130 100                                    total 130 100

Considerando os dados apresentados na tabela acima, referentes ao balanço patrimonial de uma organização hipotética, julgue os itens que se seguem.

214 Em 2012, o índice de liquidez seca foi menor que 1.
Correto. Assunto tratado em nossa aula 08.
Liquidez seca em 2012
LS = (AC – Estoques) / PC
LS = (70 -40) / 35 = 0,857
Gaba: C

215 O índice de liquidez imediata em 2011 foi igual a 2.
Errado. Assunto tratado em nossa aula 08.
Liquidez Imediata em 2011
LI = Disponível / PC
LI = 30/25 = 1,2
Gaba: E

Julgue os itens a seguir, a respeito da destinação do resultado e do ponto de equilíbrio econômico.

216 Atinge-se o ponto de equilíbrio econômico quando a soma das margens de contribuição totaliza o montante indicativo de que não haverá lucro nem prejuízo.
Contabilidade de Custos não fazia parte do nosso curso, mas arrisco uma tímida resposta:
Errado. Salvo melhor juízo, o conceito dado refere-se ao ponto de equilíbrio contábil. O ponto de equilíbrio econômico leva em consideração o custo de oportunidade do capital investido.
Gaba: E

217 Tanto nas companhias abertas quanto nas companhias de grande porte, os lucros apurados devem ser mantidos na conta lucros acumulados.
Julgue os itens subsecutivos, acerca de demonstrações contábeis.
Errado. Assunto tratado em nossa aula 02.
Destinação do resultado
A conta de lucros acumulados não pode existir no balanço. Ela pode existir nos balancetes intermediários, durante o exercício. Se em uma questão você se deparar com um balanço, ou com uma relação de contas de um exercício encerrado, em que exista a conta “Lucros ou prejuízos acumulados”, trate-a como prejuízo, pois lucro não pode estar ali. o final do exercício, todo lucro deve ser destinado.
6404 - Art. 202 ...
§ 6o Os lucros não destinados nos termos dos arts. 193 a 197 deverão ser distribuídos como dividendos.
Mas o que deve ser feito com o lucro, além de pagar dividendos?
A combinação dos comandos da 6404 nos diz que os lucros podem ter a seguinte destinação:
Absorção de prejuízos
Reservas de Lucros
Aumento de Capital
Distribuição de Dividendos

Gaba: E

218 A demonstração do valor adicionado permite analisar o desempenho econômico da empresa e não considera, em sua apuração, as despesas com depreciação, amortização ou exaustão.
Errado. Assunto tratado em nossa aula 06.
A DVA deve proporcionar aos usuários das demonstrações contábeis informações relativas à riqueza criada pela entidade em determinado período e a forma como tais riquezas foram distribuídas.
A DC que permite analisar o desempenho econômico é a DRE.
Além disso, a DVA trata, sim, as despesas de depreciação, amortização e exaustão, no item 4 da geração.

Gaba: E

219 Os pagamentos de caixa a investidores para adquirir ou resgatar ações da entidade são classificados, na demonstração do fluxo de caixa, como atividades de financiamento.
Correto. Assunto tratado em nossa aula 06.
Atividades de financiamento
São aquelas que resultam em mudanças no tamanho e na composição do capital próprio e no endividamento da entidade, não classificadas como atividade operacional.
- caixa recebido pela emissão de ações ou outros instrumentos patrimoniais;
- pagamentos em caixa a investidores para adquirir ou resgatar ações da entidade;
- caixa recebido pela emissão de debêntures, empréstimos, notas promissórias, outros títulos de dívida, hipotecas e outros empréstimos de curto e longo prazos;
- amortização de empréstimos e financiamentos;
- pagamentos em caixa pelo arrendatário para redução do passivo relativo a arrendamento mercantil financeiro.
Gaba: C

220 Caso haja necessidade, é permitido realizar ajustes para adequar demonstrações contábeis de entidade de grupo econômico que utilize políticas contábeis diferentes para transações e eventos de mesma natureza.
Correto. CPC 36, assunto de nossa aula 07.
Se um membro do grupo utilizar políticas contábeis diferentes daquelas adotadas nas demonstrações consolidadas, devem ser feitos ajustes apropriados.
Gaba: C

Abraço!

Marcelo

 


Comentários

Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: