Prof. Fernando Mesquita

22/08/2013 | 00:46
Compartilhar

O Sucesso de A a Z - [X] o <b>X</b> da questão

Como enfrentar o "desafio" das provas do Cespe?

 

Nasci e cresci em Brasília. Falar em Cespe, então, é tão natural para o estudante quanto falar em escolas e faculdades, porque a banca é a realizadora do vestibular da Universidade de Brasília. Então, por volta da antiga 8ª série do ensino fundamental, já começávamos a discutir estratégias para o Programa de Avaliação Seriada - PAS, realizado pela "temida" banca.

Embora improvável, sei que é possível que você nunca tenha feito uma prova do Cespe. A Banca tem crescido em sua participação nos certames nacionais, inclusive "tomando" para si alguns que tradicionalmente pertenciam a outro terreno (como é o caso da prova de AFT/2013). Saber lidar com essa nova realidade, então, passa a ser parte de uma estratégia vencedora, que iremos abordar aqui agora, por meio dos pontos mais importantes.

 

A análise do edital

Não só quando a banca for o Cespe, mas quando estiver diante de qualquer outra, a análise do edital é ponto fundamental, indispensável e diferenciador dos candidatos. Inclusive, você pode descobrir quem são aqueles que não têm a menor condição de aprovação intencional só pela situação da leitura desse documento.

O edital é a "lei" do concurso, ou seja, até que seja questionado na justiça, vale como a regra do jogo. São pontos muito importantes a pesquisar e que valem para qualquer prova:

 


    • Requisitos para a posse - o que é necessário para a posse. Avalie esse item com muito cuidado e providencie antecipadamente aquilo que for necessário. Já ouvi histórias de candidatos impedidos de tomar posse em concursos policiais por não terem carteira de habilitação tipo B. Avalie com cuidado e veja quais providências precisam ser tomadas para agilizar a documentação;


    • Remuneração - certamente um ponto importantíssimo a se considerar - provavelmente o mais lido de todo edital;


    • Jornada de trabalho - estabelece quantas horas você vai trabalhar - item definido em lei e importante para evitar surpresas;


    • Inscrição - valor, data e forma. Especificamente em provas do Cespe, tem sido permitida só a inscrição via internet. Atenção para o período. Se for possível, faça sua inscrição logo nos primeiros dias e pague o boleto em seguida, para evitar surpresas desagradáveis;


    • Composição das provas - Esse ponto é certamente um dos mais importantes para a definição da estratégia. Nessa hora, vem a quantidade de itens em cada prova (geral e específica), os pesos, a existência ou não de prova discursiva e a situação dessas provas (eliminatórias, classificatórias ou ambas). Preste muita atenção nesse ponto;


    • Estilo de questão - parte muito importante, que trata de como as questões serão apresentadas. No caso da banca em tela, normalmente as provas são compostas por itens de marcação C (certo) ou E (errado), sendo que o valor da questão certa é 1 e o valor da errada é -1 (ou seja, cada questão errada custa uma questão certa - a implicação será vista à frente);


    • Data das provas - 2013 foi um ano intenso em termos de provas. Sempre que estiver lendo um edital de uma prova que pretende prestar, anote imediatamente o dia da prova (no celular, na agenda ou no calendário google - qualquer ferramenta que você use sempre). Isso vai evitar que você faça outras inscrições para provas no mesmo dia sem querer. Afinal, se você sempre anota a data enquanto está lendo o edital, não há razão para se perder, certo? Além disso, se as provas serão realizadas em outras cidades, você já pode começar a se movimentar no sentido de providenciar passagem e hospedagem, o que pode ser problemático se deixado para a última hora em algumas regiões;


    • Análise da prova discursiva - veja os critérios de avaliação da prova discursiva - quantidade de linhas, áreas passíveis de solicitação como tema, critérios de correção e de eliminação;


    • Discursivas selecionadas para correção - quantas discursivas serão corrigidas. Isso costuma ser representado como X vezes o número de vagas. O pessoal que vai fazer Analista Área 6 do Bacen 2013 para Brasília, por exemplo, vai ter a redação corrigida se ficar até a posição 505 (são cerca de 100 vagas). Em um mundo ideal, nossa meta deveria ter sempre a redação corrigida, principalmente depois de um tempo na estrada.


    • Conhecimentos - Essa é a segunda parte mais vista do edital - a que trata do conteúdo a ser cobrado na prova. Se está ali assinalado, não significa que será cobrado, significa que pode ser cobrado. De qualquer forma, é obrigação do concursando sério não selecionar o que vai estudar ("Ah, acho que isso não vai cair") e estar preparado profissionalmente para encarar uma prova, com todos os conteúdos estudados, revisados e exercitados.

 

Cobrança da matéria

 

Acredito que o Cespe seja uma das bancas mais "justas" quanto à seleção das questões e dos temas a serem cobrados. Embora, claro, haja exceções, normalmente não cobra posições super minoritárias de autores obscuros e aquilo que os candidatos menos preparados chamam de "peguinhas" normalmente são estratégias batidas para confundir exatamente essas pessoas - os candidatos menos preparados.

 

No geral, principalmente se comparada à ESAF e à FGV, bancas bastante densas em termos de conteúdos e de assertivas, as provas do Cespe sempre me pareceram mais leves e mais simples. Sinta-se à vontade para discordar.

 

O estilo de questão

 

Como dito, as questões cobradas pelo Cespe normalmente são de certo ou errado, com uma errada anulando uma certa. E esse é o principal ponto de diferença entre ele e as demais bancas. As pessoas temem ou odeiam o Cespe não porque ele seja uma banca ruim, mas porque, em geral, têm medo de suas provas. E para quem não está acostumado com elas, realmente pode ser uma grande pegadinha, principalmente resistir à questão do chute.

 

Chutar ou não chutar? Eis a questão

 

Chegamos, por fim, a um dos pontos mais polêmicos de toda essa análise: "Fernando, devo chutar as questões?". Ora, vejamos...

Se você está começando, a regra é simples: chute é aquilo que você não menos de 110% de certeza. E se você não tem 110% de certeza, não deveria responder. Simplesmente porque os ganhos podem ser altos, mas as perdas também são altas. Se você acerta, ganha um ponto, mas se erra perde um ponto, ao contrário do que acontece com as questões de múltipla escolha (vários itens, normalmente de A a D ou A a E - mais comuns).

Então, chutar pode ser um negócio ruim, principalmente se você está começando - porque não tem conhecimento suficiente da matéria nem da banca para fazer previsões sobre a possibilidade de aquelas questões terem suas respostas conforme a "sensação" de certa ou de errada.

Se você já tem algum tempo de estrada nas questões dessa banca, pode começar a arriscar alguns palpites, embora eu sugira que isso seja feito com toda a cautela do mundo.

Se você já tem conhecimento da matéria, pode saber com 60 ou 70% de certeza se vale a pena arriscar uma resposta. Existe uma corrente que defende ser possível ter uma nota melhor chutando itens que você desconfia da resposta do que deixando-os em branco.

Novamente, recomendo que seja feita uma cuidadosa análise das implicações disso. Para testar, faça o seguinte:

 

- Imprima uma prova da mesma área que você vai prestar.

- Resolva a prova, sinalizando os chutes aleatórios (não sei a resposta e resolvi chutar) e os chutes ponderados (desconfio que a resposta seja esta e vou chutar).

- Calcule sua nota sem os chutes aleatórios e veja o impacto

- Calcule sua nota sem os chutes ponderados e veja o impacto.

- Calcule sua nota sem nenhum chute e veja o impacto

 

Se você estiver bem, provavelmente (mas não necessariamente) sua nota com os chutes ponderados pode ser maior do que sem eles. Mas, novamente (e não tenho como frisar isso mais) faça o teste em um evento simulado e evite fazer isso pela primeira vez em uma prova de verdade.

 

O que fazer, então?

Então, pode ser que você tenha um "problema" - enfrentar a banca. Mas como lidar com isso? Bom, você pode adotar três condutas simples:

 

Resolver questões

Resolver questões é uma das maiores ferramentas de qualquer candidato sério. Resolva quantas questões você conseguir, depois resolva novamente aquelas que tiver errado, até que consiga justificar com convicção os itens que errou - não apenas ignorando-os. Isso vai contribuir para o seu desenvolvimento como candidato e para o aumento de sua competitividade.

 

Resolver provas

Pegar provas completas e resolver é uma excelente forma de entender a lógica da banca e trabalhar seu controle emocional. Imprima a prova toda, cronometre seu tempo de acordo com o tempo disponibilizado oficialmente e trate a experiência como um exemplo de prova real. Falo mais sobre isso no Simulado Guerrilheiro. Resolva tantas provas quanto você for capaz. Isso vai te proporcionar tranquilidade e competência para a prova de verdade.

 

Respeitar sem temer

É importante sempre chegar à prova com humildade - respeitando as questões, lendo-as com calma e nunca dando a prova como garantida. A soberba pode nos causar surpresas quando menos esperamos. Entretanto, ao mesmo tempo, é importante que você saiba que é possível vencer a prova - e que é só você contra ela - desde que seja feito um trabalho prévio consistente e profundo.

 

Aprender a lidar com a banca é conhecer os obstáculos do caminho e dar mais um passo no sentido de promover a aprovação. Estratégia inteligente usada por candidatos competentes como você.

 

Sucesso e boas provas,

 

Fernando Mesquita

Coach | Ponto dos Concursos

fernando.mesquita@pontodosconcursos.com.br

 

Este artigo faz parte do grupo "Sucesso de A a Z", meu compromisso estabelecido com a grande comunidade do ponto em 29/07/2013. Um artigo por dia, cada um com uma letra do alfabeto no título. Sugestões? Comentários? Ansiedades? Deixei seu recado e faça parte de nossa crescente comunidade.




Comentários

  • 22/08/2013 - Seven
    Professor,

    volto a insistir no tema "Sono" depois que acabar o sucesso de A a Z

    com a tua exepriência e dos concursandos que tu jpa conheceu, quais as estratégias para lidar com o sono... Obrigado
  • 26/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Seven, mande-me um e-mail com detalhes dessa tua angústia. De repente, consigo escrever algo a respeito. Abraço,
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: