Prof. Fernando Mesquita

19/08/2013 | 08:59
Compartilhar

O Sucesso de A a Z [U] <b>U</b>m - reflexões sobre o primeiro lugar

O número Um. É aquele que inaugura uma série, é o primeiro colocado, o que vem antes na lista.
 

Ao longo de nossa série, não falo sobre colocações (posições nos concursos). Em princípio, o que importa para o concursando é ser aprovado, preferencialmente dentro das vagas disponíveis.

 

Então, pense em um caso específico. Se um concurso oferece 15 vagas, qual a diferença de valor entre passar em primeiro (o fatídico número um) ou em décimo quinto (o último da lista)? A resposta é: depende.

 

Em termos bem objetivos, pode ser que o concurso estabeleça uma diferenciação entre a possibilidade de escolher sua lotação - no caso de concursos nacionais. DPF, DPRF, Abin, RFB, dentre outros são concursos que adotam ou que adotaram essa sistemática. Então, a diferença entre ficar em 1º ou em 15º lugar pode ser a diferença entre viver em um lugar que você gosta ou um que detesta.

 

Mas consideremos um concurso como o do Bacen/2013, em que a lotação foi estabelecida em edital e o candidato deverá fazer sua escolha no ato da inscrição. Qual a diferença? Bom... nesse caso, muito pouca.

 

Mas o problema é mais profundo. Muitos concursos oferecem apenas 1 vaga para determinadas cidades ou determinados cargos. Veja o exemplo de consultores legislativos federais ou analistas judiciários de TRFs país afora. Muitas vezes, há uma, duas, três vagas no máximo para cada posição.

 

A conduta do primeiro lugar em grandes concursos normalmente é um pouco diferente. Mas há algumas coisas que podemos aprender de suas experiências. 

 

Foco

Os aprovados em primeiro lugar nos certames mais concorridos normalmente se preparam com antecedência e de forma muito dedicada a uma prova específica. O foco, inclusive, costuma der um diferencial bastante consistente na velocidade e no alcance dos objetivos dos candidatos - que, com a cabeça livre de preocupações relacionadas a um milhão de outras provas e de outras atividades, podem direcional seus esforços exclusivamente para aquela prova.

 

Conhecimento incremental

Em decorrência do ponto anterior, os candidatos do topo acabam construindo uma longa corrente de conhecimentos. Imagine-se estudando para o vestibular. Em um determinado período, a matéria das provas do vestibular da mesma faculdade/universidade é a mesma. Portanto, se você tenta vários semestres passar naquela prova, o que tem a fazer é aprofundar-se nos conteúdos exigidos.

 

Os candidatos a concursos que têm foco passam por uma situação parecida - porque não têm de reinventar a roda a cada prova (aprender diversas novas matérias). Assim, podem concentrar-se em aprimorar os conteúdos que têm e melhorar seus resultados a cada oportunidade, chegando cada vez mais perto de sua meta - e muitas vezes sendo os melhores nisso.

 

Desenvolvimento de boas estratégias

A aprovação em concursos é resultado de uma série de reflexões ao longo do tempo, mesmo que elas sejam feitas de forma automática, quase fora do plano consciente. O que funciona, o que não funciona, qual a melhor estratégia agora, como lidar com o desconhecido, tudo isso é parte de um complexo processo de raciocínio que leva à melhoria contínua nos estudos - tão necessária para a aprovação e fundamental para os primeiros lugares. Assim, entender como você funciona, como trabalha melhor e como aprende melhor são grandes ferramentas para desenvolver uma sólida capacidade de superar os obstáculos que se apresentam.

 

Humildade

"Hoje, acordei querendo ser o primeiro lugar no concurso". Embora às vezes se fale isso de brincadeira, é bastante raro ver candidatos que encaram a prova com a soberba de querer ser o primeiro lugar (principalmente se houver mais do que algumas poucas vagas). O que se observa na maioria dos candidatos é uma grande humildade em relação à tarefa e, muitas vezes, um agradável surpresa ao ver o resultado da prova. 

Isso nos mostra que, mais do que um objetivo em si, o primeiro lugar é resultado de um processo, que pode ser longo e demorado, mas que nos prepara para atingir um objetivo bastante valoroso.

Se você precisa ou quer ser o primeiro da lista, prepare-se com seriedade e com consistência e tenha a paciência necessária para desenvolver-se e para colher os frutos de seus esforços. Assim, certamente será capaz de percorrer esse caminho.

Você já foi aprovado em primeiro lugar? Deixe a timidez de lado e mande um recado contando como foi a experiência. Se você não foi, qual você acha que é o maior desafio?

 

Sucesso e boas aprovações.

 

Fernando Mesquita

Coach | Ponto dos Concursos

fernando.mesquita@pontodosconcursos.com.br

 

Este artigo faz parte do grupo "Sucesso de A a Z", meu compromisso estabelecido com a grande comunidade do ponto em 29/07/2013. Um artigo por dia, cada um com uma letra do alfabeto no título. Sugestões? Comentários? Ansiedades? Deixei seu recado e faça parte de nossa crescente comunidade.




Comentários

  • 19/08/2013 - Herick
    Olá professor, PARABÉNS pelos artigos, nos ajudam bastante!! Já tirei o 1º lugar em alguns concursos, como o DNIT pra nível médio no RN. Queria só resumir: é tudo como você mesmo afirmou - não há a intenção de sair em 1º, mas acontece como RESULTADO de um longo e valioso PROCESSO (renúncias, escolhas, determinação, foco, estudo ... FÉ) .
  • 19/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Que bacana, Herick. Meus parabéns. O 1º lugar é um feito muito honroso. Que assim permaneça e que você consiga atingir seus objetivos da melhor forma possível. Meus parabéns e obrigado por comentar. Abraço,
  • 19/08/2013 - Messias Brito
    Mais um ótimo texto! De fato, queremos apenas a vaga, o primeiro lugar acrescenta apenas um símbolo pra aumentar a autoestima, "inflar o ego". Mas, acontece que alguns cargos estão praticamente exigindo esta tarefa! Eu faço pra AJAA de tribunais e conheço mto bem as provas e o perfil dos aprovados. Posso assegurar que os 50 primeiros colocados de qualquer tribunal neste cargo possuem plenas condições de alcançar o 1º lugar. O q diferencia? Acho q o elemento emocional e o elemento sorte são determinantes aqui. É um tema da redação q vc tem intimidade; a cobrança de artigos de lei q vc leu recentemente; a cobrança de uma grande quantidade de itens sobre um tema q vc domina mais... etc. Pra este cargo só se pode tentar fazer sempre o melhor, sem qq certeza da colocação exata!
  • 26/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Messias, muito obrigado. É verdade, alguns cargos têm tão poucas vagas que o primeiro lugar passa a ser uma obrigação. Nesses casos, às vezes um pequeno detalhe faz toda a diferença e temos também de contar com a sorte - mas lembrando que, quanto mais nos preparamos, mais sorte temos. Obrigado por comentar. Abraço e sucesso.
  • 19/08/2013 - Rosana
    Olá prof. Fernando!
    Também já fui a 01 em concursos, foi em 2006 para antiga SEMA - Sec do Meio Ambiente hoje IMAP - Instituo do Meio Ambiente aqui do meu estado. Na verdade, qdo fiz esse concurso na primeira fase fiquei em 2º lugar e na segunda fase fui para primeira colocação, era apenas 1 vaga, mas acabaram não chamando o meu cargo na época e ainda não havia decisões do STF no sentido de obrigar a Administração a nomear, acabei sendo chamada depois para o meu atual cargo. Abraços.
  • 26/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Rosana, veja que beleza! Você certamente tem o potencial de realizar muito mais do que acredita. Fique firme na luta e mande notícias do desempenho, ok? Abraço e sucesso.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: