Prof. Fernando Mesquita

16/08/2013 | 16:31
Compartilhar

O Sucesso de A a Z - [R] <b>R</b>esistência

Depois de muitos anos, esperando uma oportunidade como esta, ontem fui a um evento que nunca imaginei que fosse acontecer - um evento sobre concursos em Brasília. Por mais estranho que pareça - porque Brasília é certamente uma das cidades mais ativas do país em termos de concursos públicos.

Pois bem... Como em qualquer evento dessa natureza, tivemos muitos palestrantes - pessoas famosas, bem-sucedidas, cada um contando suas histórias e suas estratégias.

 

Como escritor e pesquisador do tema, obviamente tive minhas ressalvas em relação àquilo que estava sendo apresentado, mas pude extrair um componente em comum entre tudo que foi dito. Resistência.

 

Resistência, em sua acepção mais simples, é a capacidade de resistir. Mas... resistir a quê?

 

Concursando tem de resistir o tempo todo.

 

- Resistir às forças que o impedem de começar

- Resistir à vontade de desistir

- Resistir aos comentários negativos

- Resistir à descrença

- Resistir à procrastinação

- Resistir à vontade de se acomodar


- Resistir às pressões

 

Tudo isso exige esfroço constante e diário. E saber que não é fácil é um bom ponto de partida, mas não é suficiente, claro. Há um momento da resistência sobre o qual precisamos conversar mais seriamente hoje: a resistência nos estudo, que é certamente um de nossos maiores problemas.

 

Resistência nos estudos

 

Já estamos juntos há algum tempo, então posso ser cada vez mais sincero com você: o sucesso leva tempo. Li um artigo fenomenal hoje que falava sobre "10 anos de silêncio". É uma ideia que vem sendo popularizada há algum tempo, principalmente por meio de livros como do autor Malcolm Gladwell. A tese de Gladwell é baseada em pesquisas anteriores que defendem basicamente que o grande trabalho, o excepcional, o incrível vem depois de 10 anos de trabalho.

 

O que isso quer dizer? O autor cita exemplos dos Beatles, de Steve Jobs, de Bill Gates, Mozart, Beethoven e de tantos outros fenômenos em seus campos de trabalho (O livro chama-se Fora de Série, uma leitura que recomendo). Segundo o autor, todos esses profissionais trabalharam arduamente durante pelo menos 10 anos até atingir popularidade e sucesso (no caso dos músicos, os "10 anos de silêncio" referem-se exatamente às obras que produziram sem projeção alguma).

 

Hoje, li um outro texto que falava sobre Kobe Bryant, famoso jogador americano de basquete. Novamente, o número estava lá - 10 anos (ou 10.000 horas, segundo Galdwell). Ontem, no evento em que estive, os palestrantes novamente abordavam a questão da resistência, até que um deles, atualmente Consultor Legislativo do Senado, afirmou "Mas não pensem que foi fácil. Passei 10 anos até chegar a essa posição".

 

Esse número parece fazer cada vez mais sentido, e desde que li o livro de Gladwell, a lógica parece estar sempre a seu favor. Mas o que isso significa para nós?

 

1. Tarefas diferentes exigem esforços diferentes. O primeiro concurso de verdade que passei foi para um banco estatal em 2003. Recém saído do ensino médio (ainda chamamos assim?), estudando para o verstibular da Universidade de Brasília, não tive dificuldades na prova. As disciplinas eram Português, Matemática, Raciocínio Lógico, Conhecimentos Bancários e talvez algumas outras que não me lembro. A questão era que, para o meu nível de conhecimento à época, a prova foi fácil. Fiquei na posição 288, se não me engano, e logo fui chamado para assumir. Se quisesse ter feito prova para auditor da receita em seguida, talvez tivesse sido um pouco difícil, mas resolvi pegar a estrada gradual, seguir um passo por vez. Para mim, com 19 anos, aquilo era o que estava na minha possibilidade de ação. 

 

2. Grandes tarefas exigem grandes esforços. Aqui, não vamos falar de exceções - o primo da conhecida que passou no Bacen depois de estudar 4 meses sem nunca ter prestado um concurso. Vamos falar de nós, que estamos na média - em geral, sem grandes habilidades, vencendo pelo esforço.

 

Quanto maior for sua meta, maior terá de ser seu esforço - e maior, por conseguinte, o tempo necessário para atingir seu objetivo. Se você pretende estudar para os concursos mais concorridos do país - Gestor, Bacen, AFT, RFB, Congresso Nacional, TCU, você terá de estudar mais tempo do que aquelas pessoas que pretendem estudar e passar em concursos de nível médio e fundamental. E isso é esperado e lógico - quanto mais complexo o cargo, maior a quantidade de matérias, e mais maturidade e conhecimentos você tem de ter para poder atingir o patamar para a aprovação.

 

3. A resistência é necessária para o sucesso. Não há técnica que estudos que vença a falta de estudos. Não há técnica de concentração que vença a falta de estudos. Não há leitura dinâmica que melhore o que você não quer ler. Portanto, estudar com afinco, dedicação e propósito é fundamental para atingir qualquer meta que valha a pena ser atingida. Se você está estudando para um cargo que nada tem a ver com seu desejo profissional, tanto faz o que você atinge. Se você não quer o cargo ou está fazendo para agradar sua família, seu cônjuge ou qualquer outro elemento extrínseco, não faz diferença - o motivo tem de vir de dentro. Mas se você realmente quer ser aprovado, terá de criar resistência. Como isso acontece?

 

4. Resistência se adquire pouco a pouco com a prática consciente e focada - ninguém começa a correr uma maratona em um dia. As metáforas esportivas são clichês inevitáveis - os mecanismos são muito semelhantes com o estudo. Mas para se atingir um objetivo é necessário treino e persistência. Se você hoje estuda 30 minutos e fica cansado, nunca vai conseguir estudar mais se sempre parar aos 30 minutos. Entretanto, se no dia seguinte você estudar 40 minutos, no seguinte 50 minutos, no seguinte 60 minutos, vai perceber que pouco a pouco você vai começar a adquirir resistência - ou seja, capacidade de resistir à vontade de parar. Vai ser difícil? Sim. Mas espero que ninguém nunca tenha falado que ia ser fácil.

 

5. 30 > 0. Uma preocupação que tenho visto muito nas pessoas é em relação ao rendimento dos estudos. Quero desfazer uma confusão que tenho visto. Já ouvi pessoas dizerem que "quando o rendimento cai, é hora de parar". E, nesse momento, peço que você pense comigo. O que é melhor? 30% de rendimento ou 0% de rendimento? Pelo menos sob o meu ponto de vista, quando você estuda cansado, abatido, é claro que não vai fazer milagres em termos de rendimento. Mas se você não estudar, não terá rendimento algum - 0%. Portanto, cuidado para não usar a "queda de rendimento" como desculpa para parar os estudos - e evitar o ganho de resistência. Se você não estiver disposto a passar pelos 20%, nunca chegará nos 100% no longo prazo - eles realmente levam tempo para chegar. 

 

6. Só passa em concurso 'top' quem cria casca. Novamente, não estamos falando das exceções. Elas existem, mas não afetam nossa análise.

 

Se seu sonho é ser auditor fiscal, gestor, consultor legislativo ou qualquer outra dessas carreiras, você está disposto a estudar 10 anos, de forma consciente e focada? Não estou dizendo que esse é o tempo necessário. Mas se fosse você estaria?

 

Porque se não estiver, às vezes é bom repensar sua expectativa. Mesmo após a aprovação, é esperado desses profissionais (e de qualquer outro, na verdade) que continuem se qualificando. Estudando. Se preparando para servir ao público com a qualidade que o cliente merece (mais disso amanhã). 

 

Aprovados conscientes (em oposição a aprovados da sorte ou do acaso) criaram casca. Estudaram o que precisaram estudar. Foram reprovados. Choraram, se desesperaram. Pensaram em desistir, como todos nós. Mas foram lá, levantaram, analisaram o que estavam fazendo - de certo e de errado - e decidiram tentar outra vez. E outra. E outra. E passaram perto, até o dia em que foram aprovados. Se você cai a primeira vez e decide ficar no chão sofrendo porque a vida é injusta, não cria casca. Porque ela só nasce em quem cai várias vezes e continua tentando.

 

Se você está aqui, espero que você esteja disposto a criar casca. E esteja disposto a estudar o resto da sua vida. Levei 28 anos para entender isso: Se você encarar algo como uma tarefa que você terá de fazer o resto da vida, fica mais fácil. Se você entender que o estudo vai te acompanhar para sempre, assim como deveriam a alimentação saudável, os exercícios físicos, o aprendizado, o sofrimento esporádico, as angústias, as alegrias, fica muito mais fácil aceitar as desventuras e os períodos de baixa.

 

E você? Como anda a resistência? Deixe um recado me dizendo como tem sido o resultado de seus esforços. Você já estudou tempo suficiente com qualidade suficiente para ser aprovado?

 

Fernando Mesquita

Coach | Ponto dos Concursos

fernando.mesquita@pontodosconcursos.com.br




Comentários

  • 23/08/2013 - Viviane
    Oi Fernando, tudo bem? O edital do concurso para o qual eu estava estudando abriu e eu sumi!rs
    O seu texto sobre Resistência é bastante REALISTA!
    Eu adoro estudar, ler, aprender. Não me importaria em passar o resto da vida estudando, aliás, é isso que pretendo fazer. Só ficaria triste em passar muitos anos estudando para um único concurso. A impressão que dá é que a gente está parada no tempo, mas é o preço que se paga. Realmente não há mágica e estudar envolve uma série de etapas que devem ser progressivas. E como exige esforço! Vou criar casca de jacaré...
    "...A resistência é o resultado de uma alma que não se conforma com o sofrimento, luta incansavelmente, superando as tribulações, vendo além das tempestades um caminho de luz e segurança. Essa alma cresce do tamanho de seus sonhos e vê nas dificuldades degraus para se alcançar a vitória almejada..."
    (Harold Wilson)
    abs,
  • 26/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Viviane, não se preocupe. Sei que há momentos mais corridos na vida, mas se você tiver a oportunidade de tirar 10 minutos para ler o que temos aqui, já me terá valido a pena. Não há mágica, só esforço seguido de resultado. Muita dedicação no seu objetivo certamente te aproximará de seu objetivo - até o ponto em que você poderá tocá-lo. Sucesso e bons estudos.
  • 21/08/2013 - TIAGO FERREIRA SILVA
    Sim, mandarei! Abraço
  • 20/08/2013 - TIAGO FERREIRA SILVA
    Bom, quado já estou um bom tempo estudando e fico cansado, paro um pouco, dou um intervalo de 30 minutos e retomo os estudos. Essa estratégia tem funcionado comigo, eu acho. Vou prestar concurso por MPU, é o meu primeiro concurso, espero que essa minha estratégia funcione.
  • 20/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Tiago, te desejo sorte. Mande um recado após a prova dizendo como foi o desempenho, ok? Abraço,
  • 18/08/2013 - Daniela
    A cada texto, mais detalhes que me fazem pensar em tudo que tenho feitos de errado. Sim, eu paro quando me sinto cansada, por achar que não vou render mais, mas concordo que qualquer aproveitamento maior que zero vai me deixar melhor do que estava antes. Então esse é mais um dos objetivos que assumo comigo a partir de agora: aumentar minha resistência.
  • 18/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Olá, Daniela. Meu objetivo é esse: provocar a reflexão. Que bom que tem funcionado. Procure aumentar sua resistência pouco a pouco, e você verá que em breve a tendência será de melhoria contínua. Obrigado por comentar. Bons estudos e sucesso.
  • 16/08/2013 - Paula Roberta
    Olá, prof. Fernando. Acredito que minha maior resistência seria a física, mas não vou ficar falando aqui dos meus problemas físicos e das intempéries que acabam provocando as dores no corpo. Eu estou nessa batalha dos concursos públicos desde 1999, quando eu passei, mas não fui chamada, no concurso do Banco do Brasil, para Uberlândia-MG, e desde então estou tentando, tentando, tentando até ser aprovada num cargo público federal. Vou chegar lá, professor, tenho certeza disso. Minha atual situação financeira não me permite viver sozinha, no meu próprio canto. Não estou desmerecendo o que minha mãe tem feito por mim, mas já está na hora de eu ajeitar minha vida, levantar asas. Entrei no concurso público para vencer, para ser aprovada, para ser bemmmmm classificada e com chances de ser nomeada. Seus artigos tem me ajudado muito, principalmente esses últimos do alfabeto. Grande abraço, nobre professor.
  • 18/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Olá, Paula, ter certeza de que você vai chegar é um grande passo na conquista de seu objetivo. Fico feliz que a série seja útil. Obrigado por comentar e fique firme nos estudos, ok?
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: